O Tamagotchi original foi lançado em 1996, e desde então vieram várias tentativas de ressuscitar o brinquedo que, no passado, vendeu como água no deserto. Agora, a Bandai anuncia os novos Tamagotchi On, orientado ao mercado internacional, que tem o mesmo conceito em cuidar do mascote virtual, mas adaptado aos novos tempos.

Ainda temos um pequeno ovo, mas dessa vez com uma tela colorida, em um dispositivo que pode ser conectado ao smartphone em um aplicativo dedicado e com a possibilidade de obter Gotchi Points, em função em como você cuida do seu mascote.

 

 

Agora, os Tamagotchi podem procriar entre eles

 

 

O Tamagotchi On possui uma tela de 2.25 polegadas (LCD), sensores infravermelho e Bluetooth para se conectar ao smartphone. No Japão terá um modelo com NFC, mas não há planos para o mercado internacional receber esse modelo.

O aplicativo para o Tamagotchi On vai permitir a comunicação com amigos e encontrar outros Tamagotchi para casar e criar novas gerações de mascotes virtuais. Ou seja, os Tamagotchi agora podem procriar, reproduzir-se e passar as suas características para os seus descendentes.

Os Tamagotchi são criaturas virtuais com necessidades e muito ativas, mas principalmente são carismáticos e adoráveis, e a Bandai aposta nisso tudo e na nostalgia como os segredos do sucesso do Tamagotchi On.

O novo produto é adaptado à era dos smartphones, onde a conectividade dos usuários tem papel importante. Não é a primeira tentativa em ressuscitar o brinquedo, mas essa é uma das tentativas mais sólidas e com planos de comercialização global.

 

 

De fato, o Tamagotchi On é, na prática, a versão internacional do Tamagotchi Meets, orientado exclusivamente ao mercado japonês. Outros modelos lançados foram o Tamagotchi Friends, o TamaTown Tama-Go e o Doraemontchi, uma modificação baseada nas aventuras de Doraemon.

O Tamagotchi On chega ao mercado dos Estados Unidos no dia 15 de agosto, com preço sugerido de US$ 59,99, um preço bem mais caro que aquele cobrado pelas versões mais antigas. Mas é o preço que se paga pela modernidade.

 

Via Bandai