Arquivo para a tag: pcs

Mercado de PCs segue em queda, mesmo com o Windows 10

by

notebooks-em-caixas

O mercado de PCs segue em baixa, mesmo depois do lançamento do Windows 10. A previsão da Gartner é que as vendas totais de 2015 registrem queda de 7.3%, com 291 milhões de unidades vendidas.

A previsão é que a situação não melhore até 2017, quando os usuários devem notar a necessidade de atualizar os seus computadores, além de uma maior adoção do Windows 10 nas empresas. Também é mencionado que a desvalorização das moedas ao redor do mundo e o aumento dos preços seguem freando a renovação dos computadores nos segmentos doméstico e profissional.

Para 2016, é esperado um leve aumento nas vendas por conta da chegada do processador Intel Skylake e a consolidação do Windows 10, mas a mudança será maior em 2017, o que pode aumentar as vendas dos PCs em 4%.

No caso dos tablets, a previsão de queda nas vendas é de 12% para 2015, com 192 milhões de dispositivos comercializados. Esse segmento em 2014 já registrou forte queda de 13%. A Gartner afirma que isso acontece porque os usuários não renovam os seus tablets, mas muitos entendem que, na verdade, o tablet foi mais uma moda passageira no mundo da tecnologia.

Por fim, o mercado de smartphones ainda goza de boa saúde, com previsão de aumento de vendas de 14% para 2015, em grande parte por conta do lançamento do iPhone 6s. A Gartner prevê para 2017 o envio de 2 bilhões de smartphones, representando 89% do total de dispositivos.

Via The Inquirer

Mercado de PCs tem queda de 20% no 1º trimestre de 2015

by

portatil-vs-desktop

A IDC Brasil divulgou o estudo de mercado de vendas de PCs para o primeiro trimestre de 2015 (IDC Brazil PCs Tracker Q1), e o resultado mostra que o movimento de queda nas vendas continua.

Entre janeiro e março de 2015, foram vendidos no brasil 1.964 milhão de unidades de PCs, ou 20% a menos do que o mesmo período do ano passado (2.4 milhões de unidades). Em 2014, a queda registrada foi de 26% em relação ao mesmo período de 2013, ano em que o mercado brasileiro vendeu 10.3 milhões de computadores.

Do volume total de computadores vendidos no primeiro trimestre de 2015, 804 mil foram desktops (queda de 21% em comparação com o mesmo período de 2014) e 1.160 milhão foram de notebooks (queda de 19% em relação ao mesmo período do ano passado). 32% das vendas foram para o mercado corporativo, e 68% foram para o consumidor final.

O resultado está abaixo do que o previsto pela IDC Brasil, que indica um começo do ano turbulento, com impacto negativo em diversos setores da economia, por conta dos escândalos de corrupção, a redução do crédito para o consumidor final e a alta do dólar. Todos esses fatores esfriaram o mercado e, consequentemente, promoveram essa queda nas vendas.

A confiança da indústria e do consumidor foi afetada, e existe uma cautela muito grande na hora de investir em um novo equipamento. Sem falar no reajuste de aproximadamente 20% nos preços dos computadores, impactando ainda mais nas vendas.

Por fim, o consumidor segue optando por outros dispositivos, como smartphones, algo que também afetou o desempenho de vendas dos PCs no último trimestre. O valor médio pago pelo consumidor brasileiro no primeiro trimestre de 2015 para um notebook ficou em R$ 2.320, e para um desktop, em R$ 1.701.

Via assessoria de imprensa

GTA V para PC contará com exclusivo modo de edição de vídeo

by

gtavpceditor

Depois de uma longa espera, GTA V chega aos PCs, e com um belo presente debaixo do braço. Essa versão contará com um novo modo de edição de vídeo, chamado Rockstar Editor, onde os jogadores poderão criar sequências com total liberdade, e aproveitando os personagens do jogo, animais, físicas e tudo o que o universo da cidade de Los Santos oferece. Abaixo, um vídeo preparado pela Rockstar, com um preview dessa nova funcionalidade.

 

Via Rockstar Newswire

Mercado brasileiro de PCs encerra 2014 com queda de 26% nas vendas

by

XPS 13 Touch Notebook on Table in Cafe

A IDC Brasil divulgou os dados consolidados do mercado de PCs no Brasil no 4º trimestre e no ano de 2014. Segundo o estudo IDC Brazil Pedro HaggePCs Tracker Q4, foram vendidos 10.3 milhões de computadores em 2014, o que representa uma queda de 26% na comparação com 2013.

Desse total, 4 milhões são desktops (queda de 31%) e 6.4 milhões são de notebooks (queda de 22%), sendo 29% comercializados para o mercado corporativo e 71% para o consumidor final.

Segundo a IDC Brasil, os resultados de 2014 foram impactados pelo Carnaval fora de época, a Copa do Mundo, as eleições e a alta do dólar. Tradicionalmente, março é um mês muito positivo para o mercado de PCs, porém, o Carnaval adiado fez com que o 1º trimestre fosse muito negativo em vendas. Logo em seguida houve a Copa do Mundo e os varejistas focaram em outras categorias de produtos. As incertezas em relação às eleições e a volatilidade da moeda americana também contribuíram para o mau desempenho em 2014.

Entre outubro e dezembro do ano passado foram vendidos cerca de 2.7 milhões de PCs, queda de 25% na comparação com o 4º trimestre de 2013 e alta de 3% na comparação com o 3º trimestre de 2014. Foram comercializados 966 mil desktops e 1.7 milhão de notebooks. Na comparação com o 4º trimestre de 2013, houve queda de 29% em desktops e 21% no mercado de notebooks. Os números do 4º trimestre estão de acordo com as projeções da IDC Brasil, que, ao contrário de anos anteriores, já previa um desaquecimento das vendas no período.

Os volumes do 4º trimestre têm sido cada vez mais impactados pela Black Friday. Os varejistas estão comprando e estocando os produtos já em setembro e a tendência é não termos mais um 4º trimestre forte como em anos anteriores.

Além disso, o ritmo fraco da economia, a escassez de crédito, inflação e a alta do dólar, que acaba gerando repasse de preços ao consumidor, também foram fatores preponderantes para o mau desempenho nos últimos três meses de 2014. Em relação aos PCs conversíveis, o analista da IDC Brasil afirma que houve alguns bons lançamentos no 2º semestre de 2014 e, apesar das vendas crescerem 20% na comparação com o 3º trimestre, a categoria ainda não ‘pegou’ no Brasil: foram cerca de 42 mil notebooks conversíveis vendidos entre outubro, novembro e setembro.

Para 2015, a IDC Brasil espera queda de 3% do mercado de PCs no Brasil. A alta do dólar vai dificultar a recuperação, e nas lojas os produtos estão de 15 a 20% mais caros do que custavam 6 meses atrás.

Via assessoria de imprensa

IDC Brasil: mais de 1,5 milhão de PCs vendidos em julho e agosto de 2014

by

lenovo-mix

A IDC Brasil divulgou os números do estudo PC Monthly Tracker, relativos aos meses de julho e agosto. Em julho, foram vendidos cerca de 787 mil PCs, sendo 324 mil desktops (41%) e 464 mil notebooks (59%), o que representa uma queda de 35% na comparação com o mesmo período do ano passado. Desse total, 31% representaram vendas corporativas e 69% para o consumidor final.

Já em agosto, segundo a IDC, foram vendidos 760 mil máquinas, sendo 293 mil desktops (39%) e 467 mil notebooks (61%), o que representa queda de 27% na comparação com agosto de 2013. Em agosto, 28% das vendas foram para o mercado corporativo e 72% para o consumidor.

Os números estão de acordo com a projeção do IDC, que já esperava um desempenho negativo do mercado. O momento pré-eleição, a queda na disputa de preços pelas empresas, principalmente no setor de consumo, têm impactado os números nesses últimos meses, e a previsão da IDC é que o ano de 2014  deve registrar uma queda de 24%, a mais forte já registrada neste mercado de PCs.

Via assessoria de imprensa (IDC Brasil)

IDC: Apple assume a quinta posição entre os fabricantes de PCs

by

macbook-air

De acordo com o último relatório do IDC, a Apple ocupa hoje a quinta posição entre os fabricantes de PCs, aumentando em 6.3% a sua cota de mercado no terceiro trimestre de 2014.

Hoje, a Apple está atrás da Lenovo (20%0, HP (18.8%), Dell (13.3%) e Acer (8.4%). Ainda não ameaça a liderança, mas superar a ASUS nesse segmento já pode ser considerada uma grande conquista. A IDC acredita que a combinação de redução de preços e uma melhora na demanda nos mercados mais ‘maduros’ permitiu que a Apple ganhasse essa vantagem em um mercado que continua a se reduzir.

idc-pc-market-share-q3-2014

Porém, essas contas não são 100% conclusivas. A Gartner garante que a quinta posição continua a ser da ASUS, com 7.3% de cota de mercado, e que a Apple só consegue o quinto posto se levarmos em conta as vendas no mercado dos Estados Unidos.

O problema é que nem Gartner, nem IDC possuem acesso aos dados oficiais de envios globais, de modo que é impossível estimar de forma adequada as pequenas diferenças entre os fabricantes. É necessário esperar os resultados fiscais da Apple para se obter melhores conclusões.

gartner-pc-marketshare-q3-2014

Via IDCGartner

 

A HP acaba de se dividir em duas empresas

by

hp-logo-1

A HP se dividiu em duas. Agora, temos a HP Inc., dedicado aos PCs e impressoras, e a HP Enterprise, pensada nas empresas e serviços.

A ideia foi proposta pela cúpula diretiva há três anos, quando Meg Whitman assumiu o posto de Leo Apotheker na empresa. Whitman parecia não concordar muito com isso, mas mudou de ideia, fazendo com que essa mesma direção assume a parte empresarial da HP, enquanto que Dion Weisler, um dos responsáveis pela divisão de PCs, vai liderar a nova empresa focada nos computadores e impressoras.

No comunicado que informa a decisão, Whitman afirma que a finalização do processo se torne efetiva no final do ano fiscal de 2015, oferecendo benefícios para as duas empresas. Cada uma dessas empresas terá independência, recursos financeiros e flexibilidade que precisam para se adaptar rapidamente ao mercado, gerando valor de mercado ao longo prazo para acionistas e investidores.

Não sabemos se esta divisão fará com que a HP volte a apostar no segmento de mobilidade, mas parece evidente que a sua nova aposta no terreno empresarial fará com que a empresa bata de frente com outros gigantes com o a IBM, com maior identidade e postura mais definida.

Veremos se as mudanças serão benéficas para a HP. Mais: se a HP vai abandonar ou não o mercado de consumidor final, como outras empresas fizeram. Torcemos para que isso não aconteça.

Via HP

NPD: Chromebooks e Macs são protagonistas da recuperação dos PCs nos EUA

by

650_1000_chromebooks

A consultora NPD publicou os seus dados de vendas nos EUA de Chromebooks, Macs e equipamentos com Windows durante um período de 10 semanas, entre 1 de maio e 4 de julho de 2014.

De acordo com os dados, os equipamentos baseados em Chrome OS e OS X foram os mais vendidos nesse período, enquanto que os PCs e portáteis com Windows tiveram vendas mais discretas, mas ainda assim lideram com folga um mercado que melhorou em relação ao ano de 2013.

npd

As vendas no mercado norte-americano cresceram 3% durante esse período, contra 2.5% de queda registrada entre 2012 e 2013. Os Chromebooks aumentaram a sua cota de mercado em 37% (de 3.3% para 4.5%), enquanto que os iMacs e os MacBooks cresceram 14% (de 24.2% para 26.8%).

O Windows, por sua vez, caiu de 72.3% da cota do ano passado para 68.4% desse ano, algo que mostra o claro interesse pelos equipamentos da concorrência nos EUA. Os Chromebooks foram um sucesso nesse período, representando 5% de todas as vendas de portáteis, e 18% do total de vendas de equipamentos abaixo dos US$ 300.

Como nota curiosa, os dispositivos conversíveis baseados no Windows foram responsáveis de 13% de todas as vendas de produtos com esse sistema operacional, e o seu volume de vendas se multiplicou por seis ao longo de 2013.

Via NPD

Estudo da IDC mostra ligeira recuperação nas vendas de PCs no segundo trimestre de 2014

by

lenovo-mix

Um novo estudo da IDC Brasil revela que no segundo trimestre de 2014 foram vendidos 2,65 milhões de PCs, o que representa uma queda de 26% em comparação ao volume comercializado no mesmo período em 2013 e uma ligeira recuperação em relação ao 1º trimestre deste ano, quando as vendas foram de 2,4 milhões de unidades.

Os notebooks lideram as vendas de PCs, com 62% das unidades vendidas no segundo trimestre, contra 38% dos desktops. Considerando os seis primeiros meses de 2014, o estudo da IDC Brasil mostra que as vendas de PCs caíram 27% em relação ao primeiro semestre de 2013, e a queda se deu tanto no mercado corporativo (-30%) como no de consumo (-26%).

Entre os consumidores, há o fator Copa do Mundo, enquanto o mercado corporativo reduziu os seus investimentos por conta do ano eleitoral, principalmente nas médias e grandes empresas. Outro fator que determina a queda é a drástica diminuição nas compras do setor público, que já possui projetos licitados a essa altura do ano, com menor volume de novas licitações.

O desempenho do mercado de PCs confirma as projeções da IDC Brasil, que indicavam um ano bastante negativo, por conta deste cenário. A previsão é que o ano de 2014 registre uma queda de 24%, a mais forte já registrada no segmento.

Via assessoria de imprensa (IDC Brasil)

Toshiba vai abandonar o mercado de PCs para consumidores

by

toshiba_hq

A Toshiba, detentora de uma das melhores linhas de computadores pessoas do planeta, anunciou que não mais vão focar seus esforços no mercado de consumidores. No seu lugar, vão se concentrar no mercado empresarial.

A decisão foi tomada depois da empresa identificar que eles terão muito mais lucros nesse processo de reestruturação do que lutando em um mercado que cada vez desperta um menor interesse do usuário. Aqui, é possível concluir que a Toshiba foi mais uma vítima da era pós-PC. Não é a primeira a abandonar o mercado pensado no consumidor final: Sony, Dell e HP fizeram movimentos similares, enquanto que a Lenovo ainda luta para ter um lugar no mercado de consumidores pessoais.

Sem a produção de PCs para o consumidor, a Toshiba espera reduzir o número de bases de vendas em todo o planeta de 32 para 13 unidades até o final de 2014. Em alguns mercados emergentes os produtos ainda serão oferecidos (PCs e portáteis, principalmente). Com essa estratégia, a empresa também vai promover um corte considerável no seu grupo de funcionários (900 demissões são previstas, o que representa 20% da força laboral envolvida na produção de pCs).

Todas essas reformulações devem resultar em uma economia de US$ 184 milhões em gastos operacionais. Por outro lado, a estratégia de reduzir a presença no mercado do consumidor final permitirá um investimento maior no desenvolvimento de produtos para a Internet das Coisas, utilizando tecnologias proprietárias que integravam os PCs. Uma estratégia acertada, levando em conta as tendências atuais da tecnologia.

Via Toshiba

Novos micro PCs da Dell contam com chassis com tamanho 92% menor

by

OptiPlex 3020 Micro Desktop

A Dell anuncia o lançamento no Brasil dos computadores OptiPlex Micro, equipamentos corporativos com um chassi de dimensões 92% menores do que as de um desktop convencional. Com peso inicial de apenas 1,28kg e tamanho inferior ao de uma garrafa de apenas 2 litros, os modelos OptiPlex Micro 3020 e 9020 trazem as mesmas opções de configuração e recursos de segurança e gerenciamento dos mais completos PCs no portfólio corporativo da Dell.

Apesar do formato micro, a Dell manteve os mesmos recursos de segurança das configurações convencionais, como Trusted Boot para inicialização segura, BitLocker e módulo TPM 1.2, para proteção de dados com encriptação. A versatilidade do formato possibilita ainda a instalação do equipamento conforme a disponibilidade de espaço da empresa, podendo ser posicionado abaixo ou atrás de um monitor, fixado a uma parede ou nas laterais de uma mesa ou estação de trabalho.

Para garantir alta performance às empresas que optarem pelo novo chassi, a Dell oferece configurações com os processadores de 4ª geração Intel Core até i5 (Optiplex Micro 3020) e até i7 (OptiPlex Micro 9020). Os lançamentos chegam a 16GB DDR3 de memória e podem ser configurados com armazenamento em HD, SSD ou discos híbridos. Os novos OptiPlex Micro trazem ainda um extenso pacote de portas e conexões mais exigidas pelo mercado, como: USB 3.0 (6), saída Display Port, VGA, ethernet gigabit 10/100/1000, saída para áudio e para headset, além de contar com opcionais como rede wireless Intel, saída HDMI, Display Port extra, Serial e PS/2.

OptiPlex 9020 Micro Desktop

Os computadores OptiPlex Micro incluem ainda o Dell Backup and Recovery, para recuperação e backup de dados. Os equipamentos podem contar também com soluções avançadas, como o Dell KACE, sistema de gerenciamento automatizado que reduz o tempo e o custo de administração dos equipamentos no ambiente de TI corporativo.

O lançamento oferece ainda opções de serviços diferenciados, como o Dell ProSupport, que inclui suporte 24×7 (24 horas por dia, 7 dias por semana), realizado por técnicos certificados da Dell.

Especificações técnicas:

OptiPlex Micro 3020
· Computador com chassi micro e opções com Windows 7 e Windows 8.1 (Standard e Pro)
· Opções de processadores de 4ª Geração Intel Core i3 até Core i5, Pentium Dual Core}
· Opções de placa de vídeo integrada Intel HD (suporta até 2 monitores)
· Memória RAM de até 16GB DDR3
· Armazenamento de até 1TB em disco rígido, com opções SATA, SSD e híbrido
· Portas USB 3.0 (2) e USB 2.0 (4), saída de áudio (1), saída VGA (1), porta RJ-45 (1), serial + PS/2 opcional e entrada para headset
· Dimensões: Altura: 18,2 cm / Largura: 3,6 cm / Profundidade: 17,6 mm; Peso: a partir de 1,28 kg
· Oferta de Serviços profissionais e garantia ProSupport com atendimento dedicado 24×7

OptiPlex Micro 9020
· Computador com chassi micro e opções com Windows 7 e Windows 8.1 (Standard e Pro)
· Opções de processadores de 4ª Geração Intel Core i3 até Core i7 e Pentium Dual Core
· Opções de placa de vídeo integrada Intel HD (suporta até 3 monitores)
· Memória RAM de até 16GB DDR3
· Armazenamento de até 2TB em disco rígido, com opções SSD e híbrido
· Portas USB 3.0 (6), saída de áudio (1), saída VGA (1), porta RJ-45 (1), serial + PS/2 ou HDMI ou Display Port opcional e entrada para headset
· Dimensões: Altura: 18,2 cm / Largura: 3,6 cm / Profundidade: 17,6 mm; Peso: a partir de 1,28 kg
· Oferta de Serviços profissionais e garantia ProSupport com atendimento dedicado 24×7

OptiPlex 9020 Micro Desktop

Via assessoria de imprensa (Dell)

Gabinete Xtrike V9 da Handytech visa agradar gamers e usuários de desktops robustos

by

232144_430923_gabinete_xtrike_v9_frontal

A Handytech lança no Brasil o gabinete Xtrike V9, que tem como objetivo alcançar os usuários que querem montar um computador com muitos recursos, ou os gamers que buscam um aspecto diferenciado nos seus desktops.

O V9 possui design arrojado e futurista, além de oferecer amplo espaço para a instalação das unidades de disco e placas de expansão, uma vez que traz sistema de montagem que dispensa o uso de ferramentas. Uma janela de acrílico lateral permite a visualização dos elementos instalados no gabinete.

O gabinete da Xtrike traz controlador automático dos fans, contribuindo para ter um computador mais silencioso. Ele também suporta sistema watercooling, caso o usuário queira utilizar um sistema de resfriamento líquido, garantindo mais resfriamento para o PC. O V9 comporta até sete fans (três são pré-instalados), dois na parte frontal e um na parte traseira. Os demais espaços estão reservados na área superior, inferior e na lateral.

A torre possui duas baias de 5,25″, três de 3,5″, uma de 2,5″ e sete slots de expansão, espaço de sobra para acomodar todos os recursos de hardware e multimídia para máquinas high end. Oferece também baia externa para HD/SSD de 3,5″ e 2,5″. Estão disponíveis uma porta USB 3.0 e duas 2.0, conectores para microfone, áudio, botões liga/desliga e reset, além de painel frontal removível em duas cores diferentes para dar mais estilo ao computador.

Disponível na cor preta com detalhes frontais em verde, o gabinete Xtrike V9 da Handytech tem preço sugerido de R$ 280.

232144_430918_xtrike_v9_interna 232144_430920_xtrike_v9_superior 232144_430916_xtrike_v9_lateral

Via assessoria de imprensa (Handytech)

IDC: vendas de PCs seguiram em queda no mês de maio

by

650_1000_dell-inspiron-3000-1

A IDC Brasil informa em seu relatório mensal que o mercado brasileiro de PCs encerrou o mês de maio com uma queda de 30% nas vendas em relação ao mesmo período de 2013. Comparado com o mês anterior, a queda foi de 10%. Em maio de 2014, foram vendidas 787 mil unidades.

O estudo “IDC Brazil Montly PC Tracker” aponta como principal causa para essa queda vertiginosa o foco dos varejistas brasileiros para a venda de TVs em um mês que antecedeu a Copa do Mundo. Porém, esse não foi o único motivo para a queda: a retração nesse ano foi maior também por conta do período de eleições presidenciais, onde historicamente as médias e grandes empresas fazem investimentos menores, aguardando as estratégias e políticas do próximo governo para decidir sobre o investimento em diversos segmentos, incluindo a compra de equipamentos.

Além das eleições – e a possibilidade de troca de governo -, o ano de 2014 deve registrar mais uma forte queda na venda de PCs também por conta do ritmo mais lento da economia, da inflação – que volta a fazer parte do cotidiano do brasileiro – e da já conhecida canibalização que o mercado de PCs sofre pelas vendas de tablets e smartphones.

image005 image007

Via assessoria de imprensa (IDC Brasil)

Três números que mostram que os PCs estão voltando a crescer em vendas

by

hp-recline-pc-6

O mercado de PCs não deixou muito boas impressões no ano de 2013. Os números de vendas registraram queda de 10% e os movimentos de mercado reafirmaram em uma era pós PC, que mesmo sem saber muito bem onde vai parar, já sabemos que está em processo de consolidação.

A Microsoft já deixa claro que aposta forte no conceito do Surface, e todas as principais marcas do mercado buscam o seu espaço nesse sentido. Mas quase finalizada a primeira metade de 2014, três números mostram que a era dos PCs está em recuperação – pelo menos nas vendas -, e que isso deve acontecer por mais algum tempo.

10 bilhões de euros

650_1000_intel-core-logos

A Intel apresentou recentemente os resultados financeiros correspondentes ao segundo trimestre de 2014, e os dados foram mais positivos do que o esperado. As vendas dos norte-americanos subiram até alcançar a marca de 10 bilhões de euros. O fim do ciclo do Windows XP resultou em um aumento nas trocas de equipamentos, e as expectativas para 2014 são de crescimento de vendas de chips, algo que não acontecia desde 2011.

10% de crescimento

650_1000_screen-shot-2014-06-16-at-2-02-12-pm

Esse foi o número apresentado nos resultados do último trimestre de vendas da HP. Eles confirmaram que recuperaram as vendas em relação ao ano passado em 10% no âmbito dos equipamentos pessoais, e suas previsões para 2014 são de estabilização do segmento, especialmente ajudado pelo mercado profissional.

12 meses de margem

A consultoria Moody’s dá uma margem de tempo entre 12 e 18 meses para ver uma continuação da renovação dos equipamentos no mercado profissional, com maior lucro para as empresas.

Essa tendência foi observada também na Lenovo, que já antecipou que o mercado de PCs não estava mais registrando quedas, e que isso se corroborou nos últimos resultados da empresa chinesa, com aumento nas vendas de portáteis de 16% em relação ao ano passado, e 14% de aumento nas vendas de desktops.

Só o tempo vai dizer se essa tendência de crescimento se confirma. Particularmente, fico na torcida para que isso aconteça.

O fim da era dos PCs está cada vez mais próximo?

by

asuscomputex07

Mais notícias para aqueles que se preocupam com a iminente morte da computação pessoal tradicional. Segundo um estudo publicado pela IDC, os envios de PCs em todo o planeta sofreram uma queda de 6% em 2014, repetindo uma queda contínua do segmento (9.8% em 2013).

As quedas ocorrem em um momento onde os consumidores estão comprando mais e mais dispositivos móveis, como tablets e smartphones. De fato, um em cada cinco pessoas do planeta possui hoje um smartphone, de acordo com a BI Intelligente, serviço de pesquisas do site Business Insider.

Ainda que já se fale muito da “era pós-PC”, o presidente executivo da Microsoft, Satya Nadella, declarou na semana passada que já estamos vivendo uma era “pós-pós-PC”, o que indica que a era da grande maioria dos usuários utilizarem computadores tradicionais (desktops e notebooks) está mesmo chegando ao fim.

A IDC alcançou os números finais previamente citados depois de analisar o número de envios de PCs das fábricas para as lojas, e não das lojas para os clientes. A empresa calcula que foram enviados 296.3 milhões de computadores pessoais em 2014, o que significa uma queda desde o ano passado, quando foram enviados 315.1 milhões de PCs.

Mais: para 2018, esse número deve cair para estimados 287.3 milhões de unidades, de acordo com as previsões da IDC.

Via CNET, Business Insider

IDC: vendas de PCs no Brasil apresentaram a pior queda dos últimos anos em março de 2014

by

Sony VAIO Fit SVF15213CBB-02

Mais um capítulo do mais que evidente declínio do mercado nacional de PCs. Segundo o IDC, o mês de março de 2014 se encerrou com uma queda de vendas de 37% em relação ao mesmo período em 2013. Mesmo crescendo 16% em relação ao mês anterior, o cenário é negativo, já que o mês de março é um daqueles que tradicionalmente concentravam um grande volume de vendas, e nesse ano, isso não aconteceu.

O estudo IDC Brazil Montlhy PC Tracker revela que, após um fraco começo de ano nas vendas, previa-se uma boa recuperação no mês de março. Porém, o que se viu foi um volume de vendas modesto, com apenas 915 mil unidades comercializadas (entre desktops e notebooks).

“Embora não tão acentuada, já era esperada uma queda nas vendas de computadores no primeiro trimestre. Historicamente, em anos de Copa do Mundo, o segmento varejista volta suas atenções para as vendas de TVs. Considerando ainda as vendas de outros dispositivos como tablets e smartphones e o cenário econômico modesto, o mercado de PCs sofreu um grande impacto”, afirma Pedro Hagge, analista de mercado da IDC Brasil.

Via assessoria de imprensa

Aplicativos universais passam a fazer parte do ecossistema Windows, convergindo tablets, smartphones e PCs

by

650_1000_apps-universales-windows

A Microsoft demonstrou pela primeira vez na BUILD 2014 como vai funcionar a convergência entre smartphones, tablets e PCs no ecossistema Windows. O Universal Windows Apps são aplicativos que se adaptarão tando a arquitetura de hardware como ao tipo de tela que utilizamos nos dispositivos que serão executados.

A ideia aqui é simples: um mesmo aplicativo é capaz de se ajustar às dimensões de todos os elementos visuais para apresentar a melhor experiência possível, independente do tipo de dispositivo utilizado. Apesar de não se tratar de uma fusão completa do Windows Phone com o Windows RT ou Windows 8.1, o fato é que a aproximação das APIs e ferramentas de desenvolvimento para essas plataformas se tornou algo muito mais claro e prático.

Essa experiência unificada é algo que muitos esperavam, e já era planejado pela Microsoft a algum tempo. Esse novo conceito começa a ser oferecido a partir de agora, com uma Windows Store que servirá de reforço para distribuir os tais aplicativos universais.

650_1000_apps-universales-windows-3

O desktop só segue sobrevivendo no mercado se passar a ser como esse mod-PC

by

lian-li-dk01-desk-pc-case

O mercado de PCs está em crise. A plataforma que foi a predominante para a informática de consumo por anos agora recebe duros golpes por todos os lados, até mesmo empresas como Intel e Microsoft estão olhando para outros, mercados, vendo o declínio das vendas dos computadores tradicionais.

Porém, perder o seu posto como plataforma predominante não quer dizer que ela precisa morrer. O computador tradicional seguirá como peça fundamental para a produtividade, especialmente em centros de desenvolvimento, escritórios, indústria de design, produção e edição de vídeo e áudio, videogames e, no meu caso em especial, blogueiros.

Uma comunidade gamer está especialmente orgulhosa dos seus computadores tradicionais. E como não ficar, uma vez que eles conseguem resultados fantásticos como esse mod-PC que você vê nas fotos desse post? Se os próximos PCs forem desse jeito, ainda há esperança para os tradicionais desktops.

lian-li-dk01-desk-pc-case-2 lian-li-dk01-desk-pc-case-3 lian-li-dk01-desk-pc-case-4 lian-li-dk01-desk-pc-case-5

Via Gizmologia

Usuários da Itália, EUA e Reino Unido já passam mais tempo usando o smartphone do que o computador

by

SmartBand_SWR10_XperiaZ1_PIU_12_rev2

Faz tempo que essa tendência já era um fato, mas só agora recebemos uma confirmação oficial. Segundo um minucioso estudo realizado pela Nielsen nos principais mercados de telefonia móvel, os smartphones derrotaram os computadores pessoais no quesito tempo de uso.

Mercados como Itália, Reino Unido e Estados Unidos registram índices de utilização dos dispositivos móveis mais altos do que desktops, notebooks e derivados. Em alguns casos, a diferença é muito grande. Por exemplo, os italianos passam em média 37 horas por mês diante dos seus dispositivos, contra 18 horas na frente de computadores.

As redes sociais são as principais responsáveis por essa mudança. Os usuários dedicam um quarto do seu tempo no Facebook, Twitter e derivados. É certo que cada mercado possui a sua peculiaridade, mas o estudo é muito significativo, e aponta uma clara mudança de tendências.

A seguir, um quadro que resume o estudo em números.

nielsen-online-usage-december-2013

Gartner: vendas de PCs caem 6,9% no último trimestre de 2013 (mas existe uma luz no fim do túnel)

by

gartner

A indústria da informática acaba de receber uma má notícia, e uma notícia… menos ruim, por assim dizer. A má notícia é que as vendas globais de computadores registraram um descenso de 6.9% durante o quarto trimestre de 2013. Essa é a queda mais acentuada até agora. Ah, a notícia “menos ruim”? Nem tudo está perdido.

A Gartner publicou o seu relatório trimestral de vendas de computadores, que mostra um movimento de 82.6 milhões de unidades vendidas durante os últimos 3 meses do ano passado. Lenovo e HP são as empresas com o maior número de equipamentos distribuídos, e as únicas companhias dentro do grupo de top 5 a registrar um crescimento de vendas foram Lenovo e Dell (na terceira posição), enquanto que as demais registraram quedas nos envios, principalmente a ASUS, com -19% em relação ao ano passado.

Ainda segundo a Gartner, grande parte da responsabilidade por essa queda nas vendas cai nas costas dos mercados emergentes da região Ásia-Pacífico, onde os tablets e smartphones estão se transformando no primeiro dispositivo de tecnologia para um grande número de consumidores.

Fato é que: o PC não é mais a ferramenta favorita para navegar na internet e se comunicar com o resto do mundo para a maioria das pessoas. Hoje, os dispositivos móveis são a primeira escolha, por diversos motivos: são mais atraentes, são portáteis, e principalmente, mais baratos.

Por outro lado, parece que o momento de quedas nas vendas de PCs está chegando ao fim. O sempre importante mercado norte-americano permanece estável depois de um longo período de quedas, o que dá a perspectiva que ao menos os laptops de baixo custo e novas propostas de produtos, como os equipamentos conversíveis, dinamizariam o mercado, impulsionando as vendas ao longo de 2014.

Veremos o que os números de vendas do primeiro trimestre de 2014 vão indicar.

ventas

Via Gartner