TV paga no Brasil ganha audiência com confinamento

Compartilhe

Com a quarentena forçada para tentar conter a pandemia que assola o mundo, os hábitos das pessoas mudaram drasticamente. Muita gente recorreu ao teletrabalho ou home office para serem produtivos, os mais novos ainda estão se adaptando ao formato de EAD (ensino à distância), e todos estão alternando entre os serviços de streaming e a TV por assinatura para o entretenimento, que é tão importante nesse momento tão crítico.

As gigantes do setor de tecnologia estão colaborando para que as pessoas possam ficar em casa e em segurança, e as principais empresas do setor de TV por assinatura também. Vários canais adicionais foram oferecidos para todos os pacotes (inclusive alguns canais premium), e algumas dessas operadoras não vão cobrar multas por atraso nas mensalidades ou cortar o sinal de assinantes inadimplentes.

O resultado de todos esses esforços, somado com o isolamento social resultaram em um aumento de audiência da TV por assinatura, o que mostra claramente que, para os confinados, o streaming não é a única opção.

 

 

 

TV por assinatura brasileira se beneficia do confinamento

 

De acordo com os dados revelados pela Kantar IBOPE Media, entre os dias 24 de março e 5 de abril de 2020, a audiência dos canais fechados da TV por assinatura brasileira aumentou em 20%, tanto em relação ao mesmo período de 2019 como em comparação com a média de 2020. Esse aumento de audiência já foi devidamente explicado nos parágrafos anteriores desse texto.

Na média, o consumo dos canais de TV por assinatura no Brasil dentro do período indicado no estudo aumentou para 3h40 por dia, um aumento de 15%. Esse aumento de consumo aconteceu em todos os horários de medição de audiência. No período da tarde, o ganho de audiência é de 35% em relação ao mesmo período do ano passado, com 14 milhões de assinantes sintonizados em algum canal de seus pacotes.

Durante o período de isolamento social, os conteúdos de maior interesse dos assinantes são (obviamente) dos canais de notícias, que estão oferecendo todos os dias informações sobre a pandemia, pronunciamento das autoridades e boletins ao vivo com as últimas notícias do Brasil e do mundo. Além disso, os canais infantis, de filmes, de documentários e de lifestyle (estilo de vida) estão entre os mais assistidos pelos brasileiros.

Também por motivos óbvios, os canais que mais sofreram com a crise epidêmica global foram os esportivos. A queda de audiência é grande, e foi motivada pelo cancelamento de todos os eventos programados, assim como a diminuição da programação ao vivo nesses canais.

A maior parte da audiência nesse período de reclusão é composta por mulheres, com idades entre 35 e 49 anos, das classes AB e adolescentes.

Em comunicado para a imprensa, Oscar Simões, presidente da Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA), completa:

“A TV por assinatura está sendo fundamental para manter os brasileiros bem informados sobre a pandemia, em tempo real e integral, além de se confirmar como um importante meio de entretenimento para toda a família neste momento de isolamento social”.

 

 

Via Minha Operadora


Compartilhe