Compartilhe

2019 é o ano do Linux!

Parece piada, mas é verdade. Nunca se falou tanto de Linux como nesse ano, e o sistema operacional está alcançando espaços inimagináveis pela maioria de nós, entusiastas de tecnologia.

Não é mesmo, Microsoft?

O Windows 10 passar a contar com um kernel Linux modificado para que o usuário possa instalar a distribuição que quiser no sistema operacional é uma vitória. Mas não é a única.

 

 

Executar o Linux em um Chromebook será muito simples

 

 

Durante a Google I/O 2019, foi anunciado que todos os Chromebooks poderão executar o Linux, com a opção de instalação de distribuição desse sistema operacional como algo nativo do Chrome OS. Ou seja, os notebooks poderão receber um sistema operacional completo, e não apenas contar com um software pensado só na web. E de forma simples, prática, direta e funcional.

Tudo isso será possível com o Termina VM, uma máquina virtual desenvolvida para o Chrome OS, que vai permitir a execução de um sistema operacional dentro do outro, sem precisar sair do Chrome OS nesse caso. Como padrão, o Termina VM executa um sistema Debian 9.0 Stretch, onde podemos instalar aplicativos e usá-lo como se fosse um computador com Linux qualquer.

O Debian é muito conhecido nos ambientes profissionais pela sua estabilidade, mas é possível instalar outras distros como Ubuntu ou Fedora, mas sem a mesma simplicidade e com a necessidade de usar alguns comandos do terminal.

 

 

Linux e Android no Chrome OS: três sistemas em um

 

 

Em nenhum momento existe o risco de apagar o Chrome OS ou de modificar arquivos importantes do sistema. Além disso, a solução abre as portas para outras possibilidades, como uma maior integração com os apps do Linux. Um exemplo disso é poder abrir um arquivo do LibreOffice diretamente no explorador de arquivos do Chrome OS, ou poder mover arquivos desse sistema para o Linux simplesmente arrastando o arquivo de uma janela para outra.

Por enquanto, tudo isso já é possível na versão Canary do Chrome OS. Mas aos poucos as novidades desembarcam na versão estável do sistema, que vem pré-instalada no Chromebook. Some tudo isso à compatibilidade com apps do Android, e comprar um Chromebook vai significar ter acesso a apps de três sistemas operacionais sem muito esforço de sua parte e sem muitos conhecimentos informáticos.

 

Via VentureBeat


Compartilhe