Uber lança serviço de patinetes elétricos por aluguel em São Paulo

Compartilhe

Apesar de algumas empresas que já estavam no mercado de patinetes elétricos por aluguel entenderem que o negócio não era mais sustentável ou rentável em algumas cidades brasileiras, a Uber estreou ontem (2) em São Paulo o seu serviço de compartilhamento desses veículos na cidade de São Paulo, o que é uma expansão dessa oferta da empresa no mercado brasileiro.

E eu digo que é uma expansão, pois os patinetes da Uber já estavam disponíveis para aluguel na cidade de Santos (SP), o que pode ser considerado um período de testes da empresa para só agora estrear na capital paulista, onde a logística do serviço é naturalmente maior e mais complexa. Os usuários poderão alugar os patinetes pelo mesmo aplicativo utilizado hoje para solicitar os carros.

A Uber recebeu autorização da prefeitura de São Paulo para oferecer o serviço de patinetes elétricos na cidade no final de janeiro de 2020, mas para quem acreditava que os patinetes estariam disponíveis em toda a cidade, pense duas vezes: nesse primeiro momento, poucos bairros são contemplados com a nova plataforma de mobilidade, uma vez que os veículos só estão em operação nos bairros da Vila Olímpia, Moema, Itaim Bibi, Vila Nova Conceição e Jardim Luzitânia.

A Uber promete que a área de cobertura poderá ser expandida de acordo com a demanda dos usuários, o que é uma atitude inteligente por parte da empresa, pois evita uma distribuição desenfreada de patinetes em locais onde os mesmos podem ter mais chances de serem abandonados ou vandalizados pelos usuários irracionais.

Nessa fase inicial do serviço no Brasil, o Uber não vai cobrar pelo desbloqueio do patinete. Porém o uso do equipamento tem uma cobrança de R$ 0,90 por minuto percorrido. Em Santos, a empresa cobra R$ 1.50 pelo desbloqueio do patinete, e R$ 0,75 por minuto de uso.

O usuário pode localizar os patinetes elétricos da Uber no mesmo mapa onde são exibidos os carros próximos ao usuário para as corridas. O desbloqueio é feito digitando ou escaneando o código o veículo, e o usuário também pode reservar um patinete em um determinado ponto da cidade. Porém, você tem até 15 minutos para chegar até um patinete reservado. Caso contrário, o mesmo será liberado para outro usuário na região.

 

 

 

 

Vale a pena?

 

Eu sempre defendi os modais alternativos. Sou um feliz usuário de uma bicicleta elétrica, e cogitei a possibilidade de comprar um patinete elétrico para me deslocar pelas ruas de Florianópolis (até que caí na realidade, e vi que o patinete elétrico era algo ousado demais para mim).

Mas defendo o uso dos patinetes elétricos pelos usuários que entendem que ele pode agilizar a vida na hora dos deslocamentos mais curtos, ou como um complemento ao transporte público. Aliás, qualquer medida que contribua para a redução de veículos no trânsito (e, consequentemente, dos engarrafamentos) vai receber o meu apoio.

Porém, uma grande preocupação é o volume cada vez maior de acidentes envolvendo patinetes elétricos. Alguns usuários infelizmente não conseguem ser conscientes sobre as questões de segurança, e comprometem a segurança de outros integrantes do trânsito e até a própria segurança. Por isso, a Uber tem uma página na internet com orientações de segurança para o uso desses veículos.

Não há informações se a Uber vai disponibilizar os seus patinetes elétricos em outras cidades brasileiras, mas vamos deixar você informado caso isso aconteça.

 

 

Via Infomoney, Tecnoblog


Compartilhe