Compartilhe

Os hackers deixaram de ser os inimigos das grandes empresas para se transformarem em aliados. Os hackers ‘white hat’ não buscam os danos, mas exploram os limites de segurança em cada sistema informático.

Por isso, é cada vez mais comum ver empresas realizando campanhas de caça aos bugs com programas de recompensas para quem consegue saltar a segurança dos seus sistemas, com pagamento em dinheiro dependendo da gravidade do bug.

Já a Tesla está fazendo algo diferente: oferece um carro para quem conseguir hackeá-lo, em um concurso ‘hacking’ que é organizado todos os anos na conferência de segurança CanSecWest.

 

 

Quem conseguir hackear um Tesla leva o carro para casa

A cada ano, o Pwn2Own oferecem computadores e outros dispositivos como prêmio, com a mesma premissa: se você consegue hackear, é seu. É um bom incentivo, mas na maioria dos casos não é algo realmente necessário.

Mas em 2019, será diferente, pois o prêmio em questão é um Tesla Model 3, o mais recente lançamento da montadora. É basicamente oferecer um carro de presente, pois é quase impossível acreditar que o veículo vai sair ileso quando a conferência terminar.

E é justamente isso o que a Tesla quer: que os hackers encontrem falhas que passaram ao largo no desenvolvimento. São carros com grande quantidade de tecnologias, incluindo os sensores para o piloto automático. Por isso, eles podem ser especialmente vulneráveis aos hackers maliciosos.

 

 

Mas é claro que a Tesla não vai facilitar as coisas. Um dos seus trunfos nos aspectos de segurança em comparação a outras marcas é a grande quantidade de atualizações OTA que oferece, como se o carro fosse um smartphone. Assim, a empresa corrige bugs conhecidos e reforça a segurança dos carros.

Além da Tesla, a Microsoft também participa do evento com licenças do Office 365 e do Windows, assim como a Oracle com o seu VirtualBox, e os softwares habituais nesse tipo de evento, como Chrome, Firefox, Safari e Edge.

 

Via TrendMicro


Compartilhe