Compartilhe

A recarga sem fio é algo espetacular, até o momento em que constatamos que sua eficiência é péssima, pois desperdiça muito mais energia. Um estudo deixa claro que são necessários 50% a mais de energia para carregar um smartphone com um carregador sem fio em comparação com o carregador com cabo.

 

 

 

O padrão Qi é o melhor que temos, mas não é muito eficiente

 

 

O sonho em recarregar o smartphone sem fio se tornou realidade. Os carregadores sem fio usam técnicas como a indução para recarregar telefones ou relógios inteligentes, o que entrega comodidade para nosso uso. Mas esta é uma tecnologia que não é eficiente, nem barata.

Todo o setor de tecnologia já sabia disso, pois o Wireless Power Consortium (WPC) avisou sobre esse detalhe há muito tempo. Porém, medir a eficiência energética dos carregadores sem fio era algo bem mais complicado porque não havia um padrão adequado para a medição desse aspecto.

Agora, as tecnologias de recarga sem fio foram comparadas.

A Rezence, por exemplo, era ótima para carregar vários dispositivos ao mesmo tempo sobre uma superfície, mas o seu custo e eficiência não eram das melhores. E a média espacial definida pela WPC indica que a eficiência energética da mesma era muito pobre (39,6%) e, no caso da Qi, era simplesmente medíocre (59,4%).

 

 

 

Recarga sem fio que gasta quase 50% a mais de energia

 

 

Isso foi confirmado pelo estudo da OneZero, que comparou quanta energia era necessária para carregar por completo um Pixel 4 usando vários carregadores sem fio, e comparando esses números com a energia necessária para carregar o dispositivo via cabo.

O resultado é contundente: a recarga sem fio usa em média 21,01 Wh, enquanto que o cabo usa apenas 14,26 Wh. A diferença é de 47% a mais de energia na recarga sem fio. É mais cômodo carregar sem fio, mas sai mais caro no final do mês.

Tá, o consumo de um carregador de celular é algo mínimo. Mas… pense nesse gasto adicional a longo prazo.

Além disso, o smartphone precisa trabalhar mais, gerar mais calor e coletar mais energia durante a recarga sem fio para poder encher uma bateria do mesmo tamanho. Outro detalhe importante: a posição onde você coloca o smartphone no carregador sem fio afeta de forma decisiva a eficiência da recarga.

Olhando de forma macro para o problema, se mais de 3 bilhões de smartphones em uso precisam de 50% a mais de energia para recarregar a sua bateria, esse consumo a mais deixa de ser um problema individual (onde a bateria do seu telefone pode ter um consumo maior e mais rápido) para ser um problema social (onde vamos gastar mais energia, o que pode resultar em um colapso a longo prazo).

 

 

 

Conclusão

 

Nesse momento, não conto com um smarpthone com recarga sem fio, e até me interesso em ter uma base de recarga pela comodidade, mas essa não é a minha prioridade de momento. Porém, reconheço como essa tecnologia é mais prática para muitos usuários, principalmente aqueles que são mais leigos e que encontram dificuldades em conectar o celular no cabo de recarga.

Porém, é importante deixar claro sobre as consequências que a recarga sem fio podem entregar para o seu dispositivo e para os seus hábitos de uso geral no smartphone. E lembrando sempre o mantra: é sempre melhor prevenir do que remediar.

 

 

Via OneZero


Compartilhe