Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Internet | Seja paciente com o Bing com ChatGPT

Seja paciente com o Bing com ChatGPT

Compartilhe

Está oficialmente iniciada a corrida pela dominância do segmento de Inteligência Artificial, onde Google e Microsoft vão bater de frente em um segmento que é muito valioso para as duas empresas: as ferramentas de busca.

E é bom as duas empresas correrem atrás do tempo mesmo, pois há quem diga que essas ferramentas de IA estão se tornando poderosas o suficiente para dispensar a necessidade de procurar uma ferramenta de busca. O ChatGPT tem um enorme potencial para oferecer respostas relativamente precisas e rápidas aos usuários.

Justamente por isso é que a Microsoft decidiu incorporar o ChatGPT no Bing, e já tem internautas utilizando essa solução. Porém, não se empolgue muito por enquanto: é preciso ter um pouco de paciência para que a iniciativa se torne mais madura para o grande público.

 

Ainda é o velho Bing, mas com sinais de um novo Bing

Se você entra em www.bing.com, vai acessar a nova página de buscas da Microsoft, com um grande campo de texto com capacidade para até 1.000 caracteres, onde o internauta poderá fazer perguntas retóricas sobre praticamente qualquer assunto.

Algumas sugestões para possíveis perguntas vão aparecer na interface, e dois botões estão disponíveis para que você possa testar os primeiros resultados do novo buscador, já com o ChatGPT.

É possível perguntar tanto em inglês como em português do brasil, mas a página de resultados mantém o formato de lista de links em um grande bloco central, além de pequenos blocos de respostas com links em forma de cartões do lado direito.

Ou seja, o modo de conversa ou chatbot disponível no ChatGPT não vai aparecer no Bing neste primeiro momento, assim como também não é possível seguir as respostas oferecidas pela inteligência artificial.

Por outro lado, os mais curiosos em descobrir como vai funcionar na prática o novo Bing com a IA do ChatGPT, pode acessar o endereço www.bing.com/new, e a Microsoft explica com mais detalhes como o novo buscador vai trabalhar com essa tecnologia, além de permitir que você “converse” um pouco com o novo buscador.

 

Como testar o novo Bing o quanto antes

Os usuários que aceitarem entrar na lista de espera para testar o novo Bing com ChatGPT e que contam com uma Conta Microsoft terão prioridade, principalmente quando o Edge e o Bing estão como escolhas padrão no computador para navegador web e ferramenta de buscas, respectivamente.

Também terá prioridade quem instalou o novo aplicativo do Bing no computador. Os internautas na fila de espera com um e-mail de Conta Microsoft serão avisados antes que os demais sobre a disponibilidade do novo buscador.

Também vão testar antes o novo Bing os usuários que optarem por realizar o download e a instalação das versões de desenvolvedores do navegador Edge, já que o novo buscador estará integrado nesses softwares.

As mudanças estéticas no novo Edge muito discretas, recebendo cantos arredondados e o novo botão na parte superior direita com o logo do Bing. Ao clicar nele, você vai receber um alerta informando que terá que esperar a disponibilidade do novo recurso, com o convite para ingressar na fila de espera.

 

Seja paciente

Os novos recursos do Bing com a IA da OpenAI integrada no motor de busca da Microsoft estarão disponíveis de forma gradual, e não vão funcionar de forma perfeita logo de cara. Logo, é preciso ter um pouco de paciência para utilizar a ferramenta da maneira que todos esperam que aconteça.

Em teoria, a conversa com o Bing será melhor que aquela que encontramos hoje no ChatGPT, pois o modelo de LLM (Large Language Model) utilizado pela Microsoft seria mais avançado e até mais poderoso do que aquele proposto pela OpenAI.

Dessa forma, o Bing pode incluir respostas mais relevantes e recentes, o que é mais interessante para o grande público de internautas que todos os dias usam as ferramentas de busca para encontrar os conteúdos do dia a dia. Porém, a própria Microsoft reconhece que a Inteligência Artificial ainda pode entregar muitos erros nas respostas, e que os conteúdos de terceiros podem não ser tão precisos ou confiáveis.

E aqui está um dos grandes desafios para Google e Microsoft: treinar a IA para detectar as notícias falsas e os sites fraudulentos. Esses conteúdos precisam ser excluídos das respostas contextualizadas, e o sucesso de qualquer plataforma que está nessa corrida passa obrigatoriamente pela solução desse problema em comum.


Compartilhe