Arquivo para a tag: chrome

Windows 10 te avisa que o Chrome consome mais bateria

by

windows 10 notebook

Que o Chrome consome mais bateria, isso é algo que já sabemos. Porém, o fato fica mais contundente quando o Windows 10 exibe uma notificação na barra de tarefas alertando sobre isso.

A recomendação diz: “mude para o Microsoft Edge para obter até 36% a mais de autonomia na navegação web”.

É claro que a Microsoft pode fazer com o Windows 10 o que quiser, mas esta é uma forma evidente de promover o seu navegador, aproveitando a sua própria plataforma e tentar capturar usuários do Chrome para o Edge. E nem todo mundo vê isso com bons olhos.

Conselho? Ou propaganda disfarçada dentro do Windows 10?

23

Várias fontes contactaram a Microsoft para esclarecer a questão. A empresa respondeu que as notificações (ou “conselhos do Windows”) foram criados para oferecer informações rápidas e simples para ajudar a experiência de uso com o Windows 10, mostrando informações úteis para ampliar a autonomia de bateria. Lembra também que o Windows 10 oferece a liberdade para o usuário escolher o seu navegador padrão, assim como o motor de busca.

Tudo é uma questão de ponto de vista e tolerância do usuário. Em todo caso, é possível desabilitar os “conselhos” através dos ajustes das notificações.

Via Neowin

Ao que parece, o Material Design está chegando ao Chrome

by

MD2

A interface Material Design pode estar chegando ao navegador Chrome. Sua estreia poderia acontecer na versão 50 do software, ou seja, mais de um ano e meio depois de estrear no Android Lollipop.

As mudanças localizadas estão “escondidas” e parecem não ter sido totalmente finalizadas. À primeira vista, as mudanças parecem ser mínimas, mas olhando para os detalhes, podemos ver mudanças evidentes, como por exemplo nas bordas quadriculadas e menos arredondadas nas abas, a mudança do menu no formato “hambúrguer” por um com três pontos, e mudanças menores em outros elementos, como favoritos e histórico.

Screenshot_2016-01-07_at_10_38_53_AM__1_

Vale uma menção especial ao novo modo incógnito, que apresenta um tom mais escuro, deixando um diferencial estético muito claro. E também vale a pena lembrar que o Chrome 50 deve oferecer melhorias de desempenho, algo muito solicitado pelos usuários.

material-design-chrome media

Via The Next Web

Um site que bloqueia o seu navegador apenas por visitá-lo

by

crashsafari-topo

Com certeza você já se deparou com algum site que acabou bloqueando o seu navegador. È algo bem desagradável que acabou com sua longa coleção de abas abertas, mas jamais imaginamos que algum dia sentiríamos a necessidade de entrar em um endereço web cuja única função é bloquear o seu navegador.

É isso o que acontece com o crashsafari.com (é óbvio que não vamos deixar o link desse site, por motivos óbvios), uma página que gera uma cadeia infinita de caracteres, o que acaba sobrecarregando o navegador Safari até que o mesmo seja bloqueado. A pior parte dessa equação é que a sua funcionalidade não se limita ao navegador da Apple para o iOS e OS X, mas também parece funcionar no Chrome para Android e Windows.

Aparentemente, a falha parece não incluir nenhum tipo de malware ou algo semelhante, mas para solucionar o mesmo é algo bem simples: basta reiniciar o navegador ou, na pior das hipóteses, o computador por completo.

Infelizmente, existe a possibilidade de alguém se utilizar dessa vulnerabilidade para comprometer a segurança do seu equipamento, ou simplesmente fazer graça utilizando um encurtador de URLs (cuidado com os seus amigos malas, metidos a piadistas nas redes sociais). É de se imaginar que, com uma simples atualização dos navegadores, o problema do crashsafari seja resolvido. Mas pelo menos por enquanto, fique de olho: não clique em links considerados suspeitos.

Via AppleInsiderThe Guardian

Nova vulnerabilidade no Android pode sequestrar o seu smartphone rapidamente

by

482411440

Hackers descobriram uma vulnerabilidade crítica no Chrome para Android, que pode colocar em risco qualquer versão do Android que utiliza a última versão desse navegador.

Guang Gong demonstrou a vulnerabilidade Quihoo 360 no evento PacSec em Tóquio (Japão), e ainda que por enquanto a forma de aproveitar essa falha de segurança seja uma incógnita, ao menos sabemos que utiliza o JavaScript v8, para tomar o completo controle do smartphone da vítima.

O mais impressionante é que um simples disparo do exploit faz com que se obtenha acesso privilegiado para carregar softwares sem a interação do usuário. Tão logo o smartphone acessa a página com a vulnerabilidade do JavaScript v8 no Chrome, um aplicativo aleatório é instalado, sem qualquer tipo de interação por parte de usuário, assumindo o controle do dispositivo.

Infelizmente, o uso desse “truque”n na vida real tem objetivos muito mais para causar estragos, e muito menos para fazer brincadeiras inofensivas. A Google foi informada sobre o assunto.

Via The Register

Chrome para iOS ficou mais bonito com o Material Design

by

chrome-ios-materialdesign

Aos poucos os aplicativos da Google vão se adaptando ao Material Design. O aplicativo Chrome para iOS recebeu a nova tendência de design do pessoal de Mountain View, e agora se apresenta um aplicativo mais bonito, incorporando novos gráficos e efeitos, com movimentos mais fluídos.

A atualização também está disponível com a otimização para o iOS 8 e compatibilidade com smartphones maiores, assim como o suporte para transferir o conteúdo do Chrome ao seu navegador padrão no OS X. As melhoras de estabilidade e correção de bugs também estão incluídos no pacote.

Clique aqui para fazer o download dessa nova versão (40.0.2214.61). =

Netflix informa que vai oferecer suporte ao Linux em breve

by

ubuntu-netflix

Os usuários do Linux esperaram pacientemente por anos para que a Netflix oferecesse suporte para esse sistema operacional. Pois bem, Paul Adolf, engenheiro da empresa de streaming, publicou em uma lista de desenvolvedores do Ubuntu que em breve o Netflix vai funcionar no Linux com ‘Chrome estável 14.02, com o plugin NSS 3.16.2 ou superior’.

Não chega a ser uma grande novidade, já que a Netflix já funciona há muito tempo em vários dispositivos com softwares baseados no Linux, como Android, Roku e Chrome OS. Além disso, mesmo que se justifique a ausência do serviço no Linux por conta do uso da tecnologia Silverlight da Microsoft, a verdade é que ao mudar o ‘ser-agent’, foi possível usar a versão HTML5 do player sem qualquer problema. Mas esse é um incômodo que os usuários Linux não precisam passar.

Sobre o plugin NSS (Network Security Service), item necessário para o funcionamento do Netflix, a Canonical confirmou que a versão exigida será enviada aos usuários através de uma atualização do sistema em uma ou duas semanas. Em todo o caso, não duvidamos que mentes mais experientes podem fazer o download do código de forma imediata, e realizar a compilação em seus computadores.

Agora, só resta esperar mais alguns dias para que o suporte nativo para Netflix aconteça em nossa distribuição favorita (Ubuntu, Mint, Arch, etc), e não ter mais que nos preocupar com o Wine e outras soluções alternativas.

Via Ububtu Developers, Slashdot

O navegador Chrome finalmente estreou em Cuba (só agora)

by

Chrome-cuba-lede

Tanto o navegador Chrome como muitos outros serviços da Google permaneceram bloqueados em Cuba durante todo esse tempo. Porém, hoje (21), eles anunciaram que o navegador passa a ficar disponível para download para os moradores daquela nação.

Mesmo sem dar razões oficiais para o “atraso”, a Google dá a entender que o motivo seria uma sanção comercial ordenada pelos Estados Unidos. Até agora, os usuários tinham que buscar outras maneiras para baixar o instalador, mas a partir de agora, podem fazer isso sem maiores problemas, e em todas as plataformas (iOS, Android, Windows, OS X, etc).

A Google garante que eles estão trabalhando para que os seus serviços estejam disponíveis o quanto antes, porém, seguem dependendo do estado das sanções comerciais, tal como ocorreu como o Picasa, Chrome e Google Earth quando chegaram ao Irã e a Síria a alguns anos. Logo, a única coisa que os internautas cubanos podem fazer é esperar até que a Google consiga desbloquear os seus serviços aos poucos.

Via CNET, Google

Hangouts prepara novidades que o aproximam do Facebook Messenger

by

ultraviolet

A Google segue trabalhando para melhorar o seu aplicativo de mensagens, e ao que tudo indica, eles vão lançar em breve mais uma atualização, com muitas funções.

Um vazamento da última compilação do Hangouots para Chrome, em uma versão que reponde pelo nome de Ultraviolet, mostra uma nova interface que lembra de forma inevitável as bolhas do Facebook Messenger. A ideia é que os chats abertos se mantenham de um lado da tela em forma de avatar flutuante, para que assim o usuário possa acessar a conversa rapidamente.

Na teoria, essa a outras funções devem chegar na próxima versão do Hangouts, mas por enquanto só temos a imagem como notícia. Resta esperar para ver quando a Google vai liberar o update de forma oficial.

Via Android Police

Gartner afirma que vendas de Chromebooks chegarão a 5,2 milhões de unidades em 2014

by

acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-app-02-1

Segundo a recente análise da Gartner, as vendas de Chromebooks devem alcançar em 2014 a marca de 5.2 milhões de unidades. Esse número representa um aumento de 79% em relação aos números de 2013. Em 2017, esse número pode ser o triplo (14.4 milhões de unidades).

A competição no mercado de Chromebooks está intensificando os lançamentos entre os fabricantes, e agora que o mercado de PCs não cresce com a mesma força, a tendência é que essa nova oportunidade de negócios receba cada vez mais destaque. Até porque os Chromebooks são uma forma de ressuscitar o mercado de PCs abaixo da faixa de preço de US$ 300, que em um passado recente era ocupado pelos netbooks.

A demanda pelos Chromebooks é liderada pelo setor da educação nos Estados Unidos. A Gartner estima que aproximadamente 85% das vendas de Chromebooks em 2013 foram para esse setor. Além disso, das 2.9 milhões de unidades vendidas no ano passado, 82% foram comercializadas na América do Norte, que domina o mercado global.

Os Chromebooks são prioritariamente utilizados no setor de educação, mas também podem ser usados em setores específicos do mercado, como por exemplo bancos, serviços de finanças, agências de seguros e hotéis. Esse formato de computador incentiva o trabalho colaborativo e o compartilhamento de conteúdo. Quanto mais usuários trabalharem de forma colaborativa na nuvem, maior será a produtividade, e mais o Chromebook se fará presente em segmentos específicos.

A Samsung é líder no mercado global de Chromebooks, vendendo 1.7 milhão de unidades em 2013. A Acer, que tem 21.4% do mercado do ano passado, é a sua principal adversária, e é seguida de longe pela HP, com 6.8%, e pela Lenovo, com 6.7%.

Via assessoria de imprensa (Gartner)

Acer Chromebook 13: Chrome OS e NVIDIA, juntos pela primeira vez

by

acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-app-01-1

A Acer apresenta o seu novo portátil Chromebook 13, que mostra pela primeira vez a combinação Chrome OS + NVIDIA, tornando o produto um dos mais interessantes com o sistema operacional da Google.

O Acer Chromebook 13 conta com uma tela de 13.3 polegadas (em opções de HD e Full HD) que promete ótimos ângulos de visão. Com design limpo e simples – seu chassi é de plástico -, o modelo recebe um processador quad-core Tegra K1 da NVIDIA, bateria com autonomia de uso de até 13 horas de funcionamento na versão HD, e 11 horas na versão Full HD, teclado completo com trackpad amplo, portas USB, HDMI e slot para cartões SD.

O modelo ainda conta com uma webcam HD “otimizada para o uso em Hangouts”, espessura de 18 mm, e versões com 16 ou 32 GB de armazenamento em SSD.

A Acer planeja lançar o seu Chromebook 13 nos Estados Unidos e em vários países da Europa (Espanha, Reino Unido, Holanda, Itália, etc), com preço inicial sugerido de US$ 279 na versão HD, e US$ 299, para o modelo Full HD. Sua janela de lançamento não foi revelada.

Mais fotos a seguir.

acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-app-02-1 acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-app-03-1 acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-start-bar-01-1 acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-start-bar-02-1 acer-chromebook-13-cb5-311-acerwp-start-bar-03-1 acer-chromebook-13-cb5-311-closed-3-1 acer-chromebook-13-cb5-311-closed-2-1 acer-chromebook-13-cb5-311-closed-1 acer-chromebook-13-cb5-311-rear-left-facing-2-1 acer-chromebook-13-cb5-311-rear-left-facing-3-1 acer-chromebook-13-cb5-311-rear-left-facing-1 acer-chromebook-13-cb5-311-rear-right-facing-2-1 acer-chromebook-13-cb5-311-rear-right-facing-1

O próximo Chromebook da Acer possui tela touch e processador NVIDIA Tegra K1

by

acer_chromebook_13_cb5_311p_1_touch

O Acer Chromebook CB5 trará novidades que devem chamar a atenção de muitos, pois podem ser diferenciais relevantes no mar de produtos já existentes. Para começar, o modelo aposta no hardware ARM no lugar dos novos chips da Intel. Mas não é só isso.

Esse também é o primeiro modelo com um hardware que não é da Samsung, já que conta com um chipset NVIDIA Tegra K1, o mesmo presente no tablet NVIDIA Shield. Sua tela de 13.3 polegadas possui resolução Full HD (será lançado um modelo com 1366 x 768 pixels), e sua autonomia de bateria prometida é de até 13 horas de uso, quando o habitual é ter em média 8 horas de bateria nos Chromebooks.

Outro diferencial do Acer Chromebook CB5 é a presença da conectividade WiFi AC, além de uma saída HDMI e portas USB 3.0. Não foram revelados os dados sobre as memórias, mas certamente teremos um armazenamento em SSD, e pelo menos 2 GB de RAM (aposto em 4GB).

A Acer deve apresentar o Chromebook CB5 na IFA 2014. A seguir, o vídeo de apresentação do produto (cortesia do site Notebook Italia), e mais fotos do portátil.

 

acer_chromebook_13_cb5_311_1 acer_chromebook_13_cb5_311_2 acer_chromebook_11_cb3_111_3_tastiera acer_chromebook_11_cb3_111_4 acer_chromebook_11_cb3_111_5 acer_chromebook_11_cb3_111_2

Os Chromebooks ganham terreno nas escolas, com 1 milhão de unidades vendidas

by

650_1000_650_1000_ctl-education-chromebook-handle-1

Nos Estados Unidos, os Chromebooks seguem ganhando terreno no setor educacional, e alguns fabricantes já começam a ter problemas para atender a demanda gerada.

Esse problema é sempre muito relativo, pois se o fabricante produziu poucas unidades, é evidente que o volume se esgota rapidamente. Mas a realidade é que a própria Google informa que foram vendidos um milhão de unidades de Chromebooks no segundo trimestre de 2014. Todas com destino às escolas e universidades.

Entre os fatores que fizeram as escolas escolherem os Chromebooks estão o preço, a segurança, a facilidade de manutenção, ou a adição de ferramentas como o Google Apps for Education. São computadores portáteis leves e de tamanho manejável, algo valorizado para um uso pelos estudantes.

 

Dell também mostra as suas propostas

650_1000_chrome1-730x400

Entre os fabricantes, a Dell anunciou na semana passada que retirou temporariamente do seu catálogo o Chromebook 11, pelo fato das unidades terem se esgotadas. E quase todas destinadas ao setor educacional dos EUA.

É evidente que a Microsoft contra-atacou. Na semana passada, as primeiras unidades de computadores com Windows por US$ 249 começaram a aparecer, na tentativa de mostrar ao consumidor que era mais vantajoso comprar um modelo com o Windows do que com o Chrome OS.

650_1000_chromebooksmsft-1

Daqui até o final do ano, é esperado que o catálogo de portáteis com o sistema Chrome OS alcance a marca de 20 modelos diferentes, todos seguindo o mesmo padrão, com hardware Intel. Porém, no futuro, quem deve entrar nesse mercado é a MediaTek, o que pode resultar em Chromebooks ainda mais baratos.

Via Google

HP Chromebox agora é oferecido com mouse e teclado

by

HP-Chromebox

A HP segue apostando no Chrome OS com o HP Chromebox, que recebeu uma pequena atualização na sua versão mais básica. Ele passa a ser oferecido com um teclado e mouse pensados no aumento da produtividade com o Chrome OS, com teclas dedicadas. Os dois periféricos são sem fio.

Com isso, tudo o que você precisa é de um monitor para usar o produto. A configuração mais básica do HP Chromebox possui um processador Intel Celeron 2955U Haswell, 2 GB de RAM (expansível para até 4 GB), 16 GB de armazenamento + 100 GB no Google Drive por dois anos, 4 portas USB 3.0, saída HDMI e Bluetooth. A adição do mouse e do teclado sem fio é uma aposta da HP para conquistar mais usuários da plataforma.

O modelo mais básico do HP Chromebox passa a custar US$ 199 (antes US$ 179). Por enquanto, a HP não informa se venderão os acessórios separadamente, oferecendo assim essa opção para quem já comprou a primeira versão do Chromebox. O modelo sem teclado e mouse segue disponível.

A única cor disponível para o combo por enquanto é a branca, já disponível na loja oficial da HP na internet.

Via HP

Popcorn Time passa a ter suporte para o Chromecast

by

Chromecast-popcorn-time

O Popcorn Time e o Chromecast passam agora a ser compatíveis. O versátil gadget da Google tem mais uma vez o seu potencial explorado, e a equipe por trás do desenvolvimento do Popcorn Time torna o seu aplicativo compatível com o dispositivo, para que você possa assistir filmes por streaming na sua TV sem a necessidade de cabos.

Não vamos aqui discutir a legalidade do Popcorn Time. O fato é que o modelo de distribuição de conteúdo e a combinação do Popcorn Time com o Chromecast é a melhor coisa que poderia acontecer ao pequeno gadget da Google. Agora é possível enviar conteúdos como filmes e séries recentes para do computador para a TV sem maiores problemas, algo que a indústria do entretenimento deveria considerar, pois o potencial desse formato é enorme.

Por enquanto, a única versão do Popcorn Time compatível com o Chromecast é a do Windows, na versão Alpha 4.3, disponível no site oficial do projeto. Por ser uma versão alta, existe um alto número de bugs. Mas ao menos é um começo. Eles prometem que vão atualizar o app para a fase beta muito em breve, e que uma versão para o OS X já está em desenvolvimento, podendo estar disponível em algumas semanas.

O suporte para o Chromecast se ampliará para funcionar na versão beta 0.2 para Android, que será lançada ainda nessa semana. Os desenvolvedores garantem que estão trabalhando em uma versão do Android compatível com o maior número de dispositivos possíveis. Para o iOS, a promessa de um app é para o mês de agosto.

Via Popcorn Time

Dicas, Truques e Macetes | Formas de liberar espaço no seu Chromebook

by

Chrome-para-iOS

Ainda que muitos tenham apostado muito nos Chromebooks da Google quando foram apresentados, a gigante de Mountain View ainda não desistiu de sua peculiar maneira de ver os computadores pessoais, e é assim que eles conseguiram obter êxito em alguns mercados, com cotas modestas, porém, representativas.

Sem muita pressa, mas com constância, os portáteis da Google se tornam cada vez mais populares, apesar das poucas mudanças feitas em relação ao plano original para o produto. Um dos fatores chave dessa concepção é sua condição de dispositivos baseados na nuvem, com o mínimo de armazenamento para funcionar, e um pouco a mais.

Aproveitar esse espaço de armazenamento do Chrome OS pode ser uma odisseia. Se você se descuida, certamente passará por maus bocados por não ter reservado pelo menos 2 GB de armazenamento para eventualidades. Esse post revisa algumas formas de aproveitar melhor o (pouco) espaço disponível nos Chromebooks.

 

Desinstalar Aplicativos

Diz o ditado que a resposta correta é, na maioria dos casos, a mais óbvia. No Chrome OS, os aplicativos funcionam de forma diferente do que em outras plataformas. Alguns apps que não precisam de conexão com a internet consomem maior espaço de armazenamento, enquanto que outros podem rodar integralmente no navegador. Eliminar jogos e aplicativos que ocupam muito espaço apenas por funcionarem em modo offline e apagar aplicativos que instalam dados que exigem o uso da internet pode ajudar.

Escolher quais aplicativos você deve ou não desinstalar é algo que varia de acordo com o usuário. É recomendado sempre ter em conta a utilidade do aplicativo, sua comodidade de uso, e o quão produtivo somos com ele. Assim, é sempre recomendável apagar jogos muito espaçosos, e não ter mais de um aplicativo que realize uma mesma tarefa.

Para eliminar aplicativos do Chrome OS, abra a lista de aplicativos, clique à direita daquele a ser removido, selecione o item “remover ou desinstalar do Chrome”, e pronto.

 

Limpe o cache e outros dados de uso

O cache de navegação são dados que são armazenados para que você não precise descarregar novamente esse conteúdo na próxima vez que você precisar dele. Desse modo, a navegação na web é muito mais rápida. Porém, com o passar do tempo, ele acaba consumindo o espaço de armazenamento do equipamento. mesmo assim, há outros dados de navegação que se armazenam e se acumulam com o tempo.

Felizmente, eliminar esses dados não é algo muito difícil: selecione Menu, depois Mais Ferramentas, e Apagar Dados de Navegação. Aqui, você escolhe os dados que serão eliminados, especialmente imagens e arquivos em cache. Escolha o item Limpar Dados de Navegação, e pronto.

 

Revise os arquivos que você tem no Google Drive

google-drive

O Google Drive sempre salva uma cópia de todos os seus arquivos na nuvem, mas nem sempre faz o mesmo de forma local. Isso é algo bem vindo, pois permite a liberação de algum espaço no disco do Chromebook. Algumas vezes apagar arquivos que não precisamos é bem vindo para a saúde do seu equipamento.

Infelizmente, não há modo de se desfazer desses arquivos, a menso que você o elimine do Google Drive. Logo, se você tem arquivos de sua conta na nuvem que ocupam muito espaço local, e sabe que não precisa mais dele, elimine esse arquivo de uma vez por todas.

 

Elimine os arquivos baixados

Para ver os arquivos que você baixou recentemente, basta usar o aplicativo Arquivos, e escolher a opção Downloads. para tornar mais simples encontrar os arquivos que estão ocupando mais espaço, ordene a visualização por tamanho. Se você tem algum arquivo que queira conservar, mas ainda assim precisa liberar espaço, armazene esse arquivo para um disco externo, uma memória USB, ou diretamente para a sua conta no Google Drive.

Por enquanto, isso é tudo. Se você conhece alguma outra dica que funcionou para você, compartilhe essa dica conosco (e com os leitores do blog) na área de comentários.

Um clone do Chromecast com Firefox OS aparece em forma de protótipo

by

650_1000_chromecast-firefox-os

Um dos evangelistas da Mozilla revelou que já existe pelo menos um protótipo de um dongle HDMI, com o mesmo formato e objetivo do Chromecast da Google, mas baseado no Firefox OS. Ou seja, em breve, poderemos testemunhar a chegada dessa plataforma na nossa televisão.

O protótipo – que ainda não tem nome comercial – já circulou entre alguns desenvolvedores, mas ainda restam muitos detalhes a serem revelados sobre o mesmo, como a sua data de lançamento ou preço. O que sabemos é algo interessante: o dongle com o Firefox OS pode executar alguns aplicativos do Chromecast.

Faz tempo que a Mozilla já oferece funcionalidades de “casting” no navegador Firefox, e alguns desenvolvedores já conseguem oferecer conteúdos a partir do navegador para os set-tob boxes da Roku, com a opção de fazer o casting para o Chromecast como uma das mais evidentes em um futuro próximo.

Porém, parece que no lugar de depender dos dispositivos da Google, alguns fabricantes decidiram desenvolver um dongle que está baseado no Firefox OS. A vantagem mais evidente nessa escolha serão as opções de hack, permitindo a adaptação do produto às necessidades de cada usuário, algo que a Google não facilitou tanto como muitos queriam, apesar de ter publicado um SDK a alguns meses.

Pelo visto, a Mozilla não está envolvida no desenvolvimento do produto. A empresa basicamente “certificou” ou “homologou” o projeto, para que o produto possa receber a etiqueta de “compatível com o Firefox OS”. A seguir, vídeo do produto em ação.

 

Via GigaOM

Toshiba apresenta sua nova linha de portáteis e tablets, com Windows e Chrome OS

by

650_1000_toshiba-kira-1

A Toshiba apresentou na Europa uma nova leva de produtos que devem chegar ao mercado daquela região ao longo das próximas semanas. São quatro novos equipamentos entre notebooks, tablets e híbridos/conversíveis, apostando no Windows e no Chrome OS.

Toshiba Kira

650_1000_toshiba-kira

O Toshiba Kira é um ultrabook com uma tela touch com resolução de 1.440p (2.560 x 1.440 pixels), processador Intel Core i7 Haswell, 8 GB de RAM e sistema operacional Windows 8.1 Pro. Na parte de conectividade, temos uma porta HDMI que reproduz conteúdos na resolução UHD (4K) em telas compatíveis, além de três portas USB, WiFi b/g/n e leitor de cartões SD. Conta ainda com 256 GB de armazenamento em SSD. Seu preço inicial sugerido é de 1.499 euros.

Toshiba Satellite PW30

650_1000_toshiba-satelite

A Toshiba lança um equipamento conversível, com uma aparência clássica de um computador portátil, repetindo aquilo que a concorrência está fazendo. O Toshiba Satellite PW30 é menos potente que o Kira, com um processador Intel Core i5 e gráficos HD Graphics 4400. Sua tela de 13.3 polegadas (1.920 x 1080 pixels) também é touch, e a autonomia da bateria do produto é de 9 horas.

O modelo conta com 128 GB de armazenamento via SSD, câmera traseira de 5 megapixels, e possui sistema de encaixe mecânico da tela com o teclado, oferecendo apenas as opções de uso portátil e tablet. Seu preço inicial sugerido é de 1.099 euros.

Toshiba Chromebook CB30

650_1000_toshiba-cb

A Toshiba também aposta nos Chromebooks, e aproveita o momento onde apenas a HP e a Acer fazem o mesmo para apresenta o Toshiba Chromebook CB30. O modelo chega ao mercado entre os meses de julho e agosto, e conta com um processador Intel Atom, tela de 13 polegadas, duas portas USB 3.0, saída HDMI, WiFi, Bluetooth 4.0, 16 GB de armazenamento em SSD com 100 GB grátis do Google Drive por dois anos. Com apenas 1.5 kg de peso, quer se transformar no computador daqueles que não precisam ter um equipamento potente. Seu preço sugerido é de 299 euros.

Toshiba Encore 2

650_1000_toshiba-encore

Por fim, temos o tablet Toshiba Encore 2, com tela de 10.1 polegadas (1280 x 800 pixels), 2 GB de RAM, processador Intel Atom de quatro núcleos, 32 GB de armazenamento, slot para cartões SDXC, peso de 550 gramas, espessura de 1 cm e sistema operacional Windows 8. Seu preço sugerido é de 299 euros.

HP apresenta oficialmente os novos Slatebook 14 e Chromebook 11

by

HP Slatebook sitting on office desk

O chamativo notebook de cor amarela que vimos a algumas semanas foi apresentado oficialmente. O HP Slatebook 14, com tela de 14 polegadas, se destaca por contar com o sistema operacional Android, e aproveita a Computex 2014 para tirar o evento da monotonia do reinado do Windows.

O notebook conta com uma SoC NVIDIA Tegra 4 com 2 GB de RAM e até 64 GB de armazenamento interno. Sua tela possui resolução 1080p e a espessura do produto é de 16 mm, com um peso de 1.6 kg. O design é atraente por conta do contraste entre o amarelo e o preto da carcaça, e esse é um dos produtos que ainda conta com a tecnologia Beats Audio nos alto-falantes. Seu preço sugerido é de US$ 399.

2c14 - HP Chromebook, Catalog, Right facing

A HP aproveitou a oportunidade para apresentar o Chromebook 11, que é basicamente um modelo renovado, com melhor bateria e preço reduzido (de US$ 279 para US$ 249). A diferença de US$ 150 desse para o Slatebook faz com que alguns se interessem mais pelo Chromebook mesmo, mas talvez a versatilidade do Android e o tamanho de tela possam ajudar a colocar o modelo maior como preferencial na escolha dos usuários mais exigentes.

Mais imagens dos novos portáteis a seguir.

2c14 - HP SlateBook, Catalog, Front, center facing 2c14 - HP SlateBook (touch), Catalog, Left facing 2c14 - HP Chromebook, Catalog, Left facing 2c14 - HP Chromebook, Catalog, Front, center facing 2c14 - HP Chromebook, Catalog, Right facing 2c14 - HP Chromebook, Catalog, Left facing 2c14 - HP Chromebook, Catalog, Front, center facing 2c14 - HP Chromebook, Catalog, Right facing

Via Engadget, HP