Arquivo para a tag: Eclair

Ice Cream Sandwich alcanca os 7.1% da base de usuários Android

by

Ok, eu sei. Chega a ser agoniante ver a lenta evolução do Ice Cream Sandwich para muitos usuários que desejam ver o sistema em seus dispositivos móveis, mas o certo é que a plataforma continua com o seu lento avanço.

Segundo os próprios números do Google através do hub de desenvolvedores do Android, o Ice Cream Sandwich alcançou os 7.1% de usuários de smartphones e tablets do sistema, o que é um aumento até considerável, se pensarmos que no mês passado esse número era de 4.9%. Mas o fato é que a situação atual da plataforma não mudou muito: o Gingerbread segue aumentando sua participação, com 65%, e a fragmentação do sistema aumentou de um mês para cá, com a queda das versões Eclair e Froyo. Abaixo, quadro detalhado de como anda a participação das versões do Android.

Via developer.android.com

Motorola MOTOACTV recebe uma atualização de software para que funcione com qualquer dispositivo Android

by

Até então, os fanáticos por esporte só tinham a possibilidade de usar o MOTOACTV com smartphones da Motorola, mas por algum motivo (quem sabe a aquisição da Motorola Mobility pelo Gooogle?) as coisas mudaram, e agora, permitem que o dispositivo seja utilizado com qualquer dispositivo Android, a partir da versão 2.1 (Eclair) ou superior, e que conte com a conectividade Bluetooth.

Para quem possui o Motorola MOTOACTV e está utilizando o serviço com algum telefone da Motorola, deve atualizar o sistema, porque o novo software traz opções adicionais, como melhor sincronização com o telefone, e a possibilidade de configurar redes Wi-Fi para o relógio a partir do telefone.

Via Android Community

Review | HTC Desire A

by

Mais um review no blog TargetHD. Recebemos da HTC uma unidade para testes do HTC Desire A, um dos lançamentos da empresa para o mercado brasileiro no ano de 2011. Abaixo, vamos mostrar as principais características do produto, e nossas impressões sobre o telefone com sistema Android e curvas elegantes.

Abrindo a caixa, encontramos o telefone devidamente acondicionado.

Este é o adaptador de energia do aparelho, para que o mesmo possa ser carregado na rede elétrica…

… através desse conector, que segue o novo padrão brasileiro de tomadas.

Os fones de ouvido são simples, mas de boa qualidade, oferecendo um bom áudio tanto para chamadas quanto para reprodução musical.

O fone possui o botão para atendimento de chamadas no meio do cabo do fone…

… e o seu plugue indica que o fone possui um microfone integrado.

O HTC Desire A se destaca pelas suas linhas elegantes, e por ser um smartphone realmente pequeno. Ele se acomoda muito bem na mão, e no bolso quase não faz volume.

Observe como o telefone fica pequeno na palma da mão.

Acima, comparativo de tamanho com o Samsung Galaxy Pro e o iPhone 3GS. Aqui, é possível observar que a largura do aparelho é semelhante ao do smartphone da Apple, sendo ligeiramente mais estreito. É um modelo que chama a atenção por ser uma proposta discreta e diminuta.

Na parte superior, os alto-falantes para chamadas, bem integrados ao design do aparelho.

Na parte inferior, temos os quatro botões de comando do Android, e o botão de funções, que também serve como botão de navegação da interface Sense UI da HTC. Apesar de ter quatro botões de comando, a versão Android do modelo enviado para testes é a versão 2.1 (Eclair).

Visão geral de uma das laterais do aparelho. Observem que estamos diante de um smartphone relativamente estreito, que não tem muito volume.

Na parte superior da lateral esquerda, temos os botões de controle de volume.

Na parte inferior, temos o conector do cabo mini USB, para recarga do aparelho e conexão do cabo de dados.

Visão geral da outra lateral do HTC Desire A. Que não tem nenhum botão, mas serve para mostrar detalhes do seu design e acabamento, com destaque especial para a combinação de cores escuras.

Na parte superior, o botão de liga/desliga, além do conector para fones de ouvido.

Visão geral da parte traseira do HTC Desire A.

Na parte superior traseira, a câmera de fotos com flash LED, e o detalhe do logo da HTC encravado na tampa do aparelho.

Na parte inferior, apenas a indicação da presença da interface HTC Sense, que gerencia o Android no aparelho.

A tampa traseira do HTC Desire A é uma tampa de plástico, que possui uma aparência bem resistente, e de fácil encaixe no aparelho.

Visão geral da parte traseira do aparelho sem a tampa. Abaixo, a bateria do Desire A.

Visão geral do aparelho sem a bateria, onde identificamos o slot para chip SIM e slot para cartões microSD.

Agora, vamos ligar o aparelho, e comentar as principais características de seu software.

A interface HTC Sense começa a atuar assim que o usuário liga o smartphone. Já na primeira tela, você já tem a interface interagindo com o sistema operacional.

A tela tem um bom nível de brilho, deixando todos os itens bem visíveis, e com fácil identificação.

Tela home do aparelho, que exibe as principais funções (telefone, e-mail, internet, câmera, relógio, etc). Essa e outras telas podem ser personalizadas de forma simples, e você pode adicionar ou remover widgets e atalhos de forma simples, como em todo telefone com sistema Android.

A interface HTC Sense permite a exibição de widgets interessantes, para feeds de notícias, contatos preferidos e notificações de redes sociais.

Quem comprar um HTC Desire A novo vai receber uma mensagem de boas vindas, no widget de mensagens de texto. No mínimo, uma atitude amigável, para convidar o novo usuário a testar o aparelho e seus recursos.

Widget para previsão do tempo. Bem útil para quem vai usar um smartphone que vai passar a maior parte do tempo conectado na internet.

Tela com alguns dos aplicativos disponíveis no modelo de testes.

Aqui, vemos o teclado QWERTY virtual no modo retrato (na vertical). Um dos problemas de ter um aparelho com dimensões pequenas como esses, é que suas teclas ficam um pouco mais achatadas, e sua digitação fica comprometida para quem tem dedos gordos. É recomendado o uso do teclado virtual na orientação paisagem (na horizontal), onde as teclas são mais espaçadas, e a empunhadura para digitação é melhor, tornando o processo mais confortável.

Caixa de busca e pesquisa rápida do HTC Desire A.

Tela de discagem do telefone, com grandes botões. Difícil digitar um número errado com esse smartphone.

Vamos ver rapidamente o aplicativo para YouTube do aparelho, que como na maioria dos smartphones com Android, funciona de forma perfeita. Abaixo, algumas imagens capturadas do seu funcionamento.

Você poderá ver mais detalhes da qualidade de imagem de vídeos e da performance geral do smartphone em um review em vídeo que publicaremos em breve no blog.

Por fim, algumas imagens da câmera do HTC Desire A em ação.

Por fim, o HTC Desire A está APROVADO. É um bom aparelho Android para usuários iniciantes, e para as mulheres, que vão gostar de suas curvas refinadas. Peca apenas por ter o Android 2.1, deixando o aparelho estacionado na sua evolução, e suas especificações de hardware limitam a sua atualização. Mas, por ter um preço que o posiciona na linha média de smartphones (na faixa de R$ 800), pode conquistar alguns consumidores menos exigentes.

[Dicas de Compras] Tablet ZTE V9 é um dos modelos com 3G mais acessíveis do mercado

by

O tablet ZTE V9 é um dos modelos econômicos de tablets que chegou ao mercado brasileiro no primeiro semestre de 2011, e promete oferecer a utilidade e mobilidade que um produto de sua categoria deve ter. O modelo vem com 512 MB de RAM, processador Qualcommm MSM 7227 (ARM 11), de 600 MHz, conectividade WiFi, Android 2.1, e tela de 7 polegadas. Um diferencial do modelo da ZTE é que ele é compatível com conectividade 3G quadriband, ou seja, é compatível com qualquer operadora GSM do Brasil, permitindo que o usuário navegue pela internet de qualquer lugar, com um produto que está com preço abaixo da casa dos R$ 1.000.



Especificações Técnicas

– Tipo: Desbloqueado
– Operadora: Tim, Claro, Oi, Vivo
– Banda: GSM 850, 900,1800,1900
– Memória Interna: 130MB
– Cartões de memória compatíveis: MicroSD
– Tipo de bateria: Li-ion
– Cor: Preto c/ Prata
– Recursos fotográficos: Zoom digital 5X; Ajuste de branco: automático, incandescente, luz do dia, fluorescente e nublado Frequência: auto, 50 Hz e 60 Hz; Efeitos de cores: normal, preto e branco, sépia e negativo; Armazenar localização: ligado e desligado ISO: auto, ISO 100, ISO 200, ISO 400 e ISO 800; Tamanho da imagem: 3MP, 2MP e 1MP; Qualidade da imagem: alta, média, baixa. Modo de foco: automático e desligado Nitidez: níveis 0, 1, 2, 3 e Contraste: níveis 0, 1, 2, 3 e 4, Saturação: níveis 0, 1, 2, 3 e 4
– Recursos de som: Player de áudio: AAC LC, “HE-AACv1(AAC+)
– Display: Colorido
– Toques: AAC LC,”HE-AACv1(AAC+), AMR/AMR-NB,MP3,MIDI,Ogg PCM/WAV

Preço: R$ 899,00

ZTE lança no mercado nacional o tablet V9, com 7 polegadas e Android 2.1

by

A ZTE inicia a venda do seu primeiro tablet no mercado brasileiro na próxima semana em parceria com operadoras e também para vendas no varejo. A novidade poderá ser encontrada em diversos pontos de venda em todo Brasil com preços acessíveis. Com sistema operacional Android 2.1, o tablet V9 apresenta outra dimensão para acesso a internet, diversidade de aplicativos de entretenimento e negócios, auxilia na portabilidade com uma navegação mais rápida, tela touchscreen TFT de 7 polegadas e apenas 403 gramas, sendo perfeito para ser levado para qualquer lugar com grande facilidade.

O dispositivo V9 apresenta sistema de chamada de voz e acesso à internet por meio da rede 3G (HSUPA), que representa uma velocidade de download de até 7,2 Mbps e de upload de até 5,76 Mbps. O dispositivo tem capacidade de armazenamento de 4 GB micro SD, expansível até 32 GB, 512 MB de memória RAM.

O tablet é também um dispositivo de entretenimento completo, uma vez que sua tela touchscreen e G-sensor podem suportar multimídia e jogos diversos. Além disso, sua capacidade de navegação por GPS pode ser usada como o melhor guia na estrada. Outras características de destaque incluem Wi-Fi, câmera padrão de 3MP, leitor de música e vídeo com suporte Mp4, compatibilidade de formatos de imagem padrão, Bluetooth e bateria de alta capacidade de 3.400 mAh.

via assessoria de imprensa

 

Archos 7 Home Tablet aparece com Android 2.1 e processador de 800 MHz

by

O Archos 7 Home não ficou esquecido pela empresa, e agora tem uma segunda versão, com componentes melhores e um sistema operacional atualizado.

O Archos 7 Home Tablet v2 já está disponível na Europa, e agora oferece aos usuários o sistema Android 2.1, acelerômetro e um processador Rockchip de 800 MHz. O preço está na faixa de, no máximo, 200 euros, que é um detalhe importante para um dos tablets que possui uma ótima relação custo/benefício.

Fonte

Review | HTC Legend

by

Antes de mais nada, vale um esclarecimento aos leitores do blog. Normalmente você veria um review sobre o aparelho, com fotos e vídeos detalhados, como é peculiar no TargetHD.net. Porém, infelizmente, perdemos as fotos tiradas do aparelho para esse review, e como isso aconteceu após a devolução do aparelho para a HTC, ficou impossível ter qualquer tipo de registro fotográfico desses testes. De qualquer modo, queremos aqui registrar nossas impressões sobre o HTC Legend, pois entendemos que as opiniões aqui expressadas podem ser importantes para consumidor e empresa, além do compromisso que temos com os leitores do blog em oferecer o máximo de informações possível em relação ao produto e/ou serviço testado.

Recebemos da HTC para testes o HTC Legend, aparelho que já está disponível lá fora, mas que ainda não tem previsão de chegada no Brasil de forma oficial. Testamos o aparelho durante o mês de outubro de 2010, onde ele pode ser analisado nas suas mais diversas funcionalidades. O kit que recebemos continha apenas o aparelho e um cabo USB, que teoricamente era o suficiente para deixar o aparelho funcionando nos dias dos testes, já que ele carrega pela conexão com o computador. Acredito que tenha mais itens que componham o kit original do aparelho, principalmente um carregador para rede elétrica. Na primeira vista ao aparelho, ele passa um ar de sobriedade e elegância, com um corpo metalizado, que teoricamente é menos suscetível a riscos em caso de queda. O aparelho quase não possui partes de plástico, tendo uma estrutura externa bem resistente. A tela também parece ser mais resistente a acidentes diversos, mas é sempre bom ter um certo cuidado para evitar que sua tela seja esmigalhada pelo seu peso (cuidado ao colocar qualquer tipo de smartphone no bolso traseiro da calça).

Um detalhe a ser observado é a sua tampa de proteção de bateria e cartões microSD e SIM card (a parte preta que você vai ver nas fotos). Eles resolveram utilizar um material emborrachado, ao invés de usar o plástico tradicional. Pouco acaba interferindo no agarre do aparelho, mas ao menos tende a deixar essa parte interna do aparelho mais protegida (teoricamente). Removendo esta proteção, você tem uma pequena proteção plástica, como se fosse uma pequena porta, que protege o acesso aos slots e a bateria. Resumindo: o acesso de sua bateria é relativamente simples, e caso o celular acabe travando por algum motivo (comigo aconteceu pelo menos uma vez), você pode simplesmente remover a bateria, colocar novamente e o Legend funcionará normalmente, sem maiores problemas.

Outro destaque que dou para o HTC Legend é para os seus alto-falantes, que são bem potentes, me dando alguns sustos quando o celular tocava durante a noite. Seu áudio dos falantes é alto o suficiente para que você ouça o aparelho tocando mesmo estando dentro da mochila ou da bolsa. Porém, o que eles colocaram nos falantes externos, retiraram nos falantes internos. Para mim, o volume de áudio para comunicação do aparelho é baixo, e fica difícil ouvir o interlocutor do outro lado se você estiver em um local com um grande volume de pessoas e/ou muito barulho (metrô lotado, no meio do engarrafamento, show de rock, etc). Com certeza, para os ouvidos mais exigentes, será uma dificuldade compreender o que a pessoa do outro lado está falando.

Mais um detalhe a ser observado é que, seguindo a tendência dos aparelhos touchscreen com Android,ele conta com apenas quatro botões físicos: Home, Menu, Voltar e Pesquisar. Mas, no caso do Legend, todos eles dispostos de forma bem elegante, condizendo com o design elegante do aparelho. Sem contar que ele conta com o trackpad (esse disco metálico que você vê no corpo do aparelho). Ele funciona bem na hora de fazer as transições entre as telas ativas do sistema, mas é mais útil quando utilizado para posicionar o cursor durante uma edição de texto. Está presente mais por ser um item “tradicional” da HTC pois, na prática, você quase não vai utilizar esta função no smartphone.

Um detalhe que particularmente me incomodou um pouco foi sobre sua bateria. Não pela autonomia em si, pois apesar de ser um pouco abaixo do que se tem na média (com uso intensivo, ele conseguiu trabalhar por pelo menos um dia e meio), nós bem sabemos que isso é normal nos smartphones, pela quantidade de recursos integrados no aparelho. O que me incomodou de fato foi o tempo que ele leva para fazer a recarga completa dessa bateria através da porta USB, que é acima das 4 horas, que é o que eu considero dentro do limite do aceitável. Talvez isso tenha acontecido justamente pela carga ser feita pela USB do notebook, e não pelo seu adaptador elétrico, mas se você vai precisar de uma carga mais rápida, recomendo que não conte com o seu computador para isso.

Ao ligar o aparelho, nos deparamos com sua interface Sense por cima do Android 2.1 que o Legend recebe. Muita gente pode achar que estas interfaces personalizadas podem descaracterizar o sistema operacional como um todo, deixando o Android sem uma cara “padrão”. Eu penso diferente: as interfaces são criadas para apresentar ao usuário uma experiência simplificada de uso, aumentando as chances de que pessoas que nunca trabalharam com um aparelho desse tipo de interessem a ponto de adquirir um. E, no caso específico do Legend, ele é um aparelho que realmente conquista pela facilidade de uso.Tudo muito fácil, prático e de acesso rápido, sem complicações. Com 7 telas de interface e aplicativos, você pode ter acesso aos recursos mais comuns e usados no dia-a-dia, como fotos, redes sociais, e-mail, previsão do tempo, mapas, entre outros. Tudo isso com um simples deslizar de dedos na tela. Aliás, a resposta ao toque na tela é muito boa (e o que tenho reparado cada vez mais é que a combinação tela AMOLED + tela capacitiva é realmente a melhor possível), tornando o acesso aos programas simples e prático, além de facilitar a digitação de textos diversos (apesar de achar, particularmente, que está sendo mais fácil a adaptação ao teclado do N8, mesmo sendo menor).

Outro ponto que merece destaque é o seu desempenho. E até difícil de se acreditar que o processador desse smartphone conte com um processador de apenas 600 MHz, 512 MB de ROM e 384 MB de RAM. E, nesse ponto, cai um mito: nem todo sistema operacional móvel exige um processador de 1 GHz. É claro que quanto maior a capacidade de processamento, melhor para o usuário, pois aumentam as possibilidades de uso. Mas o fato é que a maioria dos usuários não são usuários avançados, a ponto de ter que usar vários programas ao mesmo tempo, e explorar ao máximo os recursos do equipamento. Logo, o Legend tem mais do que suficiente para rodar o Android limpo, sem travamentos. E, caso o usuário precise de recursos um pouco mais avançados, pode contar com uma sobra técnica razoável.

O acesso à internet do aparelho é simples e prático, e seu navegador vai bem nas principais tarefas na web. Não encontrei a necessidade de buscar outro navegador, nem mesmo outros aplicativos para redes sociais. Os aplicativos nativos de Twitter e Facebook quebram bem o galho para você utilizar para tarefas simples, e para os usuários que não contam com muita intimidade com a tarefa de instalar aplicativos, podem ser utilizados os programas já nativos do aparelho. Porém, os usuários mais exigentes e experientes vão utilizar programas como o Twittdroid e o Tweetdeck, pela quantidade de recursos avançados que são encontrados nestes programas.

Outros destaques: seus sensores estão bem ajustados, principalmente o acelerômetro e o sensor de luminosidade, que aumenta ou reduz o brilho da tela de acordo com a luz do ambiente onde o usuário se encontra. Com isso, fica entendido que, quando o aparelho está no seu bolso (ou bolsa), ou no seu rosto, enquanto você está telefonando, a tela fica permanentemente apagada (e não piscando, como vi em alguns aparelhos iPhone 4). Seu WiFi funciona bem, com identificação de rede, mas com uma leve dificuldade para identificar a rede inicialmente, mas mais por erro meu do que por culpa do aparelho. Sua câmera de 5 MP tira fotos de boa qualidade durante o dia, mas no período noturno, e como as demais, deixa um pouco a desejar nas fotos noturnas, mas menos do que se espera. Ela grava vídeos também com boa qualidade (aliás, melhor do que a média da maioria dos celulares que temos hoje no mercado).

Por fim, meu veredito para o HTC Legend é: APROVADO. É um aparelho que deve agradar mais ao público feminino, pelas suas linhas arredondadas, mas que deve agradar ao público em geral pelo seu desempenho como um todo. Caso a HTC algum dia pretenda trazer o Legend para o Brasil, pode ser uma excelente opção para quem quer um aparelho leve, discreto, elegante, mas com uma fluidez de software exemplar, e recursos simples e diretos.

[Dicas de Compras] Motorola MB502 teve corte de preço. Android tentando se manter firme na disputa pelo consumidor

by

A disputa pelo consumidor para as compras do final do ano começou, e a Motorola resolveu ficar esperta com os seus produtos. Com a mudança de preço do Nokia E71, para R$ 799,00, eles decidiram cortar o preço do seu smartphone equivalente, o Motorola MB502, que conta com teclado QWERTY, tela de 2,8″ full touch com acelerômetro, Motoblur 1.5, WiFi, 3G, GPS e câmera de 3 MP. Sua versão de Android é a 2.1, e é uma excelente opção para quem busca um smartphone que conte com funções corporativas, ou ao menos optimizado para quem precisa escrever e-mails mais longos, e queira escrever com mais frequência mensagens nas redes sociais. Seu preço agora é de R$ 799,00. Pelo o que oferece, é uma excelente opção de compra.

Creative Ziio, com sistema Android, é apresentado oficialmente

by

creative-ziio-10-off

E, ao que tudo indica, parece que realmente temos um tablet vindo das mãos da Creative. Eles apresentaram oficialmente em Londres o Ziio, um dispositivo que conta no seu interior com um processador ZiiLabs ZMS-08, conta com conexões WiFi b/g e Bluetooth 2.1+EDR, suporta uma boa gama de formatos de arquivos diferentes, e pode expandir sua memória via cartões microSD.

Ele roda sistema Android 2.1, e vai estar disponível em versões de 7″ (480 x 800) e 10″ (1024 x 768). A má notícia é que sua tela é do tipo resistiva, infelizmente. Segundo o pessoal do Le Journal du Geek, o Creative Ziio estará disponível nas lojas europeias a partir de dezembro, com preços de 229 (8 GB) e 259 (16 GB) euros, para o modelo de 7 polegadas, e 289 (8 GB) e 319 (16 GB) euros, para o modelo de 10 polegadas.

creative-ziio-7-off

Fonte

[player multimídia] IFA 2010: Samsung Galaxy Player 50 é apresentado oficialmente

by

O Samsung Galaxy Player 50 é uma nova aposta da empresa coreana de um produto com o sistema operacional Android. Ele é, basicamente um celular convencional da Samsung, mas sem as funções telefônicas (mais direto ainda: é o iPod Touch deles). Ele é mais voltado para ser um player multimídia mesmo, mas com os aplicativos, funções e possibilidades que o Android 2.1 pode oferecer, combinado com um Bluetooth 3.0.

Sua tela touch de 3.2″ é suficiente para que se maneje nos seus recursos com tranquilidade e comodidade, se bem que, pelos primeiros testes, os presentes na IFA informam que ele não conta com a mesma suavidade do que outros aparelhos da casa. É um aparelho fino (11,08 mm), leve, e conta com uma carcaça em branco plastificado, com os botões de controle, volume, entre outros. A câmera de 2 MP e o alto-falante ficam na parte traseira. Abaixo, mais fotos do produto.

Fonte

[modding] Um hacker, com muito tempo livre, transfere o seu Touch Wiz UI da Samsung em um Nexus One

by

Em poucos minutos, podemos criar muitas coisas, ou concretizar muitos projetos que acontecem na nossa vida. Uma dessas coisas que podemos fazer é melhorar a interface do Android e, por isso, não é difícil de entender as razões pelas quais levam alguém para portar a interface do TouchWiz da Samsung em um aparelho Nexus One.

Deixando de lado a parte racional da coisa, rolle3k, do fórum xda developers, conseguiu completar a missão, e nos apresenta o resultado, que pode ser visto na foto do post. Por fim, se ainda te sobrou um tempinho neste final de domingo, você pode tentar fazer a mesma coisa, clicando aqui para ver o passo-a-passo desta migração. Se bem que ver TV, ler ou dormir pode ser algo mais proveitoso, comparado à isso.

Fonte

[notícias] Orange lançará um smartphone próprio com Android 2.1 de baixo custo

by

A multinacional francesa de telecomunicações Orange anunciou que vai lançar um terminal Android de fabricação própria nos próximos meses no mercado britânico. O projeto se chama Orange JAL, e será vendido por um preço inferior a 150 libras (ou 178 euros). Seu desenho inicial mostra que será um telefone sem teclado físico, e se for confirmado o projeto, terá câmera de 3 MP e Android 2.1. Por enquanto, seu lançamento está restrito ao Reino Unido mesmo, mas é possível que acabe aparecendo em outros mercados europeus, para fazer frente ao Vodafone 360.

Fonte

Android será atualizado anualmente no futuro

by

A Google atualizou as estatísticas oficiais das diferentes versões de Android espalhadas pelo mundo. E os resultados mostram que as verões 1.5 e 1.6 ainda são a maioria nos aparelhos ativos. Segundo Andy Rubin, tantas versões foram necessárias para se chegar a um sistema estável, robusto e potente. Tecnicamente, isso foi alcançado na versão FroYo do Android. Com isso, a partir de agora, estas atualizações chegarão com um intervalo de tempo muito maior, em períodos quase que anuais, permitindo aos desenvolvedores ter uma maior tranquilidade na hora de desenvolver aplicativos para este sistema. Com esta premissa, as chances de verem a próxima versão do Android apenas em 2011 são enormes.

Fonte

[smartphone] LU2300 e KU9500, novos aparelhos Android de LG

by

O smartphone LG LU2300 já era especulado e sonhado a um bom tempo, sendo um terminal bastante atraente, na teoria. Agora que a LG o apresentou oficialmente, temos a certeza de que ele é melhor do que se esperava. A LG Coreia aproveitou e o lançou junto com outro aparelho, chamado de KU9500, que também não fica nada atrás.

Os dois aparelhos são muito parecidos, contam com sistema operacional Android, processador Qualcomm Snapdragon de 1 GHz, tela touch AMOLED de 3,5″ (800 x 480) e câmera de 5 MP. A principal diferença entre os dois modelos é que o LU2300 conta com teclado QWERTY completo e trackpad integrado. Os dois modelos contam com som Dolby Mobile envolvente, DMB terrestre, WiFi e GPS.

Os dois aparelhos ainda contam com o LG Air Sync, que é um sistema de compartilhamento de dados do usuário, como contatos, calendário, e-mails, fotos, música, entre outros, tal como você faria no seu PC, mas totalmente sem fio. Vem acompanhado do Scan, que é um aplicativo de realidade aumentada.

O LG US2300 chega na Coreia em maio, rodando Android 1.6 Donut, mas vai se atualizar para o Eclair 2.1 até o meio do ano, que é quando o SU950/KU9500 será lançado, também com Android 2.1. Não há previsão de vendas para fora da Coreia, nem preços para os dois smartphones.

Fonte

HTC se desculpa por atrasar a atualização do Hero

by

A fabricante taiwanesa HTC atrasou por várias vezes a atualização do HTC Hero, que perimitira ao aparelho contar com a versão mais recente do sistema operacional Android, uma vez que ele ainda usa o arcaico Android 1.5 (Cupcake), ainda mais que há rumores que o Nexus One chegará no mês que vem já estreando o Android 2.2 (Froyo).

Diante desta situação desconfortante, a HTC comunica que “a integração do Eclair com o HTC Hero tomou mais tempo do que o previsto, e pedimos desculpas pelos inconvenientes. Estamos comprometidos a satisfazer os anseios dos nossos clientes nesta atualização”.

Fonte

Motorola Milestone será atualizado com Android 2.1 na América Latina a qualqer momento

by

Graças a um documento emitido pela Motorola, sabemos agora que o popular Motorola Milestone receberá a nova versão do Android a qualquer momento, ou mais precisamente, no segundo trimestre de 2010. No documento, é possível saber que a atualização do DEXT está sendo avaliada para ser instalada em algum momento, mas nenhuma data em específico é citada. E já que nenhum outro fabricante fala sobre esta informação… agradeçam à Motorola, crianças!

Fonte

[smartphone] O LU2300 é a nova arma Android da LG para combater o mercado coreano

by

Sabemos que muitos fabricantes estão aproveitando a popularidade e versatilidade do Android para incluir-lo em seus novos produtos, sendo que a LG foi a última companhia a oferecer um celular com Android para o mercado coreano.

Na foto acima podemos ver um render do que seria o LU2300, um telefone com processador Snapdragon de 1 GHz, tela AMOLED WVGA, câmera de 5 MP e Android 2.1 como SO. Devemos admitir que seu design não é lá muito atraente, mas as especificações são bem interessantes, e as coisas só podem melhorar, se levarmos em conta que diversos (e populares) aplicativos são adicionados na ROM do produto. Se espera que o lançamento deste modelo aconteça durante o segundo trimestre deste ano. Vamos esperar pra ver.

Fonte

[MWC 2010] O Dell Mini 5 será lançado com uma versão de Android superior à 1.6 #mwc2010

by

O pessoal da Engadget.com teve a chance de conversar com os representantes da Dell na MWC 2010, e eles comentaram algo muito interessante, que tem a ver com o esperado Dell Mini 5.

Segundo palavras do fabricante, o portátil não virá com a versão 1.6 do Android que vimos até agora, mas sim com uma versão mais nova. Como se pode ver, não especificam exatamente de qual versão eles estão falando, mas levando em conta que a compatibilidade com Flash era algo que eles já estão pensando a algum tempo, já dá pra se ter uma ideia do que está por vir. Também deixaram claro que o dispositivo será completamente atualizável com futuras versões, de modo que podemos ter certeza que teremos o Mini 5 para muito breve.

Fonte

[MWC 2010] Acer Liquid E aparece com Android 2.1 e Snapdragon de 768 MHz #mwc2010

by

Aqui está o novo telefone Android da Acer. O Liquid E é uma atualização do Liquid, que tem como maior diferencial em relação ao modelo anterior é o sistema Android 2.1 e um processador que possui underclock (sim, mais lento do que ele pode ser) de 768 MHz.

Entre outras características, ele possui uma tela WVGA de 3,5″, câmera de 5 MP com auto foco, GPS, WiFi Bluetooth, 256 MB de RAM, acelerômetro, conector de fone de ouvido de 3,5 mm e suporte para HSDPA de 7,2 Mbps. Sobre preços ou datas de lançamento, não temos nada anunciado.

Fonte

[MWC 2010] Samsung I8520 Halo, com Android 2.1, tela Super AMOLED e micro projetor #mwc2010

by

Se você se sentiu seduzido pela Samsung Wave, mas anda prefere ter um aparelho Android no seu bolso, dê uma olhada no Samsung I8520 Halo, que vamos mostrar agora.

Quando a Mobile World Congress 2010 começar oficialmente, ele será exibido orgulhosamente pela Samsung, mas você já pode saber saber alguns detalhes dele aqui e agora. Ele é um aparelho Android 2.1, com tela Super AMOLED de 3,7″ de resolução WVGA. Tem câmera de 8 MP, com flash e auto foco, outra câmera VGA para vídeo conferências, gravação de vídeos a 720p e 30 FPS, com suporte para DivX, Bluetooth 2.1, WiFi, 16 GB de memória interna que podem ser ampliadas via slot microSD e alto falantes estéreo. E, de quebra, conta com um micro projetor integrado. Tem ainda interface de usuário criada pela Samsung, parecida com o Bada. Chegará à Europa e Ásia durante o terceiro trimestre do ano, e depois chega à América do Norte.

Fonte