Arquivo para a tag: módulos

A modularidade do Moto Z não será nada barata

by

Moto-Z-2016-04

O Moto Z é uma das grandes apostas no segmento de modularidade, por conta de sua capacidade de expansão. Porém, os preços desses módulos não foram anunciados na Lenovo Tech World 2016. Agora, os primeiros dados da Verizon mostram quanto vai custar essa brincadeira.

De acordo com os dados da operadora norte-americana, os acessórios Moto Mods não sairão baratos, e mesmo sendo muito atraentes, seus preços são quase proibitivos. Os valores em dólares indicados no aplicativo My Verizon foram detectados por alguns usuários, e deixam claro que os melhores itens terão um custo elevado para a maioria dos usuários:

Insta-Share Projector: US$ 299
JBL SoundBoost: US$ 79,99
TUMI Power Pack: US$ 89
TUMI Wireless Charging Power Pack: US$ 99
Kate Spade shell: US$ 79

O que mais chama a atenção é o caso do micro-projetor, que surpreendeu durante a sua apresentação por ser uma interessante opção para os usuários, Porém, conta com uma bateria de 1.100 mAh, resolução de 854 x 480 pixels e brilho de 50 lúmens. Existem micro-projetores no mercado com bateria de 5.000 mAh, projeção de 1080p e brilho de 100 lúmens por preços similares ou inferiores.

O mesmo ocorre com os packs de bateria extra, algo que fará com que muitos avaliem outras opções “não nativas” para dotar o Moto Z com essas capacidades. Detalhe: os valores estão em dólares. Com certeza quando forem convertidos para reais (e com o “fator Brasil”) as notícias serão ainda piores.

Via Phandroid

Toshiba apresenta módulos de câmera para o Project Ara

by

650_1000_toshibamodules

Na próxima Mobile World Congress de Barcelona, veremos várias novidades sobre o Project Ara, smartphone modular da Google. Não sabemos se ele aparecerá de forma oficial, mas muitos fabricantes de módulos apresentarão protótipos e conceitos. Uma das fabricantes que apostam no projeto é a Toshiba, que mostram os seus módulos para câmeras.

A Toshiba apresentou alguns desses módulos na Modular Phones Forum. Não são produtos finais, mas ao menos sabemos que teremos versões com 5 e 13 megapixels, além de um módulo de 2 megapixels para a câmera frontal.

Nessa primeira fase, vemos câmeras básicas e funcionais, que passarão por mais três fases de desenvolvimento, que será concluído em 2016. O vídeo abaixo mostra o módulo de 5 megapixels em funcionamento.

A câmera é um dos módulos considerados essenciais, que fazem todo sentido em um smartphone para a maioria dos usuários. Mas o verdadeiro interesse da plataforma parece estar nos módulos especiais, com funcionalidades não habituais, mas muito úteis em casos específicos.

Mais fotos dos módulos da Toshiba a seguir.

650_1000_projectaracamera devplan 5mp 13mp

Via PetaPixel

Módulos do Project Ara serão vistos na Mobile World Congress 2015

by

650_1000_project-ara-is-coming-to-mwc-next-month

A Google vai levar o seu Project Ara para a Mobile World Congress 2015, e alguns dos seus parceiros no projeto, responsável pelos módulos para o telefone, devem fazer o mesmo.

Aproximadamente 50 módulos diferentes poderão ser vistos no evento. Provavelmente a maioria deles ainda em formato conceitual, alguns deles em modo funcional, e todos devem indicar o caminho que deve seguir o telefone modular.

Para o consumidor médio, será um smartphone que permite a configuração e troca de partes elementares, como memória, bateria e tela. Mas a grande revolução do Project Ara é poder contar com módulos especiais, com funcionalidades não habituais nos smartphones, mas muito úteis em casos muito específicos.

650_1000_project-ara-is-coming-to-mwc-next-month_(1)

A Toshiba é uma das empresas envolvidas. Anunciou recentemente um acordo com a Gujarat Chipmaker Einfochips para produzir seus módulos, com preços que variam entre US$ 50 e US$ 500. Eles teriam dois smartphones base construídios (Spiral One e Spiral Two), e um terceiro em desenvolvimento (Spiral Three), que seria apresentado em breve. Todos podem se tornar produtos compráveis pelo consumidor final, ou pelo menos acessíveis para os desenvolvedores.

O Project Ara também abre portas para novas empresas. Nomes como Vestigen, Innolux, Sennheiser ou Lapka apostam no conceito, além de oferecer espaço para empresas menores, como a Yezz, que tem destaque nos Estados Unidos.

650_1000_yezz-module-plans

A Yezz também vai mostrar seus protótipos de módulos na MWC 2015. Se eles serão uma realidade (ou não) é outra história, mas eles contam com pelo menos 100 módulos confeccionados nas suas fábricas dos Estados Unidos e China, prontos para serem apresentados.

Via CNETSTJS Gadgets Portal

Vestigen prepara módulos para o Project Ara que analisam sangue e água

by

650_1000_background

A Vestigen tem a intenção de criar módulos para o smartphone modular Project Ara que serão capazes de reconhecer e analisar o sangue de um paciente, para identificar o nível de açúcar no mesmo, ou até analisar a água, para determinar se é ou não potável.

O CEO da empresa, Alexander Krisko, apresentou esse e outros projetos relativos ao Project Ara em Cingapura (vídeo a seguir).

Ele disse que a tecnologia empregada nos módulos é própria, o que nos leva a pensar que o projeto da Google não é mero divertimento para alguns, mas que pode se tornar em uma revolução para uma maior qualidade de vida da humanidade.

O custo dos elementos pode ser muito menor do que em dispositivos dedicados, o que devemos unir às possibilidades de comunicação que o smartphone aspira.

650_1000_2-2

Via Vestigen

Conceito propõe reciclar smartphones modulares para criar super computadores

by

puzzlephone-reuse

O pessoal do Circular Devices (conhecidos pelo Puzzlephone) mostrou um simpático conceito que promete aproveitar os componentes velhos dos smartphones modulares, de modo que possamos criar um dispositivo potente e escalável.

Por exemplo, módulos de CPU podem aumentar a capacidade de processamento de um cluster, assim como módulos de memória aumentam a memória do desktop.

Os primeiros esboços se baseiam no formato dos módulos do Puzzlephone, de modo que não seria má ideia ver outros projetos parecidos compatíveis com os módulos do Project Ara ou similares. Infelizmente, por enquanto, temos apenas um conceito, de modo que será difícil ver o produto pronto, ainda mais levando em conta que o Puzzlephone nem existe. Mas ao menos é interessante pensar como seria possível aproveitar os elementos obsoletos.

Ninguém aí que está lendo esse post se anima a fazer algo parecido com os smartphones atuais?

Via The VergePuzzlephone