Arquivo para a tag: steve ballmer

Steve Ballmer? Ou Satya Nadella? Com a palavra, Panos Panay

by

satya-nadella-bill-gates-steve-ballmer-microsoft

Panos Panay é responsável pela linha de equipamentos Surface da Microsoft, e é uma das figuras mais importantes nos novos rumos que a empresa está tomando, e um dos que mantiveram o seu posto durante as gestões de Steve Ballmer e Satya Nadella. Logo, ele pode opinar sobre os dois executivos.

Durante uma entrevista para o GeekWire, ele foi questionado sobre qual ele prefere: o sereno e gentil Nadella ou o enérgico e visceral Ballmer. Panay não quis se comprometer, e levando em conta as fortes influências que Ballmer ainda possui na Microsoft, ele preferiu dar uma resposta bem política: “ambos são grandes à sua maneira”.

Não é uma resposta equivocada. Cada um deles fez coisas diferentes, e teve acertos e erros. Mas de um modo geral, as mudanças adotadas por Nadella tiveram um impacto muito positivo.

Sobre Panay, ele conseguiu algo que poucos acreditavam em 2012: colocar a linha Surface como um sério exponente de hardware, com produtos muito bem acabados e potentes, e que hoje são autênticos objetos de desejo de muitos consumidores.

Via GeekWire

Steve Ballmer entende que Windows Phone tem que executar aplicativos Android

by

steve-ballmer

Steve Ballmer, ex-CEO da Microsoft e maior investidor individual da empresa, é notoriamente conhecido por suas declarações polêmicas. Algumas de suas ideias diferem da estratégia da atual diretoria executiva da empresa, e mais uma vez ele deu os seus pitacos sobre os rumos tomados pela gigante de Redmond.

Na reunião anual dos acionistas da Microsoft, Satya Nadella foi questionado sobre a ausência de aplicativos essenciais para o Windows Phone/Mobile. O CEO mencionou que os aplicativos universais são uma solução. A ambiciosa plataforma que a Microsoft está promovendo nos últimos dois anos, onde os desenvolvedores podem criar aplicativos para o Windows e executar em computadores, tablets, smartphones, HoloLens e Xbox.

Para Steve Ballmer, os aplicativos universais “não vão funcionar”. Pelo contrário: “A Microsoft tem que ativar no Windows Phone a execução de aplicativos Android”. Uma opção que a empresa já trabalha, através do Projeto Astoria, que contempla o port de aplicativos Android e iOS, mas que hoje está em pausa, a favor de um Windows Bridge menos ambicioso.

A presença da Microsoft no Android é cada vez maior, inclusive aberta a uma distribuição própria com aplicativos da Microsoft. Por outro lado, os aplicativos universais do Windows seriam uma solução mais “natural”. As críticas de Baller foram feitas durante a apresentação dos resultados financeiros da empresa, e o executivo quer ver lucros reais e margem de negócio para a divisão encarregada pela nuvem e pelo hardware.

A Microosft está sendo prudente e politicamente correta para lidar com a questão: “Desfrutamos de um diálogo regular com Steve, e suas opiniões são bem vindas, assim como fazemos com os nossos demais investidores”, afirmou Chris Suh, diretor geral da empresa para relações com os investidores.

Via Bloomberg

Steve Ballmer critica a Amazon, e vê a Microsoft como rival da Apple

by

Steve-Ballmer-840x473

Em entrevista para a Bloomberg Business, Steve Ballmer deu opiniões muito interessantes sobre o cenário atual da tecnologia. Delas, duas se destacam: uma centrada na Amazon, e outra no passado da Apple, e no papel da Microsoft como rival dessa empresa.

Sobre a Amazon, Ballmer não gostou nada quando seu fundador, Jeff Bezos, se referiu à Microsoft como um “clube de campo”, e disse que a “cultura Microsoft” é muito forte, onde as pessoas trabalham muito duro e se esforçam para melhorar.

Ballmer destacou também que a concorrência entre Microsoft e Amazon se nota na caça aos novos profissionais, ressaltando que ninguém quer um posto na Amazon, já que “não é um bom lugar para trabalhar”, e que no caso de algum funcionário da Microsoft decida tentar a sorte na empresa de Bezos, acabara “voltando para casa” em um ou dois anos.

Sobre a Apple, Ballmer se mostrou mais benevolente. Lembra como o investimento da Microsoft e a volta de Steve Jobs salvaram a empresa, que se transformou na marca mais valiosa do mundo. Mas não deixou de dar a sua alfinetada, garantindo que, hoje, a Microsoft é a úncia que pode competir de igual para igual com a Apple.

Você concorda com Steve Ballmer?

Via Winbeta

Como Steve Ballmer salvou o Xbox 360 no seu lançamento

by

xbox-360-teaser

Steve Ballmer foi um dos CEOs mais questionados e criticados da história, mas conseguiu tomar decisões acertadas à frente da Microsoft. Uma delas foi salvar o Xbox 360, algo que na época foi uma decisão muito complicada.

Muitos de nós sabemos como a primeira versão do Xbox 360 sofreu com o famoso problema do ‘3RL’ (ou ‘three red lights’, ou ‘luzes vermelhas da morte’), provocado pelo superaquecimento contínuo do SoC Xenon do console, que resultavam em danos internos que ‘matavam’ o videogame.

Tal SoC era fabricado em um processo de 90 nanômetros, e o sistema de dissipação do console não era competente para mantê-lo em boas temperaturas, algo que felizmente foi resolvido com as revisões do console, principalmente com a mudança da produção do SoC para um processo de 65 nanômetros.

Quando o problema do ‘3RL’ apareceu, a Microsoft teve que enfrentar uma difícil decisão, já que eles não sabiam realmente a profundidade do problema. Mas Steve Ballmer mostrou na época um grande compromisso com o console, e decidiu investir mais de US$ 1 bilhão para resolver o problema.

A aposta teve uma grande recompensa. O Xbox 360 foi o console de maior sucesso da Microsoft, com vendas totais que já superam as 84 milhões de unidades vendidas em todo o planeta. E contando.

Via Winbeta

Steve Ballmer é o autor do texto da “tela azul da morte”

by

20140904112627

Honestamente? Não poderia ser outro. Steve Ballmer é a mente por trás do texto que indica que o sistema operacional Windows sofreu uma falha crítica, doravante conhecida como “tela azul da morte”.

A mensagem de erro existe desde o Windows 3.1, e o desenvolvedor Raymond Chen (da Microsoft) explica em seu blog que o ex-CEO da Microsoft era chefe da divisão de sistemas da empresa. Em um belo dia, ele visitou a equipe do Windows para ver no que eles estavam trabalhando. A ideia da mensagem de erro geral agradou Ballmer, mas o texto que aparecia na tela, não.

A equipe sugeriu que Ballmer poderia melhorar a mensagem, e ele aceitou o desafio. Ali então nascia a infame “tela azul da morte” que tanto atormentou as várias gerações de entusiastas da informática. A conhecida mensagem de erro já tem 22 anos de vida, e de forma curiosa, Bill Gates nunca gostou das combinações de teclas CTRL + ALT + DEL para reiniciar a IBM (e recentemente culpou a IBM, que não quis adicionar no teclado um botão específico para essa função, sendo obrigado a criar tal combinação de teclas.

Via Raymond Chen, The Verge

Steve Ballmer abandona em definitivo a Microsoft

by

microsoft-logo-steve-ballmer

Steve Ballmer se despede em definitivo da Microsoft. Em setembro de 2013, ele abandonou a presidência da empresa, e Satya Nadella assumiu o seu lugar, mas ele ainda mantinha um posto no conselho administrativo. Hoje, ele renunciou a esse cargo.

A Microsoft publicou uma carta onde Ballmer se dirige diretamente à Nadella para se despedir da empresa. O ex-CEO expressa seu orgulho em ter dirigido a Microsoft durante 14 anos, e os motivos para a sua saída nada mais é do que assumir a chefia do time de basquete da NBA, o Los Angeles Clippers, que agora é de propriedade de Ballmer.

Apesar de abandonar a Microsoft, Ballmer segue como maior acionista individual da empresa, com 4.05% dos papéis da empresa, que alcançam hoje US$ 15 bilhões (segundo a consultora FactSet Research).

Assim, Steve Ballmer deixa o caminho completamente livre para Satya Nadella comandar a Microsoft. Bill Gates abandonou o conselho administrativo em fevereiro de 2014, quando Nadella foi nomeado o novo CEO. Porém, Gates ainda figura como um dos diretores da empresa.

Via Microsoft, Wall Street Journal

Steve Ballmer compra o Los Angeles Clippers (NBA) por US$ 2 bilhões

by

steve-ballmer-la-clippers

Ok, eu sei que isso pouco tem a ver com o mundo da tecnologia. Mas o fato é que Steve Ballmer é sim um dos homens mais ricos do planeta, e se torna mais um da Microsoft a investir nos esportes. O ex-CEO da gigante de Redmond se comprometeu a adquirir o time de basquete da NBA Los Angeles Clippers, pela “bagatela” de US$ 2 bilhões.

Tudo começou com o escândalo racista criado por seu atual dono, Donald Sterling, que foi banido da NBA, multado financeiramente, e obrigado a vender a sua parte da equipe. Agora, para que Ballmer se torne proprietário dos Clippers, só resta esperar pela aprovação da própria NBA. Vale lembrar que a fortuna de Ballmer é estimada entre US$ 15 bilhões e US$ 20 bilhões, ou seja, pagar US$ 2 bihões é moleza.

O mais estranho é que o time foi avaliado em US$ 500 milhões, o que nos faz pensar que a venda foi supervalorizada de alguma forma. Rumores anteriores afirmavam que Magic Johnson tinha planos de adquirir os Clippers por esse valor, ao lado de Oprah Winfrey e do CEO da Oracle, Larry Ellison.

E sim… a foto acima mostra Ballmer ao lado do comissário da NBA, Adam Silver, em uma partida dos Clippers ocorrida no dia 11 de maio.

Ballmer não é o único da Microsoft envolvido nas franquias esportivas. O co-fundador da empresa, Paul Allen, é dono de, entre outros times, do atual campeão da NFL, o Seattle Seahawks.

Via ESPN

A compra da Nokia teria desencadeado a saída de Steve Ballmer da Microsoft

by

650_1000_ballmer-nadella-gates

Faz mais ou menos um mês que sabemos que Satya Nadella será o novo CEO da Microsoft, substituindo Steve Ballmer. E ainda que tudo aparentemente seja apenas sorrisos e desejos de boa sorte de todas as partes, alguns veículos especializados revelam bastidores muito mais tumultuados para todo esse processo de mudança na direção da gigante de Redmond.

A fonte do dramalhão mexicano da vez é ninguém menos que a Bloomberg, que revela que fontes próximas da Microsoft indicam como Ballmer foi o único defensor inicial da compra da Nokia. A defesa foi, segundo informam, exagerada, e Ballmer teria gritado para todos os membros da junta executiva da empresa – entre eles, Nadella – que formavam parte da decisão final dessa compra.

Segundo a matéria da Bloomberg, vários diretores da Microsoft, incluindo Nadella e Bill Gates, não viam com muita clareza e segurança essa questão da compra. E a dúvida surgia: deveria a Microsoft se transformar em uma empresa de hardware, sendo uma empresa de software?

Ballmer simplesmente gritava – algo que, segundo as fontes, poderia ser ouvido fora da sala de reuniões – que sim, e ameaçava abandonar o seu posto de CEO, caso as coisas não acontecessem do jeito que ele queria.

Aquela reunião, ao que tudo indica, marcou o futuro de Ballmer na Microsoft. Ainda que Nadella tenha apoiado a compra da Nokia, outros executivos da empresa se mantinham contrários ao negócio. Entre os opositores estava Tony Bates, que recentemente anunciou que estava deixando a Microsoft, sendo essa uma das primeiras consequências após o anúncio do novo CEO da empresa.

De fato, Ballmer queria comprar não apenas a divisão móvel, mas também a divisão de mapas da Nokia, algo que a Microsoft não precisava na prática. Ao menos ele conseguiu que a diretoria aceitasse a compra da divisão mobile – que era o que realmente importava -, mas aquela reunião foi chave para todos os acontecimentos dos meses seguintes. Ballmer não se sentiu apoiado por Gates, e isso teria pesado para uma aparente antecipada decisão de abandono do posto de CEO, logo depois de anunciar uma grande reestruturação da empresa.

650_1000_satya-nadella

A busca pelo novo CEO da Microsoft foi algo complexo. Alan Mulally, CEO da Ford, era um candidato recomendado inclusive pelo próprio Ballmer, mas o mesmo nunca quis manter uma entrevista de trabalho formal com a Microsoft. Alguns afirmam que Alan estaria preocupado se teria um verdadeiro poder de decisão ou não, algo que fez com que ele mesmo se retirasse do processo de seleção.

Os membros do conselho encarregado em buscar o substituto de Ballmer pareciam ter mais interesse em alguém com capacidade de gestão, do que alguém com “pedigree tecnológico”, e isso fazia de Mulally um candidato ideal. Por outro lado, Alan reforçou o seu compromisso com a Ford, e o seu nome foi abandonado em definitivo.

Por outro lado, Steve Mollenkopf, COO da Qualcomm na época, era outro forte candidato ao posto, mas 24 horas depois de ser revelado que o citado era um dos fortes candidatos na Microsoft, a própria Qualcomm anunciava o executivo como o próximo CEO da empresa, algo que foi efetivado ontem (04).

Nadella, que até então provavelmente não estava encabeçando esse processo de seleção, encontrou caminho livre. Nem mesmo o nome de Stephen Elop (ex-CEO da Nokia) parecia ser especulado nos escritórios da Microsoft. E o resto, é história.

Via Bloomberg

Satya Nadella pode ser o novo CEO da Microsoft, e Bill Gates pode abandonar a presidência do conselho administrativo

by

satya_nadella

De acordo com a agência de notícias Bloomberg, Satya Nadella é o nome escolhido como novo CEO da Microsoft. O seu nome deve ser anunciado a qualquer momento, e pode acontecer quase ao mesmo tempo do anúncio da saída de Bill Gates do cargo de presidente do conselho administrativo da empresa.

Nadella tem 47 anos de idade, 22 dedicados à Microsoft. É um dos executivos mais valiosos da gigante de Redmond. Mesmo não sendo muito conhecido do grande público, este engenheiro transformou a divisão empresarial da Microsoft em algo praticamente imbatível, principalmente quando começou a abordar a comercialização de serviços profissionais na nuvem, como o Azure. É muito em parte por causa de Nadella que a Microsoft segue com boa saúde financeira.

Nadella era um dos favoritos para a vaga. Sua trajetória na Microsoft é brilhante, ele conhece profundamente a realidade da empresa e da indústria, e tem gabarito para assumir o posto. Com o nome de Alan Mulally (CEO da Ford) fora da disputa, a lista de candidatos a substituto de Steve Ballmer ficou restrita aos funcionários da própria Microsoft.

Provavelmente soe um pouco mais surpreendente a possibilidade de Bill Gates abandonar o seu posto na presidência do conselho administrativo da Microsoft. Ainda segundo as fontes da Bloomberg, a junta diretiva está discutindo se Gates deve seguir como presidente, e supervisionando a estratégia a longo prazo da empresa. Pelo menos um membro do conselho teria expressado o seu desejo de substituir o atual presidente, mas Gates poderia manter um papel ativo na empresa, “dependendo dos desejos do conselho e do novo CEO”.

A Bloomberg não revelou os motivos que teriam levado o conselho a pensar em buscar um novo presidente, porém, nos últimos meses, os rumores são fortes que o novo CEO da Microsoft se sentiria muito mais livre para decidir se a velha guarda ficar em segundo plano. Tanto Gates como Ballmer devem seguir ocupando postos executivos de grande influência dentro da companhia, mas ambos com um menor poder de decisão.

Seja como for, essas são as informações passadas pela Bloomberg. A Microsoft deve tornar a sua decisão pública em muito em breve, de movo que nos resta então seguir esperando e especulando sobre as possíveis repercussões da escolha de Nadella e a possível substituição de Gates.

Via Bloomberg

Microsoft vai anunciar seu novo CEO no começo de 2014

by

ballmer-05-27-2010

Nove meses. Esse é o tempo que resta para Steve Ballmer no comando da Microsoft, e a busca do seu substituto não está sendo uma tarefa a ser cumprida de última hora. A junta diretiva da gigante de Redmond está utilizando esse tempo de forma valiosa, analisando os currículos de diferentes executivos, com olhos de lupa. E, segundo as últimas informações, parece que o conselho da Microsoft encontrou o candidato ideal. Pelo menos no perfil.

Segundo informa John W. Thompson, membro da junta diretiva da Microsoft, que passou as informações no própiro blog oficial da Microsoft, a única coisa que está certa nesse momento é que a lista de candidatos em potencial está ficando cada vez menor, e que a comissão encarregada em encontrar um novo CEO para a empresa terá completado a sua missão “na primeira parte de 2014”.

Obviamente, Thompson não tem o menor interesse em revelar quais são as pessoas que podem acabar tomando as rédeas da Microsoft, mas revelou um detalhe muito importante: a lista original passou de “mais de 100 possíveis candidatos” para “um grupo de apenas 20 nomes”, o que nos leva a crer que o processo de seleção está sendo longo, criterioso e até exaustivo. E o principal: ainda há muito trabalho a ser feito.

Seja como for, é possível que nem sequer conheçamos o sucessor de Ballmer logo após a escolha ser considerada definitiva, de modo que não devemos esperar por uma fumaça branca saindo dos chaminés da sede da empresa em Redmond nas primeiras semanas de 2014. Até porque o “começo do ano” pode soar bem relativo (para muitos, o ano só começa depois do Carnaval).

Via TechNet

Você viu essa? Bill Gates apareceu em recente episódio de South Park!

by

billgates-southpark

Ok, não foi exatamente o Bill Gates. Foi uma versão em desenho animado dele. Mas o fato é que o fundador da Microsoft, Bill Gates, e o CEO da gigante de Redmond, Steve Ballmer, apareceram em um recente episódio de South Park.

O episódio mostrou Cartman, Stan Kyle e Kenny mais uma vez colocando a amizade do grupo em jogo através de uma batalha dos novos consoles (Xbox One e PlayStation 4). Gates não só aparece, como faz algumas referências à Game of Trones, para ilustrar melhor como será a batalha da próxima geração de consoles.

 

Steve Ballmer explica os motivos de sua demissão: “não pude mudar a Microsoft na velocidade necessária”

by

Ballmer

Qual poderia ter sido o motivo para que Steve Ballmer decidiu, em um dia qualquer, apresentar a sua demissão do posto de CEO da Microsoft, determinando o fim de sua trajetória na empresa, que começou desde os primeiros dias da mesma? Pois bem, Ballmer decidiu falar sobre o assunto.

Fato é que não era segredo para ninguém as divergências entre os membros da cúpula diretiva da empresa pela maneira que a Microsoft deveria encarar o futuro. Mas agora ao menos sabemos da boca do próprio Ballmer que sua saída foi voluntária, motivada pela sua incapacidade de conduzir a Microsoft para uma nova direção, com a velocidade que os seus diretores desejavam.

Em uma entrevista para o Wall Street Journal, Ballmer reconhece que se encontrava sob uma intensa pressão exercida por acionistas e executivos máximos da Microsoft, que desejavam a aceleração do processo na conversão da gigante de Redmond em uma empresa de dispositivos e serviços. As exigências começaram em janeiro de 2013, e em maio, Ballmer se deu conta que a sua própria filosofia e estilo de liderança estavam reduzindo a velocidade dessa transição.

Convencido de que a Microsoft precisava de sangue novo para impulsionar essa reestruturação, Ballmer decidiu pedir demissão, e ceder o seu cargo para um novo CEO capaz de promover as mudanças na velocidade exigida pelos mandatários da empresa.

Por enquanto, não existe um claro favorito para essa vaga, mas seja lá quem for o executivo escolhido para assumir as rédeas da Microsoft, terá que reconhecer os méritos de um executivo que foi capaz de descer do pedestal para o bem da própria empresa que dirigia. E, convenhamos, essa medida não é lá muito comum de se ver no mundo empresarial atual.

Via Business Insider, Wall Street Journal

Há 30 anos, Bill Gates apresentava ao mundo o Windows

by

Bill-Gates-Unveiled-Windows-30-Years-Ago

Você pode não gostar do Windows. É seu direito. Você pode achar o Windows “uma porcaria”. Também é seu direito (apesar de discordar de você). Agora, você não pode negar que foi o Windows o sistema operacional que mudou o rumo das coisas no mundo da informática de forma definitiva e decisiva, mais do que qualquer outro sistema  operacional lançado.

O Windows 1.01 foi oficialmente apresentado em 10 de novembro de 1983 pelo próprio Bill Gates, mas só chegou ao mercado dois anos depois, em 20 de novembro de 1985. E, mesmo assim, ainda não era um sistema operacional completo. Era uma interface gráfica do MS-DOS, sistema operacional principal.

Porém, mesmo que as primeiras versões do Windows não possam ser chamadas de sistemas operacionais independentes, elas já apresentavam recursos e funcionalidades típicas dos sistemas operacionais atuais, além de contar com arquivos que identificam os periféricos presentes no computador, denominados drivers.

O tempo e a história mostrou que o Windows se tornou o sistema dominante no mundo dos computadores pessoais, com mais de 90% de cota de mercado, derrotando inclusive o Mac OS, que foi apresentado ao mundo em 1984. Um dos motivos para isso acontecer não se limita a alguns recursos que o sistema da Apple não ofereciam na sua época (como, por exemplo, o “recortar e colar”), mas principalmente pela tática agressiva da Microsoft em fechar acordos exclusivos com os principais fabricantes de PCs e componentes.

Diferente do MS-DOS, o Windows permitia ao usuário a execução de múltiplos aplicativos em uma interface gráfica de forma simultânea, além de um multitarefa cooperativo funcional. Já contava com sistemas de memória virtual de software, permitindo assim a execução de aplicativos com maior tamanho que a memória física disponível no equipamento.

Avançando para o presente, a Microsoft lançou em outubro de 2013 o Windows 8.1, primeira grande atualização do Windows 8, lançado em 2012. Vai ser interessante ver como a Microsoft vai tornar o Windows vivo nos próximos anos, ainda mais levando em consideração que o mercado de PCs se torna algo cada vez mais de nicho, com fortes retrações em função das vendas cada vez maiores dos tablets e smartphones.

De qualquer forma, a marca deve ser comemorada sim. Ser líder de um segmento por 30 anos é algo muito difícil no mundo da tecnologia.

 

Via Gizmodo

Microsoft quer definir o seu novo CEO antes do final de 2013

by

Ballmer

Que os dias de Steve Ballmer como CEO da Microsoft estão contados, todo mundo já sabe. O que não sabemos é quem vai ocupar o seu lugar. Desde o dia do anúncio da saída de Ballmer da gigante de Redmond, muitos são os rumores em torno do nome do seu sucessor. O último rumor relacionado ao assunto é que a Microsoft está com pressa para encontrar a pessoa que vai ditar os rumos da empresa nos próximos anos.

Entre os candidatos, temos nomes já conhecidos e comentados nos principais sites de tecnologia: Alan Mulally, CEO da Ford, Stephen Elop, antigo CEO da Nokia, ou até mesmo pessoas de dentro da própria Microsoft, como Pau. Maritz ou Tony Bates. Até mesmo o nome do CEO do eBay, John Donahoe foi citado, mas o próprio já descartou a mudança de casa.

Hoje, quem mais tem chances de assumir o post é mesmo Stephen Elop. Depois da anunciada aquisição da Nokia pela Microsoft, Elop voltou para Redmond, e ele conhece muito bem a empresa finlandesa, e principalmente, aquilo que vale a pena absorver dela nos próximos meses. O único fator contra Elop é a sua indicação para o posto de diretor de um novo segmento da Microsoft, que englobaria tanto a Nokia como a divisão do Xbox e desenvolvimento de tablets e novos dispositivos móveis.

Em todo caso, desde que Ballmer decidiu criar um ambiente Windows “universal” (ou “tudo em um”), essa nova divisão esperava alguém para coordenar todo esse momento de mudança. E poucos nomes são tão recomendados quanto o de Steven Elop, pelos motivos que citamos no parágrafo anterior.

Resta saber se o tempo vai mostrar se a Microsoft vai buscar uma solução de fora para organizar a casa, ou vai apostar em algum santo de casa, mantendo assim a tradição de “negócio familiar”, que perdura na empresa desde a sua criação.

Via The Verge

Steve Ballmer fala do futuro da Microsoft, em uma carta dirigida aos acionistas

by

microsoft-logo-steve-ballmer

Não é a carta de despedida de Steve Ballmer. Nem mesmo a carta de confissão dos seus pecados. Ballmer ainda tem mais alguns meses de trabalho na condição de CEO da Microsoft, e por conta disso, decidiu compartilhar com os acionistas da empresa como ele vê o futuro da mesma.

A carta dirigida aos acionistas detalha a visão de Ballmer sobre o futuro da Microsoft em curto prazo. O documento não tem nenhuma revelação bombástica, e mais parece uma declaração para estímulo emocional do que um documento que possa ser relevante para o mercado de tecnologia como um todo. Mesmo assim, achei interessante que vocês soubessem o que Ballmer está pensando.

Ballmer fala sobre o processo de reestruturação da Microsoft, sobre a consistência das interfaces de produtos, sobre o lançamento do Windows 8 e sobre a polêmica compra das divisões móveis da Nokia. Em cada tópico, o executivo detalha o quão importante cada movimento é para a empresa, e explica que a Microsoft deve se concentrar agora na fabricação de “uma família de dispositivos e serviços para indivíduos e usuários corporativos”, que se focarão em “atividades de elevado valor”, como os jogos e a comunicação com clientes, família e amigos.

Não é surpresa para ninguém que o desejo da Microsoft hoje é criar um ecossistema de produtos, oferecendo uma experiência de uso universal, através da interface “Metro”. Xbox, Windows 8 e Windows Phone 8 já trabalham nessa filosofia, e a ideia agora é investir em produtos onde um dos pontos principais para apelo de venda é justamente esse: a mesma experiência de uso, em diferentes dispositivos, com o objetivo de aproximar pessoas.

Ballmer também indica que a empresa que ele dirigiu será líder de mercado em hardware e serviços, aproveitando a experiência com produtos voltados prioritariamente para os consumidores, como o Skype (por exemplo), que serão utilizados como uma plataforma de lançamento para o desenvolvimento de novas ofertas empresariais. O executivo garante que, mesmo que ele deixe a empresa (algo que vai acontecer em menos de um ano), o futuro da  Microsoft é promissor, e afirma estar otimista “não apenas como CEO, mas também como investidor que valoriza suas ações”.

Obviamente, o parágrafo anterior foi um claro exercício de futurologia de Steve Ballmer. Se tudo isso vai acontecer do jeito que ele vislumbra, só o tempo vai dizer.

A íntegra do comunicado de Ballmer para os acionistas da Microsoft está disponível nesse link.