Arquivo para a tag: whatsapp

WhatsApp tem codificação ponto a ponto, mas tem um porém…

by

WhatsApp-codificado

Ontem (05) o WhatsApp incorporou a codificação ponto a ponto nas trocas de mensagens e comunicações entre os usuários. A medida de segurança melhora a privacidade do serviço, onde (na teoria) apenas emissor e receptor conhecem o conteúdo de cada mensagem.

Porém… sempre há um porém…

Ainda que o conteúdo da mensagem seja codificado e não fique salvo nos servidores do WhatsApp, o serviço de troca de mensagens ainda fica com muitas informações dos usuários, incluindo a data, a hora e o número do destinatário. Essas informações são salvas, e tal e como indicam os termos e condições de uso, podem ser facilitadas para entidades governamentais, caso elas procedam com as petições legais pertinentes para isso, ainda que a referência não pareça se limitar a datas, horas e números de contato, já que há uma referência a “qualquer outra informação que o WhatsApp seja obrigado a recompilar”.

Não resta dúvidas de que a codificação é uma das ferramentas mais importantes para garantir a privacidade e segurança das comunicações, mas já vimos que é algo que não agrada a determinados governos. Vide os Estados Unidos, que chegou a vincular de forma absurda o uso da codificação com o terrorismo.

Logo, de acordo com essas informações, a única coisa que fica resguardado é o conteúdo da conversa entre duas pessoas. Porém, ainda é possível se criar uma evidência de comunicação com os dados que podem ser compartilhados e que são de conhecimento do WhatsApp. Bom, não se tem as provas em caso de crimes mais graves, mas ao menos se tem o indício que houve a comunicação. Pode ser útil de alguma forma em determinados casos específicos e investigações, correto?

De qualquer forma, o WhatsApp deu um passo adiante e muito favorável para os seus usuários, mesmo com brechas que deixam muitas dúvidas.

Via SlashGear

WhatsApp agora com codificação ponta a ponta

by

whatsapp-codificacao-ponta-a-ponta

O WhatsApp começa a notificar os seus usuários sobre a ativação da codificação ponta a ponta (end-to-end) para todas as mensagens trocadas dentro do seu serviço.

Em um momento onde o tema da privacidade está sendo especialmente recorrente por conta da polêmica da Apple e do FBI, o serviço de mensagens instantâneas mais popular do planeta (que é de propriedade do Facebook) decide dar um golpe de impacto, protegendo as mensagens do usuário de olhares alheios. Com isso, a tarefa dos órgãos governamentais e das entidades policiais fica mais complicada na hora de tentar obter informações que, em teoria, são por direito confidenciais para qualquer usuário.

Com esse movimento, todas as nossas mensagens, fotos, vídeos e notas de voz compartilhadas pelo WhatsApp serão codificados no envio, e só serão descodificados quando chegar ao dispositivo do receptor. Ou seja, a partir dos servidores do serviço de mensagens instantâneas não poderão ser acessados os conteúdos de nossas mensagens, fechando as portas para atacantes e autoridades.

whatsapp-criptografia-ponta-a-ponta

O WhatsApp começou a implementar esse tipo de codificação no final de 2014, levando o recurso aos poucos a todos os seus clientes oficiais (Android, iOS, Windows Phone, Nokia ou BlackBerry). A partir de hoje (05), todos os seus usuários poderão se beneficiar do Signal Protocol habilitado por padrão, um protocolo de código aberto desenvolvido pela empresa Open Whisper Systems.

“A partir de hoje, os usuários verão uma notificação em suas conversas, avisando que seus chats individuais e em grupo implementarão uma codificação ponta a ponta. Além disso, o status de codificação de qualquer conversa é visível na tela de preferências do mesmo”, afirma a Open Whisper em comunicado no seu blog oficial.

Via WIRED

Texto enriquecido chega ao WhatsApp

by

whatsapp-em-smartphone

Em breve, as mensagens de texto do WhatsApp poderão ser personalizadas, permitindo a ênfase de certos aspectos, colocando palavras em negrito e em itálico.

A funcionalidade ainda não está aberta ao público, e é exclusiva no seu programa de betas, um passo prévio para que a atualização posteriormente chegue em larga escala. Além disso, é interessante ver a forma que foi planejada a inserção: não haverá um menu avançado de texto, mas sim um código similar ao Markdown, que se ativa mediante determinados caracteres inseridos no texto.

whatsapp-negritas

Desse modo, para escrever uma palavra em negrito, é preciso introduzir o fragmento que queremos ressaltar entre dois asteriscos, enquanto que as palavras em itálico se controlam por duas barras baixas (ou underlines). O sistema é pensado para que funcione com todos os teclados do mercado.

Um exemplo:

– Negritos no WhatsApp: *TargetHD.net” -> TargetHD.net
– Itálico no WhatsApp: _TargetHD.net_ -> TargetHD.net

Combinando essa melhoria com a recente introdução de envio de documentos entre usuários e a introdução da codificação ponto a ponto nas chamadas de voz, vemos que o WhatsApp apertou o acelerador nas atualizações, percebendo que a competição entre os aplicativos de mensagens instantâneas se intensificou.

Via El Android Libre

WhatsApp: o próximo alvo do Departamento de Justiça dos EUA

by

smartphone-em-uso

É o Departamento de Justiça dos Estados Unidos fazendo grandes amigos por onde passa. Depois de ficar no pé da Apple (ainda não largou na verdade), vazamentos revelam que um novo algo foi escolhido: a toda poderosa Facebook (empresa) e um dos seus produtos mais utilizados: o WhatsApp. Nesse caso, a codificação ponto a ponto habilitada em 2014 é o ponto de polêmica.

Este não é o primeiro caso aberto contra o WhatsApp. Recentemente, foi colocado em liberdade o executivo responsável pelo Facebook no Brasil, que se recusou a facilitar a ruptura da encriptação de mensagens através do WhatsApp para colaborar com a justiça brasileira em uma investigação contra crimes de tráfico de drogas. A medida foi considerada desproporcional aos olhos do Facebook.

Agora, com as águas brasileiras mais tranquilas para eles (mas com o caso ainda em aberto), foi o Departamento de Justiça dos Estados Unidos o encarregado a voltar a colocar o WhatsApp na laça de mira, e o motivo não só é a encriptação das mensagens, mas também as chamadas de voz.

As fontes que informam sobre o novo caso contra o WhatsApp não mencionam que tal caso foi a causa de algo nada relativo ao terrorismo, como o que acontece contra a Apple. Ao que parece, o motivo dessa vez está relacionado com uma investigação aberta onde o WhatsApp se interveio indiretamente.

De acordo com as fontes, vários oficiais federais norte-americanos discutiram sobre como proceder em uma investigação criminal contínua onde um juiz ferderal aprovou uma escuta, mas os investigadores foram obstruídos pela encriptação do WhatsApp. Pese ao fato de não se tratar do terrorismo dessa vez, fala-se de um caso de pressão similar ao exercido contra a Apple.

encriptação

Matt Steinfeld, porta-voz do Facebook, não comenta o caso, assim como Emily Pierce, porta-voz do departamento de Justiça dos Estados Unidos. Aqui, fica claro que a encriptação de dados está se tornando um problema sério para diferentes administrações de justiça. Estados Unidos contra a Apple e WhatsApp, o Brasil também contra a gigante de Mark Zuckerberg. Esses são casos que mostram que a codificação ponto a ponto deixa esses órgãos impossibilitados de acessar as comunicações.

Via ArsTechnica

BlackBerry trabalha em alternativas ao WhatsApp

by

BlackBerry-OS

A BlackBerry não quer deixar os usuários do BlackBerry OS sem o WhatsApp, e já buscam alternativas para substituir o aplicativo de mensagens instantâneas.

No momento, a única coisa que eles recomendam é que seus usuários migrem para o seu aplicativo proprietário de mensagens, o BlackBerry Messenger, uma plataforma muito boa mas menos popular que o WhatsApp. Os dispositivos com BlackBerry Priv ainda contarão com o suporte ao aplicativo de mensagens mais popular do planeta, uma vez que o utiliza o sistema operacional Android. Aliás, o fim do suporte não afeta os dispositivos da marca, mas sim apenas o BlackBerry OS 10, e iss pode confundir os usuários menos experientes.

É uma boa notícia para os proprietários de um BlackBerry com BB OS 10, já que os canadenses confirmaram que se mantém firmes nos planos de oferecer suporte a tal sistema operacional, o que implica que eles seguirão lançando atualizações em um sentido amplo.

Via PhoneArena

Última atualização do WhatsApp pode esgotar armazenamento no iPhone

by

whatsapp-smartphone

A última atualização do WhatsApp traz como principal novidade o compartilhamento de documentos a partir do armazenamento na nuvem (Google Drive, Dropbox e OneDrive), assim com dar zoom em vídeos durante a reprodução e outros detalhes. Porém, a versão 2.12.14 traz um easter egg dos mais desagradáveis: ocupar todo o espaço de armazenamento disponível do iPhone em questão.

É um bug aleatório que está acontecendo em algumas unidades do iPhone 6 Plus. Pelo menos nesse momento este é o modelo de smartphone da Apple que os usuários estão reclamando nos fóruns de suporte, alegando que os dispositivos apresentam a mensagem de “memória cheia” sem que houvesse uma explicação lógica.

 

O que acontece?

Quando aparece essa mensagem, a primeira coisa que se pensa é que foi um descuido do usuário no registro de fotos e vídeos, e começa a eliminação de arquivos pessoais, principalmente quando se trata de um dispositivo com 8 ou 16 GB de armazenamento. É algo quase mecânico, e quem reportou o problema fez isso. Porém, a mensagem de memória cheia voltou a aparecer uma hora depois, sem explicação, mesmo depois de repetir a remoção de arquivos várias vezes.

Enquanto os usuários buscavam uma explicação para um erro do sistema ou algo que estivesse corrompendo o mesmo, outros davam a entender que o problema era no WhatsApp, recomendando que os usuários desinstalassem o aplicativo e o instalassem novamente.

whatsapp-ios-bug

Na verdade, isso é inútil. A única forma de solucionar o problema (por enquanto) é desinstalando o WhatsApp do smartphone.

O que também podemos ver é que as denúncias sobre o problema só aumentam, já culpando diretamente o aplicativo como culpado. Se bem que algo além de ir no fórum de suporte da Apple para reclamar é reportar o problema diretamente ao WhatsApp.

 

Esperando por uma atualização

whatsapp-ios-bug-02

Por enquanto, não há nenhum comunicado no blog do WhatsApp além do anúncio do fim do suporte para os sistemas mais antigos (e o BlackBerry OS 10). Felizmente não é um erro geral, e aparece aleatoriamente em algumas unidades do iPhone 6 Plus. Mesmo assim…

De qualquer forma, os mais prevenidos devem desativar o download e atualizações automáticas temporariamente (a versão começou a ser distribuída no dia 28 de fevereiro). Vamos esperar que alguma correção para o problema apareça o quanto antes possível.

Via Apple Support

WhatsApp deixará de dar suporte para o BlackBerry OS 10

by

BlackBerry-OS-10

O WhatsApp anunciou uma notícia que é mais uma mostra do quão decadente está o BlackBerry OS 10. Mesmo não sendo um sistema antigo, ele ficará sem o suporte para o aplicativo de mensagens instantâneas no final de 2016.

O comunicado oficial emitido pelo WhatsApp alerta que chega ao fim o suporte aos seguintes sistemas operacionais no final de 2016:

 

– BlackBerry OS (versão 10 incluída)
– Nokia S40
– Nokia Symbian S60
– Android 2.1
– Android 2.2
– Windows Phone 7.1

A importante queda na cota de mercado sofrida pelos canadenses e o anúncio que eles abandonarão por completo o BlackBerry OS 10 a favor do Android foram fatores determinantes para a decisão do WhatsApp. Para todos que ainda utilizam dispositivos com os sistemas operacionais citados acima e querem seguir utilizando o aplicativo de mensagens instantâneas, é recomendável atualizar o software ou trocar o dispositivo, para não ficar à beira do caminho no final do ano.

Via Softpedia

Três alternativas ao aplicativo oficial do WhatsApp que oferecem opções extras

by

whatsapp-alternativas

Não é novidade para ninguém dizer que o WhatsApp é o rei das mensagens instantâneas da atualidade. Algo que o MSN Messenger já foi, mas assentado em um setor de constante crescimento, como é o dos smartphones. Mas ser o maior não quer dizer que é o melhor nem o mais completo, e por isso que diante das carências do aplicativo oficial aparecem as soluções alternativas. Algumas delas utilizando sua própria rede.

Usar esses aplicativos envolve os seus riscos. Os usuários podem sofrer suspensões temporárias e até permanentes na tentativa. Porém, os serviços seguem existindo e vamos comentar nesse post sobre três deles.

Tais serviços adicionam funcionalidades extras que o aplicativo oficial do WhatsApp não possui, e podem ser úteis aos heavy users do serviço. Mas sempre vale aquele aviso: use por sua conta e risco. Não nos responsabilizamos pelos resultados.

 

WhatsApp Plus Reborn

whatsapp-plus-reborn

Antes ele se chamava WhatsApp Plus, e agora recebe o sobrenome Reborn, mas é o mesmo aplicativo que já era conhecido por muita gente. Foi o caso mais sondado de fechamento de serviço por parte do WhatsApp no começo de 2015, e acabou com a ameaça de envolver advogados por conta da “violação dos direitos do autor”. Tais pressões fizeram eles fechar as portas, mas agora eles estão de volta.

O aplicativo não está na Google Play nem na App Store do iOS, mas pode ser baixado a partir do seu site oficial. O WhatsApp Plus Reborn não conta com algumas funcionalidades do aplicativo original, como as chamadas de voz e instalação simultânea. Em compensação, o usuário recebe temas personalizados, pode trocar o nome dos nossos contatos independente da agenda do telefone, compartilhar arquivos e trocar a cor do ícone do aplicativo.

 

GBWhatsApp

gbwhatsapp

O GBWhatsApp conta com uma versão adicional, o GBWhatsApp Plus, e é um MOD do WhatsApp realizado pela GB Mods, oferecendo algumas funções extras que o aplicativo oficial não implementa.

Por exemplo, o tamanho do envio dos arquivos de vídeo salta de 16 MP para 1 GB, e podemos enviar 90 imagens de uma só vez, no lugar de apenas 10 imagens. Conta com estatísticas para os grupos, permite a troca de ícone e das notificações, além de elaborar uma visualização prévia dos vídeos recebidos, para que o usuário decida ou não fazer o download do vídeo para o smartphone.

Eles garantem que este é um aplicativo não detectável e imune aos banimentos do WhatsApp, mas o risco existe, e você deve correr por sua conta e risco. Com o GBWhatsApp, podemos ter uma segunda conta de forma simultânea e, diferente do WhatsApp Plus Reborn, conta com o seu próprio módulo com opções extra de privacidade.

 

GioMod

giomod

O GioMod conta com uma peculiaridade: só pode ser instalado uma vez, tal como todos os aplicativos, mas conta com um irmão gêmeo, o GioWhatsApp, que pode ser instalado em conjunto, permitindo o uso de duas contas do WhatsApp simultaneamente.

De acordo com os desenvolvedores, com o GioMod teremos opções de privacidade mais avançadas que as presentes no WhatsApp: podemos ocultar nosso status de conexão, desaparecer a sinalização de leitura tanto em conversas individuais como em grupos, e até desaparecer o double check normal.

O uso do GioMod pode fazer com que a sua conta seja permanentemente banida do WhatsApp, de modo que só você pode decidir se vale a pena correr os riscos.

 

O que eu faço se o WhatsApp me banir?

Este é um risco real. Utilizar qualquer aplicativo não oficial do WhatsApp pode fazer com que o seu número de telefone fique excluído do uso do aplicativo. Ou temporariamente, ou para sempre. É algo que você precisa estar consciente antes de instalar um aplicativo não oficial.

Obviamente, se a suspensão é de 24 horas, só resta sentar e esperar que o tempo passe. Se o a suspensão foi definitiva, você pode sentar e começar a chorar. Ou acessar o WhatsApp por outro número de telefone. Aliás, o WhatsApp está melhorando com o passar do tempo, e se antecipar a estas mudanças com os aplicativos alternativos é correr um risco desnecessário nas maioria dos casos.

O WhatsApp é quem impõe suas normas. Eles nunca quiseram aplicativos de terceiros, e quando você viola essas regras, precisa aceitar as consequências. Esses apps alternativos nunca foram seguras, e um dos riscos do seu uso é que, além da própria privacidade do usuário, é o fato do próprio WhatsApp te expulsar da brincadeira, e te obrigar a ter uma vida bem mais tranquila.

Grupos do WhatsApp serão limitados a 256 usuários

by

whatsapp-topo

Há mais de um ano sabemos que o WhatsApp aumentou o número de membros de um grupo para até 100 usuários. Agora, sabemos que esse número subiu para até 256 usuários. Lembrando que no começo esse número era de apenas 15 usuários.

O primeiro upgrade foi de 50 usuários, mas isso ainda era insuficiente quando o Telegram (rival direto do WhatsApp) contava com 200 usuários em um único grupo. Aliás, em novembro o mesmo Telegram informava que era possível criar em seu serviço grupos de até 1.000 usuários, e o LINE poderia realizar chamadas em grupo com até 200 participantes.

Os grupos são uma base importante para os apps de mensagens instantâneas. O Facebook Messenger adicionou esse recurso em abril de 2014, e as redes sociais vão adicionando funções nesse sentido, não adicionando chats em si, mas sim envio de mensagens em grupo como no Twitter ou mensagens privadas para até 15 pessoas no Instagram.

A comunidade do WhatsApp segue crescendo. Recentemente alcançou a marca de 1 bilhão de usuários ativos por mês, e alguns recursos pensando nesse crescimento foram adicionados, como a possibilidade de silenciar usuários individuais por algum tempo (ou até um século) e configurar suas notificações individualmente.

Mas além do ócio e da facilidade para alguns usuários criar grupos (e gerenciá-los), esta é uma ferramenta que vai além das pequenas comunidades das redes sociais. O WhatsApp é uma ferramenta muito utilizada em ambientes profissionais, e em alguns setores os grupos com mais de 100 pessoas pode ser algo muito útil.

Agora, se o WhatsApp vai implantar 1.000 usuários em grupos… só o tempo vai dizer.

Os espetaculares números do WhatsApp em fevereiro de 2016

by

whatsapp-numeros-2016

O WhatsApp alcançou recentemente a marca de 1 bilhão de usuários. Mas nem tudo é ter usuários. Também é preciso fazer esses usuários serem verdadeiramente ativos. Jan Koum, um dos fundadores do aplicativo, revelou recentemente que os usuários do seu serviço são verdadeiras máquinas de escrever mensagens e compartilhar conteúdos.

Os servidores do WhatsApp não descansam. Por eles, passam 42 bilhões de mensagens de texto, 1.6 bilhão de fotos e 250 milhões de vídeos por dia. E tudo isso é gerenciado por apenas 57 engenheiros. Ou seja, o serviço não possui um cemitério de usuários inativos.

Partindo do princípio que são 1 bilhão de usuários ativos, isso quer dizer que cada usuário envia todos os dias (em média) 42 mensagens, 1.6 fotos e 0.25 vídeos por dia. Levando em conta que alguns grupos do WhatsApp fazem alguns usuários mandar números bem maiores que esses, os usuários inativos parecem ser bem poucos.

Koum também informa as estatísticas de idiomas suportados e funcionários. Hoje, o WhatsApp suporta 53 idiomas, graças aos grupos de tradução que contam com colaborações altruístas de muitos usuários.

Com tais números, agora é hora de rentabilizar todo esse tráfego. O objetivo do WhatsApp é bem claro quando deixou de cobrar US$ 1 por ano de assinatura de cada usuário: centrar seus esforços na busca de investimentos em empresas.

Um movimento bem lógico. O Facebook não ia rentabilizar sua marca se cobrasse US$ 1 por ano de cada usuário, e as empresas estavam ansiosas para contar com uma ferramenta oficial para se comunicar com os usuários. Seguimos esperando detalhes concretos dos planos do WhatsApp, que terá que ter muito cuidado para não povoar o seu aplicativo de spam.

WhatsApp tem hoje 1 bilhão de usuários

by

whatsapp-logo-teaser

O WhatsApp alcançou nessa semana a marca de 1 bilhão de usuários ativos mensais, de acordo com o Market Watch.

Recentemente, o WhatsApp eliminou a mensalidade anual “cobrada” dos usuários, algo que era bem ínfimo de forma prática. Porém, esse movimento provavelmente favorecerá ainda mais o download do aplicativo nas diversas plataformas, aumentando ainda mais o número de usuários ativos.

Não faz muito tempo que o WhatsApp contava com 800 milhões de usuários ativos mensais, alcançando o Facebook Messenger, que se separou do Facebook mas mantendo a sua denominação. A estratégia deu certo. Aliás, quatro produtos da rede de Mark Zuckerberg estão entre os sete serviços mais utilizados na internet, onde o WhatsApp é o segundo mais utilizado (perdendo apenas para a rede social), e o líder entre os mensageiros instantâneos.

whatsapp-crescimento

O WhatsApp soube ser a plataforma certa no momento certo para ocupar o lugar do SMS, sendo o principal meio de comunicação por mensagens de texto. O crescimento da internet, a redução dos preços das tarifas de dados e os emojis fizeram o resto.

whatsapp-crescimento-02

O momento hoje é de redirecionar estratégias. O Snapchat é um sucesso entre os usuários, mas ainda não é rentável. É apenas uma plataforma atraente para a publicidade. Jan Koum (co-criador do WhatsApp) explicou que a medida de acabar com a assinatura do serviço não implica em publicidade (mantendo o seu princípio básico), mas sim uma aproximação entre empresas e usuários.

Por enquanto, as medidas ainda não estão em curso, e parecem estar orientadas a ser algo similar aos SMS de comunicação atuais, que muitas empresas ainda usam. Mas o que está claro é que as possibilidades do WhatsApp são enormes, e que eles podem estar no caminho certo para ampliar sua dominação.

Via Market Watch

Booyah traz a videoconferência em grupo ao WhatsApp

by

booyah-whatsapp

O Booyah é um simples aplicativo que gera um link de conversa em grupo, para que todos participem de uma videoconferência. A melhor parte é que ele não precisa de registros nem de acesso via login: basta clicar no link e nada mais. Ou seja, basta convencer seus amigos para instalar o aplicativo para começar a diversão.

Seu funcionamento é realmente muito simples. Depois de instalar o aplicativo, ele pedirá a permissão para abrir o WhatsApp, e uma vez concedido, só terá que escolher o grupo ou o contato que desejamos para enviar o link de conexão. As pessoas que receberem só terão que clicar no link publicado, de modo que vai abrir automaticamente o Booyah instalado em seus dispositivos (ou receberão o convite para download, caso não esteja instalado).

O Booyah nasce a partir de outro aplicativo, o Rounds, que basicamente era outro serviço de mensagens que conta com videoconferência, jogos, reprodução de vídeos simultâneos, entre outros. Pode ser que o aplicativo não tenha recebido a repercussão esperada pelos seus criadores, de modo que eles agora tentam aproveitar o sucesso do WhatsApp para conseguir notoriedade.

O Booyah é um app exclusivo par ao iOS, por enquanto. Os usuários do Android deverão esperar um pouco mais pela sua versão, que deve chegar em breve. Para quem tem um dispositivo da Apple, já pode fazer o download na App Store.

WhatsApp poderá em breve enviar documentos do Microsoft Office

by

whatsapp-send-documents-to-office

Capturas de imagem vazadas mostram uma série de melhorias que serão implementadas no WhatsApp em breve, como novos ícones que identificam novos tipos de arquivos compatíveis. Nesse caso em específico, todos contam com um mesmo dono: os arquivos do Microsoft Office (PowerPoint, Excel e Word). Ah, o PDF não ficou de fora.

O vazamento chega através da descoberta dos ícones com os quais o WhatsApp identificará esses tipos de arquivo. Assim, aparecem os ícones para os documentos do Microsoft Excel (extensão .xls), do Microsoft word (extensões .doc e .docx) e do Microsoft PowerPoint (extensão .ppt).

A informação veio em forma de rumor através da tradução de uma das versões prévias do WhatsApp, mas a captura com os novos ícones confirma que a funcionalidade está prestes a ser ativada. Por enquanto não está presente na versão disponível para download, mas tudo indica que não deve demorar muito para essas melhorias estarem implementadas em todas as versões do aplicativo do WhatsApp.

Esse vazamento apenas reforça os planos da Microsoft em colocar os seus produtos e serviços em todos os lugares, sendo estes acessíveis a partir de qualquer plataforma com acesso à internet e agora, também, compatíveis com o WhatsApp para permitir a troca de arquivos com nossos contatos. Quem sabe também poderemos realizar essas trocas de arquivos com as empresas, através do programas de atendimento ao cliente. Um passo muito interessante, sem dúvida.

Via Reddit

Como ler as mensagens do WhatsApp sem que apareça a sinalização de mensagem lida

by

whatsapp-read

A atualização do WhatsApp que introduziu a sinalização de cor azul a cada mensagem lida foi o paraíso para alguns, mas um pesadelo para outros tantos. Não é para menos: situações incômodas podem acontecer, tanto para quem envia como para quem recebe a mensagem.

Felizmente, há uma solução simples e rápida que podemos utilizar a qualquer momento para poder ler as mensagens no WhatsApp sem que a mudança da cor azul aconteça, de forma que a pessoa que nos enviou a mensagem jamais saberá se você leu a mensagem ou não, uma vez que o notificador se mantém na cor cinza.

Para isso, basta ativar o modo avião do seu smartphone e realizar a leitura das mensagens normalmente. Este modo desativa todas as conexões do smartphone, incluindo o WiFi e a rede de dados móveis. Logo, o aplicativo não poderá identificar no seu acesso, e sua correspondente leitura das mensagens.

Uma vez lida as mensagens, é importante fechar de forma adequada o aplicativo, não deixando o mesmo ativo em segundo plano, algo que é possível fazer através do modo multitarefa, tanto no Android como no iOS, mas mantendo o modo avião ativo durante todo o processo.

Quando fechamos o WhatsApp completamente, podemos desativar o modo avião, e pronto. Você leu as mensagens do WhatsApp, mas os indicadores continuarão em cinza.

De nada.

Via Metro

WhatsApp vai começar a compartilhar dados com o Facebook

by

whatsapp-sharing-data-with-facebook

O WhatsApp passou a ser totalmente gratuito, e como eles mesmos anteciparam oficialmente, isso não viria acompanhado de publicidade. Ao menos na teoria. Ainda restavam dúvidas sobre como eles iriam monetizar o serviço. Agora, sabemos como será: um desenvolvedor do Android explica que a última versão beta do WhatsApp permite aos usuários compartilhar informações com o Facebook.

A ideia é compartilhar novos dados do WhatsApp para melhorar a experiência de uso no Facebook, uma descrição muito vaga, mas que não se distancia da leitura clara dos reais objetivos com tal opção: os anúncios personalizados. Ao compartilhar os dados dos usuários, é possível oferecer o acesso ao conteúdo das conversas, algo que a rede social de Mark Zuckerberg aproveitaria para melhorar a precisão dos anúncios a serem exibidos pelos usuários.

Esta seria uma das formas mais simples de monetizar o WhatsApp, agora que o serviço passou a ser 100% gratuito, e sem a necessidade de introduzir anúncios de forma direta na mesma, já que os anúncios apareceriam no Facebook. É uma estratégia inteligente. Só resta saber se as pessoas estão interessadas em compartilhar os seus dados e suas conversas no WhatsApp…

Mas consigo imaginar qual é a resposta! ;)

Via Neowin

E aí… já ativou o seu WhatsApp gratuito para toda a vida?

by

whatsapp-teaser

Um WhatsApp de graça para todos. Este foi um dos anúncios da semana. Uma mudança de rumos do aplicativo de comunicação instantânea mais popular do planeta, que há três anos começou a cobrar dos usuários do Android uma assinatura anual, tal como fazia no IOS. A mudança veio depois de vários rumores e campanhas de spam e infecção de malwares, que aproveitavam a situação para fazer gracinhas com os usuários mais inocentes.

Não há dados precisos sobre quantos usuários pagaram pelo WhatsApp, porque a maioria deles já usavam o aplicativo no período de testes, e quanto o mesmo acabava, o próprio WhatsApp voltava a renovar o período de gratuidade por mais um ano. Também era possível baratear o serviço introduzindo o SIM card em um iPhone, pagar uma vez para ativar o serviço, e depois inserir o chip da operadora em um Android para ter a licença por toda a vida.

O meu WhatsApp “de graça por toda vida” foi adquirido dessa forma: na época eu ainda era proprietário de um iPhone 4, e em um final de semana o WhatsApp ficou gratuito. Rapidamente criei a minha conta, e pronto: nunca me preocupei se seria cobrado, mesmo depois de mudar de plataforma móvel.

Enfim, toda essa “gambiarra” chegou ao fim com o anúncio do WhatsApp grátis para a vida toda.

 

Como verifico se está ativo o WhatsApp grátis?

Desde a última terça-feira (19), o WhatsApp está enviando mensagens aos usuários para informar sobre as suas mudanças de conta e a ativação da gratuidade. Não sabemos se a mensagem chegou para todos, mas a comprovação do status de conta é muito simples:

– Abra o WhatsApp
– Acesse Ajustes > Conta > Informações de Pagamento
– Verifique o número do seu telefone e a situação de sua conta
– Se o período de vencimento do serviço está “por toda a vida”, o WhatsApp de graça está ativo

Mesmo com essas mudanças, recomendamos que você siga utilizando alternativas, como o Telegram, que é mais seguro e poderoso. Tudo requer um esforço de cada um para não ter medo de tentar novas alternativas, e mostrar para os outros que existe vida além do “zapzap”.

Boa sorte! :)

TargetHD Podcast | 218 | 18-01-2016 | WhatsApp de graça, fim do Lumia e LG desafia a Samsung

by

banner-targethd-podcast

Nesta edição:

Conheça o Nerdópole
WhatsApp acaba com a cobrança anual, e passa a ser 100% gratuito
Apple pode ter que pagar US$ 8 bilhões em impostos
Microsoft deve anunciar o último Lumia em fevereiro, e pode ser o Lumia 650
Microsoft está preparando as atualizações do Windows 10 para os modelos Lumia
LG que coincidir lançamento do LG G5 com o do Samsung Galaxy S7

 

Visite Também:

– Veja as Dicas de Compras do TargetHD.net

Seja o nosso patrão!

patreon290

Entre em contato:

Clique aqui e acesse a nossa área de contato
Twiter de Eduardo Moreira: @oEduardoMoreira
Twitter do blog TargetHD.net: @TargetHD
Nossa página do Facebook: facebook.com/TargetHD

Feed do TargetHD Podcast

Feeds: RSS e iTunes

Download do Podcast em ZIP (clique aqui para download)

WhatsApp acaba com a cobrança anual, e passa a ser 100% gratuito

by

whatsapp-logo

Jan Koum, co-criador do WhatsApp, anunciou em um evento em Munique (Alemanha) que a empresa deixará de cobrar o US$ 1 anual de assinatura do serviço, passando a ser 100% gratuito.

A cobrança começou a ser feita em março de 2013 e causou grande polêmica quando anunciada. Porém, de lá para cá, o WhatsApp foi comprado pelo Facebook em fevereiro de 2014, registrando a partir daí um crescimento assombroso, alcançando a marca de 900 milhões de usuários ativos. Tudo indicava que a introdução de publicidade na plataforma era o seu futuro, mas isso não aconteceu.

Koum revelou que o modelo atual (primeiro ano grátis, US$ 1 a partir do segundo ano) não tem sentido para muita gente, já que muitos usuários não contam com cartões de crédito, e várias outras alternativas não obrigavam o pagamento de assinatura. Agora, o WhatsApp quer conectar pessoas e empresas, mas evitando o spam e a publicidade não desejada, o que pode indicar a chegada da publicidade na plataforma no futuro. Nesse momento, a posição oficial da empresa é evitar isso.

A ideia do WhatsApp agora é (por exemplo) comunicar usuário e o seu banco sobre a possibilidade de fraude de uma transação recente, ou uma companhia aérea para alertar o passageiro sobre os atrasos de um voo.

A estratégia do WhatsApp é similar ao do Facebook Messenger, mas a ideia do serviço de Koum é ser a alternativa definitiva ao SMS. Veremos eles vão alcançar esse objetivo. Só o tempo vai dizer.

Via WhatsApp

As cinco maiores fraudes de segurança envolvendo o WhatsApp em 2015

by

whatsapp-logo-teaser

O WhatsApp ficou no olho do furacão por algumas vezes em 2015. Uma grande quantidade de falhas afetou um número considerável de usuários, e a Panda Security publicou uma compilação com as cinco maiores estafas do WhatsApp nesse ano, de acordo com a repercussão que as mesmas tiveram.

A lista resumida, a seguir:

1. Mensagem de “consiga novos emojis”: um malware que buscava roubar os dados do usuário, pedindo que reenviasse para 10 amigos uma mensagem, com o objetivo de obter novos emojis.
2. Mensagens de voz no WhatsApp: mais original que o item anterior, enviava um e-mail que alertava sobre uma mensagem de voz no WhatsApp. O link na mensagem era malicioso, e buscava infectar o usuário.
3. Enquetes falsas: se propagam através dos próprios usuários, buscando conseguir dados através do prestígio de certas marcas.
4. WhatsApp Azul: foi um dos mais sondados, já que prometia opções de personalização novas, mas na realidade era um serviço de SMS premium.
5. Espie seus contatos: voltou a atacar em 2015, se aproveitando da curiosidade dos usuários, fazendo crer que com o aplicativo poderiam ler as mensagens privadas dos seus contatos.

Essas fraudes não devem significar problemas para qualquer usuário médio, mas hoje o WhatsApp é utilizado por uma enorme quantidade de pessoas que apenas chega ao nível de usuário básico, de modo que é compreensível que os cibercriminosos queiram aproveitar esse potencial.

Via Panda Security

WhatsApp deve implementar em breve as videochamadas

by

whatsapp-logo

Um vazamento mostra que o WhatsApp pode implementar em breve uma importante característica: as videochamadas. A função seria um avanço natural após a integração das chamadas de voz.

A informação se baseia na nova build 2.12.16.2 do WhatsApp, mas é possível que chegue primeiro no Android e depois no iOS e Windows Phone, já que as últimas atualizações foram feitas nessa ordem. A imagem abaixo mostra a versão para iOS, onde na tela da esquerda temos a interface de petição de videochamada, e a tela da direita mostra a interface adotada quando a  mesma é estabelecida.

whatsapp_video_calling_story

Sem surpresas. O design mantém a linha clássica de mostrar uma imagem pequena que mostra a pessoa que liga, sobreposta sobre a imagem da pessoa que recebeu a chamada.

A notícia é excelente para os usuários do WhatsApp, que se transforma aos poucos em uma solução completa, indo muito além de enviar mensagens de texto.

Via Neowin