Arquivo para a tag: remix os

Acer, Remix Pro e AOC impulsionam o Remix OS 3.0: o Android nos desktops

by

Remix Pro

O Remix OS segue avançando no mercado, com novos dispositivos, novas versões do sistema operacional e interessantes parcerias com gigantes do setor.

A startup chinesa Jide pretende com o Remix OS transformar o Android em um sistema operacional para desktops, e para isso se apoia na criação do seu próprio hardware, ou deixar que outros fabricantes tirem proveito do seu desenvolvimento. Hoje, vários novos dispositivos mostram essas aspirações materializadas.

 

Remix Pro, o 2 em 1

Remix Pro-02

Temos um tablet com teclado gerenciado pelo Remix OS 3.0, montado sobre o Android Marshmallow. Inicialmente destinado ao mercado chinês, estará disponível em outros mercados nos meses subsequentes.

Sua tela possui 12 polegadas (2160 x 1440 pixels), e o hardware é gerenciado por um processador Qualcomm Snapdragon 652, 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento (expansíveis via microSD). Conta também com câmeras de 5 MP e 8 MP, bateria de 9.000 mAh e peso de 640 gramas (sem o teclado).

Remix Pro-07

Com o Remix Pro, é possível executar os aplicativos em janelas que podem mudar de tamanho, apresentando na área de trabalho diferentes aplicativos de uma única vez.

Remix Pro-03 Remix Pro-04 Remix Pro-05 Remix Pro-06

 

Acer aposta no Remix OS e Intel

acer-remix-os

A Acer é a primeira das grandes a oferecer um dispositivo com Remix OS, através de um notebook da série Aspire.

O Acer Aspire ES1-131 conta com um processador Intel Celeron N3150, tela de 11.6 polegadas, 4 GB de RAM, 500 GB de armazenamento e a mesma estética em relação aos notebooks com Windows da empresa.

O dispositivo será lançado em tiragem limitada no mercado chinês, e é descrito como um “conceito”. Se tudo funcionar bem no país asiático, o modelo será lançado em mais mercados.

Jide e Acer vão trabalhar juntas na otimização da plataforma nas arquiteturas Intel, e isso é benéfico para todos, já que o Remix OS for PC estará disponível para qualquer usuário que quiser testar a alternativa.

 

AOC oferece um desktop All-in-One

AOC Mars All-in-One PC

Esse já era conhecido, mas agora se torna oficial, com um novo nome: AOC Mars All-in-One PC, com Remix OS.

Conta agora com variantes com telas de 22 e 32 polegadas, hardware assinado pela Amlogic (ARM) com 2 GB de RAM e 16/64 GB de armazenamento.

AOC Mars All-in-One PC-02 AOC Mars All-in-One PC-03 AOC Mars All-in-One PC-04 AOC Mars All-in-One PC-05

Remix OS PC Box

Este é o segundo projeto em desenvolvimento pela Jide, que ainda não está concluído. É uma solução para outros fabricantes que querem montar um dispositivo a partir dele, que seja capaz de executar o Remix OS 3.0. Muito básico nas especificações, com alguns dados já antecipados:

CPU: Rockchip 3368 8-Core 64bit ARM Cortex – A53 1.5GHz
Memória: 1GB/2GB DDR3; 8GB/16GB eMMC; microSD (até 128GB)
Conectividade : WLAN 802.11.b/g/n 2.4G; Ethernet (100Mps); BT 4.0; 2x USB Type A; HDMI 2.0 (4K @60fps)

AOC lança o primeiro desktop AIO com Remix OS

by

aoc-com-remix-os

A AOC apresentou o primeiro desktop All in One (AIO) com o sistema operacional Remix OS, baseado no Android, mas preparado para os PCs. O software tem suporte para arquiteturas x86 e elementos de uma área de trabalho tradicional, que encontramos normalmente em sistemas como Windows, Mac ou Linux.

Este AIO com Remix OS criado pela AOC é fruto da parceria da empresa chinesa com a Jide Technology, criadora do sistema operacional e empresa formada pelos ex-funcionários da Google. O equipamento conta com uma tela de 23.8 polegadas (Full HD, 1920 x 1080 pixels) e um processador Cortex-A42 quad-core ARM Amlogic S905, com 2 GB de RAM. Inclui ainda duas portas HDMI, quatro portas USB e um conector Ethernet.

aoc-com-remix-os-02

Já era conhecida a parceria da Jide Technology com o Android-x86, outro projeto para levar o Android Open Source Project (AOSP) ao PC, o que deve resultar em uma melhoria dos dois desenvolvimentos. O Remix OS é mais destinado ao grande público e consumidor final, enquanto que o Android-x86 para os usuários avançados e desenvolvedores.

Só resta saber quando que a Google vai publicar a sua própria versão do Remix OS, ou o que muitos acreditam ser a fusão oficial do Android e do Chrome OS, na tentativa de entrar de vez no mercado de PCs. Apesar ser um segmento que registra claras quedas nas vendas, os mercados educacionais, setores profissionais específicos e mercados de baixo custo conseguem manter o setor vivo e atraente para investimentos.

O novo computador da AOC estará disponível na China nesse verão, em duas configurações com capacidades de armazenamento de 16 GB e 64 GB. Seu preço final não foi revelado, assim como a sua disponibilidade para o mercado internacional.

Mais imagens a seguir.

aoc-com-remix-os-05 aoc-com-remix-os-03 aoc-com-remix-os-04

Via Liliputing

Allwinner apresenta notebook com Remix OS de US$ 79

by

Allwinner-Notebook-79-dolares

O mercado de PCs não passa o seu melhor momento, mas algumas soluções interessantes continuam a aparecer, buscando nichos específicos para alavancar as vendas. Como é o caso do Remix OS, que pega o melhor do Android e o adapta para o ambiente de informática de forma notável, algo que nem a Google consegui fazer. E esse notebook da Allwinner é um excelente exemplo disso.

O Remix OS é muito versátil e fácil de usar. Se valendo disso, fabricante de chips Allwinner vai lançar os primeiros notebooks com este sistema operacional, com um preço muito baixo como principal atrativo para suas vendas.

São três dispositivos presentes nessa nova aposta. O primeiro é um notebook com tela de 11.6 polegadas (1366 x 768 pixels) com teclado completo e touchpad, processador Allwinner quad-core de 64 bits (A64) com 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento, e seu preço sugerido é de US$ 79.

Os outros dois dispositivos contam com as mesmas especificações, mas com a diferença de um deles contar com uma tela de 14.1 polegadas e o outro ser um notebook conversível, no estilo Lenovo Yoga, com tela touch de 11.6 polegadas. Os dois modelos não contam com preço anunciado. Os treso modelos chegarão em diferentes versões, configurados com processadores A83T octa-core de 32 bits, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento.

Vale destacar que o fabricante não conta com uma estratégia de comercialização, de modo que o valor de US$ 79 pode aumentar, dependendo da cadeia de distribuição. A Allwinner está pensando em iniciar uma campanha de crowdfunding, que serviria para conhecer o mercado e ver se há interesse nesse tipo de dispositivos, que ainda não tem garantias que verão o mercado algum dia.

 

Via Liliputing

Android N: o primeiro Android pensado nos desktops?

by

Android N

O Android N já está com preview público disponível desde a semana passada. Além das mudanças no design e melhorias no modo de consumo de energia, uma das grandes novidades da nova versão é a multitarefa com tela dividida, função similar ao que já vimos no iOS e implementada por fabricantes como Samsung e LG.

Porém, algo não divulgado oficialmente aparece em um código com suporte experimental, que é a habilitação de janelas “livres”, que indicam que a Google pensa em algo mais avançado no multitarefa, com o desktop em mente.

Faz algum tempo que se fala do potencial do Android nos desktops  como sistema básico alternativo ao Windows, aproveitando o hardware de baixo nível e apoiado nos milhares de aplicativos e jogos do Android. Também na grande massa de usuários do sistema, mesmo da grande distância entre dispositivos móveis e PCs, com necesidades bem diferentes.

Até agora, a Google baseou sua estratégia nos desktops no Chrome OS, com grande aceitação no setor educacional e mercados regionais de consumo, mas sempre como um nicho específico e sem uma cota relevante ou que ameace o monopólio do Windows nos desktops.

A referência ao Android N está no arquivo “framework-res.apk”, que se enumera unto a outros ajustes na tela “Configuração de Desenvolvedores”, e que aparecem em importantes componentes do sistema, como SystemUI e SetupWizard, o que indica algo a mais do que a tela dividida.

androidN_remixos

São citadas janelas flutuantes e de livre disposição ou botões de fechar e maximizar, elementos comuns a qualquer sistema operacional de escritório, e que podemos ver no Remix OS para PC (foto acima). Já nos smartphones, tais funções são bem inúteis. Seriam mais úteis nos tablets, mas nos desktops teriam verdadeiro sentido.

Nos próximos meses veremos onde a Google quer chegar.

Via ArsTechnica

Unuiga S905, um mini PC que aposta no Remix OS

by

Unuiga S905-01

O Unuiga S905 segue a tendência de oferecer mini PCs com sistemas operacionais alternativos, como é o caso do Remix OS. Chega para entrar na briga do mercado de computadores de baixo custo, competindo com empresas como a ODROID ou a Raspberry.

O pequeno computador é perfeito para navegação na internet e consumo de conteúdo multimídia. Está disponível em duas versões, muito acessíveis e com a grande diferença da quantidade de memória:

– Unuiga S905, com 1 GB de RAM, 16 GB de armazenamento e conectividade WiFi 802.11n (US$ 30)
– Unuiga S905, com 2 GB de RAM, 32 GB de armazenamento e suporte WiFi 802.11ac (US$ 45)

Temos um hardware com solução de 64 bits e arquitetura ARM (Amlogic S905) de quatro núcleos Cortex-A53. O trabalho gráfico fica por conta de uma GPU Mali-450 MP5. As especificações completas estão na tabela abaixo:

Unuiga S905-02

O Unuiga está em fase de crowdfunding  no Indiegogo, e há um desconto de US$ 5 para os primeiros compradores. A entrega é mundial, mas os custos de envio fica por conta do comprador.

 

Unuiga S905-03

Via Unuiga