Arquivo para a tag: fim

Primeiros smartphones da nova Nokia chegam no final de 2016

by

Nokia Lumia 800

O NokiaPowerUser informa que, de forma quase surpreendente, os primeiros smartpones da nova Nokia chegarão ao mercado ainda no final de 2016, com um possível atraso para o primeiro trimestre de 2017.

A fonte do veículo é um dos diretores da nova empresa, que observa que o atraso pode ou não acontecer dependendo dos períodos de testes e desenvolvimento dos novos produtos.

HMD e Foxconn trabalhando juntas pela nova Nokia

Ainda que os novos smartphones ou tablets sigam se chamando Nokia, pouco vai restar da fabricante finlandesa que conquistou milhões de fãs ao redor do mundo.

Sem fábricas próprias e com equipe de marketing desmantelada, a HMD será a responsável pela reestreia da marca. Essa empresa foi criada especialmente para essa missão, e conta com alguns diretores da Nokia.

A sede da empresa segue na Finlândia, e de lá vai gerenciar todo o processo de design, desenvolvimento em marketing.

A fabricação dos dispositivos fica por conta da FIH, uma subsidiária da Foxconn. Ou seja, podemos ver um Designed in Finland junto com um Made in China.

Por enquanto, todos estão na espera da volta da Nokia. A notícia que isso pode acontecer ainda em 2016 surpreende, mas não causa estranheza.

Com o cenário mobile do jeito que está, o quanto antes a marca voltar, melhor. Senão, fica sem espaço.

 

Via NokiaPowerUser

Apple e Samsung colocam fim na “guerra de patentes” fora dos EUA

by

samsung-apple

Eu não podia deixar de falar dessa essa notícia que foi comentada hoje pelos blogueiros de tecnologia que encontrei em São Paulo como “o primeiro sinal claro que o mundo está acabando”. Apple e Samsung decidiram fumar o cachimbo da paz juntos… fora dos Estados Unidos.

As duas gigantes da tecnologia chegaram a um acordo onde todas as acusações judiciais mantidas pelas duas empresas fora dos EUA são retiradas. Ou seja, qualquer um dos casos que se encontram em curso nesse momento na Austrália, França, Alemanha, Itália, Japão, Holanda, Coreia do Sul e Reino Unido estão encerradas para sempre (assim eu quero acreditar), em uma tentativa de acabar com essa batalha dos tribunais sem qualquer sentido (além de economizar dinheiro para investir em novos produtos e tecnologias).

Nos EUA, os processos continuam seu curso, sem piedade. A Apple acusa a Samsung de copiar o design dos seus iPhones, e a Samsun acusa a Apple de utilizar peças de sua tecnologia de transmissão sem fio sem o seu consentimento.

Esse não é o primeiro acordo desse tipo visto em 2014. Apple e Google já se entenderam em relação às patentes de smartphones, algo que agora se estende às duas inimigas mais acirradas. E eu imaginava que esse dia nunca chegaria.

Enquanto isso, você fica aí brigando que nem um idiota, defendendo uma das duas marcas.

Via Bloomberg

Sony acaba com a sua plataforma PlayStation para Android

by

PS-Mobile-Featured-image_vf2

Depois de anunciar perdas no segmento de smartphones Xperia, a Sony anunciou o fim do seu serviço PlayStation Mobile.

A conexão entre a marca de videogames e a plataforma Android não funcionou como eles esperavam, e apesar de disponível para o Android 4.4.2 e 4.4.4 (de acordo com o fabricante), a chegada do Android L enterrou de uma vez por todas o serviço. Os modelos previamente certificados seguem compatíveis com os jogos já lançados.

Os desenvolvedores centrados no trabalho para a PlayStation Mobile devem buscar novas plataformas, e apesar da Sony informar que vai pensar em alternativas focadas para o PS Vita e o Vita TV, o que fica bem claro é que a PlayStation Mobile é, oficialmente, um fracasso.

Via Sony

Xbox Entertainment Studios encerra as suas atividades

by

Xbox_Entertainment_Studios_logo

Ninguém mais consegue respirar em Redmond. A leva de demissões segue fazendo vítimas entre os departamentos da Microsoft, e a próxima a cair foi nada menos que a Xbox Entertainment Studios.

O departamento responsável pelos projetos “Halo: Nightfall” (de Steven Spielberg) e “Signal to Noise” (cujo primeiro episódio era sobre a Atari – e o registro da descoberta dos cartuchos do game E.T. enterrados no deserto do Novo México) fecha as suas portas, e não mais vai produzir conteúdos originais para o Xbox. Os dois projetos citados continuam em desenvolvimento, e chegarão ao grande público quando estiverem concluídos.

Phil Spencer declarou em um comunicado que as mudanças nunca são fáceis, mas acredita que o fim do estúdio vai ajudar a Microsoft a se alinhar melhor em suas metas a longo prazo. Vale lembrar que Steven Spielberg e Ridley Scott, que estavam contratados para esse departamento, não perderam os seus empregos, e continuam fazendo parte do corpo de funcionários da Microsoft.

Via Engadget

Adeus, Nokia X!

by

650_1000_nokia-x2-main

Com a reformulação da Microsoft anunciada hoje (17) por Satya Nadella, chega ao fim o projeto do Nokia X, ou pelo menos os lançamentos de smartphones Nokia com fork Android. Na verdade, essa linha deve passar por uma transformação, passando a adotar o Windows Phone.

A ideia da Microsoft é orientar todos os esforços para a mesma direção, ou seja, o Windows. Palavras de Stephen Elop:

(…), temos a intenção de oferecer dispositivos Lumia de baixo custo, mudando os futuros Nokia X para a plataforma do Windows Phone. Esperamos fazer essa mudança o quanto antes possível, sem deixar de vender ou oferecer suporte aos modelos Nokia X existentes.

Pode até ser que os modelos Nokia X atuais não desapareçam de um dia para outro, já que a ideia é converter alguns desses modelos acessíveis para o Windows Phone. O que vai acontecer de fato com esses dispositivos ainda não é certo, mas tudo indica que o interesse pelo Android por parte da Microsoft é algo nulo. E não poderia ser diferente.

Sobre as informações que citavam o desenvolvimento de um Lumia com Android, tudo indica que agora não passa de rumores (ou planos que jamais se concretizarão). O último lançamento dessa linha foi o Nokia X2, apresentado no mês passado. Antes, foram lançados os modelos Nokia X e XL, sendo esses um dos últimos projetos dos finlandeses antes de se tornarem uma empresa da Microsoft.

Ou seja… adeus, Nokia X. Durou tão pouco, que podemos dizer que pouquíssimos vão sentir saudades.

Via Microsoft

Twitter Music encerra as suas atividades em 18 de abril

by

twitter-music-app

O Twitter Music morreu. Depois de meses agonizando com várias especulações sobre o seu futuro, o Twitter anuncia que o aplicativo para iOS do seu serviço de músicas será retirado hoje mesmo da iTunes, em virtude do fim de suas atividades, previsto para o dia 18 de abril. Curiosamente, o serviço morre no mesmo dia em que ele comemoraria o seu primeiro aniversário.

O Twitter Music nasceu do fruto da compra da We Are Hunted, uma empresa que buscava oferecer ao público as canções mais populares do momento, baseando naquilo que elas mais acessavam na internet. A ideia do Twitter era que o #Music ajudasse o usuário a conhecer os artistas e músicas que os seus amigos escutavam, para criar uma espécie de meta-rede social de caráter musical, tomando como referência informações procedentes do iTunes, Rdio, Spotify, Vine e as próprias mensagens do Twitter.

Porém, no final das contas, a iniciativa não se tornou suficientemente popular (melhor dizendo, foi um desastre calamitoso), forçando assim um cancelamento que era especulado desde outubro de 2013.

O fim do Music não significa que o Twitter tenha perdido o interesse nesse mercado. A empresa vai seguir “experimentando novas formas de oferecer grandes conteúdos baseados na atividade musical que vemos todos os dias no Twitter”.

Via @TwitterMusic

Facebook encerra as atividades do aplicativo Messenger for Windows no começo de março

by

FacebookMessengerWindowsShutDown

Mark Zukerberg segue fazendo sua limpeza com os serviços considerados inúteis no Facebook. Depois do fim do seu serviço de e-mail, a rede social anunciou hoje que vai encerrar as atividades do seu aplicativo Messenger for Windows.

O aplicativo vai deixar de funcionar em 3 de março (próxima segunda-feira), e para que você tenha uma ideia do quão séria é essa decisão, eles retiraram o app para desktop da sua página de downloads, e os primeiros usuários já são avisados sobre o fim do suporte.

O mais estranho de tudo isso? A notícia aparece apenas dois dias depois que o Facebook confirmou o lançamento do Messenger para o Windows Phone.

Assim é a vida: algumas vezes, algo tem que morrer para que alguma coisa nova – e melhor – apareça.

Via SlashGear

Facebook encerra o seu serviço de e-mail

by

zuckerberg.jpg

O Facebook anunciou que encerrou o seu serviço de e-mail com os domínios @facebook.com.

A partir de agora, toda e qualquer mensagem que for enviada para um endereço com tal domínio, no lugar de ser inserida como mais uma mensagem dentro do seu perfil na rede social, elas serão reenviadas para o seu e-mail padrão. O fim desse padrão de e-mails acontece em tempo relativamente curto, e tal como aconteceu na sua estreia, o seu fim também foi anunciado de forma bem discreta.

Esse é um serviço que praticamente ninguém vai sentir mutia falta. Eu mesmo não conheci ninguém que usasse o e-mail do Facebook.

Seria o seu caso?

Via The Verge

[Rumor] Twitter já pensa em encerrar o serviço #Music

by

Twitter-Music

Quando foi anunciado, o serviço #Music foi visto com grande entusiasmo pelos usuários e especialistas em tecnologia. Porém, ele rapidamente se tornou um pesadelo para o microblog, com índices de download baixíssimos. Logo, não chega a ser surpresa o rumor do Twitter pensar seriamente no final do projeto.

Não há uma confirmação oficial do Twitter sobre o fim do #Music até o momento, mas segundo o site AllThingsD, o fim do serviço é uma questão de tempo. A queda do serviço musical do Twitter é atribuída à saída do chefe desse projeto, Kevin Thau, que saiu do microblog logo depois do lançamento do #Music, para ir trabalhar na Jelly. Por outro lado, o próprio Twitter nunca trabalhou o suficiente para tornar o produto uma grande fonte de lucros, deixando que o mesmo se dizimasse, a ponto de não ser mais interessante os investimentos em sua manutenção.

O Twitter buscar uma competição no mercado musical seria o mesmo que qualquer outra empresa tentar competir com a Google no serviço de buscas na internet. Existem outros serviços disponíveis na web que fazem a mesma coisa, mas nenhum deles obteve o mesmo sucesso que a gigante de Mountain View, tal como a própria história nos contou. A única diferença é que, nesse caso em especial, o Twitter queria mesmo era disputar com o iTunes, que é amplamente utilizado pelos usuários.

Na prática, eu sequer me lembro de alguém que utilize com ênfase o serviço do Twitter #Music. Logo, imagino que a maioria dos usuários não vai nem perceber que o mesmo chegou ao fim.

Via Engadget

Panasonic abandona oficialmente o mercado de smartphones: “as vendas eram inaceitáveis”

by

panasonic-fuera.jpg.pagespeed.ce.tCsrpdGBgF

Agora é oficial: a Panasonic está abandonando a produção de smartphones, para direcionar os seus recursos para outras áreas mais importantes. O anúncio confirma as informações publicadas recentemente na imprensa japonesa, e a empresa deixa público que deixará de fabricar produtos de forma interna, optando por licenciar a sua marca para outras empresas em mercados emergentes, como a Índia, por exemplo.

Esta decisão é parte do plano estratégico desenvolvido pelo presidente da empresa, Kazuhiro Tsuga, que tem a missão de arrumar o caixa da empresa.

As últimas previsões indicam que a divisão mobile da Panasonic perderá mais de 1.1 bilhão de ienes durante o atual ano fiscal, e durante o último período fiscal, suas perdas foram de 8.1 bilhões de ienes. Segundo informa Tsuga, “não é aceitável para a empresa sangrar essa tinta vermelha dessa maneira, de modo que temos que pensar em uma forma onde podemos desenvolver nossas propriedades em uma direção mais efetiva”.

Para os fãs dos smartphones da Panasonic, nem tudo está perdido. O fabricante japonês pensa em seguir produzindo telefones reforçados de caráter profissional, complementando assim a sua linha de notebooks resistentes Thoughbook, um segmento onde a Panasonic é mais reconhecida.

Ainda que a Panasonic limitava seus esforços no mercado de smartphones ao Japão, não faz mais de um ano que eles começaram a olhar com outros olhos para o ocidente, com o seu Eluga dL1, um smartphone bem interessante e resistente à água, que infelizmente não chamou a atenção dos consumidores (muito em parte por não conseguir acordos promocionais com as principais operadoras dos Estados Unidso e Europa).

No Japão, a Panasonic também não vai muito bem das pernas. Em 2001, eles eram o segundo maior fabricante de telefones móveis, com 19% do mercado, perdendo apenas para a NEC (que também vai encerrar a sua divisão de smartphones). Hoje, essa porcentagem é de apenas 7%, e as operadoras decidiram se unir à concorrência.

Vendo que a situação da empresa dentro e fora do país era insustentável, não causa nenhuma estranheza a decisão da Panasonic, que decidiu cortar o mal pela raiz.

Via Yahoo!

Yahoo encerra o AltaVista (que eu não fazia ideia que ainda funcionava) e outros vários produtos

by

altavista-logo

Os dinossauros da internet chegaram a usar de forma mais intensa o AltaVista, em um tempo onde todo mundo ouvia o barulho de conexão do modem conectado à linha telefônica. Pois é… um dos ícones da primeira era da internet, da fase pré-Google da rede, está chegando ao fim. Marissa Mayer decidiu encerrar o serviço do buscador, além de outros serviços do Yahoo que não são muito úteis e/ou lucrativos para eles.

A existência daquele que um dia foi considerado o motor de buscas na internet mais famoso do mundo chega ao fim no dia 08 de julho. O fim do AltaVista faz parte da mais recente limpeza promovida por Mayer nos serviços do Yahoo, que inclui o plugin de buscas para navegadores Yahoo Axis (lançado no ano passado), o Yahoo RSS Alerts (que chega ao fim no mesmo dia do Google Reader, em 01 de julho) e o Yahoo Local API.

O AltaVista se transformou no buscador de referência da primeira geração de internautas logo depois do seu lançamento, em 1995. A qualidade dos seus resultados e alguns recursos inovadores na época (como o Babel Fish) fizeram com que esse fosse o site favorito dos internautas, antes do surgimento do Google.

Depois de sua compra pela Compaq, o site se transformou em um portal informativo, compilando uma interface de design minimalista, que foi um dos seus maiores chamarizes de investidores na década de 1990 (antes da bolha, é claro). Depois de muitas idas e vindas, o AltaVista terminou nas mãos da Overture, que por sua vez, foi comprada pelo Yahoo.

Clique aqui para ver a última lista de serviços desativados pelo Yahoo. Da minha parte, fica o sentimento de nostalgia. Eu usei muito o AltaVista em tempos que nem computador eu tinha em casa, e quando tive o meu primeiro PC, logo depois de ouvir a típica trilha sonora do modem, a primeira coisa que eu via ao abrir o jurássico Netscape Navigator era justamente o AltaVista.

Via TechCrunch

Google Buzz chega ao fim, e todo o seu conteúdo vai para o Google Drive

by

google-buzz

Antes do Google+ chegar ao mundo, a gigante de Mountain View fez a sua estreia nas redes sociais com uma plataforma chamada Buzz, que não deu em nada. Em 2011, a Google decidiu acabar com o serviço em 2013, e nesse final de semana, eles resolveram “refrescar a nossa memória”, nos lembrando que a plataforma vai encerrar oficialmente suas atividades em 17 de julho de 2013, e se você tiver algum conteúdo salvo ou registrado por lá, ele será transferido para o Google Drive.

Esse processo vai ser feito em duas etapas. Na primeira etapa, serão salvos de forma privada e apenas para sua verificação todos os seus posts publicados na Google Buzz, tanto os privados quanto os públicos. Na segunda etapa, serão armazenados e disponíveis para consulta pública toda a informação que você deixou em aberto, à vista de todos.

Aqueles que estiverem interessados em bisbilhotar a sua vida na Buzz, vai poder fazer isso através de um link direto. As antigas publicações na Buzz farão com que o usuário seja automaticamente redirecionado nessa segunda área de armazenamento.

A Google lembra que os comentários escritos em artigos de outros usuários serão arquivados na conta do Drive do comentarista, e não podem ser apagados, uma vez que toda essa mudança se concretizar, no dia 17 de julho.

Nem eu mesmo me lembrava que tinha uma conta na Buzz ativa. Tanto, que recebi a tal correspondência, cujo conteúdo você pode ler na íntegra abaixo.

Caro(a) utilizador(a) do Google Buzz.

 

Em outubro de 2011, anunciámos que o Google Buzz iria encerrar. A 17 de julho de 2013 ou posterior, a Google procederá à última fase de encerramento e guardará uma cópia dos seus artigos do Google Buzz no Google Drive, um serviço de armazenamento de ficheiros online. O Google armazenará dois (2) tipos de ficheiros no Google Drive, sendo que os novos ficheiros criados não serão contabilizados para os limites de armazenamento.

 

  1. O primeiro tipo de ficheiro é privado, apenas acessível para si, com um instantâneo dos artigos públicos e privados doGoogle Buzz  criados por si.
  2. O segundo tipo de ficheiro contém apenas uma cópia dos seus artigos públicos do Google Buzz. Por predefinição, este tipo de ficheiro pode ser visto por qualquer pessoa com o link, podendo surgir em resultados de pesquisa e no seu Perfil do Google (caso tenha uma ligação para os seus artigos do Google Buzz). Nota: Os links existentes para os conteúdos do Google Buzz redirecionam os utilizadores para este ficheiro.
  3. Os comentários aos artigos de outros utilizadores apenas serão guardados nos ficheiros desses utilizadores, não nos seus. Assim que a alteração descrita neste email for definitiva, apenas o utilizador poderá alterar as definições de partilha desses ficheiros. Isto significa que se comentou num artigo privado de outro autor, este pode optar por tornar o artigo e os respetivos comentários públicos. Se pretender evitar essa possibilidade, elimine todo os seus conteúdos do Google Buzz agora.
  4. Os novos ficheiros do Google Drive apenas contêm comentários dos utilizadores que tenham ativado o Google Buzz no passado, mas não contêm comentários que tenham sido eliminados antes da transferência dos dados para o Google Drive.

 

Depois de criados, os ficheiros serão tratados como qualquer ficheiro do Google Drive. Pode fazer com eles o que bem entender, (por exemplo, transferi-los, atualizar a lista de pessoas que podem aceder ou eliminar os ficheiros.

 

Antes da criação destes ficheiros, pode ver aqui os artigos do Google Buzz criadas por si. Se não pretender guardar artigosou comentários do Google Buzz nos ficheiros do Google Drive, pode eliminar imediatamente a sua conta e dados do Google Buzz. 

 

Obrigado por utilizar o Google Buzz.

Formspring anuncia o fim de suas atividades

by

size_590_Formspring

Mais uma rede social sucumbe depois de fazer relativo sucesso no seu início. O Formspring, rede social de perguntas e respostas, vai encerrar as suas atividades em abril.

O comunicado foi feito em um post publicado no blog oficial da empresa, assinado por Ade Olonoh, CEO e fundador do serviço. O motivo do fim é o mesmo que fez com que outros serviços online fechassem suas portas: o desafio de tornar esse negócio rentável. Além disso, “apenas” 30 milhões de usuários mantinham o serviço ativo, e estava ficando cada vez mais difícil fazer esse número expandir, o que atrapalhava na hora de adquirir investimentos para o serviço.

Olonoh disse que anuncia o fim do Formspring “com muita tristeza”, e que estava ficando cada vez mais difícil conseguir os recursos necessários para manter o site funcionando. Mesmo recebendo mais de US$ 14 milhões de investimento nos últimos quatro anos, eles não conseguiam mais convencer novos investidores.

As perguntas e respostas poderão ser feitas no serviço até o dia 31 de março. Entre os dias 01 e 15 de abril, os usuários poderão exportar os conteúdos publicados na rede social, e que após esse dia, o site vai sair do ar de forma definitiva.

O Formspring foi lançado em 2009, e rumores já davam conta que nos últimos meses a empresa teria feito cortes orçamentais e de pessoal, dando claros indícios que poderia fechar a qualquer momento.

 

O Installous morreu, e foi o próprio Hackulous quem desligou seus aparelhos

by

Uma ótima notícia para muitos desenvolvedores de aplicativos para iDevices, mas uma verdadeira tragédia para os usuários de smartphones com Jailbreak. O Installous, famosa plataforma gestora de aplicativos não oficiais para iOS, morreu. E foi o próprio Hackulous, grupo responsável pelo serviço, quem deu o golpe final ao serviço.

No site da comunidade existe um breve comunicado, que inicia citando uma famosa frase de “Hamlet”, explicando que, dada a evolução da comunidade e a situação atual dos fóruns, eles decidiram encerrar o serviço, mas não sem antes agradecer o apoio recebido de todos que colaboraram durante todos esses anos com o projeto. Dessa forma, um dos recursos mais conhecidos entre os usuários que defendiam a liberdade nos dispositivos da Apple (e buscavam aplicativos comerciais de uma forma não oficial) deixa de existir.

O comunicado diz:

Boa noite, doce príncipe.

É com muita tristeza que anunciamos o fim do Hackulous. Depois de muitos anos, nossa comunidade se estancou, e os fóruns são uma espécie de “cidade fantasma”. Ficou cada vez mais difícil manter essas comunidades em ordem e bem moderadas, apesar da dedicação de nossa equipe. Estamos muito agradecidos pelo apoio que recebemos em todos esses anos, e esperamos que novas comunidades floresçam com a nossa ausência.

Com muito amor,
Equipe Hackulous

O fim do Installous causa um impacto imediato nesse segmento de dispositivos Apple com Jailbreak. O seu catálogo de aplicativos era um dos mais completos e solicitados por todos aqueles que não queriam pagar pelos aplicativos disponíveis na App Store. Podemos dizer que a Apple vence uma importante batalha contra a pirataria de seus aplicativos? Só o tempo vai dizer de forma concreta, mas pelo menos em uma análise inicial, a resposta é “sim”.

Sony finalmente dá por encerrado o projeto PlayStation 2

by

Nada menos que 12 anos se passaram desde o lançamento do PlayStation 2, e ao longo dessa jornada, ele se transformou no console mais vendido da história, superando as 154 milhões de unidades comercializadas. Mas nada nesse mundo é para sempre, e hoje, 28 de dezembro de 2012, a Sony decidiu anunciar que o console está oficialmente descontinuado.

A despedida do mercado do PS2 vai acontecer de forma progressiva. Primeiro, ele deixará de ser distribuído no mercado japonês, até que o estoque nas lojas daquele país se esgotem. As lojas que ainda comercializam o console não mais receberão novos lotes do produto para oferta ao consumidor.

Mesmo que essa medida seja específica para o mercado japonês, não será surpresa se, nos próximos meses, a mesma Sony repita a decisão nos mercados dos Estados Unidos, Europa e América Latina, dando um fim absoluto ao console.

Com quase 13 anos de mercado, o PS2 sai de cena, deixando o PlayStation 3 como seu console principal, que também deve ser atualizado dentro de, no máximo, dois naos, com um suposto PlayStation 4, deixando assim o PS3 como o console “econômico” da Sony. O PlayStation 2 teve várias versões, desde a original (modelo grande) lançada em 2000, que contou com vários problemas de funcionamento (algo que se repetiu com o primeiro PS3), até o modelo slim, que foi o mais vendido no mercado.

Inúmeros títulos deram ao PS2 a credencial de console de sucesso, como Final Fantasy X, Metal Gear Solid 3, Devil May Cry, God of War (1 e 2), Shadow of the Colossus, entre outros. Este foi um console com ótimos jogos exclusivos, além de um extenso catálogo de títulos compartilhados que surpreenderam, como a série Grand Theft Auto. Além disso, o PlayStation 2 foi o primeiro console a ir mais além de ser simplesmente uma plataforma de jogos, se propondo a ser um centro multimídia de entretenimento, com a sua capacidade de reproduzir filmes em DVD e CDs musicais, opções que foram adotadas no primeiro Xbox.

E mesmo que o primeiro Xbox receba o título de console mais potente de sua geração, o PS2 foi o console mais popular, e seu recorde de vendas ao redor do planeta e na história demonstra isso. O fim do PlayStation 2 chega com um sentimento de nostalgia para os mais fanáticos gamers de todo o planeta, e sempre vamos ter muitas recordações das horas aproveitadas com esse fantástico produto.

Google cancela iGoogle, Google Mini e outros produtos adicionais

by

Tudo nesse mundo chega ao seu fim, e sempre que essa lei da natureza se faz presente, destacamos aqui no blog. Dessa vez, informamos que o Google decidiu cancelar alguns produtos e serviços para se concentrar em outros mais modernos e importantes.

Para começar, a ferramenta de busca corporativa Google Mini não vai receber suporte oficial da empresa a partir do dia 31 de julho. A empresa disse que existem outros produtos que podem oferecer melhores opções, como o Google Search Appliance, Google Site Search e Google Commerce Search.

A lista de produtos continua com o Google Video, que desde março passado já não permite o envio de vídeos, e que tem como substituto óbvio o YouTube. Já o iGoogle pode ser a perda mais significativa. O argumento para o fim é que os aplicativos web atuais podem obter informações personalizadas e de forma instantânea aos desenvolvedores e administradores de sites. O serviço deixa de funcionar em novembro de 2013, dando bastante tempo para que todos busquem novas soluções para substituição.

Por fim, o Google Talk Chatback também deixa de existir, e o Google recomenda ferramentas como o Meebo Bar para substituição. O aplicativo de buscas para o Symbian também não receberá mais suporte, porque os usuários poderão utilizar a página web do Google sem problemas.

Como você pode ver, a lista não é curta, muito menos insignificante, mas recomendamos que caso você use algum desses serviços, que faça as substituições necessárias, antes que você perca tudo e fique se perguntando: “por que, Deus… por que?”.

Via Google Blog

Google Wave se despede, sem dizer adeus

by

O Google Wave chegou a chamar a atenção de muita gente, com opções interessantes e curiosas. Mas não viveu o suficiente para se transformar em um serviço realmente útil, ou ao menos necessário. Ontem (30/04), foi o último dia que o Google Wave ficou ativo, registrando uma existência que durou de 2009 até 2012. E desaparece, sem deixar rastros.

O Google Wave foi um serviço avançado demais para o seu tempo, mas apesar de suas interessantes características, ele nunca chegou a ter uma identidade própria. De qualquer forma, podemos pensar que o Google+ é uma espécie de evolução do Wave, e até alguns serviços do GMail aproveitaram muito bem as tecnologias do recém desaparecido serviço.

Lembraremos do Wave como “aquele que poderia ter sido, mas não foi”.

Via Google Wave

Mozilla decreta o fim do Firefox 3.6, e anuncia o beta do Firefox 13

by

Com desculpas como mal gerenciamento de memória ou simples desconformidade, muitas pessoas simplesmente se recusaram a sair da versão 3.6 do Firefox. Porém, a Mozilla pode forçar à toda essa resistência a ceder ao novo, uma vezes que a empresa anunciou o fim do suporte para esta versão “vintage” do navegador. Para aqueles que ainda contam com o Firefox 3.6, prepare-se: durante o mês de maio, todos serão atualizados para a versão 12 automaticamente.

A medida da Mozilla faz com que a empresa libere recursos para trabalhar em novas versões, como a 13, que passa a ser considerada beta. Essa futura versão inclui novidades como suporte para o protocolo SPDY do Google. E, com isso, a Mozilla segue o seu ritmo frenético de lançamentos de novas versões.

Via Mozilla (link 1 e link 2)

MacBook branco é descontinuado

by

Um dos produtos mais característicos da Apple chegou ao fim, depois de ser um sucesso de vendas no mercado. O MacBook branco perdia espaço constantemente para outros produtos da empresa, mas ainda tinha um bom espaço no mercado educacional (escolas e universidades). A Apple encerra oficialmente o projeto dese modelo, tornando o célebre portátil um objeto do passado. A classificação oficial do produto na página da Apple está como “End of Life”. Agora, a linha de portáteis da Apple é composta apenas pelos modelos MacBook Pro e MacBook Air.

Via MacRumors

Sony cancela o desenvolvimento de aplicativos para o Dash

by

Dois anos depois de apresentar o Dash, durante a CES 2010, a Sony anunciou que o seu porta-retratos inteligente/despertador interativo com Chumby OS chegou ao seu fim como plataforma de desenvolvimento e, ao que tudo indica, como produto comercial também. No site de programadores do produto, um comunicado informa que o site do Sony Dash encerra suas atividades em 29 de fevereiro de 2012, não mais recebendo o desenvolvimento de novos aplicativos. Também está encerrado o fórum para desenvolvedores e sua área de suporte, que fecha as portas no dia 31 de março. Por enquanto, o fim comercial do Sony Dash não foi anunciado, mas eu acredito que, agora, é uma questão de tempo.

Via Área de Desenvolvimento do Sony Dash