Para você… os eSports são esportes?

A ESPN tentou responder essa pergunta, e decidiu colocar em sua programação as competições de eSports. Mas muitos podem alegar que a sigla ESPN tem um Entertainment and Sports, e que os videogames entram como entretenimento.

Não é bem assim. Sportv e Esporte Interativo também colocaram os eSports nas suas respectivas grades de programação, o que mostra uma clara tendência em aceitar os eSports como um esporte, com ligas, rankings e premiações.

Até o Comitê Olímpico Internacional considera uma medalha olímpica para os eSports.

Logo… esporte.

Pois bem, no último final de semana aconteceu um curioso incidente em uma partida de futebol na Suíça, onde os torcedores de um time local realizaram um protesto contra os eSports.

No minuto 15 da partida entre Young Boys e FC Basel, os torcedores do time local atiraram no campo controles de videogames e bolas de tênis, o que provocou a interrupção da partida por alguns momentos.

Além dos itens atirados no campo que incluíam legendas como “Fuck eSports”, também foi exibida uma bandeira gigante com o botão de pausa, como manifesto contra os esportes eletrônicos que se tornam cada vez mais populares.

Os torcedores do Young Boys comentam que o manifesto aconteceu porque a Superliga da Suíça planeja que todos os times de futebol contem com sua divisão de eSports, e de um modo geral este não é o caminho que um clube esportivo deveria seguir, já que futebol é um esporte em equipe que fomenta a atividade física.

É importante lembrar que o FC Basel conta com um time de eSports, mas que não ajudou em nada no jogo do mundo real, uma vez que o Young Boys venceu a partida por 7 a 1.

O argumento dos torcedores do Young Boys é bem fraco. Fraquíssimo. Mesmo porque uma divisão de eSports em nada interfere no desempenho do time de futebol. E, na prática, só vai reforçar o conceito de coletividade que o esporte possui, além de reforçar a paixão pelo time em torcedores de novas gerações.

Algo que todo time de futebol deseja.