Arquivo para a tag: robôs

Os robôs serão os grandes delinquentes do futuro

by

robos-futurama

Os especialistas consultaram sua “bola de cristal”, e entendem que os robôs serão os maiores delinquentes do futuro. A interessante previsão alerta que tudo começa em 2040.

Os robôs começaram a ocupar um grande número de apostos de trabalho que antes eram reservados aos humanos. E isso só deve aumentar, ao ponto do setor industrial ter os humanos completamente substituídos por essas máquinas.

Tracey Follwos, do Future Laboratory, alerta que os programas de inteligência artificial com aprendizagem profunda aplicados nesses robôs podem resultar em condutas criminais autoprogramadas, com crimes sendo cometidos voluntariamente por essas máquinas.

Por outro lado, os especialistas também alertam sobre o risco que podemos ter sobre uma alta dependência de máquinas e robôs em um sentido amplo, já que esses podem ser hackeados, e as consequências de futuro poderão ser terríveis.

Todo avanço implica um risco, e no campo da robótica há muitas questões que não contam com soluções simples, e é provável que algumas delas fiquem sem solução.

Via Fudzilla

Foxconn ‘contrata’ 60 mil robôs para suas fábricas

by

robos-foxconn

Várias fontes indicam que a Foxconn substituiu o posto de 60 mil trabalhadores por máquinas.

A decisão é polêmica, já que se por um lado o fabricante vai acelerar os trabalhos de produção, os robôs vão reduzir o número de funcionários de 110 mil para 50 mil, reduzindo custos laborais e deixando muita gente desempregada. A Foxconn confirmou a decisão de automação grande parte de suas operações de fabricação para a BBC, mas negou que a nova linha de montagem implique em menos postos de trabalho.

A empresa afirma que as máquinas só vão substituir as tarefas repetitivas dos funcionários, permitindo que os mesmos se centrem as partes mais valiosas do processo de fabricação, como por exemplo I+D e o controle de qualidade.

Por outro lado, 35 empresas taiwanesas (Foxconn inclusve) gastaram aproximadamente US$ 609 milhões em 2015 em inteligência artificial, com o objetivo de automatizar no futuro toda a cadeia de produção. A pior parte é que o relatório da Associação para o Trabalho Justo realizado em 2012, feito depois de revisar as condições de trabalho na Foxconn (abaixo do legal), serviu apenas para orientar a reestruturação dessa forma.

Moral da história: menos emprego para os humanos, e mais máquinas para agilizar e baratear os custos de produção.

Esse é o futuro que nos espera?

Via BBCSouth China Morning Post

McDonald’s prefere usar robôs do que aumentar salário mínimo de seus funcionários

by

McDonald's

“É mais barato comprar um braço robótico de US$ 35 mil do que contratar um funcionário que não é eficiente, pagando US$ 15 a hora e roubando batatas fritas”. Essas palavras foram ditas por Ed Rensi, ex-CEO do McDonald’s, depois de comprovar em primeira pessoa os avanços da robótica realizados dentro do setor.

As declarações de Rensi tem uma finalidade muito específica: protestar contra o salário mínimo de US$ 15 para trabalhadores do setor de fast food nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, coloca uma questão interessante: “se não podemos conseguir trabalhadores com um salário razoável, então conseguimos máquinas que façam o trabalho. É o sentido comum. Vai acontecer, queira ou não. E, quanto mais se pressione, mais rápido a transição vai ocorrer”.

Para o ex-CEO do McDonald’s, não só vai acontecer nas redes de fast foods, mas também em outras franquias que empregam trabalhadores “pouco qualificados”. O resultado de combinar o aumento do salário mínimo com a chegada dos robôs será “destrutiva” e “uma perda de trabalhos em todo o país”.

Esta não é uma voz isolada. Executivos de outras redes de fast foods já afirmaram que planejam abrir restaurantes sem funcionários ‘humanos’, como resposta ao aumento dos custos nos salários. A Wendy’s, outra popular rede alimentícia, faz referências pelo mesmo motivo, ao anunciar a criação de mais de 6 mil quiosques de auto-atendimento. Até o McDonald’s está usando telas touch em seus restaurantes para solicitação de pedidos.

salario-15-dolares

A imagem acima foi publicada por aqueles que são contra o aumento do salário mínimo.

Não é uma casualidade que os grandes restaurantes façam esse movimento para defender o seu principal interesse, mas… faz algum sentido suas advertências? Estamos nos encaminhando para um mundo onde os trabalhadores menos qualificados serão substituídos por robôs, e que a rapidez disso acontecer depende do aumento ou não do salário mínimo atual?

Até Bill Gates chegou a insinuar algo desse tipo em uma entrevista de 2014, mas não há um consenso sobreo tema. Faz tempo que vemos iniciativas de robôs para tarefas desse tipo, mas nesse momento isso não é amplamente disseminado. As telas touch são hoje mais necessárias do que os funcionários que recebiam os pedidos.

Os defensores do aumento do salário mínimo pensam que os argumentos dos executivos não contam com fundamento algum. Afirmam que, se pudessem mesmo substituir funcionários por robôs, já o teriam feito. “A automatização chegará quando tivermos a tecnologia e os custos para torná-la viável, e não há nada que possamos fazer para deter isso. Não vai chegar de forma mágica porque os trabalhadores pedem para serem tratados como seres humanos”.

Via Fox Business

Tocar robôs em determinadas áreas pode excitar os humanos

by

robôs

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Stanford publicaram um novo estudo que conclui que tocar em robôs em certas áreas de sua estrutura podem chegar a produzir um determinado grau de excitação nas pessoas.

Para realizar o estudo, eles programaram um robô Nao para que ele desse indicações aos participantes de que deveriam tocá-lo em diferentes partes do corpo. Para que tudo fosse mais tranquilo, o robô fazia comentários sobre as partes escolhidas. Os dados eram coletados através de sensores colocados nos dedos dos participantes, que mediam o nível de condutividade elétrica da pele de cada sujeito. Um maior grau de condutividade indica um maior nível de excitação.

O resultado foi bem claro: os 26 participantes mostraram sinais de excitação quando o robô pediu para que as pessoas tocassem as suas ‘partes íntimas’. Mas não só isso: os participantes o fizeram de forma geral de uma forma mais lenta, tranquila e cuidadosa.

Porém, o estudo alerta que os resultados também podem indicar vergonha ao tocar tais zonas, e não apenas excitação. Mas em todo caso, o importante saber aqui é que tocar as ‘partes íntimas’ de um robô não deixa um ser humano indiferente. É enorme o potencial que os robôs podem ter no futuro nas suas interações com os seres humanos.

Vídeo do experimento a seguir.

 

Via Mashable

O seu próximo gadget será construído por um exército de mini robôs

by

mini-robos

A SRI Internacional está desenvolvendo uma série de pequenos robôs, parecidos com insetos, e que trabalham com uma sintonia perfeita, para um único objetivo: construir gadgets.

Tais robôs podem ser mover por circuitos eletrônicos, carregar materiais e montar produtos de forma sincronizada. Ainda não são trabalhadores 100% autônomos, pois dependem de computadores e seres humanos para programar o seu caminho. Mas já é um começo muito interessante.

Alguns desses robôs são capazes de transportar pequenas quantidades de líquidos, abrindo assim a possibilidade de serem utilizados em hospitais e laboratórios químicos, onde a segurança é algo prioritário.

O vídeo disponível no final do post mostra como o trabalho colaborativo desses robôs é algo incrível, e a SRI afirma que eles são capazes de colocar para trabalhar mais de 1.000 robôs de uma única vez.

O mais curioso da iniciativa é que, apesar da SRI poder construir esses robôs de forma tradicional, eles já planejam uma forma onde os próprios robôs se encarreguem da fabricação de suas futuras gerações, que serão cada vez menores.

Simplesmente genial. Vídeo abaixo.

 

Via Xakata

Toyota começa a substituir robôs por humanos em suas fábricas. Pois os humanos são mais eficientes!

by

Japan Earthquake Autos

A utilização de robôs em processos industriais foi um elemento chave no desenvolvimento de melhores e mais eficientes processos de fabricação. Porém, a Toyota não pensa dessa forma. A montadora japonesa decidiu substituir as máquinas automatizadas em algumas de suas fábricas no Japão, e criou linhas de produção onde um bom número de funcionários realizam as tarefas que antes eram exercidas pelas máquinas.

O Japão é o país do mundo com o maior número de robôs industriais, porém, a Toyota decidiu voltar atrás, e colocar um especialista humano em algumas tarefas que antes eram realizadas pelos robôs. Entre outras coisas, a Toyota teme que tanta automação faça com que sejam necessários muitos funcionários de médio conhecimento, e com muita pouca habilidade para tarefas mais minuciosas.

A eficiência da solução é algo surpreendente, e segundo um dos responsáveis do projeto na Toyota, a acumulação de resíduos se reduziu em 10%, além de reduzir a linha de produção e abatimento de custos de algumas partes do chassi do carro envolvido.

Via Bloomberg

Google revela o seu próximo grande passo: criar robôs (com a ajuda de Andy Rubin)

by

rubinrobots

“Este é o melhor trabalho do mundo”. Essas são palavras de Andy Rubin durante uma entrevista dada ao New York Times. Nessa mesma entrevista, ficamos conhecendo qual é o o próximo grande projeto da Google: fabricar robôs.

Semelhante projeto, carregado com um potente componente estratégico, foi encomendado a uma das principais figuras do nosso tempo no mundo da tecnologia: o próprio criador do Android já citado no primeiro parágrafo desse post. Foi o próprio Rubin que revelou que a gigante de Mountain View entregou para ele a responsabilidade de criar uma linha de robôs. Porém, antes que você imagine que você vai usar um robô para a limpar a sua casa (tal como acontecia no desenho dos Jetsons), saiba que a ideia é que esses robôs se incorporem à indústria de forma que o processo de automação sejam ampliado em diferentes setores.

Logo, podemos rapidamente detectar que a Google tem uma importante visão de futuro para esse mercado. “Temos que considerar o tempo como um fator chave”, afirma Rubin, que esboça um panorama robotizado para daqui a dez anos, pelo menos.

O certo é que, além disso, esse campo da robótica não é algo completamente novo para Rubin, uma vez que ele já trabalhou nesse ramo da tecnologia na Carl Zeiss, e agora, tem mais esse desafio como “presente” aos 50 anos de vida. Tal como um aventureiro diante da possibilidade de enfrentar uma jornada de descobertas e desafios, Rubin afirma estar entusiasmado com o novo projeto. Se sente um privilegiado, e está convencido que o seu projeto será uma realidade tangível para o mercado.

“Os veículos sem motorista eram coisa de ficção científica quando começaram o seu desenvolvimento, e agora, eles são reais”, afirma Rubin, que vê claramente o projeto como viável, uma vez que a Google já tem pleno controle do hardware, software e know-how. Por fim, para que você tenha uma ideia do peso do novo projeto para a Google, o próprio Larry Page falou sobre ele no seu perfil do Google+.

É amigo… o futuro está chegando, tal como foi esboçado no cinema….

Via New York Times, Google+ (Larry Page)

Braingate2 desenvolve um robô controlado pela mente, para ajudar pacientes com paralisia

by

drinkingmoment 05 17 12 02 - Braingate2 desenvolve um robô controlado pela mente, para ajudar pacientes com paralisia

Um grupo de cientistas do consórcio Braingate2 (que possui uma vasta experiência na pesquisa de implantes cerebrais, para melhorar a qualidade de vida de pacientes com problemas de mobilidade), desenvolveu um sistema robótico que pode ser controlado pela mente de uma pessoa com lesões da medula espinhal ou com outro tipo de paralisia.

Nos primeiros estágios do programa, o grupo conseguiu implantar uma série de chips no córtex dos pacientes, para que estes pudessem mover um cursor ao longo de uma tela. Agora, os cientistas conseguiram traduzir essas instruções em um braço robótico, que pode pegar e levantar objetos diversos (como uma bebida, por exemplo).

Obviamente, os testes não impediram que alguns copos de café fossem derramados, mas os especialistas acreditam que, com a prática, o exercício será melhor executado. Abaixo, um vídeo com uma pequena mostra do que o sistema é capaz de fazer.

Via Nature

pixy - Braingate2 desenvolve um robô controlado pela mente, para ajudar pacientes com paralisia

MyRobots.com, ou “o Facebook dos robôs”

by

robot12 20 - MyRobots.com, ou "o Facebook dos robôs"

Acredite ou não, essa notícia é tão verdadeira quanto a sua ou a minha vida. Criaram uma rede social destinada única e exclusivamente aos robôs. Com o nome de MyRobots.com, nossos amigos metálicos poderão compartilhar não apenas o seu estado de carga, mas também contar com um perfil com foto e detalhes técnicos.

Como não poderia ser de outra maneira, a rede também conta com uma loja de aplicativos na nuvem, para que os robôs possam fazer o download de seus jogos favoritos. Infelizmente, tal como aconteceu no começo do Facebook, a nova rede está aberta apenas para um seleto grupo de usuários. Por enquanto.

Via NewScientist

pixy - MyRobots.com, ou "o Facebook dos robôs"

A Força Aérea dos Estados Unidos prepara um sensor com reconhecimento facial de longa distância

by

5 19 2011facialtracking - A Força Aérea dos Estados Unidos prepara um sensor com reconhecimento facial de longa distância

A Força Aérea norte-americana está pensando em novas soluções para o sistema de reconhecimento facial. Isso seria possível graças à uma nova tecnologia de câmeras, que são capazes de identificar e rastrear possíveis inimigos à uma grande distância (não são revelados detalhes sobre qual distância é essa) com apenas alguns segundos de gravação.

A empresa encarregada pelo desenvolvimento do sistema é a Photon-X Inc., e eles estão utilizando um sensor que combina medias espaciais com lasers e infra-vermelhos, que daria origem a uma espécie de “bio assinatura”, que não apenas reconhece as características faciais, mas também movimentos musculares que são únicos em cada indivíduo.

Essa tecnologia pode ser usada em sistemas que identificam veículos inimigos, além de poder ser integrado em robôs para melhorar a sua navegação ou a identificação de objetos. Além disso, o sistema pode oferecer vantagens no uso da segurança em bancos, nos lugares dos vigias humanos.

via Wired

pixy - A Força Aérea dos Estados Unidos prepara um sensor com reconhecimento facial de longa distância

Um robô que serve a comida e responde aos comandos de voz do usuário

by

robotcomida - Um robô que serve a comida e responde aos comandos de voz do usuário

Homer Simpson desejaria um desses. E acredito que muitos também desejam ter um robô desses em casa, o que representaria o sonho de consumo dos preguiçosos. Porém, a ideia do robô criado por Isao Wakabayashi não é bem essa. O estudante da universidade japonesa de Chukyo desenvolveu esse robô para ser um auxiliar para pessoas com algum tipo de deficiência física, ou de idade muito avançada, uma vez que o robô atende os comandos por voz, além de reconhecer e etiquetar os alimentos. Abaixo, vídeo do robô em ação.

via DVICE

pixy - Um robô que serve a comida e responde aos comandos de voz do usuário

Os robôs vão derrotar as estrelas de futebol humanas em 2050. É o que dizem por aí

by

robocup 2010 final rm rooney2 - Os robôs vão derrotar as estrelas de futebol humanas em 2050. É o que dizem por aí

O mundo da tecnologia avança, e o futuro que nos espera é fascinante. Porém, algumas previsões são um tanto quanto risíveis. Uma delas vem de Claude Sammut, professor de informática da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália. Segundo o estimado professor, os robôs vão superar as capacidades dos jogadores de futebol profissional (humanos, é claro) no ano de 2050 e, para ele, só terá que se melhorar os aspectos de percepção, tomada de decisões, aprendizado e comportamento em cooperação, uma vez que o futebol é um esporte coletivo (ou seja, melhorar tudo que é importante, e torna hoje os humanos muito melhores). Vale lembrar que estamos em 2010, e que imaginar que tais mudanças ocorram em apenas 40 anos é um tanto quanto utópico. Ainda mais pelo fato que estamos em 2010 e nem temos o skate voador prometido para 2015, como em De Volta Para o Futuro. Depois tem outra: com todo o respeito, o que diabos os australianos entendem de futebol?

Fonte

pixy - Os robôs vão derrotar as estrelas de futebol humanas em 2050. É o que dizem por aí

[gadgets] LEGO faz com que gostemos ainda mais de Wall-E

by

10x0719ihb235sdscx - [gadgets] LEGO faz com que gostemos ainda mais de Wall-E

O robô que conquistou o coração de milhões de pessoas ao redor do mundo com o seu trabalho incansável em um território inóspito e seu caráter apaixonante, dá as caras novamente aqui no TargetHD.net. Wall-E volta, mas desta vez, pelas mãos da LEGO Mindstorms e um habilidoso montador. Esta simpática versão do robozinho é capaz de se transformar em um cubo (tal como o nosso protagonista), recolher e transportar objetos, olhar para cima e para baixo e até reagir aos sons. É controlado de forma remota ou pode ser deixado por conta própria. Mas, de novo, melhor do que falar, é melhor mostrar o produto na prática. Veja então no vídeo abaixo.

Fonte

[tecnologia] RoboErectus Jr. salta, dança e saúda o público

by

100611 roboerectus 01 - [tecnologia] RoboErectus Jr. salta, dança e saúda o público

Todo mundo está no espírito da Copa do Mundo. Mesmo os países que não estão no Mundial, e mesmo aqueles que não entendem muita coisa de futebol acabam entrando na onda. Em Cingapura, por exemplo, temos a edição 2010 da RoboCup, que acontece por lá entre 19 e 25 de junho. Como o próprio nome diz, é um campeonato de futebol de robôs, e um de seus destaques é o RoboErectus Jr., que tem entre seus recursos saltar, saudar as pessoas e, copiando o melhor estilo Neymar, tem até a sua dancinha de comemoração. Duvida? Confira os vídeos abaixo.

Fonte