Arquivo para a tag: e-books

Google aposta nos e-books adaptados aos smartphones

by

Google-ebooks-smartphones

A Google está apostando em uma ideia bem interessante: os e-books adaptados às possibilidades do smartphone. Ou seja, livros eletrônicos que realmente marquem uma diferença clara em relação aos livros de papel, graças a todas as portas que um smartphone abre hoje.

Um exemplo disso é o Editions at Play, que define sua atividade como a venda de livros “que não podem ser impressos”, e não por contarem com medidas de proteção, mas sim porque utilizam as capacidades do smartphone para contar suas histórias de forma diferente. Por exemplo, o livro Entrances & Exits, de Reif Larsen, utiliza o Google Street View para contar sua história, permitindo explorar as diferentes localizações citadas no livro através da ferramenta.

Mas isso não é tudo. Em outros livros encontramos diversos efeitos visuais e de som, que oferecem uma experiência única e interessante. É uma grande ideia, mas que ainda está muito verde, e com um catálogo bem limitado.

Via Engadget

Sony abandona o mercado de e-readers na Europa

by

181724363

Primeiro, a Sony fechou a sua loja de e-books para migrar para o Kobo. Agora, eles anunciam que não tem mais planos de lançar nenhum novo leitor eletrônico, abandonando assim esse segmento na Europa.

O modelo mais recente apresentado pela Sony foi o PRS-T3, na IFA 2013, e esse será o último que será comercializado pela empresa no Velho Continente. No Japão, a Sony segue ativa, tanto na venda de livros eletrônicos como na comercialização de dispositivos de leitura.

No Brasil, pelo visto, nada acontece.

Via BBC

MIDIA InkPhone, um e-reader que é capaz de realizar chamadas telefônicas

by

inkphone-0000-1

A Onyx, fabricante chinesa que está presente na CeBIT 2014, apresentou o seu MIDIA InkPhone, um smartphone Android Gingerbread com tela de tinta eletrônica.

Seus criadores decidiram desenvolver um telefone realmente básico, com uma tela e-ink de 4.3 polegadas, e um hardware de dispositivo de entrada. Por outro lado, sua bateria de 1.800 mAh pode entregar uma autonomia de até duas semanas de uso. É claro que, em troca você vai ter que lidar com uma tela de tinta eletrônica lentíssima, e nem o mais paciente dos usuários podem pensar na hipótese de tentar rodar jogos com esse dispositivo.

O produto é pensado nos fãs da leitura, que poderão ler os seus livros em qualquer lugar, sem se preocupar com a autonomia de bateria, e ainda poderão ligar para amigos e familiares para comentar o que está lendo.

inkphone-0001-1

A Onyx possui a sua própria loja de livros virtuais na China, e o MIDIA InkPhone deve aumentar consideravelmente o interesse dos seus consumidores na prática. Vale a pena lembrar que, mesmo sem poder executar uma grande quantidade de aplicativos com a sua CPU Rockchip e sua baixa quantidade de RAM (não revelada), o usuário ainda tem a oportunidade de instalar alguns aplicativos, adicionando os arquivos APK nos seus 4 GB internos (expansíveis via cartão microSD de até 32 GB).

O telefone não possui acesso direto à Google Play, e a experiência de leitura é similar a qualquer e-reader competente do mercado, com a transições dos menus e telas de apps realmente lenta, ao ponto do usuário ter que esperar vários segundos pela atualização da tela. Mas isso pode melhorar, já que o produto apresentado no evento foi um protótipo.

Seja como for, o InkPhone é uma proposta tão peculiar quanto econômica. Seu preço sugerido é de apenas 140 euros, e por enquanto, sua comercialização direta está garantida apenas na Alemanha e Polônia. Porém, a Amazon.com promete distribuir o produto em escala mundial.

inkphone-0002-1 inkphone-0003-1 inkphone-0004-1 inkphone-0005-1 inkphone-0006-1 inkphone-0007-1 inkphone-0008-1

Sony lançará o seu e-reader A4 em dezembro, mas com um preço (quase) proibitivo

by

sony-dpt-s1-0004

A Sony levou meses apresentando o seu protótipo de tela e-ink de grandes dimensões, que se apresentou em forma de e-reader de grande porte. Agora, chegou o momento da verdade: ele vai chegar ao mercado.

O fabricante japonês anunciou ontem (07) que o seu chamativo e-reader com tela de 13.3 poleadas estará disponível para compra no Japão no próximo dia 3 de dezembro. O produto, que inicialmente é pensado para um uso educacional – de forma prioritária -, tem um preço sugerido de 100 mil ienes, ou US$ 1.009. Só para lembrar: dá para comprar mais de 10 unidades do Kindle mais simples nos Estados Unidos com esse valor.

Diante de tal cenário, as chances de vermos esse produto no mercado tradicional (nem falo no Brasil, falo no mercado internacional mesmo) são muito pequenas. Mesmo assim, ele segue sendo um produto muito interessante. Só é caro demais.

sony-dpt-s1-0005

O produto conta com uma tela e-ink com tamanho equiparável ao de uma folha A4 com a tecnologia Mobius (que, entre outras coisas, troca o cristal por uma fina película protetora) e uma resolução de 1.200 x 1.600 pontos. Além disso, o produto conta com conexão WiFi, e concentra todos os seus componentes em uma espessura de 6.8 mm e peso de apenas 358 gramas. Para que você tenha uma ideia do que estou falando, ele é mais leve que o novo iPad Air.

Consciente que o seu preço o deixa (infelizmente) bem longe do estudante médio, a Sony decidiu mudar o foco do produto, fazendo um discurso mais pensado para o entorno empresarial. Para isso, eles oferecem um suporte para trabalhos com documentos financeiros, além de oferecer um lápis para anotações e correções necessárias na tela.

É uma pena. Um produto como esses tinha tudo para fazer um grande sucesso nas escolas e universidades. Mas parece que temos aqui, mais uma vez, a “Sony sendo a Sony”.

Mais fotos do produto a seguir.

sony-dpt-s1-0000 sony-dpt-s1-0001 sony-dpt-s1-0002 sony-dpt-s1-0003

Novos serviços da Amazon: X-Ray, Kindle FreeTime, Whispersync e Kindle Serials

by

Para acompanhar os novos modelos de tablets e e-readers, a Amazon anunciou uma série de novos serviços, que vão complementar a proposta desses produtos, oferecendo ainda mais entretenimento e produtividade, para diferentes segmentos. Falamos dos serviços  X-Ray, Kindle FreeTime, Whispersync e Kindle Serials.

Começamos pelo X-Ray, que está dividido em dois segmentos: X-Ray for Movies e X-Ray for Textbooks, que em resumo, são sistemas que exibem informações adicionais e de fácil compreensão sobre filmes e livros educativos. No caso do X-Ray for Movies, o serviço trabalha com uma associação com a base de dados do IMDB.com, o que permite a exibição de nomes, biografias e fotos de atores com um simples pausar do filme na tela, e alguns simples cliques.

Já o X-Ray for Textbooks funciona de forma similar ao X-Ray for Books, mas permitindo ver informações adicionais à aquilo que está disponível na tela. Por exemplo, o serviço mostra um glossário de termos, um atalho para a Wikipédia, ou um link para o YouTube, de acordo com as configurações do livro.

Já o Kindle Fire FreeTime é uma espécie de modo especial para as crianças poderem desfrutar dos novos tablets em um ambiente considerado o mais seguro possível. Entre outros detalhes, a plataforma permite a criação de vários perfis dentro de um mesmo dispositivo, para poder gerenciar exatamente aquilo que os seus filhos devem acessar, e por quanto tempo.

Esses filtros estarão separados em função do tipo de conteúdo, e contam com a particularidade que até podem mudar a cor do fundo entre preto e azul, para que o adulto que está supervisionando possa se dar conta rapidamente se a criança conseguiu acessar algum conteúdo não autorizado.

A seguir, temos o Whispersync for Voice, que é uma tecnologia que sincroniza livros falados com livros digitais, e que permite que continue a leitura a partir de qualquer um dos dois métodos. Ou seja, você pode escutar o livro no seu carro, e continuar a ler o livro que estava escutando quando chegar em casa (vale lembrar que a Amazon é dona do Audible).

E isso não é tudo. A Amazon também anunciou o Whispersync for Games, que vai permitir a gravação do progresso dos seus jogos na nuvem. Ou seja, você pode jogar Angry Birds em um dispositivo, salvar o progresso, retomar do ponto onde parou em outro, e por aí vai.

Por fim, o Kindle Serials, que é uma forma de comprar novas publicações de uma forma contínua. Você paga uma vez, e recebe todos os números que vão aparecendo, indexando-se um atrás do outro para seu consumo. Por enquanto, só há oito títulos disponíveis no acervo, mas a Amazon promete expandir esse conteúdo em breve. cada episódio vai custar US$ 1.99, de modo que será perfeito para os amantes da leitura em pequenas doses, e também para esses escritores que não podem esperar muito para ter finalizado o seu livro.

Via Engadget

Amazon anuncia o novo Kindle Paperwhite, com tela capacitiva e iluminação frontal

by

A Amazon começa a apresentar as suas novidades nos Estados Unidos. A primeira delas é que o Kindle Paperwhte, o novo leitor de livros eletrônicos da empresa, é oficial. Jeff Bezos anunciou o novo produto, que se destaca por ser (finalmente) a versão com tela iluminada do seu popular Kindle. Mais: seu nome faz referência direta à tela do dispositivo, dotada com iluminação frontal e controles sensíveis ao toque (capacitivos), no lugar dos típicos sistemas de infravermelho.

Segundo indicou Bezos no evento, a tela do Paperwhite oferecerá até 25% a mais de contraste que as telas e-ink Pearl utilizadas hoje pelos produtos da empresa, e com uma melhor resolução, com 212 ppi, o que representa um aumento de 62%. O sistema de iluminação é baseado na transmissão de luz por fibra ótica, mas diferente do Nook, parece ser notavelmente mais branca. O brilho da tela poderá ser regulado pelo usuário, através de um controle deslizante, o que reforça o conceito que o produto é totalmente sensível ao toque, sem oferecer nenhum tipo de controle físico. Sua espessura é de apenas 9.1 mm, e na teoria, a sua bateria pode aguentar até 8 semanas de uso.

O Kindle Paperwhite vai custar US$ 119 nos Estados Unidos (versão WiFi), e o produto chega ao mercado no dia 01 de outubro.

Post em desenvolvimento – será atualizado em breve.

Via Engadget

Amazon no Brasil no quarto tirmestre de 2012, afirma a Reuters

by

Segundo a Reuters, a Amazon planeja chegar ao Brasil em definitivo no quarto trimestre de 2012, mais precisamente entre os meses de outubro e novembro de 2012. A agência de notícias tem como fonte os representantes de editoras brasileiras, além de uma fonte da indústria que conhece os planos da Amazon.

A fonte afirma que “o Brasil será o primeiro país em que a Amazon entra apenas com os produtos digitais, e essa decisão foi tomada por motivos logísticos e dificuldades tributárias”. Ou seja, pelo menos por enquanto, a Amazon não vai trabalhar no mercado brasileiro com livros e filmes em formato físico, ou mesmo em dispositivos eletrônicos de parceiros. Por outro lado, dispositivos como o e-book reader Kindle e o tablet Kindle Fire devem ser lançados no mercado nacional.

Falando mais sobre o Kindle, a Amazon tem como objetivo principal dominar 90% do mercado brasileiro de e-books, aproveitando o fato de muitos brasileiros já acessarem o conteúdo da empresa pelos dispositivos comprados fora do país. A má notícia está no preço especulado para o leitor de livros eletrônicos da empresa no mercado nacional: R$ 500, valor que é três vezes maior do que aquele praticado nos Estados Unidos. Por outro lado, esse valor ainda é mais baixo do que os seus concorrentes, que fabricam os e-book readers no Brasil.

A Amazon espera oferecer no Brasil um acervo de aproximadamente 10 mil livros digitais até o período do Natal.

Via Reuters

Barnes & Noble torna oficial o e-book reader NOOK Simple Touch, com tecnologia GlowLight

by

Mesmo com os tablets sendo mais atraentes que os e-book readers, ainda há um grande público que não descarta a possibilidade de comprar um produto específico para as leituras dos seus livros. Para eles, a Barnes & Noble faz uma nova oferta para esse público, atualizando o seu modelo mais simples, o Nook Simple Touch, que passa a contar com uma tela com tecnologia GlowLight.

O produto já está disponível para compra, com o preço sugerido de US$ 139. Ao adotar a tecnologia GlowLight, eles se colocam um passo a frente dos leitores da Amazon ou da Sony, uma vez que as duas empresas não foram capazes de adaptar a iluminação de suas telas de forma automática, e dependendo das condições de luz que o produto é exposto.

No vídeo do final do post é visto como o sistema funciona, iluminando a tela do dispositivo em ambientes com pouca luz, o que é uma excelente vantagem para quem quer ler no escuro. A Barnes & Noble garante que a iluminação é uniforme sobre a tela, além de ser agradável o suficiente para não cansar a nossa vista. Com isso, fica claro qual é a proposta da empresa, que é se manter no mercado de leitores eletrônicos. Infelizmente, a empresa não revelou qualquer informação quando as primeiras telas E-Ink coloridas chegarão ao mercado.

Sua bateria possui uma autonomia prometida de até um mês com apenas uma carga de bateria, com um uso diário de 30 minutos. Vídeo abaixo.

Via Gizmologia

iBooks 2: a plataforma da Apple que pretende “reinventar” o livro tradicional

by

A Apple anunciou de forma oficial o iBook 2, que segundo a descrição da empresa, é “a reinvenção do livro” tal e como o conhecemos. Quase 1 milhão e meio de iPads são utilizados para fins educacionais, e sua loja de conteúdos já conta com aproximadamente 20 mil aplicativos com fins didáticos. Logo, nada melhor do que aproveitar todo esse potencial.

Roger Rosner catalogou esse novo aplicativo com uma experiência que, segundo ele, um livro convencional não pode competir, uma vez que não só proporciona ao leitor a possibilidade de buscar a informação, mas também de complementar a leitura com animações 3D ou definições atualizadas em tempo real.

A leitura pode ser feita nas orientações horizontal ou vertical, e também há locais para anotações ou questionários, para reforçar o aprendizado. As primeiras editoras que apostam no iBooks 2 são: Pearson, McGraw Hill e Houghton Mifflin Harcourt, que oferecem alguns volumes ou capítulos de suas obras de presente para atrair os curiosos.

O aplicativo estará disponível gratuitamente, mas cada livro vai custar aproximadamente US$ 15 “ou menos”.

Via Engadget

O evento da Apple de amanhã estaria relacionado com ferramentas para publicação de livros

by

As últimas informações publicadas pelo site da Bloomberg dão conta que o evento da Apple a ser realizado amanhã em Nova York não está relacionado a um novo dispositivo com iOS ou de algum hardware atualizado, mas deve marcar a estreia de uma série de novas ferramentas que facilitariam a publicação de livros interativos, ou de outros conteúdos educativos digitais.

Esses recursos estarão disponíveis para as grandes editoras, professores e pesquisadores independentes, que poderão preparar suas aulas de forma mais eficiente, e publicar seus estudos sem necessidade de fechar um acordo com uma grande editora. Ainda de acordo com a Bloomberg, o sistema utilizado pela Apple vai se basear em uma versão modificada do padrão ePub, e terá como objetivo aumentar a penetração do iPad como ferramenta educacional nas escolas.

Via Bloomberg

AUO mostra o seu protótipo de papel eletrônico flexível, a base de energia solar

by

Se você se preocupa com o crescimento dos e-readers, e com a necessidade de ter que encontrar uma tomada acessível em qualquer lugar, é porque voc~e ainda não viu esse novo protótipo de papel eletrônico da AU Optronics. A empresa parece estar empenhada em reduzir o leitor de livros digitais que conhecemos a uma espessura mínima, transformando o produto em uma espécie de folha enrolável, fabricada com uma tela TFT orgânica de 6 polegadas, com 800 x 600 pixels de resolução, espessura de 0.127 mm e taxa de refresh de 50 Hz.

Por causa de sua baixa espessura, seus desenvolvedores adicionaram uma bateria de apenas 10 gramas do produto, que se encarregará de transformar a luz solar ou artificial em energia par ao dispositivo, para que você possa se esquecer da tomada de uma vez por todas.

A única desvantagem? Ele não é maleável o suficiente para que você dobre o produto em forma de avião, como fazemos com o nosso jornal (bom, alguns de nós fazem).

via Engadget

Amazon apresenta um novo modelo do Kindle, com preço de US$ 79

by

O terceiro lançamento da Amazon no dia de hoje é de um novo modelo de Kindle, diferente do Kindle Touch, e diferente do modelo antigo do Kindle, já que não conta com um teclado físico na sua estrutura.

O objetivo desse modelo de Kindle é ser uma opção mais barata para o consumidor, tanto que o modelo tem preço de apenas US$ 79. O produto já está disponível para compra na Amazon, e de modo internacional, e representa um corte de preço interessante, já que o modelo anterior custava US$ 114. Em contrapartida, esse e-reader conta com um modelo de publicidade integrada aos conteúdos apresentados, que estará ativo apenas no modelo vendido nos Estados Unidos. As propagandas aparecerão na tela de modo não intrusiva, nos momentos onde você não está lendo algum livro. A versão sem publicidade custa US$ 109, e será esta que será distribuída ao redor do planeta.

via Amazon

Amazon anuncia o Kindle Touch: a partir de US$ 99, em versões WiFi e 3G

by

A segunda novidade da Amazon no dia de hoje é uma nova versão do seu leitor de livros eletrônicos. O Kindle Touch é um simples leitor de e-books que não conta com controles físicos, sendo manejado pelo usuário através da tela touchscreen.

Serão oferecidas duas versões do produto: uma com WiFi, e outra, com WiFi + 3G (com conexão sem fio gratuita e vitalícia em mais de 100 países). Sua tela é multitouch do tipo e-ink Pearl, de 6 polegadas. A Amazon deixa claro que o produto não é um tablet (para isso, temos o Kindle), e sim um e-reader com tinta eletrônica tradicional.

Jeff Bezos, CEO da Amazon, disse que o produto possui “a tela e-ink mais avançada do mundo”, e que unido à sua eletrônica de baixo consumo, permite que o usuário desfrute de uma autonomia de uso de até dois meses. O e-reader conta com 4 GB de memória interna (aproximadamente 3 GB disponíveis para o usuário armazenar 3 mil livros), peso de 213 gramas e medidas de 172 x 120 x 10,1 mm.

Cabe um destaque para sua interface no modo de leitura. Ao abrir um livro, a tela se divide em três tarjas verticais: nas laterais, você pode mudar de página, para frente ou para trás; a tarja central é para você exibir as opções na tela. Se você faz clique em uma palavra em particular, uma função chamada X-Ray busca o seu significado na Wikipedia, entre outros recursos.

O Kindle Touch está disponível para reservas a partir de hoje, e o envio das primeiras unidades acontece em 21 de novembro. Preços: no lançamento, há uma promoção nos Estados Unidos, onde o modelo vai custar US$ 99. Após a chegada do e-book reader ao mercado, seus preços são de US$ 139 (WiFi) e US$ 189 (WiFi + 3G).

via Amazon

Sony Reader PRS-T1: o leitor de 6 polegadas mais leve do mundo #ifa2011

by

Fino. Essa foi a palavra do dia na coletiva da Sony na IFA 2011. O Sony Reader PRS-T1 segue essa tendência, e é agora o leitor de livros eletrônicos de 6 polegadas mais leve do mundo, além de ser muito fino. Afinal, são apenas 168 gramas de peso, e 8,99 mm de espessura.

O modelo conta com tela touch e-ink Pearl (600 x 800), que combina a nitidez e excelente visibilidade da tinta eletrônica (mesmo com luz natural), com a possibilidade de mudar as páginas com o dedo, ou fazer o zoom em forma de pinça com os dedos. Também é interessante a possibilidade de buscar uma palavra no dicionário apenas tocando nessa palavra, além da integração de anotações, com a ajuda de uma caneta Stylus.

A memória interna do PRS-T1 é de 2 GB (expansível via microSD de até 32GB), e integra uma antena WiFi, para que você possa baixar conteúdos de sua loja de livros, suportando formatos EPUB, PDF e TXT. Sem usar a conectividade sem fio, você tem uma autonomia prometida pela Sony de mais de um mês de uso. Utilizando o WiFi, você tem autonomia de até 3 semanas.

A Sony vai lançar o Reader PRS-T1 a partir de outubro na Europa.

via Engadget

Panasonic Raboo UT-PB1, outro e-reader colorido, com alma de tablet

by

Enquanto os fãs de leitura ao redor do mundo seguem desejando os e-readers de tinta eletrônica colorida que nunca chegam ao mercado, empresas como a Panasonic estão dispostas a ocupar esse espaço, com tablets de difícil aceitação para os leitores mais exigentes, mas que podem ser suficientes para os usuários casuais. O modelo que vemos hoje recebe o nome de Raboo UT-PB1, e será lançado no Japão em 10 de agosto, por aproximadamente US$ 444.

O modelo tem tela de 7 polegadas de tela, e já conta com 600 livros disponíveis para download em sua loja de livros Rakuten. Seu sistema operacional é o Android Froyo, e o modelo utiliza processador de núcleo duplo (sem revelar o fabricante), para gerenciar a sua interface personalizada. Seu peso é de 400 gramas, conta com 8 GB de memória, WiFi, Bluetooth, slot para cartões microSDHC, navegador de internet e cliente de e-mails. O único problema é que o único formato de livros que ele é capaz de ler é o XMDF. Vídeo do produto abaixo.



via Akihabara News

iRiver Story HD, o primeiro leitor de livros eletrônicos com Google eBooks integrado

by

A Google anunciou que o iRiver Story HD (que foi visto pela primeira vez na CES 2011) será o primeiro e-reader do mundo com o Google eBooks integrado, tendo o seu lançamento nos Estados Unidos programado para o dia 17 de julho, nas lojas Target. Seu preço será de US$ 139,99, e vai manter as mesmas especificações do protótipo original, com sua tela de 1024 x 768, processador A8 e 2 GB de memória interna, expansível via cartões SDHC.

A plataforma do Google eBooks está aberta para todos os fabricantes e editores que querem utiliza-la, mas a iRiver foi a primeira a contar com um produto com essa plataforma. A Google afirma que há mais dispositivos chegando com o Google eBooks. E esperamos que ela esteja disponível em outros países.

via Google Blog

ViewSonic ViewBook 730, o tablet de baixo custo de 7 polegadas, e inspirações de e-book reader

by

A ViewSonic aumenta a sua família de tablets, com o lançamento do novo ViewBook 730. Com ele, a empresa pretende alcançar os usuários que querem combinar as características de leitor de livros eletrônicos e tablet em um único dispositivo, com um preço econômico.

Para isso, eles oferecem uma proposta de tela de 7 polegadas (800 x 480), 8 GB de armazenamento interno (expansível via cartões microSD), processador Cortex A8 de 1 GHz, que promete suporte aos conteúdos a 1080p, trabalhando em parceria com uma saída HDMI. O sistema operacional Android é a 2.2 (Froyo), e o tablet acompanha uma caneta stylus, para anotações.

Tem previsão de chegada ao mercado para o final do mês de junho.

via Android Central

Fujitsu mostra um conceito tablet/portátil híbrido dobrável

by

A ideia de portáteis híbridos não é nova, e apesar disso, devemos admitir que esse conceito desenvolvido pelo Hao-Chun Huang é bem original. Com o prêmio Life With Future Computing da Fujitsu, temos o Flexbook, que tem a sua tela dobrável e um teclado com diferentes posições, para se transformar em um portátil com tela com resolução 21:9, ou um tablet, ou até mesmo um simples e pequeno leitor de livros eletrônicos.

É impossível dizer se ele um dia chegará a ser fabricado, mas nunca é demais pensar nas interessantes possibilidades que produtos como esse podem oferecer no futuro.

via Engadget

Paranga: tornando o livro eletrônico mais próximo do livro tradicional

by

Um dos principais problemas que os mais resistentes aos livros eletrônicos reclamam é a perda do contato com as folha de papel. E, de fato isso é algo que os e-readers não possuem. Mas graças ao trabalho de um grupo de pesquisadores da Universidade de Osaka, isso pode mudar.

Eles conseguiram criar um sistema que simula ação do passar as páginas com o polegar, fazendo com que se sinta o roçar das páginas em nosso dedo, enquanto que o leitor vai avançando ao mesmo tempo. Além de trazer a sensação física das páginas, o Paranga (nome do projeto) pode fazer a busca de um capítulo no modo tradicional. Abaixo, vídeo que demonstra o curioso sistema, que pode se transformar em um acessório para tablets e e-readers no futuro.

via DVICE

Barnes And Noble está descontinuando o Nook 3G, por causa das fracas vendas

by

Em dezembro de 2010, a rede de livrarias norte-americana Barnes & Noble informava que os produtos Nook estavam vendendo muito bem. Pois bem, agora vemos que esta frase não se aplicava a todos os modelos. Segundo informações do Engadget, os modelos Nook 3G estariam sendo descontinuados, em virtude dos fracos números de vendas, o que quer dizer que os leitores de livros eletrônicos WiFi estão na preferência dos usuários.

A Barnes & Noble está informando aos seus sócios que não envie nenhuma ordem de compras do Nook 3G, por que o mais provável é que não existam unidades suficientes para satisfazer esses pedidos, e na verdade, se chegaram a este ponto é porque não receberam muitas ordens de compras. E o ciclo dos gadgets continua: uns chegam, e outros saem do cenário.

via Engadget