Enquanto no Brasil os bancos cobram taxas cada vez mais caras de seus clientes, na China, o responsável pelo software que gerencia um sistema bancário encontrou um curioso bug que permitia realizar saques ilimitados de dinheiro nos caixas automáticos.

Qin Qisheng, o responsável pelo software de gerenciamento de caixas automáticos do banco chinês Huaxia, levantou aproximadamente US$ 1 milhão nos últimos dois anos, e da forma (desonesta) mais fácil do mundo.

Ele se aproveitou de um bug no sistema de saques. Quando uma pessoa utilizava um caixa automático para realizar um saque à meia noite, o sistema liberava o dinheiro, mas não debitava o valor da conta do cliente.

Ao perceber essa falha bizarra, Qin teria adicionado pequenas alterações no sistema para eliminar os alertas que normalmente são lançados para esse tipo de operação suspeita.

O resultado? Mais de 1.300 saques desde novembro de 2016, que resultaram em um valor de US$ 1 milhão. Só depois de se tornar um milionário é que Qin foi pego na trapaça no começo de 2018.

Porém… espera um pouco, que essa história fica ainda mais bizarra.

Muito provavelmente para evitar o constrangimento de ter o seu próprio responsável pelo software tirando proveito dessa situação, o banco solicitou para as autoridades que não investigassem o caso, preferindo adotar a suposta explicação que o banco “apenas estava testando a sua própria segurança”, que foi a mesma desculpa dada por Qin para efetuar os saques explorando a falha.

Um teste de longa duração, como podemos constatar. E muito provavelmente o funcionário, honesto como só ele, iria devolver o dinheiro ao banco.

Os tribunais não acharam que tal explicação foi a mais convincente, começando pelo fato dele ter utilizado a sua própria conta pessoal no lugar da conta de testes do banco, que poderia receber os recursos utilizados durante os ‘testes’.

Mas não podemos culpá-lo por tentar, não é mesmo?

 

Via SCMP