Arquivo para a tag: galaxy s4

Do Galaxy S até o Galaxy S6: como evoluiu a linha premium da Samsung (até agora)

by

galaxy-s-family-samsung

A Samsung mudou o rumo de sua história no mercado mobile em 2010, com o lançamento do Galaxy S. Essa linha de smartphones top de linha rapidamente se transformou no principal rival do iPhone (na época, iPhone 4), se manteve até agora como uma das linhas mais populares e desejadas do mercado.

Hoje, quando falamos da série Galaxy S, fazemos alusão aos smartphones Android mais potentes de cada ano, uma realidade que alcançou o seu ápice no ano passado, com o lançamento dos modelos Galaxy S6 e Galaxy S6 Edge, muito graças ao bom trabalho com o processador Exynos 7420.

Mas nem tudo é hardware. A linha também teve um salto claro de qualidade de acabamento com a chegada do uso de cristal e metal, abrindo em definitivo uma nova fase, que hoje continua com os novos Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge.

A evolução marcada pelo Galaxy S6 foi muito marcante em todos os sentidos, mas… E os modelos anteriores?

Esse post faz uma revisão de toda a história da série Galaxy S, e veremos como o seu design e especificações mudaram ao longo do tempo.

 

Galaxy S

galaxy-s

Apesar das diversas variantes, mas vamos falar do modelo principal, e I9000, que oferecia uma experiência de uso muito boa.

Seu acabamento em policarbonato resultava em um design muito elegante, com uma aparência metálica nas bordas, e a tela de 4 polegadas o deixava muito cômodo e fácil de manejar com uma mão. Era um modelo muito potente no seu desempenho, permitindo a reprodução de jogos em 3D sem problemas. Porém, tinha carências importantes, como a ausência do flash traseiro, e só recebia atualizações por via oficial.

Especificações: 

– tela Super AMOLED de 4 polegadas (800 x 480 pixels)
– processador Hummingbird com CPU mononúcleo Cortex-A8 a 1 GHz e GPU PowerVR SGX 540
– 512 MB de RAM
– 8 GB ou 16 GB de armazenamento (expansível)
– Câmeras de 5 MP e VGA
– Bateria removível de 1.500 mAh
– Atualizável para o Android 2.3

 

Galaxy S2

galaxy-s2

Para muitos, esse foi o melhor modelo da série Galaxy S da história, apesar de não haver uma unanimidade nesse sentido (muitos acreditam que é o Galaxy S3 ou o Galaxy S4). Questão de gosto. Mas não resta dúvidas que esse modelo foi um dos mais atraentes, e com maior personalidade que a Samsung já lançou.

O modelo na cor preta era perfeito. O design não era uma grande evolução em relação ao primeiro modelo, mantendo os elementos essenciais, como o policarbonato e o toque metálico nas bordas. Mas a sua aparência era menos arredondada, com retoques que deixavam o dispositivo muito elegante.

Vale uma menção especial para a parte traseira, com uma câmera com flash e uma protuberância de apoio na parte baixa. No seu desempenho, o salto foi muito grande em relação ao primeiro Galaxy S, sendo um modelo muito potente, e que ainda é viável nas suas funcionalidades, com a ajuda de ROMs personalizadas.

Especificações:

– tela Super AMOLED de 4.3 polegadas (800 x 480 pixels)
– processador Exynos 4210 com processador dual-core Cortex-A9 de 1.2 GHz e GPU Mali 400MP4
– 1 GB de RAM
– 16 GB ou 32 GB de armazenamento (expansível)
– Câmeras de 8 MP (com flash) e 2 MP
– Bateria removível de 1.650 mAh
– Atualizável para o Android 4.1

 

Galaxy S3

galaxy-s3

Foi um grande salto no nível técnico, comparável com o que marcou o Galaxy S2 em relação ao primeiro modelo, mas em termos de design foi considerado um passo atrás (para muitos). Não falo isso como crítica, mas pelo fato que como se pode apreciar, recuperou o design base do Galaxy S, apostando por um acabamento mais arredondado.

A Samsung manteve o acabamento em policarbonato e o clássico toque metálico, mas aumentou o tamanho a ponto de deixá-lo um pouco incômodo de manejar com apenas uma mão. Também vale mencionar que nesse modelo se ampliou consideravelmente a oferta de cores, que antes era limitado nas cores preto e branco, rompendo a tendência bicolor.

No seu desempenho, era um excelente dispositivo, que ainda hoje oferece performance melhor do que os modelos de linha média-baixa.

Especificações:

– tela Super AMOLED de 4.8 polegadas (1280 x 720 pixels)
– processador Exynos 4412 com CPU quad-core Cortex-A9 a 1.4 GHz e GPU Mali 400MP4
– 1 GB de RAM
– 16 GB, 32 GB ou 64 GB de armazenamento (expansível)
– câmeras de 8 MP (com flash) e 1.9 MP
– bateria (removível) de 2.100 mAh
– Atualizável para o Android 4.3

 

Galaxy S4

galaxy-s4

Uma ligeira evolução em relação ao Galaxy S3 em termos de design, onde a Samsung se limitou a polir pequenos detalhes do modelo anterior, mantendo a base do mesmo e os materiais, inclusive o policarbonato.

O modelo recebeu algumas críticas por ser excessivamente conservador no design, ainda que no geral foram leves, principalmente por conta das importantes diferenças de hardware em relação ao Galaxy S3. Sua tela de 1080p (Full HD) e o uso de 2 GB de RAM abriram as portas para uma nova experiência de uso, sendo muito superior em relação ao seu antecessor.

Apesar de ter ficado sem suporte, o Galaxy S4 é muito potente, com uma longa vida útil para muitos usuários menos exigentes.

Especificações:

– tela Super AMOLED de 5 polegadas (1920 x 1080 pixels)
– processador Snapdragon 600 com CPU quad-core Krait 300 a 1.9 GHz e GPU Adreno 320 ou processador Exynos 5410 com processador octa-core em dois módulos e GPU PowerVR SGX544MP3 (de acordo com a versão)
– 2 GB de RAM
– 16 GB, 32 GB ou 64 GB de armazenamento (expansível)
– câmeras de 13 MP e 8 MP
– conectividades WiFi ac e 4G LTE
– bateria removível de 2.600 mAh
– Atualizável para o Android 5.0

 

Galaxy S5

galaxy-s5

Um modelo muito criticado pela sua falta de inovação no design, a manutenção do policarbonato como material de fabricação e as poucas novidades em relação ao modelo anterior.

De certo modo, o Galaxy S5 marca uma pequena volta a alguns dos elementos de design do Galaxy S2, e tem toques próprios que buscam aportar um pequeno avanço diante dos modelos anteriores, como a tampa traseira com acabamento perfurado, que infelizmente não ocultava a realidade de plástico.

A inclusão do leitor de digitais, a resistência à água e poeira, o sensor de ritmo cardíaco e as melhorias de hardware não foram suficientes para motivar aos usuários a trocar o Galaxy S4 por outro. Sua recepção foi bem abaixo do esperado.

Porém, este é um terminal atual com um grande desempenho, e tem uma longa vida útil adiante.

Especificações: 

– tela Super AMOLED de 5.1 polegadas (1920 x 1080 pixels)
– processador Snapdragon 801 com CPU quad-core Krait 400 a 2.5 GHz e GPU Adreno 330. Houve uma versão com processador Exynos 5422 com CPU octa-core e GPU Mali T628 MP6
– 2 GB de RAM
– 16 GB ou 32 GB de armazenamento (expansível)
– câmeras de 16 MP e 2 MP
– WiFi ac e 4G LTE
– bateria removível de 2.800 mAh
– Atualizável para o Android 6.0 Marshmallow

 

Galaxy S6

galaxy-s6

Um salto importante em todos os sentidos, mostrando que a Samsung escutou as reações negativas ao Galaxy S5.

Com esse novo smartphone, foi dado um salto para um acabamento totalmente premium, graças ao uso do cristal e metal, além de mudanças de design que resultaram no Galaxy S mais bonito até agora. No desempenho, uma evolução importante em todas as frentes, e as melhoras de qualidade de tela e câmera foram enormes, além de ser o primeiro dispositivo a saltar para os 64 bits.

Por outro lado, ficou de fora o slot para microSD e a resistência à água e poeira, além da bateria removível. Tudo isso foi corrigido no Galaxy S7, que é uma evolução direta do Galaxy S6.

Especificações: 

– tela Super AMOLED de 5.1 polegadas (2560 x 1440 pixels)
– processador Exynos 7420 com CPU de 64 bits octa-core em dois módulos, com GPU Mali T760MP8
– 3 GB de RAM (LPDDR4)
– 32 GB, 64 GB ou 128 GB de armazenamento (não ampliável)
– câmeras de 16 MP e 5 MP
– WiFI ac e 4G LTE
– Bateria não removível de 2.550 mAh
– Atualizável para o Android 6.0 Marshmallow

Duas graves vulnerabilidades afetam o kernel do Galaxy S4

by

kernel-galaxy-s4

A empresa de segurança QuarksLAB descobriu duas graves vulnerabilidades no Galaxy S4. As falhas foram detectadas em fevereiro de 2014, e a Samsung foi alertada sobre as mesmas em agosto de 2014, mas os coreanos não reconheceram as mesmas até novembro de 2014.

Isso permaneceu em sigilo até a semana passada, quando a QuarksLAB tornou públicas as investigações sobre as duas falhas de segurança. Só aí a Samsung respondeu, afirmando que vão corrigir os erros no Galaxy S4 que contam com o Android Lollipop instalado.

As falhas só foram identificadas nos modelos I9500, baseados no SoC Exynos. As variantes com processadores Qualcomm Snapdragon estão imunes aos problemas. A primeira vulnerabilidade (CVE-2015-1800) permite o acesso à dados importantes através de um vazamento que afeta a memória. A segunda falha (CVE-2015-1801) é um conjunto de quatro corrupções de memória que permite a um atacante modificar valores no kernel, ou até elevar os seus privilégios.

Pelo visto, a Samsung continua com o seu péssimo hábito de achar que só ela está certa, e quando erra, demora uma eternidade para corrigir os problemas que ela mesma cria. E isso parece que não vai mudar tão cedo. Infelizmente.

Via Softpedia

Avaliação de Produto | Samsung Galaxy S4

by

galaxy-s4-04

A Samsung é, hoje, a fabricante de smartphones com o sistema operacional Android mais bem sucedida do planeta. É a que mais vende, a que mais fatura, e a que mais lança smartphones com o sistema. E consegue isso com os seus modelos considerados top de linha. Com uma sequência de sucesso inciada com o Galaxy S, os sul-coreanos chegam ao Galaxy S4 oferecendo um produto com especificações imbatíveis na época do seu lançamento, recursos surpreendentes e uma experiência de uso única. Vamos então analisar esse smartphone top de linha.

Sobre o Produto

O Samsung Galaxy S4 é, nesse momento, o smartphone top de linha da Samsung. Tudo indica que em 2014 veremos um Galaxy S5, mas até lá, é o melhor modelo que você pode encontrar no portfólio dos sul-coreanos. É a quarta geração de uma linhagem de sucesso de telefones inteligentes da empresa, e assim como os demais modelos lançados, é um campeão de vendas, com mais de 10 milhões de unidades vendidas.

Principais Características

galaxy-s4-01

Apesar de contar com poucas modificações no seu design em relação ao modelo anterior (Galaxy S3), as especificações de hardware do Galaxy S4 traz importantes mudanças. Para começar, duas versões diferentes para o smartphone: a primeira, com processador quad-core de 1.9 GHz (4G), e a segunda, com processador octa-core de 1.6 GHz (3G). Apesar das diferenças técnicas visíveis, a Samsung garante que os dois modelos possuem o mesmo desempenho final. E no final das contas, a decisão será do usuário, que deve escolher entre um modelo com uma internet mais veloz, ou uma maior capacidade de processamento de dados.

Independente da escolha, o usuário está diante de um dos smarphones mais potentes do mercado (é claro que tivemos outros lançamentos ao longo de 2013, mas ele ainda é um dos melhores conjuntos de hardware nesse momento). Mas a Samsung não quis tornar o Galaxy S4 especial apenas pelo número de suas especificações. Eles queriam oferecer um produto que “aproxima as pessoas”.

Para isso, adicionaram uma série de novos recursos inteligentes ao seu software, como por exemplo o dual câmera (fotos simultâneas das câmeras frontal e traseira, inserindo de alguma forma o autor da foto no momento capturado), recursos inteligentes de interação com a interface de usuário, que incluem o streaming de músicas em vários dispositivos de forma remota, a interação com a interface sem a necessidade do toque na tela, o modo de tela dupla, vários modos de foto com efeitos e funcionalidades que oferecem resultados diferenciados, entre outros. E isso, porque só citei alguns.

Todos esses recursos combinados se convertem em uma experiência de uso considerada única. Tudo bem, eu sei que cada fabricante de smartphone com o sistema Android pode adaptar o software da forma que quiser. Mas a Samsung adicionou tantas funcionalidades que são exclusivas dos dispositivos fabricados por eles, que podemos afirmar que eles conseguiram uma assinatura própria de experiência Android. Você pode amar ou odiar a TouchWiz, mas é inegável que a proposta que ela oferece é completamente diferente de tudo o que temos hoje no mercado de smartphones com o sistema da Google.

galaxy-s4-05

Prós

– Ainda é um modelo top de linha: para a imensa maioria dos usuários, o Galaxy S4 oferece especificações técnicas e funcionalidades mais que suficientes para que não se pense em uma troca de telefone tão cedo.
– Recursos exclusivos na interface de uso: não apenas a exclusividade de funcionalidades (afinal, todo fabricante tenta adicionar elementos próprios nos seus telefones), mas principalmente pela quantidade de recursos personalizados, e como esses recursos podem atrair o consumidor para o Galaxy S4. É o tipo de smartphone que seduz pelas funcionalidades que o usuário não vai encontrar em outros modelos.
– Atualização garantida para o Android KitKat: a Samsung já oferta o novo Android para o Galaxy S4. Se você ainda não recebeu, basta ter um pouco de paciência (mas é provável que, quando você estiver lendo esta análise, o Android KitKat já estará devidamente instalado em seu smartphone).
– Uma ótima câmera: a Samsung sempre ofereceu boas câmeras para seus dispositivos. No caso do Galaxy S4, isso não é diferente.

Contras

– A TouchWiz: é de conhecimento público que a TouchWiz, interface de usuário escolhida pela Samsung, além de não oferecer uma experiência de uso sequer próxima daquela proposta pela Google, exige do hardware o máximo o tempo todo. Apenas com um smartphone parrudo nas configurações (como o Galaxy S4 é) é que essa interface oferece uma experiência prazerosa. E, mesmo assim, alguns usuários não querem ver a TouchWiz nem de graça no S4. Ou seja, o “Galaxy S4 perfeito” é o modelo na versão Google Edition (que conta com o Android “puro”).
– Problemas na bateria: além da bateria não oferecer uma grande autonomia de uso, muitos usuários ao redor do planeta reclamaram de problemas na bateria, que ou “estufavam”, ou demonstravam viciação na autonomia, ou descarregavam rapidamente, ou até pegavam fogo (um caso aconteceu no Brasil). Tudo bem, pela bateria ser removível, você pode trocá-la com facilidade. Mesmo assim…
– Preço elevado: mesmo com os seus recursos exclusivos e personalizados, o Galaxy S4 poderia custar menos, ainda mais se levarmos em conta o tempo de seu lançamento. Além disso, alguns concorrentes oferecem especificações de hardware semelhantes, ou propostas de modelos mais equilibrados no desempenho geral, mas cobrando menos do que aquele pedido pela Samsung para o seu modelo top de linha.
– O Galaxy S5 existe: deixando de lado o preço, para aqueles que pensam em comprar o Galaxy S4 nesse momento, talvez seja mais vantajoso investir um pouco mais e adquirir logo o Galaxy S5. Afinal de contas, mesmo com uma diferença de valor considerável, você vai gastar apenas uma vez.

Relação Custo/Benefício

galaxy-s4-02

O Samsung Galaxy S4 pode ser um bom investimento para aqueles usuários que não querem esperar pelas novidades dos fabricantes para 2014. Para aqueles que entendem que o modelo ainda é uma ótima escolha, levando em consideração a sua combinação hardware/software, e não pensam em trocar de smartphone nos próximos dois anos (pelo menos), independente de qualquer lançamento que apareça ao longo do próximo ano.

Também é uma compra recomendada para quem se acostumou com a proposta da TouchWiz, ou para quem gosta mesmo do trabalho que a Samsung faz nos seus smartphones, não abrindo mão dessa experiência de uso. Essa relação custo/benefício poderia ser melhor, levando em consideração alguns fatores, como por exemplo a concorrência, que oferece modelos tão competentes quanto, mas com preços mais competitivos, ou o próprio lançamento do Galaxy S5 que se avizinha. Mas quem sabe o seu preço acaba caindo em um futuro não muito distante.

Nota Final: 8.4/10

Desempenho: 9
Design: 8
Funcionalidades: 10
Preço: 7
Relação Custo/Benefício: 8

04-botao-clique037-180.jpg

TargetHD Responde | Vale a pena esperar pelo Samsung Galaxy S4?

by

sgs4-destaque

Mais uma vez, vamos tentar esclarecer as dúvidas dos leitores do TargetHD. Dessa vez, é uma das dúvidas mais atrozes daqueles que pretendem investir em um smartphone novo nos próximos meses. Sim, amigos… investimento. Afinal de contas, um smartphone considerado “top de linha” deve ir além de um objeto de desejo, e sim um investimento que deve trazer algum tipo de retorno para o usuário, seja financeiro, emocional ou profissional. E sem mais delongas, um dos próximos mistérios do universo geek nas próximas semanas é: vale a pena esperar pelo Samsung Galaxy S IV?

Resposta: 

Algumas coisas precisam ser ressaltadas antes de responder essa pergunta. A primeira delas é que o Galaxy S IV existe, mesmo sem ser oficial. O Samsung Unpacked acontece em dois dias (14 de março), e ele será o principal lançamento do evento. Qualquer coisa fora desse cenário será uma surpresa tão grande, que pode fazer com que as ações da Samsung na NASDAQ simplesmente despenquem. Logo, podemos dar o produto como certo.

Ainda pairam algumas dúvidas sobre suas especificações técnicas, principalmente no tipo de processador que ele vai utilizar. Alguns supostos vazamentos apostam na presença do processador Exynos 5 Octa, enquanto que outros afirmam que o novo smartphone da Samsung deve ter uma versão Snapdragon 600 ou 800. Ambos são modelos com quatro núcleos de processamento, e a principal diferença é que o Exynos 5 Octa possui na verdade um “2 em 1”, ou seja, dois processadores de quatro núcleos no espaço de um, com funções independentes e específicas para o smartphone. De qualquer forma, seja qual for a escolha da Samsung, o Galaxy S IV promete simplesmente voar, com uma performance nunca antes vista em um dispositivo móvel.

As demais especificações devem ser aquelas que já foram especuladas: 2 GB de RAM, uma câmera traseira de 13 megapixels, múltiplas capacidades de armazenamento interno, uma bateria com boa autonomia, e quem sabe uma GPU PowerVR. Não deve fugir muito disso. Resumindo: um smartphone muito poderoso. Um top de linha.

Sobre a sua chegada ao mercado, muito pouco se sabe, mas não deve demorar muito para acontecer. A Samsung não tardou para disponibilizar as versões anteriores após o seu anúncio. A grande novidade para o mercado brasileiro é que o Galaxy S IV deve ter um lançamento internacional, e o Brasil deve receber o smartphone na mesma janela de lançamento dos principais mercados da Samsung. Diferente de uma certa fabricante de Cupertino.

Supondo que esse modelo deve chegar ao mercado brasileiro até o final de maio (aqui estamos chutando completamente), e estamos na metade do mês de março, a recomendação é que, se você pode esperar, É MELHOR ESPERAR PELO GALAXY S IV  sim. O primeiro motivo é justamente por ser um modelo absolutamente novo, com novos recursos de hardware e software. O segundo e o mais importante motivo: é um investimento. Você vai pagar caro por esse produto (preço inicial de R$ 2.400). Além disso, é importante ver como esse aparelho vai chegar na sua versão final. Vai que ele decepciona, não é mesmo?

Outro fator a ser considerado é que você deve também observar o que os demais fabricantes vão trazer para o mercado nacional. Ainda estamos vivendo a expectativa (ok, mais incerteza mesmo) do lançamento do LG Nexus 4 no país (a LG precisa se apressar com isso), que está dentro do portfólio da empresa para o primeiro semestre de 2013. Assim como os lançamentos da Sony, e a Motorola deve anunciar lá fora o X Phone, o novo smartphone do Google. Logo, é fundamental esperar mais um pouco antes de tirar o cartão de crédito da carteira.

Por fim, vale a pena esperar para evitar a impulsividade de uma compra repentina. De novo (e insisto nesse ponto): um smartphone que custa R$ 2.500 (na versão 4G) é um investimento. Não é acessível para a maioria dos brasileiros, e particularmente entendo que é desnecessário pagar esse valor para ter um bom produto para minhas principais atividades. Mas isso, na minha opinião. Cada um sabe muito bem o que faz com o seu dinheiro. Só quero que você compre o melhor dentro de suas perspectivas, expectativas, desejos e possibilidades.

Resumindo: é melhor esperar mais um pouco.