Além de apresentar a Solid, que é uma evolução da web como conhecemos, Tim Berners-Lee iniciou uma campanha para que a internet seja considerado um direito básico.

O Contract for the Web busca que autoridades, empresas e cidadãos se envolvam em um aumento ao acesso justo e acessível à internet. Google e Facebook responderam ao chamado. Estamos esperando as demais.

A necessidade do contrato, cujo conteúdo completo ainda é desconhecido (só será apresentado em maio de 2019), vem na necessidade em recuperar a confiança na web. O abuso com os dados pessoais dos usuários fez com que a internet perdesse o seu valor.

Palavras de Tim Berners-Lee:

“A web se encontra em um ponto crucial. Mais da metade da população mundial está desconectada, e a taxa de novas pessoas que estão se conectando está diminuindo. Aqueles de nós que estamos online estamos vendo os nossos direitos e liberdades ameaçadas. Necessitamos de um novo contrato para a web, com responsabilidades claras e fortes para aqueles que contam com o poder de fazer melhor.”

Ter gigantes como Google e Facebook nessa iniciativa mostra o interesse na recuperação da confiança dos usuários na internet e na web, além do aumento de conexões. E isso não vem de graça: as duas se beneficiam com isso, e tem muito a dizer sobre o uso de dados pessoais.

Palavras da Google:

“Trabalharemos com a World Wide Web Foundation e muitos outros parceiros governamentais e empresariais, assim como com os usuários da rede em todo o mundo, para elaborar princípios que protejam a web aberta como um bem público e um direito básico para todo o mundo.”

O contrato também conta com o apoio do Governo da República Francesa, personalidades como Richard Branson e dezenas de organizações de diferentes partes do mundo. Todos assinaram o manifesto inicial e a finalidade do contrato.

Vamos ficar atentos ao desenvolvimento desta iniciativa e das possíveis materializações deste compromisso.

 

Via Contract for the Web