Arquivo para a tag: micro sim

TargetHD Responde | Troca de chip SIM para micro SIM ou nano sim: como funciona?

by

Nano-Sim

Recebemos mais uma questão na caixa de entrada do blog:

Uma dúvida: quando você fala em adquirir o cartão nano (SIM) da operadora e não recortar o cartão atual, isso quer dizer que não poderei seguir com o número de telefone que possuo atualmente, ou estou enganado? Perdoe a pergunta, mas sou leigo no assunto.

Resposta: 

Antes de qualquer coisa, eu gostei de sua pergunta, e acho que você não é o único que tem essa dúvida. E, sendo bem objetivo… não. Você não perde o número que você já tem na troca do tipo de chip.

Quando recomendo a troca do chip SIM ou micro SIM para um nano SIM, estou recomendando a troca do chip fisicamente. Toda e qualquer operadora é habilitada para transferir a sua linha de um chip para outro (aliás, é direito do cliente). Com tantas diferenças entre os dispositivos, e os fabricantes adotando diferentes padrões de chips, passa a ser razoavelmente comum o usuário fazer a visita até a loja da operadora para trocar o tipo de chip inserido no dispositivo. Logo, para quem se deparar com essa situação, pode sem maiores problemas trocar o chip atual por outro que esteja no formato do seu novo telefone.

O que recomendo é alguns cuidados na hora da troca. Normalmente as operadoras garantem uma troca tranquila e sem traumas. Em uma operadora de qualidade, você já sai da loja com o seu chip ativo, sem maiores problemas. Agora, se a sua operadora já te ferra no dia a dia, fique ressabiado. A mudança pode causar alguns transtornos.

alicate-cortador-iphone-5-nano-chip-sim

Para fugir desses percalços e não depender da burocracia das operadoras, alguns usuários se valem de algumas alternativas. A primeira (e mais eficaz delas) é a compra de um desses alicates cortadores de SIM cards. Eu mesmo tenho um para o formato micro SIM, e funciona perfeitamente. Em mercados alternativos (é só procurar na internet), você já encontra esses cortadores para o formato nano SIM, que é algo menos arriscado e mais seguro.

A segunda alternativa (para quem gosta de viver perigosamente) é cortar o chip “na mão”. Existem alguns esquemas de recorte na internet, que podem ser impressos pelo usuário em casa. Com uma boa dose de paciência e mãos firmes, você pode conseguir deixar o chip no formato que você deseja.

No caso específico do nano SIM card, eu não recomendo o processo de recorte manual. Já falei sobre isso na época do lançamento do iPhone 5, e repito novamente nesse post: não é recomendado o recorte do chip para nano SIM com a mão livre, pois o tamanho do chip de contato do SIM/micro SIM é diferente da área de contato do nano SIM adotado pelas operadoras.

Tudo bem, eu sei que tem gente que conseguiu recortar o chip para nano SIM sem maiores danos. E, se você conseguiu e está lendo esse post, parabéns para você. Porém, você é uma exceção da regra. O post é para a maioria, e é fato que a maioria que tentar vai ter problemas, e o procedimento não é recomendado pelos riscos envolvidos.

Além disso, você já paga caro por um smartphone… o que é gastar R$ 10 (em média) em um novo SIM card?

Novas da Samsung: 5 milhões de unidades vendidas do Galaxy Note II, dual chip do Galaxy Note II e “teste de tortura”

by

Um post cheio de notícias sobre a Samsung. Vamos tentar publicar em um texto só tudo o que foi noticiado nos últimos dias sobre a empresa e seus dispositivos, que são hoje os mais vendidos do mundo. E também alguns dos mais torturados… mas essa parte eu explico mais para frente.

Começando pela notícia lucrativa. A Samsung informou ontem (26) que o recém lançado Galaxy Note II alcançou a marca de 5 milhões de unidades vendidas, em lojas e operadoras. Vale lembrar que a Samsung não baseia as suas estatísticas em unidades vendidas para os usuários finais, mas sim na quantidade de terminais que foram comprados de revendedores credenciais. Logo, acaba sendo impossível a comparação com outras empresas com total exatidão, com outras empresas que calculam o número de unidades que chegaram aos usuários finais.

O Galaxy Note II, com apenas 37 dias de mercado, alcançou a marca de 3 milhões de unidades vendidas, e nos últimos 30 dias, conseguiu os outros dois milhões, para fechar essa conta. Nesse ritmo, deve quebrar com certa facilidade o recorde estabelecido pelo Galaxy Note original, que vendeu 10 milhões de unidades em nove meses.

A Samsung pensa alto. Eles esperam alcançar a marca de 20 milhões de unidades vendidas do Galaxy Note II. Por enquanto, vão indo muito bem.

A segunda novidade da Samsung vem da China, e não sabemos se algum dia vai chegar para esses lados do oceano. No país asiático, foi anunciado oficialmente a versão dual-SIM do Samsung Galaxy Note II. O produto começa a ser vendido por lá a partir do dia 3 de dezembro, e traz como diferencial ser compatível com os padrões GSM e CDMA, além do fato dos slots serem diferentes: um slot SIM, e outro slot Micro SIM.

Nas demais especificações, não há mudanças: uma tela de 5.5 polegadas (720p HD), processador quad-core de 1.6 GHz, 2 GB de RAM, câmera traseira de 8 megapixels, câmera frontal de 2 megapixels, GPS, Bluetooth, entre outros recursos.

Por último, mas não menos importante (aliás, essa aqui deveria ser a notícia mais importante desse post), temos o vídeo que está rodando por todos os principais blogs e sites de tecnologia do Brasil e do mundo. A Samsung decidiu mostrar um vídeo que, segundo a empresa, reproduz os acidentes cotidianos, para testar a resistência de seus produtos, e até para mostrar que suas especificações de durabilidade são mais elevadas que os concorrentes.

Os testes também podem garantir que, até certo ponto, os seus dispositivos podem sobreviver nas mãos da maioria dos usuários e, quem sabe, nas mãos daqueles mais desastrados. Abaixo, o vídeo com o teste (ou tortura… entendam como quiser).

ATENÇÃO! O novo iPhone 5 usará chips nano-SIM. Não tente cortar o seu chip atual! E o 4G não funciona no Brasil! (ATUALIZADO)

by

Tais alertas são necessários, pois sei que tem muita gente que já está pensando em viajar para os Estados Unidos em 21 de setembro para ser um dos primeiros a conseguir o novo iPhone 5. Então, se você é um daqueles que já está comprando a passagem nesse momento, eu peço que pare e pense duas vezes.

Dois pequenos (grandes) problemas foram detectados logo de cara pelos olhares mais atentos na apresentação de hoje (12), realizada pela Apple, que podem atrapalhar a vida dos “early adopters” brasileiros. O primeiro desses problemas é temporário, e está na parte física do iPhone 5. O segundo, só deve ser resolvido depois que o smartphone chegar ao país, e ainda assim, vai demorar, por causa da morosidade das operadoras brasileiras.

Como você bem sabe, o iPhone 5 possui um slot para chips nano-SIM, que foi uma briga da Apple nos últimos meses, que acabou dando resultado. E, como o próprio nome indica, o nano-SIM é menor que o micro-SIM. Menor o suficiente para que os chips micro-SIM NÃO POSSAM SER CORTADOS para os chips nano-SIM, diferente do que fizemos dos chips SIM para os chips micro-SIM.

A imagem acima ilustra bem essa questão. Aquele engraçadinho apressado (também conhecido como “early adopter”) que tentar cortar o seu chip no formato nano-SIM vai simplesmente danificar o seu chip, cortando pedaços da área de contato do chip em si. A empresa Giesecke & Devrient, fabricante dos chips nano-SIM informa que, além do problema do formato do chip ser diferente, ele é 15% mais fino do que comparado às duas gerações anteriores, até mesmo para acompanhar a redução de espessura do novo iPhone. Ou seja, mesmo que você seja um ninja, ou um MacGuyver para cortar o seu micro-SIM exatamente no mesmo formato do nano-SIM, você não vai conseguir encaixar ele na gaveta de chips do iPhone 5, o que torna o seu recém cortado chip um pequeno pedaço de plástico inútil.

A solução nesse caso? Ou compra, e deixa ele na caixa até a sua operadora lançar o chip compatível, ou compra e usa como um iPod Touch de luxo.

O segundo problema para quem pensa em comprar o novo iPhone já nos próximos dias foi levantado pelos amigos do Tecnoblog.

Apesar do iPhone 5 ser um telefone compatível com as redes 4G “da maioria das operadoras do mundo”, essa maioria (e não sei porque isso não me surpreende…) não inclui o Brasil. Explico: o iPhone 5 está disponível em três modelos: dois modelos A1429, para redes GSM e CDMA, e o modelo A1428. Os modelos funcionam com frequências 4G LTE entre 700 e 2100 MHz, e a rede 4G brasileira vai operar em 2600 MHz. Ou seja… seu novo iPhone 5, que você pretende comprar nos Estados Unidos, NÃO VAI FUNCIONAR COM AS REDES 4G NO BRASIL… mesmo porque elas não existem (e, se existissem, não funcionaria do mesmo jeito).

Do jeito que está, não rola. Nesse caso, a solução é bem mais complicada. As alternativas são 1) a Apple lançar mais tarde uma versão do iPhone 5 compatível com o 4G brasileiro (possível, mas pouco provável: possível, pois esse iPhone novo pode ser fabricado no Brasil; pouco provável, pois criar uma linha de produção de uma versão que só seria comercializada aqui seria um desastre, além de encarecer o produto consideravelmente na “terra Brasilis”), ou 2) a Apple lança o modelo A1428, que suporta o LTE de 700 MHz (outro desastre, pois é a frequência que as emissoras de TV analógica usam no Brasil; se isso acontecer, você só vai usar o seu iPhone 5 com 4G quando você for avô, pois o leilão dessas frequências no Brasil só acontece no meio de 2013, e como as emissoras de TV querem adiar a desativação do sinal analógico….).

Só esses dois argumentos já são pontos a se pensar, se não vale a pena você segurar a onda e esperar mais um pouco antes de investir no iPhone 5. Ah, sempre sobra a terceira opção: comprar o novo iPhone 5, e usar com as jurássicas redes 3G/3G+ existentes no nosso querido e amado Brasil!

ATUALIZADO em 12/09, 19h58:
segundo o site G1, um dos problemas será resolvido já nesse fim de semana. A Vivo já se manifestou, informando que começa a vender os chips nano-SIM no mercado nacional a partir do próximo sábado, 15 de setembro, pelo mesmo preço que é vendido hoje os chips micro-SIM, R$ 10. Os chips compatíveis com o iPhone 5 serão vendidos em todas as lojas da operadora até o final do mês de setembro.

Isso indica duas coisas: que as operadoras já estão mirando os usuários que vão comprar o smartphone lá fora no ato do seu lançamento, e que o iPhone 5 “não deve estar tão longe de chegar ao Brasil”. Coloco “entre aspas” pois, como a própria Apple disse hoje, ele estará disponível em 100 países até o mês de dezembro. E essa janela pode variar bastante de país para país. Por outro lado, já anima saber que alguma operadora vai comercializar o chip, tornando a vida dos brasileiros mais fácil.

Ou seja, um problema já foi. Se você vai suportar usar o iPhone 5 sem o 4G, vivendo com o 3G/3G+ brasileiro, a decisão é sua.

O Samsung Stratosphere revela os seus detalhes

by

O modelo ainda precisa de confirmação oficial, mas já é de conhecimento geral que a operadora norte-americana Verizon vai lançar em breve um smartphone da Samsung chamado Stratosphere. Esse novo terminal contará com conectividade LTE, um teclado QWERTY slide, uma tela Super AMOLED de 4 polegadas, processador de 1 GHz, 512 MB de RAM, 4 GB de armazenamento interno, 4 GB em cartões microSD, Android 2.3 como sistema operacional, câmera traseira de 5 MP e câmera frontal de 3 MP.

A grande novidade é que este seria o primeiro telefone com LTE e cartão micro SIM da Verizon, que até então só utilizava dispositivos com tecnologia de rede CDMA. Com isso, existe a possibilidade de adquirir o produto para uso fora dos Estados Unidos, já que a Verizon (que é sócia da Vodafone) vai usar o padrão LTE das redes GSM em seus aparelhos para as redes móveis de quarta geração.

via Droid-Life

[gadgets] Cut My SIM te mantém na moda, cortando o SIM card de seu celular com facilidade

by

Vários dispositivos mais modernos estão começando a usar cartões Micro SIM, o que faz com que alguns de nós acabamos sendo obrigados a cortar nossos atuais cartões SIM para utilizá-los. O problema é que, se a gente cometer um erro, o cartão fica inutilizável.

Para evitar este tipo de inconvenientes, temos o Cut My SIM, que nos permite ter um SIM pequeno, sem riscos nem complicações, e que caso você deseje usar um SIM de tamanho padrão depois, o pacote inclui um adaptador. Preço: US$ 25.

Fonte