sofia

A Arábia Saudita apresentou a Sofia como a primeira robô a ser reconhecida como uma cidadã daquele país. Ou pelo menos é isso que eles dão a entender.

Sofia afirmou que se sentia muito orgulhosa e honrada pelo título. A apresentação foi feita em Riad, na feira Future Investment Initiative, e a robô foi desenvolvida pela Hanson Robotics de Hong Kong.

Devemos ter uma versão masculina do robô, mas seus criadores afirmam que Sofia é tão atraente por causa de sua “pele de porcelana, nariz fino e sorriso intrigante”.

Sofia afirmou que quer utilizar sua inteligência artificial para ajudar os humanos a viverem melhor, criando lares melhores e fazendo o possível para que o mundo seja um lugar melhor para se viver.

 

 

O robô foi projetado para ajudar nas tarefas de casa e no cuidado de enfermos e idosos. Porém, no ano passado, Sofia respondeu positivamente se ela tinha como objetivo destruir os humanos.

Hoje, ela afirmou que leu a maioria das declarações feitas por Elon Musk sobre os riscos da inteligência artificial, garantindo que ela não é um robô no estilo Terminator ou Blade Runner.

Já Musk não se convence, e segue com seus temores sobre um futuro onde a inteligência artificial vai se voltar contra nós.

Foram investidos mais de US$ 200 milhões pelo governo da Arábia Saudita para o projeto, e recebe críticas por enfrentar as arcaicas leis do gênero no país, que exigem que as mulheres estejam acompanhadas de um homem.

Um exemplo: no país, as mulheres só podem dirigir a partir de junho de 2018.