Arquivo para a tag: ásia

Apple aborrecendo japoneses e coreanos na casa deles

by

iphone-6-teaser

Segundo dados da Computerpoint Research (publicados pelo Wall Street Journal), a chegada dos novos iPhone 6 e 6 Plus movimentaram e muito os mercados da Coreia do Sul e do Japão, principalmente no mês de novembro.

Na casa da Samsung, a Apple subiu perigosamente a sua cota de mercado para 33%, dobrando a fatia obtida antes do lançamento dos novos modelos (15%). A Samsung, por outro lado, caiu de 60% para 46% ao longo do ano. A LG fica com a terceira posição, com 14% de cota.

Não ter telefones importantes lançados recentemente penalizou a Apple, mas os seus números anuais ao redor do planeta, e sua projeção para 2015 são positivas.

650_1000_apple-counterpoint-research-japan-late-2014-iphone-market-share

Nunca uma marca estrangeira tinha superado os 20% de cota de mercado na Coreia do Sul. O estudo informa que se houvesse um estoque mair de unidades com 64 e 128 GB de armazenamento, essa cota poderia chegar aos 40%.

No Japão, ao longo do mês de novembro, a cota de mercado dos iPhones alcançou os 51%, deixando a Sony em uma longínqua segunda posição (17%), e superando outras marcas locais, como Sharp e Fujitsu.

Quando falamos da China, mercado sempre mais complicado para a Apple, temos um importante crescimento de vendas, com 45% a mais em relação ao mesmo período do ano anterior. Também se observa um crescimento nas vendas da Xiaomi e Lenovo, e uma queda de 8% da Samsung.

650_1000_screen-shot-2015-01-21-at-12.37.40-am

Fato é que esses números são mais expressivos por se tratarem do momento da chegada de novos produtos ao mercado, e é preciso compará-los com as vendas ao longo do ano, que é quando os demais concorrentes lançam suas propostas.

Falamos de porcentagem e cotas, mas falamos sobre mercados consolidados. A Coreia do Sul possui apenas 50 milhões de linhas ativas, mas o Japão possui 140 milhões, e a China ultrapassa os 600 milhões.

Via WSJCounterpoint Research

Google leva o Android One para outros territórios asiáticos

by

android-one

O Android One estreou em junho, e desembarcou na Índia em setembro. Agora, o projeto de smartphones com Android de baixo custo do Google foi lançado em outros territórios na Ásia: Bangladesh, Nepal e Sri Lanka, alcançando um mercado com 200 milhões de habitantes.

O Google amplia a sua oferta do Android One, ao mesmo tempo que o Android ‘convencional’ avança em paralelo. Os mesmos fabricantes presentes na Índia figuram nos países asiáticos (Micromax, Karbonn e Spice), além da Symphony em Bangladesh, com o modelo Roar A50.

A expansão do Android One seguirá ao longo da Ásia, e a próxima parada deve acontecer na Indonésia e países vizinhos, ao longo de 2015.

Via Google

Samsung Galaxy Golden 2, um telefone ‘flip’ top de linha

by

650_1000_samsung-galaxy-golden-2-sm-w2015-3-1

Dificilmente veremos esse modelo por aqui, mas vale a pena dar uma olhada no Samsung Galaxy Golden 2, atualização do modelo flip top de linha lançado na Ásia no ano passado, que dessa vez está cada vez mais potente.

Pensado para os mercados da China e Coreia do Sul, o novo Golden se caracteriza pelo formato combinado com o poderio de hardware. O órgão de regulamentação TENAA revela algumas de suas especificações e imagens, e o novo modelo inclui um processador Qualcomm Snapdragon 801, 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento interno (expansíveis via microSD), além de duas telas – ambas com 3.9 polegadas (1280 x 720 pixels) Super AMOLED -, e câmeras de 16 megapixels (traseira) e 3.7 megapixels (frontal).

650_1000_samsung-galaxy-golden-2-sm-w2015-5-202x270

Também não falta ao Samsung Galaxy Golden 2 o seu teclado físico, com botões de navegação que lembram os modelos do passado. Tudo isso é gerenciado pelo sistema operacional Android 4.4 KitKat.

Não há previsão de lançamento, nem preço definido. Mas ao menos sabemos do que ele é capaz. Te interessaria um modelo desses por aqui?

Via PhoneArena

Lenovo vai criar uma marca para competir com a Xiaomi

by

650_1000_lenovo-vibe-z2-xiaomi

A Xiaomi se transformou em uma pedra no sapato de muitos fabricantes de telefonia móvel na Ásia, e a solução para alguns desses fabricantes é se reinventar. É o que a Lenovo pensa em fazer: criar uma segunda marca que trabalhe de forma similar ao que faz a Xiaomi.

Nos últimos trimestres a Xiaomi vende mais que a Samsung na China, e derrotando outras gigantes na região, como Lenovo, Huawei ou ZTE. Pensando nisso, a Lenovo está disposta a criar uma nova empresa que venderia os seus smartpones de forma exclusiva pela internet, começando suas atividades pela China.

A nova empresa não tem nome, mas deve estrear em abril de 2015, onde não só da fabricação de smartphones ela vai sobreviver. A empresa também vai ter espaço para o desenvolvimento de aplicativos e iniciativas que gerem o sentido de comunidade.

Via Wall Street Journal