Compartilhe

O Samsung Galaxy M21s não chegou sozinho. A Samsung também lançou no mercado brasileiro o Samsung Galaxy M51, que era relativamente esperado por aqui, por conta da presença do processador Snapdragon 730 (finalmente um telefone de linha média da Samsung com um chip da Qualcomm) e de sua bateria monstro de nada menos que 7.000 mAh.

Muitos usuários estão presumindo que a junção desses dois elementos de hardware podem resultar em um resultado mais poderoso que o Capitão Planeta (sim, uma referência nerd das antigas), onde o dispositivo pode entregar uma maior autonomia de bateria e uma experiência de uso de respeito.

Aliás, a própria Samsung promove tanto o Samsung Galaxy M51 como o Galaxy M21s como dispositivos aptos para os games justamente por causa dessa combinação. Isso é algo até possível, mas entendo que vai sair em maior vantagem quem decidir pagar R$ 1.000 a mais pelo modelo com o chip da Qualcomm.

E o lançamento desses dois produtos determina de forma clara qual é a diferença de preço para a Samsung entre colocar o seu próprio processador no dispositivo e colocar o processador que todo mundo quer.

 

 

 

Você paga a mais por dispensar o processador da Samsung

 

 

Você já parou para pensar que o Samsung Galaxy M51 e o Samsung Galaxy M21s são basicamente o mesmo dispositivo? E, se você entende que eles são diferentes no formato, considere que eles são iguais na essência, que é o que realmente importa aqui.

As principais diferenças entre os dois modelos estão no tamanho da tela (que aqui é uma Super AMOLED de 6.7 polegadas FullHD+, contra 6.4 polegadas do M21s), no processador (o já citado Snapdragon 730, contra o Exynos 9611 do outro modelo) e na bateria (7.000 mAh, contra 6.000 mAh do M21s). Do mais, os modelos são basicamente os mesmos.

Logo, é fácil entender que o preço que você paga por não prestigiar o processador da Samsung é de, basicamente, R$ 1.000. É algo que entendemos, pois os coreanos precisam repassar os lucros para a Qualcomm por utilizar um chip Snapdragon, além de ser uma estratégia para tentar induzir os usuários com a grana mais curta a comprar o dispositivo com o seu próprio processador, ficando assim com uma margem de lucro maior.

O que é curioso nesse caso é que os mais desavisados podem pensar que o Snapdragon 730 é mais gastador de bateria que o Exynos 9611. Não necessariamente é isso: ele é mais potente, exigindo mais do hardware. Além disso, o Samsung Galaxy M51 possui uma tela com 0.3 polegadas a mais, que pode parecer pouco, mas é 1/3 de uma polegada, o que faz uma diferença em qualquer coisa nesse mundo.

 

 

 

Samsung Galaxy M51: vale a pena?

 

 

Depende do que você está procurando em um dispositivo como esse. Para quem quer jogar e ter uma longa autonomia de bateria, o Samsung Galaxy M51 pode ser encarado como um investimento com o seu preço sugerido de R$ 2.609. Nesse caso, fique atento para o que os chineses estão oferecendo pelo mesmo preço ou menos, mesmo que o dispositivo em questão não entregue essa autonomia de bateria toda.

Mas não é um crime pensar no Samsung Galaxy M51 como o seu dispositivo para uso pessoal. Talvez com um preço um pouco menor ele se torne bem mais interessante. Mas quando olho para os demais modelos que a Samsung comercializa no Brasil nesse momento, e detecto alguns erros grosseiros de relação custo-benefício nos preços aplicados, entendo que este lançamento não está com um preço tão desastroso como poderia ser.

Principalmente pensando nas posturas recentes de um fabricante como a Samsung.

 

 

 

Samsung Galaxy M51: especificações técnicas

 

Tela: 6,7 polegadas FHD+ (1080 x 2400) Super AMOLED
Processador: octa-core Qualcomm Snapdragon 730 de 2,2 GHz
RAM: 6 GB
Armazenamento: 128 GB, expansível por cartão microSD de até 1 TB
Câmera traseira quádrupla:
principal: 64 megapixels
ultrawide: 12 megapixels
profundidade: 5 megapixels
macro: 5 megapixels
Câmera frontal: 32 megapixels
Bateria: 7.000 mAh, carregamento rápido de 25 W
Conectividade: Bluetooth, 4G e Wi-Fi
Mais: leitor de digitais na lateral e reconhecimento facial
Sistema operacional: Android 10
Dimensões e peso:163,9 x 76,3 x 9,5 mm, 213 gramas
Cores: branco e preto


Compartilhe