Compartilhe

vôlei

 

A federação japonesa de vôlei contratou um funcionário muito diferente do normal para o seu departamento técnico: um robô para treinar os melhores jogadores do país.

E isso tem todo o sentido do mundo.

 

O robô simula como defende os times adversários. O sistema é composto por três pares de braços robóticos que representam três defensores na rede.

Uma vez que o treinador ativa o sistema, os defensores robóticos se posicionam no local programado, e o atacante precisa superar o sistema. As posições, altura e movimentos do equipamento defensor se programam previamente, dependendo do ataque a ser treinado, que pode depender do próximo rival, que foi estudado previamente, com seus movimentos de defesa mais comuns copiado pelo sistema.

Não é fácil superar o robô. Sua velocidade de movimento é de 3.7 metros por segundo, muito mais rápido que um ser humano. Além disso, o sistema ainda tem margem de melhora, porque sua posição prévia é fixa, não se adaptando às variações do atacante. As jogadoras da seleção japonesa que testaram o sistema por oito dias entendem que esse aspecto precisa ser melhorado.

Na próxima versão, serão adicionados sensores que detectarão também o jogador atacante para poder se defender melhor.

Vídeo do sistema em ação a seguir.

 

 

 

Via News Scientist


Compartilhe