Arquivo para a tag: honeycomb

As distribuições Android: KitKat em alta, Jelly Bean em baixa

by

androidkitkatlogoaam

Como acontece a cada mês, chegou a hora de conhecer a quantas andam a distribuição das versões do sistema Android, de acordo com dados coletados pela própria Google. Na análise fechada no começo de maio, foi registrado um sólido aumento do Android 4.4.x KitKat, que passou de 5.3% para 8.5% na cota de mercado.

Interpretamos esse aumento da última versão como um efeito diretamente relacionado a queda do Android 4.1/4.2/4.3 Jelly Bean, que tem uma vantagem ligeiramente menor (de 61.4% para 60.8%). As demais versões mais antigas (Gingerbread, Froyo, Honeycomb, Ice Cream Sandwich), seguem vivas, mas perdendo terreno lentamente.

2

Os dados foram recolhidos a partir das visitas na Google Play nos últimos sete dias, antes do dia 1 de maio. Sobre a próxima versão do Andoid – supostamente a 4.5 – pouco sabemos. De fato, se especula que ela não será apresentada na Google I/O, e só chegaria ao mundo uma vez depois.

Se você quer conhecer melhor a evolução do Android no mês de abril, clique aqui e veja os dados completos.

2-3

Android KitKat dobra a sua presença entre os dispositivos ativos; Gingerbread continua saindo de cena

by

androidkitkatlogoaam

Assim como acontece a cada mês, a Google divulgou os dados sobre a distribuição das versões Android no mercado (ou popularmente conhecido como “processo de fragmentação do Android”, com a esperança de ver como as últimas atualizações do sistema começam a dominar a situação.

O último relatório também mostra que um maior número de usuários passam a contar com a última versão do Android. A versão 4.4 KitKat dobrou os seus números de participação de mercado, chegando a 5.3% de cota, contra 2.5% registrados na medição feita no mês passado. O crescimento está relacionado com as elevadas vendas de modelos como Samsung Galaxy Note 3, Galaxy S4, HTC One e Motorola Moto G.

datos-abril-2014

Outro dado que chama a atenção está relacionado com a imortal versão Android 2.3 Gingerbread. Essa versão finalmente deixou de ser a segunda mais utilizada, passando a contar com 17.8% da cota de mercado Android. O Gingerbread foi finalmente superado pela versão Android 4.2 Jelly Bean, que conta agora com 18.1%.

A quarta colocada no ranking Android é a versão 4.0 Ice Cream Sandwich, com 14.3% (antes eram 15.2%). O que mais chama a atenção é que a quinta versão é a Android 4.3 Jelly Bean, que registrou uma queda nos seus números, provavelmente pelo fato que a maioria dos dispositivos que hoje contam com a versão 4.4 foram atualizados a partir da versão 4.3.

Na lanterna, ainda temos as insistentes versões 2.2 Froyo, com 1.1%, e o Android 3.2 Honeycomb, com 0.1%.

datos-abril-2014-tabla

É sempre bom lembrar que as estatísticas são recolhidas a partir do acesso dos dispositivos Android na Google Play, e que esse último estudo corresponde ao período de coleta da dados do mês de março, com a janela se encerrando em 1 de abril.

Via Android Developers

Jelly Bean supera os 50% de cota de mercado Android

by

android-mercado

Demorou, mas aconteceu. Finalmente a versão Jelly Bean do Android tem mais de 50% do mercado do sistema operacional da Google.

A gigante de Mountain View publicou as últimas estatísticas de usuários ativos, logo após anunciar o lançamento oficial da nova versão do sistema operacional (Android 4.4 KitKat), e o gráfico de distribuição das versões mostra que os dispositivos em uso com as ROMs baseadas nas versões 4.1.x, 4.2.x e 4.3 já superam mais da metade do total, com uma cota de 52.1%. A segunda versão mais popular segue sendo a 2.3.x Ginerbread, que ainda possui respeitáveis 26.3%, mas cada vez mais possui menos espaço no mundo mobile.

Por outro lado, o Gingerbread aparece para nos lembrar que ainda existe um bocado de smartphones e tablets “antigos” no mercado. Resta saber se esses dispositivos morrerão no Gingerbread, ou se alguns deles ganharão uma sobrevida com o Android KitKat (uma vez que a Google promete que o sistema pode ser funcional em dispositivos com baixas especificações de hardware).

A terceira posição segue com a versão Ice Cream Sandwich, que perde mais e mais força, representando 19.8% dos dispositivos que acessaram a Google Play na última semana.

E, para a perplexidade de muitos, a versão Froyo ainda segue viva, com apenas 1.7% dos usuários que acessam a loja de apps da Google. Muito provavelmente, esses usuários são aqueles que não querem abandonar o seu Motorola Milestone.

Também existem dispositivos com versões do Android mais antigas que o Froyo, mas a Google não inclui a sua porcentagem no relatório, uma vez que tais versões perderam a capacidade de acessar a loja de aplicativos, por evidentes questões de incompatibilidade. Além disso, esse relatório é voltado especialmente para os desenvolvedores, que não pensa mais nas versões antigas do Android na hora de desenvolver os seus aplicativos.

Via developer.android.com

Jelly Bean próximo de alcançar os 50% de todos os dispositivos Android

by

android-september-2013

De uma forma estranha (mas da sua maneira), a Google vai derrotando o monstro que eles mesmos criaram, chamado Android Gingerbread. Com o Android 4.4 KitKat prestes a ser lançado, o último relatório mensal que mostra o nível de penetração das versões do sistema operacional entre os dispositivos mostra que o Android Jelly Bean se consolidou na liderança, e já está presente em quase a metade de todos os dispositivos Android ativos no planeta.

Para ser mais preciso, o Android Jelly Bean (4.1.x, 4.2.x e 4.3) está presente em 48.6% de todos os dispositivos ativos no final do mês de setembro. Porém, a versão mais recente – a 4.3 – está presente em apenas 1.5% dos dispositivos. Ou seja, a Google não consegue mesmo resolver o problema da fragmentação do Android, não importa o que aconteça. Sim, pois enquanto que nas demais versões a culpa recai sobre os fabricantes (que não querem atualizar dispositivos que já estão com algum tempo no mercado), nesse caso, o Android 4.3 ficou por meses exclusivo nos dispositivos da linha Nexus, e só agora os demais fabricantes começam a receber o novo software.

E isso, porque o Android 4.4 KitKat tem tudo para ser lançado ainda nesse mês de outubro. Logo, esse quadro de fragmentação ainda vai piorar.

Falando das demais versões, a 4.0.x Ice Cream Sandwich ainda conta com 20.6% do mercado Android, a Honeycomb sobrevive de forma quase absurda, com apenas 0.1% do mercado, a versão 2.3.x Gingerbread continua sendo uma pedra no sapato da Google, com 28.5%, e de forma mais absurda ainda (mais que a Honeycomb com certeza), a versão 2.2 Froyo ainda conta com 2.2% dos dispositivos ativos do mercado. E esse último tem um culpado: os fabricantes “alternativos”, que lançam os smartphones Android “xing-ling”, com um hardware de baixa qualidade, e com um sistema defasado para dar conta de tudo.

E eu inicio a campanha “por um mundo sem Android Froyo e Android Honeycomb, pelo menos” (se eu pudesse, o Gingerbread também desaparecia rapidinho, mas essa é uma missão praticamente impossível a essa altura do campeonato).

Via developer.android.com

Samsung pode atualizar o Galaxy Note 10.1 por dentro e por fora

by

A aparência e a proposta do Galaxy Note 10.1 não te convence? Então, nem tudo está perdido para você, pois a Samsung pode estar preparando um modelo completamente redesenhado do dispositivo, por dentro e por fora.

Em um evento da empresa na Alemanha foi possível ver uma misteriosa versão do tablet, muito mais fina e com um modelo diferente de S-Pen, também mais fina do que o modelo visto na Mobile World Congress. Mas se essas mudanças são poucas para você, alguns rumores indicam que a Samsung pode deixar de lado o seu processador de dois núcleos para adotar o novo Exynos de quatro núcleos.

Obviamente, a Samsung não fala nada sobre o assunto. Mas vale esperar por um anúncio oficial.

Via SlashGear

Review | Motorola Xoom 2 Media Edition

by

Mais um review do blog TargetHD, de mais um produto que está em alta rotação no mercado nacional de tecnologia. A Motorola nos enviou para testes uma unidade do tablet Xoom 2 Media Edition, e durante algumas semanas, testei o produto, e passo aqui minhas impressões sobre o modelo.

Antes de qualquer coisa, é importante ressaltar que recebi para testes a versão Wi-Fi do Xoom 2 Media Edition, mas que já está disponível no mercado a versão Wi-Fi + 3G. Logo, todas as impressões passadas no review a seguir são sobre a versão 3G. Porém, de um modo geral, não existem diferenças tão drásticas entre as duas versões. Fico devendo para vocês apenas o desempenho do produto conectado a uma rede móvel. As demais características seguem intactas.

São muitas as diferenças entre o Motorola Xoom original, e o modelo que estamos vendo hoje, o Media Edition. A primeira está no seu objetivo principal: ser um produto voltado para o entretenimento, para a diversão, e para a reprodução de conteúdos multimídia. Mesmo assim, algumas características denotam que o produto ainda pode ser utilizado por aqueles que buscam alguma produtividade, como redigir e-mails rápidos, ou finalizar apresentações do PowerPoint. Mas o foco aqui é mesmo a diversão.

A segunda grande diferença está no seu formato. Menor e mais compacto que o modelo anterior, o Motorola Xoom 2 Media Edition é de um agarre muito agradável. Obviamente, o produto é mais leve que o modelo anterior, reforçando assim a sua proposta de ser um produto pensado naqueles usuários que vão ficar várias horas com o tablet nas mãos, assistindo vídeos e navegando pela internet. E foi exatamente isso o que aconteceu durante os testes.

Em comparativo com o iPad (primeira geração), a diferença de tamanho e de peso é grande. Isso torna o modelo bem desejável por aqueles que querem um tablet Android, mas que também querem economizar peso e volume na mochila.

Nessa foto, a diferença fica ainda mais evidente (mesmo com o iPad usando um case).

Outra diferença está no seu design. O Xoom 2 Media Edition possui cantos recortados, e não arredondados. Na prática, não tem nenhuma diferença funcional, mas pelo menos possui um design diferente dos demais modelos que estão no mercado. E não cair na mesmice é algo positivo.

Outra característica que merece destaque está no acabamento do produto. Além da tampa metálica traseira, as laterais do Xoom 2 Media Edition possui um revestimento de plástico levemente emborrachado, o que oferece uma maior segurança ao produto, evitando quedas acidentais. De um modo geral, o produto é muito bem acabado, o que é um diferencial importante em relação aos modelos alternativos.

Sua câmera tem uma qualidade de fotos aceitável. Não é melhor do que as câmeras de alguns smartphones (mesmo porque as chances das suas fotos ficarem tremidas se elevam consideravelmente, por ser um tablet), mas pode ser uma mão na roda para blogueiros que estão fazendo coberturas de imprensa ao vivo, e que precisam publicar fotos com textos. Mas não espere resultados profissionais. A câmera é capaz de captar vídeos em HD com boa qualidade, ou qualidade suficiente para que os vídeos sejam enviados para o YouTube com uma qualidade final de reprodução aceitável.

Aqui está um ponto que pode desagradar a alguns usuários. Os botões de controle de volume e de liga/desliga do tablet ficam na parte traseira do produto. No caso dos controles de volume, isso nem chega a ser um problema tão grave no uso diário. Porém, como botão para acionar a tela do tablet, acaba causando um certo incômodo ter que procurar o botão para ativar o produto. Em ambientes escuros, fica realmente complicado ficar buscando esse recurso. Principalmente quando já estamos acostumados a simplesmente acionar a trava dos tablets na parte de cima ou na lateral do produto. Porém, com o tempo, o usuário tende a se acostumar com esse detalhe.

O Motorola Xoom 2 Media Edition utiliza a versão 3.2 (Honeycomb) do Android. Isso pode fazer com que alguns usuários mais exigentes torçam o nariz para o tablet, mas para os usuários casuais, é o suficiente. Seu desempenho é bom, principalmente por causa das suas configurações de hardware (mais especificamente o seu processador dual-core), que torna o seu desempenho bem fluído. Porém, fica aquele desejo e curiosidade de saber como será o desempenho do produto com uma futura (e não confirmada até agora pela Motorola) atualização para a versão Ice Cream Sandwich do Android.

A qualidade da tela é boa, com um equilíbrio interessante entre brilho, contraste e relação de cores. As imagens do sistema operacional são vistas de forma clara, e vídeos são reproduzidos com eficiência. A leitura de textos pode ser um pouco incômoda, mas nada que chegue a atrapalhar.

A conexão via Wi-Fi é um pouco mais fraca do que o iPad (na minha opinião). Aqui mesmo, no escritório, ao fechar a porta para fazer a gravação de um vídeo, o sinal da rede do Xoom 2 caiu por completo, coisa que não aconteceu com o tablet da Apple. Por outro lado, vale também observar que tal característica pode variar de acordo com a intensidade do sinal da rede sem fio e das características de sua residência.

De qualquer forma, uma das principais qualidades do Xoom 2 Media Edition é a sua capacidade de reproduzir (e muito bem) os vídeos em alta definição, sem engasgos ou travamentos. Tanto nos vídeos por streaming, quanto nos vídeos salvos diretamente no dispositivo, a qualidade final de reprodução foi muito boa. Em vídeos em Full HD (1080p), alguns travamentos foram registrados, mas nada considerado muito sério.

A navegação na internet do Xoom 2 Media Edition está muito boa. O navegador está rápido e bem ajustado para diferentes atividades na web. E como esse é o propósito do produto, ele deve fazer a alegria daqueles que buscam um produto para uma prática navegação, ou para ver vídeos de forma descompromissada.

Por fim, o Motorola Xoom 2 Media Edition está APROVADO. É um tablet com bons recursos, um ótimo desempenho para sua proposta, e um design diferenciado. Seu preço precisa ficar um pouco mais competitivo para se tornar uma proposta efetivamente atraente para um público menos exigente, e uma atualização para o Ice Cream Sandwich tornaria o produto uma das melhores opções do mercado no momento.

Preço (modelo com Wi-Fi): R$ 1.299,00

GO Launcher HD, o popular desktop alternativo, agora disponível para os tablets Android

by

Se a interface do seu smartphoe Android não te agrada, certamente você já pensou em instalar o GO Launcher Ex, que é capaz de modificar a sua aparência, deixando o telefone com uma cara renovada, e diferente dos demais. Agora, você pode fazer o mesmo com o seu tablet com o sistema do Google.

O GO Launcher HD está disponível em versão beta, para os tablets que possuem o sistema Android na versão Honeycomb, e apesar de manter alguns poucos elementos da interface original, ele é visualmente bem mais atraente nas suas transições, oferecendo mudanças no número de aplicativos, ou a personalização do dock. Para saber mais sobre o aplicativo, clique aqui.

Via Android Police

Harris, um tablet que leva o Honeycomb para as zonas de combate

by

Não é novidade que os tablets estão sendo utilizados em vários segmentos da sociedade moderna. Literalmente. Nesse caso, a Harris apresentou um tablet Android de 7 polegadas, totalmente preparado para o uso sob qualquer tipo de circunstâncias e incidentes. O modelo RF-3590 conta com uma tela multitouch de 1024 x 600, processador de dois núcleos de 1.5 GHz, 2 GB de memória RAM LPDDR2, câmeras frontal e traseira de 2 e 8 MP, respectivamente, e sistema operacional Android Honeycomb.

Sobre sua conectividade, o tablet conta com WiFi, Bluetooth, GPS, Ethernet e portas HDMI, USB, além de slot para cartões SD. Chega ao mercado com uma SSD de 64 GB, expansíveis para até 128 GB. Foi desenvolvido basicamente para o seu uso em âmbito militar, e não tem preço, nem data de lançamento anunciado.

Via Harris

Acer Iconia Tab A200 tem o seu lançamento anunciado. Primeiro, nos Estados Unidos

by

Finalmente, o Acer Iconia Tab A200 vai dar as caras nas lojas norte-americanas. A Acer aproveitou a CES 2012 para anunciar que seu novo tablet de 10 polegadas e sistema operacional Android Honeycomb (com promessa de atualização para o Ice Cream Sandwich para o mês de fevereiro) estará disponível nas lojas norte-americanas a partir do dia 15 de janeiro, com um preço sugerido de US$ 330 na versão de 8 GB, e US$ 350, para o modelo de 16 GB.

Levando em conta o tamanho do dispositivo, sua plataforma dual core Tegra 2, tela de 1280 x 800, slot para cartões microSD, autonomia de 8 horas de bateria, ou sua porta USB 2.0 (algo pouco frequente nesse tipo de dispositivos), podemos dizer que o produto da Acer é, no mínimo, interessante, com especificações atraentes e bom preço.

Via Engadget

Archos 70b Internet Tablet se atualiza para a CES 2012

by

A Archos anunciou o lançamento de uma nova versão do seu célebre Internet Tablet 70b, um dispositivo que pouco (ou quase nada) tem a ver com o leitor de livros eletrônicos da empresa, que foi apresentado no ano passado, nessa mesma época.

O tablet de design ultrafino é o primeiro tablet Honeycomb do mercado que custa menos de 200 euros (199 euros). O modelo possui um processador de 1.2 GHz, tela capacitiva de 1024 x 600, 8 GB de armazenamento flash, 512 MB de RAM e conectividade WiFi. O tablet conta com uma saída HDMI, slot para cartões microSD, e acesso ao Android Market. Seu fabricante promete disponibilizá-lo no mercado ainda em dezembro, e no mês de janeiro, ele será um dos protagonistas da CES 2012.

Via Engadget

As mudanças do Galaxy Tab 10.1N, para que ele pudesse circular no mercado alemão (em vídeo)

by

A Samsung lançou um novo tablet na Alemanha, depois que a Apple entrou com a ação de violação de patentes naquele país e venceu no tribunal de Dusseldorf. Como provavelmente a primeira imagem promocional do Galaxy Tab 10.1N deu poucas informações sobre as mudanças, o pessoal do blog alemão NewGadgets publicou um vídeo que mostra detalhes sobre essas mudanças. E, tal como era de se esperar, a mudança mais marcante está nas bordas de sua carcaça, que agora ficam um pouco mais para dentro da borda lateral, rodeando a tela, além de modificar a posição dos seus alto-falantes, ente outras mudanças. Vídeo abaixo.

via NewGadgets

Panasonic Toughpad A1 e B1: novos tablets reforçados, com Android Honeycomb

by

A Panasonic é, provavelmente, uma das fabricantes que mais aposta nos segmentos de produtos reforçados. De modo que, no seu catálogo de produtos, podemos encontrar alguns tablets que não precisam se preocupar com quedas e líquidos. Falamos dos novos Toughpad A1 e Toughpad B1, dois modelos com Android Honeycomb com carcaça extremamente rígida, para suportar as tais quedas, além de oferecer diversas configurações, que colocam o produto como o modelo ideal para os setores de aviação, medicina e empresarial.

O primeiro deles, o A1, possui uma tela de 10,1 polegadas, com resolução XGA (1024 x 768) em formato 4:3, processador Marvell de núcleo duplo, de 1.2 GHz, 16 GB de memória interna (expansível via cartões microSD) e conectividades LTE ou WiMax, além de uma bateria removível com autonomia de até 10 horas de uso.

Já o B1 tem tela de 7 polegadas, e seus detalhes são desconhecidos, de modo que temos esperar até o seu lançamento em 2012 para conhecer suas especificações. O Toughpad A1 tem preço sugerido de US$ 1.299, e também estará disponível no mercado a partir do ano que vem.

Abaixo, fotos do Panasonic Toughpad A1.

Abaixo, imagens do Panasonic Toughpad B1.



via Engadget

Karuma PlayBase, outro tablet infantil a prova de tragédias

by

Para os pais que experimentam ondas de pânico em estado puro a cada vez que o seu pequeno filho coloca os dedos sobre o seu precioso iPad, talvez tenha chegado o momento de você comprar o seu próprio modelo para que ele se adapte às suas necessidades. Principalmente se esse modelo for resistente.

O último fabricante que se aventura no mundo dos tablets feitos para crianças é a Karuma, que apresenta o PlayBase, um dispositivo com tela multitouch capacitiva de 7 polegadas, com espessura de apenas 9,7 mm. O tablet possui um processador Rockchip RK2918 Cortex A8, de 1,2 GHz, que executa uma versão personalizada do Gingerbread, mas os seus criadores indicam que ele será atualizado no futuro para o Honeycomb, ou até mesmo para o Ice Cream Sandwich.

O PlayBase conta com WiFi, 1 GB de memória RAM DDR3, um design reforçado, uma capa protetora de silicone, capaz de absorver os golpes, além de bateria de autonomia estimada em até 5 horas e uso e câmera frontal. Seu período de reservas começa no início de novembro, e seu preço sugerido é de 170 libras, com o seus primeiros envios marcados para o começo do mês de dezembro.

via PLay-base

Toshiba lança uma versão do tablet Thrive de 7 polegadas

by

A Toshiba expande a sua linha de tablets. Depois de lançar o Thrive e atualizar o AT200, a fabricante japonesa lançou a versão de 7 polegadas do Thrive.

Como o seu irmão maior, o Thrive 7 conta com um processador Tegra 2, câmera traseira de 5 MP e câmera frontal de 2 MP. As diferenças estão em alguns detalhes: o modelo de 7 polegadas possui um flash LED para a câmera, e toda a a sua carcaça traseira, que se mantém emborrachada, está fundida ao restante do tablet, de modo que o usuário não pode desmontar o modelo.

Outras novidades da versão menor é o uso de portas em tamanho reduzido, o que foi uma regra para que o produto ficasse mais fino. Logo, o Thrive 7 da Toshiba conta com portas mini-USB e micro-HDMI, além do conector de 3,5 mm para os fones de ouvido, outra entrada para o dock de dados e um slot para microSD.

Sua tela possui resolução de 1280 x 800, seu sistema operacional é o Android 3.2 (Honeycomb) e seu peso é de 400 gramas. Disponível nas versões de 16 e 32 GB de armazenamento, não tem preço revelado.



via Engadget

Medion anuncia o tablet LifeTab P9514, e um novo smartphone de baixo custo

by

A IFA 2011 está no final, mas as novidades não param de aparecer. A Medion apresentou em Berlim um tablet Honeycomb (acima) e um smartphone Gingerbread, mas sem dar muitos detalhes sobre suas especificações.

O tablet LifeTab P9514 pe o penúltimo modelo a contar com os benefícios do chipset Tegra 2 da NVIDIA, pesando 720 gramas e com uma tela de 10 polegadas (1280 x 800). O tablet conta com Android 3.2, 3G quadriband e WiFi, além de portas USB, microSD e HDMI.

Já o smartphone não tem nome oficial, e tudo o que se sabe é que o novo modelo tem tela de 4,3 poleadas, e que virá com o navegador GoPal da Medion, além de cãmera de 5 megapixels.

Os dois produtos serão lançados no quarto trimestre de 2011, e o tablet tem preço especulado de 399 euros. O smartphone não tem preço anunciado.

via Pocket Lint

HTC Jetstream: tablet com LTE e Sense UI para o Honeycomb

by

A HTC anuncia na IFA 2011 o HTC Jetstream, um tablet que é lançado em parceria com a operadora norte-americana AT&T, que conta com especificações parecidas com o HTC Puccini, mas que só agora chega aos Estados Unidos.

O modelo estará disponível para compra em terra ianque a partir de hoje, e conta com conectividade 4G LTE, além da primeira versão da interface HTC Sense para o Honeycomb. Sua tela possui resolução WXGA de 10,1 polegadas, seu processador é um Snapdragon de 1,5 GHz de núcleo duplo, além de permitir a entrada de dados via lápis digital, graças ao suporte HTC Scribe. Somamos à isso uma câmera traseira de 8 MP, com flash duplo LED, câmera frontal de 1.3 MP, um leitor de cartões microSD e bateria de 7.300 mAh.

Preço de venda nos Estados Unidos: US$ 699,99, sem contrato. Sem previsão de lançamento para os outros mercados.

via AT&T

Toshiba AT200, um tablet de 10,1 polegadas e apenas 7,7 mm de espessura #ifa2011

by

A Toshiba chega disposta a competir de frente com Samsung e Motorola, com o novo AT200, um tablet com tela de 10,1 polegadas (1280 x 800) e espessura de apenas 7,7 mm (quase 1 mm a menos que o Galaxy Tab 10,1, que mede 8,6 mm). O modelo conta com um processador OMAP 4430, de 1.2 GHz e 64 GB de memória interna (expansíveis via cartão microSD), câmera traseira de 5 MP, câmera frontal de 2 MP e uma bateria com autonomia prometida de até 8 horas de funcionamento no modo de reprodução de vídeos.

A Toshiba não informa o preço ou data de lançamento do novo tablet, mas deve estar no mercado até o final do ano.

via Engadget

Samsung Galaxy Tab 7.7 é apresentado oficialmente #ifa2011

by

E aqui está ele. O mais que esperado Galaxy Tab 7.7 foi lançado oficialmente, e conta com configurações muito interessantes.

O modelo possui processador de núcleo duplo, de 1.4 GHz, sistema operacional Android 3.2 (Honeycomb), com interface TouchWiz UX, suporte HSPA+ (21 Mbps) 16 ou 64 GB de capacidade de armazenamento, bateria de 5.100 mAh (com 10 horas de autonomia prometida), reprodução de vídeos a 1080p (com suporte DivX) e câmera dupla, de 2 e 3 MP.

Obviamente, o modelo conta com WiFi n, GPS, Bluetooth 3.0 e slot para cartões microSD, reunindo todas as suas especificações em um fino corpo de 335 gramas e 7,89 mm de espessura. Para completar suas configurações, o modelo conta com tela Super AMOLED Plus (1280 x 800).

Não há informações sobre preço ou data de lançamento. Pelo menos, por enquanto.

via Engadget

Fujistu Arrows Tab F-01D, um tablet resistente à água e internet LTE

by

A Fujitsu está disposta a voltar à carga no segmento de tablets. Pelo menos é o que indicam os rumores do novo dispositivo, chamado Arrows Tab F-01D. O modelo possui tela de 10,1″ WVGA, processador da Texas Instruments (IMAP 4430, de 1 GHz), Android 3.2 e uma carcaça resistente à água.

A fabricante ainda não passa dados oficiais sobre o produto, mas tudo indica que ele deve ser lançado no Japão, pela operadora NTT DoCoMo, já no mês de setembro. O modelo ainda conta com conectividades UTMS, HSPA, GSM e GPRS, além de internet via LTE.

Completam as configurações: 16 GB de armazenamento, slot para cartões microSD, porta microUSB e conector para fones de ouvido. Sem preço anunciado.

via Netbook News