Há 120 milhões de contas e mensagens privadas do Facebook à venda na dark web. “Só isso”.

A BBC conversou com os hackers que atacaram o Facbeook e foram eles que confessaram que efetivamente contam com credenciais de acesso a contas da rede social e mensagens privadas em venda. No começo, Zuckerberg e companhia negaram indícios que as mensagens privadas foram afetadas.

Para obter esse acesso, os hackers usaram uma extensão do navegador com malware, exatamente como aconteceu no passado. Por enquanto, os dados não foram comprados por ninguém, de modo que não podemos dizer se foram usados de forma maliciosa. Mas isso pode mudar a qualquer momento.

E… sim… contas da América Latina foram afetadas. Também da Europa, Estados Unidos e principalmente da Rússia e da Ucrânia.

É incrível em como as coisas se repetem. Incrível como o Facebook não aprendeu nada com o escândalo da Cambridge Analytica e sequer se preocupou em reforçar a proteção de sua base de dados de usuários. Apenas estabeleceu políticas punitivas para quem viola as regras e nada mais.

Entendo que a credibilidade do Facebook já entrou em erosão há tempos. O que me preocupa mesmo é que o usuário médio simplesmente não está se preocupando com isso. O aumento de usuários na rede social é uma constante, e mostra o contraste da visão dos usuários em relação à visão séria da situação.

Não é exatamente zicar o Facebook. É simplesmente lembrar para todo mundo que estamos falando de dados pessoais e sensíveis de milhões de usuários. E que esses milhões de usuários não estão se preocupando com isso.

Esperamos que medidas mais enérgicas dentro do próprio Facebook sejam tomadas para evitar que vazamentos de dados nesse nível volte a acontecer. Algo que, particularmente, eu duvido, uma vez que Zuckerberg e companhia não conseguem fazer uma auto crítica sobre os próprios problemas.

Aguardemos pelos próximos capítulos dessa saga.