Compartilhe

Com a maior demanda pelos notebooks para o trabalho remoto, é preciso orientar aos mais inexperientes do assunto. A boa notícia é que, hoje, comprar um notebook ficou mais fácil nos aspectos econômicos. A má notícia é que o universo dos produtos disponíveis complicam a cabeça das pessoas, e as chances de alguém comprar um produto que não atende às necessidades do usuário aumentam.

Nesse post, deixamos algumas dicas para quem vai comprar um computador para trabalhar em casa. São os itens que você deve dar maior atenção antes de realizar o investimento em um produto que deve funcionar bem pelos próximos anos.

 

 

 

Conheça os requisitos dos programas que você usa para trabalhar

 

Não adianta comprar o notebook mais barato com Intel Celeron N4000 se você usa softwares como Photoshop, After Effects e Sony Vegas. Seu futuro notebook precisa ser de acordo com os principais softwares que serão utilizados no portátil. Quanto mais exigente o software, mais potente precisa ser o equipamento. Não tem como escapar disso.

 

 

 

Escolha uma tela confortável

 

 

Procure dar ênfase para esse aspecto do futuro notebook, pois você vai passar boa parte do seu tempo na frente dessa tela para trabalhar. E, em alguns casos (principalmente para aqueles que trabalham de alguma forma com aspectos visuais, como edição de fotos e vídeos), a tela é um dos elementos mais importantes em um computador portátil. Se puder investir em uma tela FullHD, melhor.

 

 

 

O processador pode ser o segredo de tudo

 

É a pedra angular que sustenta todo o sistema operacional, e um dos aspectos que devem receber prioridade no seu trabalho. É o que pode determinar uma experiência de uso adequada para a sua atividade profissional. Se você vai apenas digitar textos e navegar na internet, até o Celeron N4000 serve (mesmo com as minhas restrições sobre ele). Agora, se sua demanda é mais pesada (edição de mídia, cálculos avançados), pegue um processador mais potente. Por favor.

 

 

 

Nem sempre é necessário uma placa gráfica

 

 

Você sabia que a série Ryzen da AMD está fazendo um ótimo trabalho, com o chip gráfico Vega surpreendendo em alguns aspectos? Então… se sua atividade profissional não possui uma maior demanda de hardware, é possível economizar um bom dinheiro ao comprar um notebook que não conta com uma placa gráfica dedicada. Mesmo com algumas restrições, você pode trabalhar bem com as placas gráficas integradas da Intel e da AMD.

 

 

 

De quanta RAM você precisa?

 

A quantidade de RAM que você precisa para trabalhar está muito relacionado com o fato de você ter uma placa gráfica dedicada ou não. Em um notebook profissional, essa escolha é decisiva para você precisar ou não de mais memória no notebook. E mais RAM não vai deixar o notebook mais rápido, mas vai iniciar mais rápido os aplicativos, deixando tudo mais fluído. E a regra é: se você tem uma placa gráfica integrada, 8 GB de RAM é o mínimo recomendado para trabalhar com o Windows 10 de forma decente. Agora, se você tem uma GPU dedicada, é preciso ter pelo menos 16 GB de RAM para trabalhar com softwares mais avançados.

 

 

 

Velocidade ou capacidade: é você quem escolhe o armazenamento

 

 

O HD não está obsoleto. Ele só precisa ser bem utilizado. Use um SSD para garantir a velocidade no desempenho do sistema operacional Windows 10, e deixe o disco mecânico ou HD para armazenamento dos seus arquivos pessoais. É a melhor relação custo-benefício possível. Se bem que, no meu mundo perfeito (meu notebook), eu coloco um SSD M.2 para o sistema operacional (muito mais rápido) e o SSD SATA para armazenar arquivos pessoais (mais rápido). E deixo os HDs mecânicos para backups.

 

 

 

A bateria importa se você vai trabalhar fora de casa ou escritório

 

 

Estamos falando do home office ou do trabalho remoto. Logo, em teoria, você vai trabalhar a maior parte do tempo em casa. Porém, uma hora você pode voltar ao escritório ou trabalhar no shopping ou aeroporto. Se você pensa nessa possibilidade, pense em um notebook com longa autonomia de bateria.

 

 

 

Teclado e touchpad são grandes esquecidos

 

 

São dois itens muito utilizados por muitos usuários, mas alguns dos mais esquecidos na hora de escolher um novo notebook para trabalhar. Eu dou prioridade para o teclado porque, afinal de contas, eu uso o computador para digitar todos os dias. Dê preferência para notebooks com teclados com teclas amplas e confortáveis, e touchpads que são compatíveis com os sistemas multi-gestos do Windows 10.

 

 

 

Conexões: é sempre melhor sobrar do que faltar

 

A conectividade sem fio não pode ser desculpa para você abrir mão de ter o máximo de portas USB, HDMI e RJ45 e outros conectores para ampliar as suas possibilidades de uso. Temos ultrabooks muito potentes, mas que limitam o usuário na hora de usar outros periféricos. Dependendo da sua atividade profissional, ter o slot para cartões de memória é mais importante do que ter uma porta USB-C… não é mesmo, fotógrafos ou videomakers?

 

 

 

Conclusão

 

Essas são as informações mais essenciais sobre os componentes que você deve dar uma maior atenção na hora de comprar um notebook para trabalhar. Dessa forma, muito provavelmente você vai escolher o melhor portátil para o seu trabalho. E essa escolha precisa ser muito sábia, pois essa vai ser uma ferramenta de trabalho por muitas horas durante o dia, e ele precisa oferecer a melhor experiência de uso e desempenho que podemos esperar de um notebook profissional.


Compartilhe