Uma das vantagens do Uber em relação ao táxi é não ter surpresas no final da corrida. O cliente paga o valor exato indicado antes da viagem começar, sem a influência de variáveis como o tempo de viagem ou percurso. Isso torna as viagens mais eficientes, pois de nada vai adiantar o motorista dar voltas inúteis com você, pois é ele quem perde dinheiro e combustível na prática.

Porém, o Uber se esqueceu em como isso prejudica o motorista. O preço exato, que evita surpresas para os passageiros, acaba prejudicando o condutor em situações que podem acontecer com qualquer pessoa no dia a dia. Por exemplo, no meio da viagem acontece um acidente à frente, que deixa o motorista parado por 10 ou 15 minutos, e ele não recebe nada a mais por esse tempo perdido.

Já o taxista sorri, pois o taxímetro segue funcionando enquanto ele fica parado no trânsito.

 

 

Para piorar a situação do motorista do Uber, ele é penalizado em caso de custos adicionais por causa de imprevistos, e podem ser penalizados por (pasmem) chegar ao destino mais rápido ou muito atrasado.

É como eu disse antes. Os motoristas que andam mais quilômetros acabam com um custo maior pelo seu serviço. Lembrando que a comissão do Uber é de 25%, não importa o que aconteça durante a corrida. Se o motorista chega mais rápido ao destino, ele recebe o valor proporcional à viagem mais barata, e não o valor inicialmente estimado.

A única forma do motorista não ser penalizado é cumprir exatamente o trajeto programado, na distância exata e no tempo exato.

Por outro lado, o próprio cliente pode ser prejudicado pelo sistema de preço fixo do Uber, pois pode pagar mais caro por uma viagem mais rápida. Mas esse cenário é bem menos frequente e provável. De qualquer forma, pelo princípio de justiça, deveria ser contemplada a necessidade de um ajuste ao preço fixo, caso a viagem real durou muito mais que o previsto.

Nesse momento, o Uber liberou a opção de gorjeta como forma de compensar o motorista, mas até agora não sabemos se o motorista realmente ficam com as gorjetas ofertadas pelos passageiros.

Ou se o Uber também fica com 25% desse valor. Ou vai me dizer que você nunca ouviu falar dos casos dos patrões que “esqueceram” de dar gorjetas para os seus funcionários?

 

ATUALIZADO EM 2 DE ABRIL DE 2019 @ 16h15: a assessoria de imprensa da Uber entrou em contato com o TargetHD.net, e apesar de não emitir um comunicado oficial respondendo eventuais questões levantadas por esse post, deixou dois links que mostram o ponto de vista da empresa sobre o assunto e suas políticas. 

 

https://www.uber.com/pt-BR/newsroom/uber-aprimora-modelo-de-pagamentos-para-motoristas-no-brasil/

https://www.uber.com/en-BR/drive/partner-app/how-tips-work/