Compartilhe

A Samsung demorou para oferecer o recurso de leitor biométrico na tela. Outros fabricantes asiáticos de smartphones estrearam o recurso em seus dispositivos antes. Porém, a demora dos coreanos era esperada, e o motivo já era conhecido pela maioria: oferecer um sistema melhor e mais seguro.

O leitor biométrico ultrassônico presente em vários modelos da nova família Samsung Galaxy S10 é o primeiro em um smartphone dos coreanos. E possui a mais rápida, mais precisa e mais eficiente tecnologia de reconhecimento biométrico no mercado.

E vamos explicar os motivos disso nesse post.

Mesmo que outros smartphones já disponíveis no mercado como o Huawei Mate 20 Pro ou o OnePlus 6T (entre outros) já contam com uma tecnologia aparentemente idêntica, o leitor biométrico desses dispositivos funciona com luz. E isso faz muita diferença.

O sistema da Samsung oferece algo a mais. No lugar de emitir uma luz para ler o dedo e depois desbloquear o smartphone, o sensor emite um som ultrassônico que consegue ler a impressão digital. Ou seja, não importa aqui se o dedo está sujo ou cheio de gordura das batatas fritas do seu fast food favorito: o leitor consegue identificar a digital do mesmo jeito. Algo que não acontece em outros sensores biométricos.

Pense no morcego. Um morcego emito um pequeno som que, ao dar o feedback quando esse som encontra um obstáculo, ele consegue ‘ver’ o que está à sua frente. O sensor biométrico ultrassônico do Samsung Galaxy S10 funciona da mesma forma.

Ou seja, assim é muito mais complicado superar a segurança desse sensor para desbloquear o dispositivo, pois o mesmo usa mais uma informação de referência para identificar o usuário.

Esse é o futuro do sensor biométrico nos smartphones, mesmo custando um pouco mais caro. Logo, tal e como aconteceu com outras tecnologias do passado, apenas quando ela se popularizar é que veremos o recurso em dispositivos de diferentes categorias.

Já começamos a ver o leitor de digitais na tela em dispositivos de linha média, o que é ótimo. Estamos avançando. Porém, mais uma vez, a Samsung decidiu esperar para fazer mais e melhor.


Compartilhe