Recordar é viver, especialmente em tempos onde a nostalgia e o retrô estão na moda. Por isso, lembrar dos 20 anos do SEGA Dreamcast não é apenas uma forma de gerar conteúdo, mas também de voltar a um passado onde o mundo dos videogames era mais mítico e emocional do que o atual.

Também, pudera: a guerra entre os fãs da SEGA e da Nintendo era algo simplesmente emblemático.

De qualquer fora, o Dreamcast é sinônimo de muitas coisas, dependendo para quem você pergunta: console pode ser um sucesso incompreendido, ou pode ser um fracasso devido à falta de jogos, pode também ser um console superior ou uma máquina inferior.

As visões sobre o último investimento que a SEGA fez em um hardware são muitas. Mas em uma coisa, todos concordam: o seu legado é inegável.

O Dreamcast foi lançado no Japão há 20 anos, e o console prometia ser o futuro do entretenimento doméstico. É uma pena que não vingou, pois realmente tina a pinta de que seria uma das forças dominantes do setor.

Entre seus títulos mais lembrados, temos:

Sonic Adventure
Virtua Tennis
Crazy Taxi
Resident Evil Code: Veronica
Virtua Fighter
Shenmue

 

 

Ainda que contasse inicialmente com a exclusividade dos jogos esportivos da 2K, que hoje é o jogo de referência no esporte, o console não conseguiu manter o seu ritmo de vendas, sem comercializar um número de unidades elevado o suficiente para serem sustentáveis.

E, com o fim do Dreamcast, a SEGA nunca mais produziu um console de videogames.

Hoje, você ainda pode encontrar algumas poucas unidades do SEGA Dreamcast por valores muito elevados (lá fora, o dobro do que custou a versão ocidental). Porém, vários fatores influenciam no preço, como a inflação e fatores diversos de cobrança, sem falar no fato de ser considerado um console mais raro que os demais.

Sem falar quem muitos especulam sobre um possível Dreamcast Mini, onde algumas fotos do produto chegaram a ser publicadas. Isso mostra o fascínio das pessoas em relação ao produto, que definitivamente marcou época.