O Steam entrou em contato com alguns desenvolvedores, alegando que os seus jogos foram relatados como ‘conteúdo sexual ou pornográfico’.

Com isso, os desenvolvedores terão que eliminar ou modificar o conteúdo dos jogos em um curto prazo de apenas duas semanas, ou os títulos serão eliminados da plataforma. As políticas do Steam sobre conteúdo sexual nunca foram muito claras, e mudavam com o passar do tempo.

Em 2012, quando os jogos com conteúdo sexual foram retirados do finado program Steam Greenlight, a Valve declarou que ‘o Steam nunca foi o destino para material erótico’. Mesmo assim, os jogos ficavam na plataforma, saltando as normas ao incluir correções e conteúdos que eliminavam a censura.

Com o passar do tempo, o Steam foi ficando flexível sobre essas políticas. Em 2015, era mais comum ver jogos sexualmente explícitos nas abas de novas versões. Tanto, que a novela visual Kindred Spirits chegou à plataforma sem qualquer censura na sua versão original.

Porém, em 2017, a Valve voltou a proibir os desenvolvedores de tais jogos a inclusão de parches que ‘des-pixelavam’ as imagens. Por fim, o Steam começou a eliminar os jogos sexualmente explícitos da loja. De novo.

 

 

A confusão e os aborrecimentos chegaram com os avisos de eliminação para alguns jogos que entraram de forma ‘legal’ na plataforma.

Vários usuários relatam que outras produções ocidentais, como Conan Exiles, não foram afetadas pelas novas regras anti-pornografia, e apenas os títulos com estilo de desenho japonês foram penalizadas pelo Steam.

É uma medida excessiva ou necessária? Outros jogos deveriam ter sofrido sanções com tais medidas contra a sexualidade?

O que você acha de tudo isso?

 

+info