Compartilhe

Nos acostumamos a esperar pelo processo de desmontagem dos produtos de tecnologia, especialmente no caso dos smartphones. E o processo de desmontagem do Samsung Galaxy S20 Ultra desperta um interesse ainda maior, pois é um dispositivo caro demais, e não é qualquer um que tem a chance de sair desmontando telefones para mostrar o que ele tem por dentro.

O pessoal do iFixit decidiu fazer o trabalho sujo que (quase) ninguém se atreve a fazer, e desmontou o novo Samsung Galaxy S20 Ultra, mostrando as suas entranhas e revelando o quão difícil é desmontar ou reparar um telefone com as suas características de construção e acabamento.

Vamos então descobrir se a sua vida será um inferno na hora de reparar esse telefone em caso de problemas.

 

 

 

O Samsung Galaxy S20 Ultra, desmontado

 

 

De acordo com o iFixit, desmontar o Samsung Galaxy S20 Ultra não é uma das tarefas mais fáceis, pois os processos de montagem e desmontagem exigem um grande esforço por parte do profissional que vai abraçar essa missão amarga e ingrata, exigindo o uso de várias ferramentas para poder fazer isso possível.

O processo do iFixit sempre é feito de forma muito profissional, e isso é o mínimo que você deve exigir da pessoa que vai consertar o seu dispositivo eletrônico. Dito isso, foi necessário uma pistola de calor para liberar todos os adesivos que rodeiam o telefone que, lembrando, possui resistência IP68 para água e poeira.

O uso desse item é necessário e quase obrigatório para acessar os componentes internos do dispositivo, e o telefone parece ser um pouco mais resistente do que o normal. De novo: é o mínimo que se pede de um smartphone que pode custar o seu rim (é o telefone mais caro da Samsung, com exceção dos dispositivos com design diferenciado, como o Galaxy Z Flip e o Galaxy Fold). A boa notícia é que a parte posterior do S20 Ultra pode ser retirada de forma mais simples, e sem a necessidade de arrancar alguns cabos do telefone.

 

 

Quando a parte superior foi retirada por completo, as lentes da câmera ressaltam bastante do corpo do telefone, o que explica a protuberância bem marcada na parte traseira do smartphone. A Samsung utilizou uma espécie de parafusos Philips para prender o dispositivo, algo que permite uma remoção mais fácil de toda a placa-mãe do telefone.

No interior do telefone, todos os componentes estão bem montados, com um design limpo e muito organizado de suas placas, destacando a presença do modem 5G da Qualcomm e o armazenamento em flash. Uma proposta de organização modular que facilita um pouco as coisas na hora de reparar os seus componentes internos.

Os grandes pontos negativos detectados pelo iFixit no processo de desmontagem do Samsung Galaxy S20 Ultra está na bateria, que é difícil de ser substituída, pois está muito bem presa com cola e todos os itens de sustentação atrelados à ela. Outro ponto questionável é que, no caso da troca da tela (principalmente no caso de quedas), o dispositivo precisa ser desmontado por completo.

Resultado: o Samsung Galaxy S20 Ultra recebeu uma pontuação de 3 em 10 no seu nível de reparação. Uma nota baixa, que confirma as suas dificuldades na hora de reparar o novo smartphone top de linha dos coreanos. Fica o aviso aos proprietários: tenha cuidado redobrado com esse caro telefone top de linha.

 

 

 

Via iFixit


Compartilhe