Foi entre 2001 e 2002 que câmera fotográfica e telefone móvel começaram a andar de mãos dadas. Desde então, os modelos sem câmera entraram em queda livre, e desapareceram em 2014. Hoje, todos os smartphones contam com pelo menos uma câmera, inclusive os modelos mais econômicos, que contam com sensores sofríveis. Mas ao menos contam com uma câmera.

Agora, em 2019, algo igualmente curioso está acontecendo: os modelos com apenas uma câmera traseira registraram uma drástica queda no mercado em apenas um ano, indo de 100% para quase 50%. O auge dos smartphones com câmera dupla é o culpado disso, e a tendência é que a queda será maior com fabricantes investindo em configurações com três e até quatro câmeras traseiras.

 

 

Uma configuração de várias câmeras permite melhorar a qualidade das fotos, com sensores dedicados para cada tarefa. Em um conjunto de câmera dupla, temos um sensor principal e outro trabalhando como sensor de profundidade ou como teleobjetiva, entregando efeitos de desfoque e profundidade, ou zoom com menor perda de qualidade.

Na câmera frontal, a evolução foi menos evidente, mas é possível ver mudanças que confirmam que o caminho a seguir é o da integração de duas câmeras para selfies.

 

 

Gigantes como Samsung abraçaram essa aposta no Galaxy S10+, modelo que conta com três câmeras traseiras e duas frontais. Não é mera casualidade: melhorar as configurações para as fotos é uma forma de se diferenciar da concorrência e entregar dispositivos mais atraentes, já que todos os fabricantes entregam um bom processador, acabamento premium e mais RAM. E tirar fotos se tornou uma importante prioridade para o consumidor.

 

 

Mais nem sempre é sinônimo de melhor

Números não querem dizer nada. Um smartphone com quatro câmeras pode não entregar fotos melhores do que um modelo com apenas um sensor. No final, a qualidade do sensor e da ótica de cada configuração de câmera é o que determina as suas possibilidades fotográficas.

Um claro exemplo disso é o Google Pixel 3, que tem apenas um sensor fotográfico na parte traseira, mas graças ao hardware dedicado introduzido pelo Google, ao sistema de inteligência artificial e aprendizagem profunda que esta se apoia, a qualidade da lente e do sensor é capaz de oferecer resultados superiores a de outros dispositivos com sistema de câmera dupla.

 

Via GSMArena