Compartilhe

A Sony está revelando aos poucos os seus segredos sobre o PlayStation 5. O mais interessante é que o console será compatível com o PS4 e anteriores, por contar com a mesma arquitetura dos consoles anteriores. Nesse sentido, ele vai funcionar ‘mais ou menos igual’ a um PC.

Porém, o novo console também será compatível com a atual versão do PlayStation VR, inclusive com os seus acessórios. Aliás, a compatibilidade é o segredo para uma transição entre gerações mais fluída, sem agredir aos early adopters, e uma ótima forma de conquistar adeptos.

Obviamente, teremos mais jogos AAA para o PS4, tal e como aconteceu antes, pois a base instalada é enorme. Quando siso acontece, sabemos que a próxima geração de consoles vai dar prejuízo até que uma massa crítica adquira o produto em volume o suficiente para competir com os lucros da geração anterior.

A CPU será uma AMD Ryzen de terceira geração octa-core (por isso, a mesma arquitetura x86), com uma GPU especialmente preparada e baseada no Radeon Navi da AMD. Aqui é onde teremos mais mudanças, já que incluirá de base o suporte para o Ray Tracing, algo que no mercado de PCs só os gráficos NVIDIA RTX oferece com uma performance aceitável, e a AMD nem se incomo dou em incluir.

Tudo isso, somado ao áudio imersivo em 3D. A saída de vídeo será em até 8K, e aqui surgem questionamentos sobre qual qualidade o console pode oferecer nessa resolução, qual é a memória disponível para vídeo, etc. Mas obviamente eles precisam estar preparados para o 8K quando o formato se popularizar.

 

 

Potente e muito mais rápido (e talvez caro), com a ajuda do SSD

 

 

Outra mudança notável é na redução dos tempos de carga no uso do SSD no lugar dos discos rígidos. O problema aqui é o custo (que vai aumentar), e a grande vantagem é o aumento de velocidade (o PS5 será bem mais rápido na hora de carregar conteúdos do que um PS4 Pro).

A Sony planeja melhorias na qualidade de serviço do PlayStation Now para o download de jogos e streaming ao vivo, algo que as latências podem atrapalhar, mas Google e Microsoft começaram a oferecer essas tecnologias para desenvolvimento.

Por fim, o PS5 chega ao mercado no natal de 2020, de modo que todos terão que ser um pouco mais pacientes para ver o console (ou alguns dos seus jogos) ao vivo ou , pelo menos, em uma demo.

 

Via Sony


Compartilhe