Eu insisto: esses robôs da Boston Dynamics vão simplesmente exterminar a raça humana no futuro. Não dou no máximo 20 anos para isso acontecer.

Dá para ficar um pouco paranoico com todos os avanços alcançados por esses robôs. O que chama a atenção é a riqueza de detalhes nos movimentos dos equipamentos, que são cada vez mais precisos e, ao mesmo tempo, mais naturais e intuitivos.

O vídeo no final do post mostra tudo isso de uma forma bem casual e divertida. Confesso que, apesar do medo que sinto todas as vezes que eu vejo os vídeos que mostram o que esses robôs já estão fazendo, é bem divertido ver o Spot Mini, esse robô com corpo de cachorro e cabeça de monstro, dançando animadamente ao som de ‘Uptown Funk’, hit de Bruno Mars.

A graça toda do vídeo é ver a fluidez do robô em realizar os movimentos dentro do ritmo da música. O robô faz coisas que nem eu, nem você, nem boa parte da galera que você conhece consegue fazer, como o o moonwalker e o twerk.

Sério, o robô chacoalha os quadris melhor do que muita gente com as juntas travadas e arrebentadas.

Vale lembrar que o Spot Mini é um robô elétrico independente. Ele pesa 30 kg e possui autonomia de funcionamento de até 90 minutos. Obviamente, ele não é destinado para o uso doméstico (até porque, se ele sair do controle, o potencial do robô arrancar a cara do seu filho pequeno é enorme).

O Spot Mini é orientado para o uso industrial ou militar. Deve chegar ao mercado em versão final apenas em 2019. Por enquanto, os vídeos de demonstração da Boston Dynamics são apenas para mostrar as capacidades de reprodução de movimentos na robótica ‘animal’, simulando o comportamento e os movimentos de seres vivos, e não tanto um protótipo industrial de trabalho.

De qualquer forma, servem para mostrar o potencial do produto, e a partir disso os desenvolvedores podem imaginar as soluções e usabilidades para o robô em diferentes setores.

Vídeo a seguir.