Compartilhe

Já escrevemos alguns artigos sobre os esforços das plataformas de streaming em reduzir a qualidade dos vídeos, na tentativa em não sobrecarregar o volume de dados na Europa. Aqui no Brasil, algumas empresas de entretenimento já estão fazendo o mesmo.

No Brasil, o tráfego de internet aumentou 40% nesse primeiro período em que a grande maioria dos brasileiros estão de quarentena ou reclusão domiciliar preventiva para evitar a disseminação do coronavírus. A principal demanda de internet é pelo trabalho em home office e serviços de streaming para entretenimento e informação.

Nesse post, vamos falar sobre essas iniciativas, e reforçar a necessidade do usuário brasileiro em racionalizar o consumo de internet durante a quarentena para evitar a pandemia do coronavírus.

 

 

 

Globo anuncia redução de qualidade no Globoplay

 

 

O grupo Globo anunciou ontem (22) que vai reduzir a qualidade de transmissão de todos os conteúdos disponíveis em sua plataforma de streaming Globoplay e em outros serviços conectados, tentando assim evitar a sobrecarga das operadoras para que as mesmas possam oferecer uma internet de qualidade para mais pessoas.

Durante um tempo indeterminado, a maior qualidade de imagem disponível no Globoplay será o HD (720p), com o Ful HD (1080p) ou 4K ficando de fora. 60 minutos de dados em Full HD consomem 2.5 GB, enquanto que o mesmo tempo em HD consome 1.2 GB. Tal limitação só deve ser percebida na prática pelos usuários que contam com uma TV de 65 polegadas ou mais.

A mudança é válida também para os demais sites e/ou conteúdos do grupo Globo (G1, GloboEsporte.com, GSHOW e Globosat Play). Essa é uma iniciativa temporária e sem limitação de dados.

 

 

 

Netflix também deve reduzir resolução de imagem no Brasil

 

 

A Netflix deve seguir os mesmos passos do grupo Globo, e reduzir a qualidade dos conteúdos armazenados em seus serviço de streaming para o Brasil.

Quem levanta essa possibilidade é o colunista Mauricio Stycer, que publicou o comunicado da Netflix:

“Continuaremos a trabalhar com provedores de serviços de Internet e governos de todo o mundo e aplicaremos essas mudanças conforme necessário em outros lugares”.

 

 

 

Reforçamos o apelo: use com moderação

 

Vou ser chato e repetir o pedido, pois entendo que, nesse momento em que o Brasil vive uma pandemia e um estado de calamidade pública, o brasileiro médio precisa de bom senso.

Operadoras de internet e prestadoras de serviços estão realizando as medidas necessárias para que todos nós possamos seguir com nossas vidas com o mínimo de normalidade diante desse cenário de caos. Logo, faça a sua parte, e não abuse do consumo de internet nas próximas semanas.

A internet precisa funcionar para todos, inclusive para quem está trabalhando em home office e para os sistemas de saúde e segurança pública. Uma internet em colapso pode aumentar ainda mais o caos que estamos vivendo.

Pense nisso. E use a internet com moderação.

 

 

Via UOL (TV e Famosos)Netflix UOL , G1


Compartilhe