O Senado dos Estados Unidos modificou a Lei de Defesa Nacional, fixando assim a multa de US$ 1 bilhão à divisão norte-americana da ZTE, obrigando a empresa a reformular toda a sua diretoria e parte de sua área administrativa.

Tal decisão pode efetivamente fazer com que a ZTE feche as suas portas de vez no país. O Senado não gostou da mediação de Donald Trump com o governo chinês, em um acordo que resultaria em multa e reestruturação. Isso fez com que republicanos e democratas solicitassem uma reforma na Lei de Defesa Nacional.

Foram modificados os termos que dão o direito ao Senado dos EUA a bloquear ações unilaterais nascidas na Casa Branca, sempre e quando tais decisões representem algum tipo de perigo à segurança nacional. No caso da ZTE, as alegações são de violação de bloqueio e acusações de espionagem.

O Senado modificou a Lei de Defesa Nacional com o amplo apoio da câmera, onde a ZTE é vista como uma ameaça, uma vez que o governo federal está proibido de comprar materiais da empresa e de outras empresas chinesas, o que afeta a Huawei por tabela.

Na prática, o Senado colocou Trump na parede, limitando sua capacidade de ação em um momento essencial para o país, uma vez que o presidente está desatando uma guerra comercial global contra a China.

Já a ZTE volta a ficar proibida de realizar qualquer tipo de acordo com empresas norte-americanas, e seu material e infraestruturas não podem ser contratadas ou alugadas por órgãos governamentais norte-americanos.

 

Via NYT