Compartilhe

Donald Trump quer pressionar o TikTok por todos os lados. Primeiro, assinou uma nova ordem legislativa que dá para a ByteDance 90 dias para vender o aplicativo nos Estados Unidos. Agora, quer impulsionar a concorrência.

Quando o presidente dos Estados Unidos decide abrir um perfil em uma rede social, isso significa que milhões de pessoas farão o mesmo para seguir as suas publicações polêmicas. E isso acabou de acontecer com o Triller, um app de compartilhamento de vídeos que compete diretamente com o TikTok.

 

 

 

Trump decidiu “dar uma força” para o Triller

 

 

O presidente dos Estados Unidos criou uma conta oficial no Triller, um aplicativo que até então era um ilustre desconhecido para o grande público, mas que agora começa a receber uma grande popularidade, e por motivos óbvios.

Algumas das primeiras mensagens de Donald Trump na nova plataforma contam com o seu tom peculiarmente sarcástico que já estamos acostumados a ver, como “sou um profissional em tecnologia” e “ninguém pode fazer isso como eu”. Duas mensagens que estão acompanhadas com montagens que se encaixam com sua campanha eleitoral.

 

 

Por enquanto, ele enviou três vídeos de 15 segundos no Triller, onde em um deles é o próprio Trump que aparece, e em outros dois ele aparece criticando Joe Biden, seu adversário democrata na disputa presidencial.

 

 

 

De onde veio o Triller, e como ele funciona

 

 

O Triller nasceu em 2015 e, nesse momento, conta com mais de 23 milhões de usuários. Está bem distante dos números do TikTok, mas os efeitos práticos da ajuda de Trump à plataforma começam a ser sentidos, muito mais do que no número de usuários que o presidente dos Estados Unidos possui nesse momento na nova plataforma (não chega nem a 5.000 no momento em que esse post foi produzido), mas principalmente na mídia e na opinião pública.

Basicamente, o Triller é mais uma plataforma de vídeos curtos que quer beber da mesma fonte do TikTok, aumentando ainda mais a competição dentro desse segmento. Permite a gravação de vídeos na vertical, possui algoritmo de sugestões em função das visualizações e da popularidade, permite a troca entre conteúdos com um simples deslizar de tela e recebe vários filtros.

Traduzindo: tem quase tudo o que o TikTok tem para ser um candidato perfeito para uma eventual substituição.

 

 

O Triller exibe os vídeos na vertical sem som e com a descrição na parte inferior, além do nome do usuário que produziu o vídeo, os likes e o número de reproduções. Uma vez que o vídeo atual terminou a sua reprodução, ele passa para o próximo.

É possível mudar de vídeos deslizando com o dedo para cima, e você nem precisa ter conta no Triller para reproduzir boa parte do conteúdo ou ter acesso aos usuários, já que ele suporta a visualização em modo anônimo, tal e como o TikTok faz. Porém, o Triller compila os dados de uso, da mesma forma que o TikTok (e vários outros aplicativos) costuma fazer.

O ponto forte do Triller é apostar nas estrelas mediáticas, como Mike Tyson (por exemplo), que já possui o seu próprio canal com alguns conteúdos. E uma dessas celebridades é ninguém menos que Donald Trump. A estratégia funcionou, já que o aplicativo disparou nos downloads em julho.

O aplicativo permite a criação de vídeos utilizando a música oficial dos artistas (já que ele tem acordos com diferentes gravadoras), com gravações de até 15 segundos (ou pelo menos 4 segundos no modo social). Os vídeos musicais e os vídeos sociais contam com categorias diferentes no aplicativo, indicados por abas.

Na prática o Triller não se diferencia em nada do TikTok, do Instagram Reels ou de qualquer outro app similar com a mesma finalidade. É mais um clone do aplicativo chinês, com a diferença que este é um app norte-americano e, por causa disso, tem a bênção de Donald Trump.

 

 

Download

 

Triller para Android.

Triller para iOS.


Compartilhe