TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia TV paga brasileira ganha audiência durante a quarentena | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | TV paga brasileira ganha audiência durante a quarentena

TV paga brasileira ganha audiência durante a quarentena

Compartilhe

O isolamento social provocado pelos problema global (que todo mundo sabe qual é) está gerando efeitos em todos os setores da sociedade. Muita gente está fazendo o home office e o trabalho remoto, sem falar no ensino à distância. Mas um segmento de consumo da tecnologia foi diretamente impactado pela quarentena: a TV por assinatura.

Com um número maior de pessoas em casa, é mais do que natural que a audiência da TV paga registrasse um aumento, que foi significativo nesse primeiro período de quarentena. Iniciativas como a oferta de canais nos diferentes pacotes do SKY Combo, dos planos da Vivo, dos pacotes de canais da Claro net e dos serviços da Oi (TV paga e TV via internet) ajudaram nesse aumento de audiência, que agora está traduzido em números.

 

 

 

O aumento de audiência da TV paga durante a quarentena

 

Quem informa mais detalhes sobre o aumento de audiência média da TV por assinatura no Brasil durante o período de isolamento social é a Agência Nacional do Cinema (Ancine). O órgão informa que a média de visualização dos canais de TV paga no Brasil aumentou em 22% durante a primeira semana que as medidas de isolamento e distanciamento social foram propostas pelas autoridades sanitárias.

Antes do período da pandemia, nos dois primeiros meses do ano, a audiência total dos canais pagos variava entre 7.38 e 6.63 pontos. Porém, durante a semana entre 16 e 23 de março de 2020, a audiência saltou para 8.50 pontos. Na semana seguinte, essa audiência alcançou 8.95 pontos, a maior média registrada em 2020 até agora.

Esse aumento pode ser facilmente explicado, e não apenas por conta do maior número de pessoas em suas residências. As pessoas procuraram se informar mais sobre o que estava acontecendo pela mídia tradicional, através dos canais de notícias que decidiram realizar uma ampla cobertura sobre o assunto.

Quanto aos segmentos de programação que ganharam destaque no período, os canais de notícias registraram o maior aumento de audiência em relação ao número absoluto de telespectadores. A média total de audiência na primeira quinzena de abril de 2020 registrou um aumento de 100% em relação à primeira quinzena de março de 2020. Em comparação com o mesmo período de 2019, o aumento de audiência foi de mais de 50%.

Outros segmentos também registraram aumento de audiência média na primeira quinzena de abril, em comparação com a primeira quinzena de março: os canais de filmes e séries ganharam 40% de audiência, seguido pelos canais de variedades com 29,6%, canais de documentários, que ganharam 25,3% e infantis, com 9%.

Com o período de confinamento e o próprio cenário geral (que pode ser considerado caótico), muitas pessoas tentaram absorver melhor o momento buscando uma maior quantidade de entretenimento, e não apenas para matar o tempo livre, mas principalmente para tirar a mente do foco dos problemas relacionados à pandemia.

A tendência de aumento de audiência continuou no mês de maio, mas sempre dentro das categorias de programação que já estavam em alta em abril: os canais de notícias registraram um aumento de 11%, os canais infantis ganharam 4,6% de público, e os canais de variedades cresceram 3,4%. Todos em comparação à primeira quinzena de abril de 2020.

Mas nem tudo foi flores na TV paga durante a quarentena. O grande prejudicado pelo período de isolamento social foram os canais esportivos, que em um mundo normal são os mais assistidos entre os assinantes. Sem os eventos esportivos no Brasil e no mundo, esse segmento registrou uma queda de audiência de nada menos que 60%. Mas para esse segmento, a boa notícia é que os principais campeonatos de futebol europeu retornam ainda nesse mês de junho, assim como outras modalidades esportivas populares, como a Formula 1 e a NASCAR.

Os dados apresentados nesse post são do Kantar IBOPE Media, que se baseou no consumo individual de TV medido nas 15 regiões metropolitanas do Brasil, com a medição de audiência entre 7h da manhã e meia-noite.

 

 

Via Minha Operadora


Compartilhe