Compartilhe

O Twitter tem tantas caras como usuários pois, no final das contas, são os usuários que escolhem os conteúdos que deseja acompanhar na rede social. Das contas que seguimos dependem a informação que consumimos na plataforma.

Porém, em 13 de novembro de 2019, isso vai mudar. A partir desse dia, os usuários do Twitter poderão seguir os temas de seu interesse como se fossem as contas que ele já segue. Ou seja, se hoje você segue pessoas e empresas através das contas nas redes sociais, você também vai poder seguir os assuntos de interesse através dos temas ou tópicos.

 

 

Interesses selecionados no Twitter

 

 

O movimento é similar ao que o Instagram fez no passado, o que permitiu que os usuários acompanhassem hashtags específicas cujo conteúdo aparece de forma selecionada em nossa página principal. No caso do Twitter, os usuários poderão seguir inicialmente pouco mais de 300 temas diferentes. Este é um número inicial, e pode ser alterado com o passar do tempo, dependendo do feedback que os usuários vão dar para a plataforma.

O grande problema aqui é que, ao acompanhar os temas ou tópicos, você vai ver mensagens que foram publicadas pelas contas que você segue e também pelas contas que você não segue, o que pode resultar em uma certa irritação ou incômodo, caso você não concorde com a opinião do amiguinho que você não segue porque já não vai muito com a cara dele.

Para o Twitter, eles entendem que a principal razão para as pessoas acessarem à plataforma é para se manterem por dentro das coisas que mais lhes interessam. E a rede social entende que manter esse interesse é uma tarefa muito difícil nos dias de hoje.

Ou seja, fica claro que esta característica promete facilitar o acompanhar de determinados assuntos sem a necessidade de buscar as contas mais afetadas.

O Twitter confirmou que, mais adiante, vai ampliar a lista de temas disponíveis para acompanhamento, mas não sabemos se essa política de uso da plataforma vai passar a fazer parte da seleção de interesse. Pelo menos por enquanto, não.

 

Via The Verge


Compartilhe