Arquivo para a tag: desenvolvedores

Android deve receber em breve suporte para múltiplos usuários em smartphones

by

android-l-launcher

Hoje, os usuários de tablets Android podem criar diferentes usuários em seus dispositivos. Agora, esse sistema pode chegar aos smartphones com o sistema da Google.

A nova funcionalidade não foi implementada nos smartphones até agora porque, segundo esclarece a própria Google, não havia ainda uma forma eficiente de administrar as chamadas recebidas entre vários usuários. Pelo visto,e sse problema foi solucionado, pois o suporte multiusuário está disponível “como parte da próxima build pública”.

Imagina-se que a opção para bloqueio de aplicativos específicos ou inclusão de senhas devem funcionar tal como nos tablets, e que as novidades estarão disponíveis no Android L (não antes disso). O suporte multiusuário foi mencionado por um funcionário da Google na página para desenvolvedores do Android, e ainda não é uma decisão oficial. Mesmo assim, esse funcionário disse que o recurso já foi implementado pela equipe de desenvolvimento em versões de testes do software, o que deve indicar que não deve faltar muito para se tornar uma opção oficial.

Via Android Police, Google

O Project Tango cresceu, e se transformou em um tablet

by

tango-tablet_white

No final de maio, começaram a aparecer os rumores sobre a Google ampliar o Project Tango até o tamanho de um tablet. Poucos dias depois, e o rumor se tornou real, com a NVIDIA como protagonista do produto. Um tablet de sete polegadas é o novo membro da família de dispositivos desse projeto. Apresentado como ferramenta de desenvolvimento, ele estende para um formato maior a mesma ideia que conhecemos no smartphone, ou seja, criar mapas 3D com as câmeras do dispositivo.

Sobre suas especificações – sem entrar em detalhes sobre as câmeras -, estamos diante de um tablet com chipset NVIDIA Tegra K1, 4 GB de RAM e 128 GB de memória interna. Sua tela de 7 polegadas possui resolução Full HD, e o sistema operacional não poderia ser outro que não o Android 4.4 KitKat. É um dispositivo para criar conteúdos a partir do cenário onde nos movemos, mas sem deixar de lado as conectividades WiFi, LTE e Bluetooth 4.0.

O Project Tango na sua versão tablet estará disponível pelo preço de US$ 1.024, e os interessados precisarão passar por um registro prévio, que começa no final de junho. Suas unidades são limitadas, e começam a ser enviadas no final de 2014.

Do modelo original (em forma de smartphone), foram lançadas 200 unidades para os desenvolvedores, e é esperado que com o tablet, o número seja semelhante. Ao que parece, a indústria de videogames é a que mais tem interesse no produto, onde empresas como a Unity ou a Epic já estão trabalhando com o Project Tango.

 project-tango-tablet

tango-2

Via Google, NVIDIA

Flame é o smartphone oficial da Mozilla com Firefox OS, pensado nos desenvolvedores

by

flame-1

O Flame, smartphone da Mozilla com Firefox OS orientado aos desenvolvedores já pode ser reservado, com um preço sugerido de US$ 170.

O modelo é fabricado pela Thundersoft, que ao lado da Mozilla vai oferecer o dispositivo com suas especificações de linha média, que tem a missão de convencer os desenvolvedores do Firefox OS, com um telefone oficial e especialmente pensado neles. Apesar de contar com 1 GB de RAM, existe a opção de ajustar essa quantidade entre 256 MB e 1 GB. A ideia qui é oferecer uma experiência de uso adequada para analisar o comportamento de um aplicativo com diferentes configurações de memória.

O Flame conta com um processador dual-core Qualcomm Snapdragon MSM8210 de 1.2 GHz, tela de 4.5 polegadas (480 x 854 pixels) suporte para redes 2G/3G, 8 GB de armazenamento (expansíveis via slot para cartões microSD), receptor A-GPS, suporte NFC e Dual SIM. Possui ainda uma câmera traseira de 5 megapixels, câmera frontal de 2 megapixels e bateria de 1.800 mAh.

Detalhe: ele pode ser reservado no mundo todo.

Via Mozilla

Project Ara: Google já tem data marcada para evento sobre telefones modulares, que podem custar US$ 50

by

projetct-ara

Duas notícias importantes sobre o Project Ara, um dos itens que ficaram com a Google no processo de venda da Motorola para a Lenovo. O projeto – é sempre bom lembrar – tem como objetivo oferecer um telefone modular ao usuário, tanto no desgin como nos componentes internos.

A primeira notícia é que a Google confirmou um evento para desenvolvedores, que acontece entre os dias 15 e 16 de abril, em San Francisco (EUA). No evento, além de oferecer mais informações sobre o projeto, se tornará publico o kit de desenvolvedores (nesse caso, MDK, já que o M é de Modular), para que os primeiros módulos de um futuro smartphone Ara sejam pensados.

Com esse MDK, diferentes empresas poderão conhecer os detalhes e condições do projeto, e se decidirem se podem seguir em frente com a proposta. A implementação será de livre escolha e com uma especificação aberta.

projetct-ara-2

A segunda notícia sobre o Project Ara está relacionado ao suposto preço do produto. Em uma entrevista para a revista Time, Paul Eremenko, um dos responsáveis do projeto, informou que o desejo da Google é que esses smartphones modulares custem apenas US$ 50.

A fonte também revela detalhes interessantes sobre o projeto. O plano da Google é criar um telefone personalizável módulo por módulo, oferecendo uma espécie de esqueleto inicial, cuja base é composta pela tela e rádio WiFi, e os demais itens são adicionados progressivamente. A Google quer vender esse smartphone pelo valor de US$ 50, e que o mesmo sejam vendidos em todo e qualquer tipo de loja. A partir daí, os usuários poderão adicionar os módulos e componentes que desejam.

Apesar de parecer vago em suas declarações, Paul garante que ainda falta muito para a Google chegar ao preço de US$ 50 no projeto, e também não está claro que tipo de demanda contará esses smartphones. Porém, parece que o pessoal de Mountain View está levando a ideia a sério. Muito a sério.

Via Project Ara, Time

Samsung abre os seus relógios Gear e o aplicativo S Health, para que novos apps apareçam

by

samsung-gear-2-neo

A Samsung não vai cometer com os novos smartwatches Gear o mesmo erro do Galaxy Gear original, e decidiu começar do zero com o Tizen. Os coreanos já lançaram o SDK das suas pulseiras e relógios Gear, convidando os desenvolvedores a criar aplicativos, enriquecendo assim o ecossistema dos acessórios.

Outro pilar da estratégia de quantificação e cuidados da saúde dos dispositivos é o S Health, e a Samsung também abriu o aplicativo para que apps de terceiros possam trabalhar com a plataforma. Eles informam que os dados relacionados com a saúde do usuário serão elementos considerados chave no uso do smartphone em um futuro muito próximo, com mais de 30% dos usuários recorrendo aos aplicativos de saúde e exercícios em seus smartphones hoje.

Lembrando: o Samsung Galaxy S5 chega ao mercado em 11 de abril, com o seu SDK disponível, para que os desenvolvedores aproveitem os recursos novos, como o leitor de digitais ou o modo multi-tela.

Via Samsung

King, desenvolvedora do game Candy Crush Saga, registra a palavra “Candy”

by

Candy-Crush-patente

O mundo das patentes e marcas registradas está beirando ao absurdo: as empresas registram sistemas e palavras que são de uso geral, e que tais registros jamais deveriam ser concedidos. O último abuso nesse sentido aconteceu com a palavra “Candy”. O Escritório de Patentes e Marcas Registradas dos Estados Unidos, que concedeu à King, empresa desenvolvedora do jogo Candy Crush Saga, o registro da já citada palavra. Com isso, a King pode agora forçar os demais desenvolvedores a não utilizarem a palavra “Candy” em seu segmento.

A empresa iniciou o processo de registro dessa marca em 6 de fevereiro de 2013, e no dia 15 de janeiro de 2014, a palavra “Candy” foi cedida à King. E isso teve um efeito imediato: vários desenvolvedores foram contactados pela criadora do Candy Crush Saga, que por sua vez solicitou que eliminem os jogos ou projetos que contam com essa palavra em seu nome, ou que demonstrem de forma clara que não estão infringindo essa marca registrada.

Um dos afetados, Benny Hsu (responsável pelo jogo “All Candy Casino Slots – Jewel Craze Connect: Big Blast Mania Land”), informa que vai retirar essa palavra do nome do seu jogo, uma vez que ele não encontra outra solução imediata para resolver o problema. E fica o aviso: se você é um desenvolvedor, tenha muito cuidado na hora de escolher uma palavra para batizar seus jogos e aplicativos.

E não só isso. A patente cedida ao pessoal da King afeta marcas de roupas e outros segmentos diversos do comércio em geral, que de alguma forma estão relacionados ao jogo, ou com produtos que se aproveitam do sucesso do Candy Crush. Algumas lojas online já retiraram do seu catálogo tais produtos com essas características.

Via Forbes

Um desenvolvedor confessa por que odeia tanto o Nintendo Wii U

by

nintendo-wii-u-zelda-edition-controller

Que o Wii U é pouco querido entre os gamers e especialistas, isso não é segredo para ninguém. E isso também acontece com os desenvolvedores, que demonstram uma receptividade ainda mais fria, basicamente por conta de três elementos: os problemas de desempenho, as funções de internet muito limitadas e as baixas vendas, que dificultam a rentabilidade dos jogos comercializados. Porém, resta a pergunta: como eles chegaram a esse ponto?

Um desenvolvedor anônimo decidiu colocar a boca no trombone, e deu uma entrevista polêmica para o site Eurogamer. Para começar, ele ataca em cheio o desempenho do processador, e afirma que esse elemento foi uma fonte de preocupações desde o começo, mas também passou pela precariedade das ferramentas de programação oferecidas pela Nintendo.

A fonte também ataca sem dó nem piedade a falta de experiência da Nintendo com os serviços online, uma vez que eles esperaram até quase o último minuto antes do lançamento do console para oferecer aos desenvolvedores o acesso para a Nintendo Network. Isso aconteceu pelo fato dos técnicos que atenderam aos desenvolvedores em uma conferência telefônica reconhecerem as dificuldades de criação de uma rede online forte o suficiente para competir com as redes da Microsoft e da Sony, e por conta disso, ofereceram aos desenvolvedores muito pouco acesso à rede do Wii U.

E essa é apenas uma amostra de tudo o que o nosso amigo revelou. Se quiser ler o testemunho na íntegra (em inglês), clique aqui.

Motorola Moto G é agora um produto de código aberto, por decisão da própria Motorola

by

moto-g-8gb-03

O Motorola Moto G é um dos smatphones de maior destaque no mercado atual (e um dos reviews mais solicitados aqui no TargetHD… calma, pessoal… vai sair…), e de certo modo, o sistema operacional que ele carrega (o Android) já é de código aberto. Porém, a Motorola decidiu liberar todos os códigos fontes do dispositivo, como ROMs e Kernels para desenvolvedores estudarem o dispositivo com maior riqueza de detalhes, e para os mais curiosos descobrirem como o mesmo foi desenvolvido.

A maioria dos meros mortais não precisam desses códigos para absolutamente nada. Até porque a maioria dos mortais são consumidores dos produtos, logo, não terá serventia nenhuma os tais kernels. Porém, para a grande quantidade de desenvolvedores de aplicativos e soluções pensadas nos smartphones Android, essa é ótima notícia. Terão a oportunidade de estudar a fundo a estrutura de software, e desenvolver soluções ainda melhores para um dos melhores smartphones de linha média do mercado.

Por tabela, o usuário final é beneficiado. Afinal de contas, o dispositivo ficará melhor, não só com melhorias de software vidas de desenvolvedores independentes, mas também pelos novos aplicativos e widgets que certamente serão lançados. E tudo isso, de graça.

Em resumo: essa é uma excelente notícia para os proprietários do Moto G. E, para aqueles que estavam meio reticentes com essa nova fase da Motorola, é melhor rever conceitos. Do jeito que eles estão trabalhando (ou melhor, que a Google está trabalhando com eles), o futuro aparenta ser muito promissor.

Para mais detalhes, acesse a página da Motorola na Source Forge.

04-botao-clique037-180.jpg

 

Via Android Central

Desenvolver aplicativos para iOS é algo cinco vezes mais lucrativo do que desenvolver para o Android

by

ios7-press

Que desenvolver para o iOS é algo mais lucrativo que desenvolver para o Android, isso já era um fato conhecido por muitos. O que a gente não tinha uma ideia muito clara era o quanto isso era mais lucrativo. Um estudo da Business Insider mostra que, enquanto o Android tem a maior base de usuários do mercado, o iOS segue dominando no quesito monetização, gerando um lucro cinco vezes maior.

O Business Insider utilizou dados de várias empresas de desenvolvimento de aplicativos, como App Annie, Flurry, entre outros. De acordo com o estudo, enquanto um aplicativo para iOS gera US$ 1 por download para o desenvolvedor, o mesmo aplicativo para Android gera apenas US$ 0.19 por download. Por outro lado, a diferença de dinheiro gasto para a compra de um aplicativo em cada plataforma é menor: US$ 0.43 gastos em média no Android, contra o mesmo US$ 1 no iOS.

No mês passado, a Nanigans informou que uma publicidade veiculada no iOS resulta em um retorno (pelo menos) 1.800% maior que a mesma publicidade veiculada no Android. Curiosamente (e facilmente explicável diante desses números), os anunciantes que escolhem o Android para promover os seus produtos e serviços registram um retorno negativo dos seus investimentos, com perdas de 10%.

Ou seja, a publicidade no iOS é mais cara, e existe uma razão para isso: ela funciona. “Normalmente, não procuramos um investimento para retorno imediato, mas sim, para um retorno a longo prazo. Então, nós pagamos mais para obtermos resultados mais duradouros”, afirmou Dan Slagen, executivo da Nanigans.

Via Business Insider

O primeiro tablet com o sistema Tizen é lançado (mas está ao alcance de poucos)

by

tizen-tablet

O Tizen segue com o desejo de mostrar ao mundo que pode se transformar em um sistema operacional móvel competitivo, e a melhor forma de fazer isso é (talvez) seguir expandindo o sistema para outros formatos. Por conta disso, começa a ser oferecido no mercado japonês para “alguns interessados” (explico isso daqui a pouco) o primeiro tablet com o sistema operacional Tizen.

O produto possui uma tela de 10.1 polegadas (1920 x 1200 pixels), com processador quad-core ARM (Cortex-A9) de 1.4 GHz, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento. O produto é fabricado pela desconhecida Systena, e pelo menos nesse período inicial de lançamento, tem uma missão: chegar nas mãos dos desenvolvedores (única e exclusivamente), oferecendo para eles um pacote que inclui tanto as ferramentas de desenvolvimento de aplicativos, como manuais e informações técnicas do fabricante para conhecer o produto em detalhes.

O tablet não se esquece de oferecer câmeras frontal e traseira, conectividade Bluetooth 3.0, Wi-Fi b/g/n e leitor de cartões, além de estar disponível nas cores vermelho e branco. Não há informações sobre o seu preço – os desenvolvedores interessados devem pedir informações sobre os valores de aquisição do produto diretamente no site da Systena -, mas vendo o público específico que eles buscam, tudo indica que não será algo barato.

De modo que vamos ter que esperar mais um pouco para ver um tablet com o Tizen no mercado. Mas não tanto a ponto que muitos desistam de testá-lo.

tizen-tablet-foto tizen-tablet-foto-2

 

Via Systena

Desenvolvedores não terão acesso ao Touch ID do iPhone 5s

by

iphone-5s-novo-botão-home

Um dos recursos mais interessantes presentes no iPhone 5s foi a tecnologia de identificação biométrica. O potencial desse recurso é enorme, podendo ser utilizado para diversas finalidades, como por exemplo desbloquear o iPhone ou confirmar as compra feitas na iTunes. Porém, você, amigo desenvolvedor, que ficou empolgado com as possibilidades de uso do recurso, tire o seu cavalinho da chuva. A Apple afirma que os desenvolvedores não terão acesso ao sensor Touch ID.

Quem confirma a informação é ninguém menos que Phil Schiller, vice-presidente sênior da Apple. O executivo afirmou que acesso do recurso está vetado aos desenvolvedores, porém, não confirma se o recurso estará disponível no futuro ou não. Vale lembrar que Tim Cook, durante a apresentação do recurso no evento de ontem, afirmou: “você provavelmente pode imaginar os diversos (outros) usos (para o recurso).”

Resumindo: até uma segunda ordem, o Touch ID está fora do alcance dos desenvolvedores. A empresa reforça que as impressões digitais dos usuários não serão armazenadas nos seus servidores, para garantir a segurança dos usuários. Pensando em um espectro mais amplo, faz todo o sentido essa decisão da Apple. Apesar de entender que a maioria das pessoas são honestas e responsáveis (eu pelo menos quero acreditar nisso), você nunca sabe quando um desonesto pode utilizar esse recurso para atividades ilícitas. E pior: como ele pode ser criativo para prejudicar um grande grupo de usuários.

Via AllThingsD

iOS 7 beta 5 está disponível para download

by

ios7beta3a

Apenas oito dias. Esse foi o tempo que o beta 4 do iOS 7 durou. Os servidores da Apple já estão oferecendo a possibilidade de download da nova versão beta 5 do sistema operacional, seja via OTA (Over The Air) ou através da respectiva conta de desenvolvedor.

Como vem sendo normal, esse novo pacote de software inclui mais ajustes que oferecem melhorias de desempenho nos dispositivos, ainda que (como sempre) teremos que esperar os primeiros comentários dos usuários mais corajosos que se animaram a instalar a nova versão para conhecer de perto quais são os segredos que a nova compilação esconde.

Para mais detalhes sobre a atualização, clique aqui. Lembrando: se você vai realizar essa atualização, faça isso por conta e risco.

Via 9to5Mac

Sobre o ataque ao portal de desenvolvedores da Apple

by

devprotal38

Durante esse último final de semana, a comunidade conectada recebeu a notícia quase surpreendente do ataque ao portal de desenvolvedores da Apple. As informações foram um tanto quanto desencontradas, mas o que temos de concreto é que o estrago foi grande. Tanto, que o tal portal ficou fora do ar nos últimos três dias, e segue assim, sem previsão de retorno.

A Apple oficialmente confirmou que o portal sofreu um sério ataque que comprometeu a segurança dos dados dos desenvolvedores lá cadastrados e de seus aplicativos. A própria empresa de Cupertino emitiu hoje (22) um comunicado para se posicionar oficialmente sobre o assunto.

Palavras da própria Apple:

Na última sexta-feira (19), aconteceu uma invasão contra os dados pessoais de nossos desenvolvedores registrados e de nossa página web. Informações pessoais consideradas sensíveis foram codificadas, e não podem ser acessadas. Porém, não somos capazes de descartar a possibilidade que alguns nomes de alguns desenvolvedores, endereços de web e/ou e-mails tenham sido visualizados pelos invasores.

A Apple manifestou as suas intensões de reconstruir todo o seu sistema de base de dados, e atualizar os servidores para evitar futuros ataques. A empresa também tenta tranquilizar todos aqueles que tiveram que atualizar suas contas, ou que tiveram os seus registros apagados, garantindo que os seus períodos de utilização do portal foram ampliados, e que os aplicativos continuam na App Store.

Repetindo: não há uma data de retorno para o portal de desenvolvedores (pelo menos nada oficial por parte da Apple), porém, a empresa disponibiliza um formulário de contato para todos aqueles que querem realizar consultas nos próximos dias.

Para acessar esse formulário, clique aqui.

Via MacWorld

Para a Sony, “se você programa para o PS4, programa para o PS4”, seja um grande editor ou pequeno programador

by

playstation-4

A atual geração de consoles serviu para romper barreiras. Não só o jogo online deixou de ser um simples complemento, mas passou a ser um pilar fundamental para a experiência de jogos para as três principais plataformas do mercado. E esse pilar fez com que os desenvolvedores independentes pudessem chegar ao grande público de forma mais prática e simples do que no universo dos PCs.

A Microsoft foi uma das empresas que mais se esforçou para incentivar esses desenvolvedores, mas a Sony apresentou ofertas realmente tentadoras durante a E3 2013. E continua fazendo isso, com o anúncio de que a empresa não vai fazer distinções entre os pequenos estúdios independentes e as gigantes do setor, como a Electronic Arts ou a Ubisoft.

Para simplificar as coisas: no entendimento da Sony, se você programa para o PlayStation 4, você terá os mesmos direitos de qualquer outra empresa envolvida no desenvolvimento de jogos para a plataforma. Quem afirma isso é Agostino Simonetta, Senior Account Manager do departamento de desenvolvimento da Sony Computer Entertainment Europe, que informa que a Sony criou uma estratégia de edição de jogos baseada em quatro pilares simples:

  1. Todos os desenvolvedores são editores
  2. Igualdade de oportunidades
  3. Relação pessoal
  4. Não haverá obstáculos, apenas jogos

A ideia da Sony é que todas as empresas contem com o mesmo tratamento, de forma que ainda que uma pequena desenvolvedora independente, formada por apenas duas pessoas que trabalham cada uma no seu quarto, sem o respaldo financeiro e publicitário de um grande estúdio, tenha as mesmas oportunidades para lançar os seus jogos para o PlayStation 4. “Cada desenvolvedor é um editor que merece o nosso respeito. Não separamos ou segregamos os editores independentes dos tradicionais”, garante Simonetta.

O que Simonetta quer dizer é que o tratamento entre os indies (que publicam os seus jogos de forma prioritária no formato de downloads digitais) e as grandes empresas (centradas no formato de distribuição de mídia física) será o mesmo. Além disso, os estúdios independentes poderão trabalhar diretamente com a Sony para estabelecer promoções, sem a necessidade de intermediários, acelerando assim os trâmites de aprovação.

Na teoria, a ideia é espetacular. O que queremos saber é qual tipo de mecanismo a Sony pensa em estabelecer para evitar a massificação de jogos de médio porte. Mesmo assim, as declarações de Simonetta soam como a mais doce música clássica para os ouvidos de desenvolvedores independentes, que estão ansiosos para que o mundo conheça os seus jogos.

Via DigitalSpy

Google suspenderá o pagamento aos desenvolvedores Android na Argentina a partir do dia 27 de junho

by

Google-Play-Logo

Através de um comunicado que não entra em maiores detalhes, a Google notificou os desenvolvedores de aplicativos Android na Argentina que não mais vai aceitar aplicativos pagos daquele país a partir do dia 27 de junho. Com isso, os desenvolvedores da apps que dependem dessas vendas para manter os seus projetos não mais receberão pelas vendas de seus aplicativos, e o último pagamento programado pelas suas vendas acontecerá no dia 22 de julho.

A nova política afeta exclusivamente os aplicativos pagos, ou aqueles que permitam realizar o pagamento a partir do próprio aplicativo. Obviamente, os aplicativos gratuitos seguem disponíveis na Google Play, sem maiores problemas.

A Google não deixa claro o real motivo para essa decisão drástica, mas tudo indica que a medida está diretamente relacionada com as novas regras econômicas impostas pelo governo da presidente Cristina Kirchner. Em todo caso, fica evidente que a Google evitou dar qualquer tipo de explicação, até mesmo para não assumir parte da culpa para o problema.

Uma das alternativas oferecidas aos desenvolvedores foi a abertura de uma conta em algum outro país, e transferir o aplicativo para essa nova conta. Porém, essa medida tem efeitos colaterais (principalmente na busca desse aplicativo de forma regionalizada), mas é uma possibilidade para aqueles desenvolvedores que dependem das vendas desses aplicativos.

Se levarmos em conta o poder que a internet possui para incentivar a economia e criar empregos, essa decisão da Google é péssima por vários aspectos. Porém, muito pior é a política da Argentina que impede que as pessoas ganhem dinheiro dessa forma. O ideal seria que os governos trabalhassem em conjunto com as empresas de tecnologia, promovendo assim o desenvolvimento e uso de novas soluções.

Mas como não vivemos em um mundo perfeito…

Via The Verge, Google Play

Participe da App Day, evento gratuito da Microsoft para desenvolvedores do Windows 8

by

app-day-microsoft

Se você é um programador (ou é alguém curioso e dedicado que quer aprender) e não tem nada pra fazer, pode ampliar os seus conhecimentos e explorar novos horizontes. Amanhã (20) a Microsoft vai realizar o App Day um treinamento online de desenvolvimento de aplicativos para Windows 8. O evento começa a partir das 9h, e é voltado para todos aqueles que querem conhecer um pouco mais da ferramenta de desenvolvimento do Windows 8.

O evento temo como principal objetivo oferecer informações, esclarecer dúvidas e passar dicas para os desenvolvedores. Durante todo o dia de amanhã, os participantes poderão acompanhar todo o processo da criação de um aplicativo para o Windows 8, indo dos passos inicias do desenvolvimento até a publicação do aplicativo na Windows Store. Com isso, a Microsoft oferece a oportunidade dos programadores pensarem seriamente na possibilidade de transformar a sua ideia em um aplicativo promissor.

A Microsoft vai contar com a ajuda de “replicadores”, profissionais que farão treinamentos presenciais em 53 cidades espalhadas pelas regiões do Brasil. Esses replicadores vão orientar os inscritos em diversas atividades propostas pela equipe da Microsoft, em São Paulo. Com esse projeto, a Microsoft oferece um treinamento de qualidade, além de propostas de remuneração, maior flexibilidade em linguagens de desenvolvimento, e uma maior abrangência na plataforma Windows.

Todas as ferramentas para desenvolvimento e publicação de aplicativos serão apresentadas pelo pessoal da Microsoft, para ajudar o programador iniciante ou avançado a implementar da melhor forma possível a sua ideia, inclusive incluindo propagandas e ajustando a mesma para ser vendida em diferentes segmentos.

Os participantes receberão o conteúdo técnico e um Certificado de Participação exclusivo, caso o profissional tenha o seu aplicativo publicado na Microsoft Store. O prazo para uma eventual publicação do aplicativo na loja é de 15 dias. Sem falar que você vai para um Hall da Fama no site da App Day.

Para mais informações, acesse a página do App Day no site da Microsoft.

Agenda:

9h00-9h35 – Setup e Introdução
9h45-10h10 – Webcasts Parte I (Criação de Conta na Windows Store)
10h10-10h25 – Atividade I
10h25-11h35 – Webcats Parte II (Desenvolvendo sua App)
11h35-12h00 – Atividade II
12h00-13h00 – Almoço
13h00-13h30 – Webcats Parte III (Submeta sua App na Windows Store)
13h30-14h00 – Atividade III
15h00-15h30 – Webcasts Part IV (FAQ)
15h30-15h45 – Encerramento

A partir de agora, o Google só contabiliza os usuários ativos nas estatísticas de versões Android

by

android-stats-april2

Com a finalidade de deixar a sua análise de participação de versões Android algo mais dinâmico e próximo da realidade de momento, o Google decidiu que, a partir de agora, vai apenas computar em seus resultados os dispositivos ativos em seu estudo de Dashboards. A medida vai ilustrar melhor qual é o real cenário de fragmentação do sistema Android, e mostrar de forma mais clara a taxa de crescimento ou decréscimo de cada versão.

Nos últimos anos, o Google ofereceu dados sobre a porcentagem de usuários de cada versão, mas não fazia tal discriminação entre dispositivos ativos e cadastrados. Como resultado, os números nunca correspondiam com a quantidade de acessos que a Google Play possui hoje. A partir de agora, eles deixam de lado todos os dispositivos que simplesmente se conectam ao servidor do Google, se limitando exclusivamente à análise dos acessos à loja de conteúdos digitais.

Com essa nova métrica, podemos observar a taxa de crescimento dos dispositivos com Android Jelly Bean, que alcança a porcentagem de 25% do total de dispositivos Android ativos. Mesmo assim, o domínio segue com o muito defasado Android Gingerbread, que mantém sua liderança com 39,8% (antes essa participação era de 44,2%).

Na prática, esses dados são voltados mais para os desenvolvedores, que por sua vez precisam saber em qual versão eles devem investir os seus recursos e novos aplicativos, visando sempre chegar ao público adequado. Para os usuários, o recado é claro: a partir de agora, seu novo smartphone Android deverá contar com o Jelly Bean. Esqueça os demais.

 

Via Android Dashboards

BlackBerry lança uma edição limitada do Z10, em vermelho, para desenvolvedores

by

A BlackBerry quer garantir que o seu evento pensado nos desenvolvedores (conhecido como BlackBerry Jam), que vai acontecer em Amsterdã (Holanda) seja um sucesso absoluto de público. E para atrair esse grupo seleto de usuários, a empresa criou uma edição limitada do BlackBerry Z10 em vermelho, feita exclusivamente para os desenvolvedores.

A atraente edição limitada do produto terá uma tiragem de apenas 12 mil unidades, e é uma espécie de “agradecimento” para todos os desenvolvedores que enviaram algum aplicativo para a BlackBerry World (lembrando: todos aqueles que enviaram algum aplicativo, e que o mesmo foi aprovado pela BlackBerry), pensados no BlackBerry 10. Essa é uma agradável surpresa que vai alegar aos aventureiros desse novo sistema operacional.

As primeiras notícias relacionadas ao BlackBerry 10 se alternam entre sucesso e fracasso. No dia seguinte ao anúncio do novo sistema e dos novos smartphones, as ações da BlackBerry na Bolsa de Valores nos Estados Unidos caíram 5%. Por outro lado, as pré-vendas e inscrições de usuários interessados em receber o novo smartphone foram em um volume muito considerável (segundo a BlackBerry), e em alguns locais, a pré-venda está esgotada.

No Brasil, o BlackBerry Z10 deve chegar ao mercado no meio do mês de março. Tudo vai depender dos acordos que a BlackBerry vai fechar com as operadoras em atividade por aqui.

Via BlackBerry

Google Play Store agora permite aos desenvolvedores responder as avaliações dos usuários

by

Lentamente, o Google está fazendo mudanças na sua Play Store, e para melhor. Ontem (10), eles finalmente anunciaram a adição que muitos desenvolvedores estavam solicitando a muito tempo. O recurso de resposta aos comentários dos usuários foi anunciado em junho, mas estava disponível apenas para alguns desenvolvedores “premium”. Agora, com a mais recente atualização da Play Store, todos os desenvolvedores podem agora interagir com os reviews dos usuários.

O estágio beta do recurso de resposta aos comentários foi removido, permitindo assim a todos os desenvolvedores que possam responder os comentários dos usuários sobre os seus aplicativos, oferecendo uma interação direta entre desenvolvedor e usuário, e colocando o suporte ao usuário em um próximo nível.

Isso pode ser uma faca de dois gumes. Para um desenvolvedor que não está apto a responder diretamente às solicitações e comentários dos usuários em seus aplicativos, vai ficar muito claro para os usuários porque aquele aplicativo é mal avaliado. Por outro lado, os usuários podem simplesmente classificar com uma única estrela o aplicativo apenas para receber uma resposta rápida do seu desenvolvedor.

Essa disponibilidade de resposta aos comentários será liberada em estágios. Logo, os desenvolvedores vão ter que verificar se a função está disponível em seus respectivos painéis de controle.

Via SlashGear

Evento para desenvolvedores de S40 e Windows Phone promovido pela Nokia e INdT acontece em 15 de dezembro, em Manaus

by

Você, designer e programador interessado em descobrir novas técnicas e habilidades nos sistemas S40 e Windows Phone, apareceu uma última chance de você aumentar as suas habilidades. A Nokia e o INdT (Instituto Nokia de Tecnologia) vão realizar nos dias 15 e 16 de dezembro o INdT Mobile Labs, que tem como objetivo principal estimular o conhecimento e as técnicas de programação nas duas plataformas.

No INdT Mobile Labs, os participantes vão participar de painéis que abordam oportunidades e inovações dentro do segmento de desenvolvimento para as plataformas móveis S40 e Windows Phone. Além das palestras, uma hackathon (maratona de desenvolvimento e programação de soluções) de 24 horas vai acontecer entre os dias 15 e 16 de dezembro, onde os criadores dos três melhores aplicativos vão receber prêmios exclusivos, como os smartphones Nokia Lumia 920 e Nokia Asha 308.

O evento acontece entre os dias 15 e 16 de dezembro, no Hotel Caesar Business, em Manaus (AM). Além do ambiente de desenvolvimento técnico, o evento também visa fomentar o crescimento do ecossistema de desenvolvimento através de discussões consideradas relevantes para desenvolvedores, designers, estudantes das plataformas, startups, pequenas empresas e universidades.

É de interesse do INdT buscar novos talentos na programação em universidades brasileiras e de toda a América Latina, aumentando assim as possibilidades de novas soluções para essas plataformas surgirem. O primeiro dia do evento vai contar com palestras ministradas pelos evangelizadores do INdT, além da participação de Daniel Rosa, gerente de ecossistemas da Nokia Brasil, e de Rodrigo Marques, representante da Microsoft Most Vaulable Professional.

Para se inscrever no INdT Mobile Labs, clique aqui.

Serviço:

INdT Mobile Labs
Onde: Hotel Caesar Business Manaus

Quando: 15 de dezembro, das 09h às 18h + 24 horas de Hackathon

Via Assessoria de Imprensa – INdT