Compartilhe

Como se você já não soubesse disso. Especialmente os usuários de smartphones de entrada.

Um estudo realizado pela Kryptowire revela que os aplicativos pré-instalados em smartphones Android de entrada estão cheios de brechas de segurança. O relatóio de segurança analisou mais de 146 aplicativos de 29 fabricantes que são suscetíveis a serem explorados com fins maliciosos, todos pré-instalados em dispositivos de entrada de marcas com diferentes categorias.

Sobre os potenciais riscos, as vulnerabilidades encontradas podem abrir as portas para a espionagem do usuário através do microfone do dispositivo, mudanças de permissão de execução ou transmissão de dados sem notificação.

Esses dispositivos tendem a incluir entre 100 e 300 apps pré-instalados (que são pacotes de softwares, e não aplicativos como tal), tornando a ameaça mais séria do que parece. Muitos desses packs não são atualizáveis pelo usuário, e muitos deles não podem ser corrigidos.

A solução aqui é o Google realizar uma análise de código mais detalhada, exigindo a responsabilidade do provedor por seus produtos de software inseridos no ecossistema Android, responsabilizando as empresas por colocarem os usuários em risco à segurança e informação pessoal dos usuários finais.

Traduzindo: enquanto não existem regras claras e mais rígidas, o problema vai persistir.

 

 

A obsolescência programada é a grande inimiga nesse caso

Repito: isso não é uma novidade. Os últimos relatórios do Krypowire informam a mesma coisa. De modo que a solução pode passar mesmo pela compra de dispositivos de marcas mais conhecidas e confiáveis, mas isso também não vai garantir a segurança do usuário (desculpe a redundância, mas foi necessária).

E o motivo disso é bem simples: o tempo de suporte médio dos smartphones Android é algo vergonhoso (modelos com um hardware muito potente são atualizados por apenas dois anos ou, com sorte, três anos no máximo), o que obriga o usuário a renovar o dispositivo enquanto ele ainda pode ser útil. Caso contrário, ele segue deixando a sua segurança em risco.

A obsolescência programada do Android não apenas é irritante por deixar dispositivos excelentes desatualizados, mas também por forçar uma situação de vulnerabilidade que poderia ser evitada sem maiores problemas. De novo: tudo passa por uma política mais rígida do Google, que poderia exigir dos fabricantes uma maior longevidade de updates e correções dos dispositivos.

Enquanto isso não acontece, vamos continuar a ver relatórios que dizem mais do mesmo. E fabricantes que tentam empurrar novos dispositivos a todo custo, com o único objetivo de fazer o mercado seguir girando. E uma das desculpas será a segurança dos seus dados.

Lamentável.

 

Via CNET


Compartilhe