Thunderbolt 4: por que você deve se interessar por ele

Compartilhe

A Intel pegou todo mundo de surpresa com o anúncio do Thunderbolt 4, uma atualização do Thunderbolt 3 que melhora algumas das carências da atual geração. Mas além das novidades, o objetivo final da mudança é unificar as conexões Thunderbolt 4 e USB 4 ao contar com o mesmo conector, o USB Type-C. O novo padrão deve chegar aos notebooks que serão comercializados ainda em 2020.

Mas… por que você deve se interessar por esse padrão?

Vamos explicar os motivos nesse post.

 

 

 

A mesma velocidade, mas com melhorias no vídeo

 

A velocidade teórica do Thunderbolt 4 não vai variar em relação à atual geração: 40 Gbps, ou 5 GB/s. A melhora substancial está na qualidade da imagem.

O Thunderbolt 4 permite a conexão de até dois monitores 4K ou um monitor 8K, e sua velocidade do PCIe será o dobro da atual, com 32 Gb/s. Tal mudança afeta de forma geral as conexões de placas gráficas externas, aproveitando muito melhor a potência bruta do hardware com o dobro da velocidade, ajudando a reduzir os gargalos de dados das conexões atuais. Isso resulta em uma maior taxa de fotogramas por segundo em jogos e um melhor desempenho nas tarefas que demandam uma maior exigência gráfica, como edição de vídeos e transmissão ao vivo por streaming.

A Apple está certificando novos acessórios que são compatíveis com o Thunderbolt 4, onde o requisito mínimo imposto é contar com pelo menos uma porta de carga com a possibilidade de despertar os equipamentos do modo de suspensão quando se conectam ao acessório em questão. A Intel abre a possibilidade para desenvolver dispositivos com até quatro portas, que devem ser compatíveis com a proteção de dados da Intel para o sistema de virtualização da empresa, o VT-d.

 

 

 

Quando vou poder comprar um notebook com Thunderbolt 4?

 

A Intel indica que a compatibilidade do Thunderbolt 4 é com a nova geração de processadores Intel Tiger Lake com fabricação em 10 nanômetros, deixando de fora a atual geração de chips de décima geração.

A geração Tiger Lake será apresentada no final do ano, com os primeiros ultrabooks chegando ao mercado, para depois estar disponível nas demais linhas de portáteis e desktops convencionais. Tanto AMD como os demais fabricantes de processadores poderão usar o Thunderbolt 4 sem precisar pagar direitos por isso.

A AMD ainda precisa revelar os seus planos com o Thunderbolt 4. No final das contas, o custo das placas mãe compatíveis com os processadores Intel de última geração são muito mais caros que as placas mãe da AMD, e isso será relevante para muitos consumidores.

 

 

 

O Thunderbolt 4 vai fazer alguma diferença na minha vida?

 

Sim, vai. Assim como o Thunderbolt 3 fez diferença na vida de muita gente.

Qualquer evolução tecnológica que afeta diretamente a experiência de uso de boa parte dos usuários é algo que acaba afetando a vida de todos os usuários. Pense em como será melhor e mais simples desenvolver jogos, editar vídeos e realizar outras tarefas mais pesadas com uma velocidade de transmissão de dados e maior qualidade de imagem.

Ou seja, mesmo que demore um pouco para você se beneficiar da nova tecnologia em seu desktop ou notebook, o Thunderbolt 4 vai fazer diferença na sua vida mais rápido do que você imagina.


Compartilhe