Arquivo para a tag: livraria cultura

Livraria Cultura anuncia data de lançamento e preço do Kobo Aura HD

by

A Livraria Cultura anunciou de forma oficial (via assessoria de imprensa) a data de lançamento e o preço sugerido do seu novo eReader, o Kobo Aura HD. O modelo, que conta com tela de 6.8 polegadas e tecnologia E-Ink (1440 x 1080 pixels, 265 dpi), já está em modo de pré-venda no site da Livraria Cultura, com início dos envios marcado para o dia 15 de julho. O dispositivo tem preço sugerido de R$ 599.

O Kobo Aura HD conta com um processador de 1 GHz, e sua interface possui o recurso TypeGenius, que oferece até 10 estilos diferentes de fonte, que podem ser exibidas em 24 tamanhos diferentes, além de configurações adicionais para uma melhor experiência de leitura. O eReader conta também com 4 GB de armazenamento interno (expansível via slot para cartões microSD de até 32 GB).

Mas o Kobo Aura HD se destaca especialmente pela sua tela, que promete uma leitura nítida e clara em locais abertos, além do recurso Comfort Light, que possibilita a leitura dos conteúdos exibidos em diferentes condições de iluminação. Outro destaque do modelo é o recurso Reading Life, que oferece uma experiência social, permitindo que o usuário acompanhe o histórico de textos lidos pelos amigos, além de oferecer medalhas e estatísticas sobre os seus hábitos de leitura, compartilhando essas informações para outros leitores no Facebook e no Twitter.

Todos os eReaders da família Kobo têm tecnologia E Ink e tela touchscreen, além de contarem com a compatibilidade com textos nos idiomas em português, inglês, francês, holandês, alemão, espanhol, italiano e japonês.

Repetindo: no Brasil, o Kobo Aura HD começa a ser enviado para os consumidores no dia 15 de julho, e o seu preço sugerido é de R$ 599.

Ficha técnica do Kobo Aura HD

Cores: café, preto e marfim
Tamanho: 175.7 x 128.3 x 11.7 mm
Espessura: 10 mm
Tela: 6.8 polegadas
Peso: 240g
Processador: 1GHZ
Armazenamento: 4 GB (até 3000 eBooks)
Cartão SD: até 32GB
Conectividade: USB e Wi Fi
Bateria: 2 mês (*)
Comfort Light:
Formatos de leitura: – EPUB, PDF e MOBI – Imagens – JPEG, GIF, PNG, e TIFF – Texto – TXT, HTML, XHTML, e RTF – Quadrinhos – CBZ e CBR
Fontes: 10 estilos de fontes e 24 tamanhos de corpo
(*) Depende do uso

Duas novas versões do e-reader Kobo são anunciadas para o Brasil, pela Livraria Cultura

by

A Livraria Cultura decidiu apostar mesmo no mercado de livros eletrônicos, e não quer perder tempo diante de um adversário tão poderoso quanto a Amazon. Não chegamos na metade do mês de janeiro, e a empresa divulgou hoje (14) que a partir de amanhã (15) já estarão disponíveis no mercado brasileiro duas novas versões do e-reader Kobo, nos modelos Kobo Mini (foto acima) e Kobo Glo.

O Kobo Mini, como o próprio nome indica, é uma versão reduzida do Kobo Touch, que está no mercado brasileiro desde o final de 2012, e tem uma tela de 5 polegadas (apenas 1 polegada a menos que a versão Touch), além de ser um modelo um pouco mais barato, com preço sugerido de R$ 289. Disponível em duas opções de cores (branco e preto), o modelo pode ser considerado um adversário mais direto no quesito preço ao Kindle da Amazon (que custa R$ 299).

Já o Kobo Glo (foto acima) tem como principal diferencial contar com um sistema integrado de iluminação, para auxiliar a leitura em ambientes escuros. Sua tela é de 6 polegadas, e estará disponível nas opções de cores preto e cinza, vermelho e preto e azul. Seu preço sugerido é de R$ 449.

Nos dois novos modelos a tecnologia e-ink está presente. Tanto o Kobo Mini quanto o Kobo Glo contam com telas sensíveis ao toque e capacidade de 2 GB de armazenamento. Um importante diferencial entre os dois modelos é que o Glo ainda conta com um slot para cartões SD de até 32 GB. Para quem comprar o dispositivo da Livraria Cultura, terá acesso a um acervo de aproximadamente 1 milhão de livros, mas com apenas 12 mil títulos em português.

Via Olhar Digital

Conheça um pouco melhor o Kobo Touch, o e-reader da Livraria Cultura

by

Nessa semana (19), o Kindle, o leitor digital da Amazon, chegou ao mercado brasileiro. Mas ele não é a única novidade a desembarcar no Brasil no segmento de leitores de livros eletrônicos. No começo de dezembro, a Livraria Cultura trouxe ao Brasil o Kobo Touch, que é mais uma alternativa para um mercado em expansão. Nesse post, vamos mostrar o produto com um pouco mais de detalhes.

O Kobo Touch é fruto de uma parceria entre a fabricante e a editora brasileira, e chega com a premissa que o usuário seja dono dos seus livros, garantindo uma maior liberdade de escolha. Na prática, os livros comprados pelo usuário na Livraria Cultura ficam com o usuário, mesmo que no futuro ele migre para uma plataforma diferente (como o Kindle), ou que use outro equipamento. Esse conceito está diretamente alinhado com a tendência de portabilidade, que todo usuário de gadgets possui.

O Kobo também conta com o Reading Life, que permite ao usuário acompanhar o histórico de textos lidos, ganhando medalhas de acordo com as atividades realizadas no dispositivo. Através da tecnologia Pusle, o Kobo permite a interatividade direta com a leitura, obtendo estatísticas e dados adicionais, como quantos livros foram lidos pelo usuário, quantas páginas foram viradas, controle da velocidade de leitura, entre outras estatísticas.

Ao abrir o livro no device, o leitor tem a possibilidade de compartilhar nas redes sociais parte do conteúdo e também suas passagens favoritas. Essa é uma evolução na forma de montar seu próprio clube do livro, interagindo com outros leitores no Facebook e Twitter.

Sua tela possui tecnologia e-ink, não contando com reflexos e com um resultado final que se assemelha com um o resultado final de texto visto em um papel.

O preço do Kobo no Brasil é de R$ 399, podendo ser parcelado em até 5 vezes sem juros em todas as unidades da Livraria Cultura, ou pela página oficial da Livraria Cultura na internet.

Especificações: Kobo e-reader

  • Cores: preta e branca
  • Cor de fundo: preto, prata, lilás, azul e branco
  • Tamanho: 114mm X 165mm
  • Espessura: 10 mm
  • Peso: 185g
  • Memória: 2GB (*)
  • Expansão de memória: Cartão de Memória SD de 32 GB
  • Conectividade: USB e Wi Fi
  • Bateria: 1 mês (**)
  • Formatos de leitura: Livros: EPUB, PDF e MOBI / Documentos: PDF / Imagens: JPEG, GIF, PNG, BMP e TIFF / Texto:  TXT, HTML e RTF / Comics: CBZ e CBR
  • Fontes: 7 estilos de fontes e 24 tamanhos de corpo


(*) 1 GB comporta mil títulos
(**) Depende do uso

Livraria Cultura fecha parceria com a Kobo, para lançar leitor eletrônico no Brasil mais barato que o Kindle

by

A Livraria Cultura vai mesmo entrar na briga do mercado nacional de livros eletrônicos no Brasil. A empresa anunciou ontem (13) uma parceria com a fabricante canadense de eReaders Kobo, para oferecer novos dispositivos compatíveis com os livros eletrônicos, assim como novos títulos para aumentar o acervo compatível com os leitores eletrônicos.

A ideia é vender no Brasil pelo menos quatro modelos de eReader da Kobo. Um desses dispositivos seria um tablet com sistema operacional Android, o que seria uma opção mais completa que os eReaders propostos, para quem deseja uma experiência de uso mais completa, como por exemplo, a visualização de vídeos, navegação na internet, e execução de jogos simples. O primeiro modelo a chegar no Brasil será o Kobo Touch, que deve ser lançado no final do mês de outubro. Os preços em território nacional não foram revelados, mas a Livraria Cultura promete ser agressiva no valor dos dispositivos. Lá fora, o Kobo Touch custa US$ 99. Um Kindle, vendido pelo site da Amazon nos Estados Unidos, custa no Brasil cerca de R$ 450, com todos os impostos pagos.

Ser agressivo nos preços dos produtos tem um motivo. A Livraria Cultura já tem ciência que, nesse mercado, não se obtém lucros na venda de eReaders, e sim, nas vendas dos títulos compatíveis com o produto. A parceria entre a Cultura e a Kobo fará com que o acervo digital para esse produto salte de 330 mil títulos para 3 milhões. A má notícia é que apenas 15 mil títulos desse acervo estão em portiguês.

Por outro lado, os executivos da Cultura acreditam que a parceria deve incentivar as editoras brasileiras a lançarem livros no formato digital, além de oferecer um espaço para que escritores independentes possam publicar as suas obras (esse recurso no Brasil ainda está em fase de planejamento, não estando disponível de imediato). De qualquer forma, é uma opção, é uma alternativa, e ter alternativas é sempre algo muito bom. Ficamos na torcida para que ao menos dê certo. Se vai derrotar a Amazon, não sabemos. Mas que ao menos aqueça o mercado de eReaders e livros digitais no Brasil. Isso já seria uma grande coisa.

Valeu pela dica, @sirofa!

Via Estadão