Compartilhe

A Samsung publicou um guia de cuidados para o seu smartphone dobrável, o Galaxy Fold. O modelo é o mais significativo e relevante nesse formato para as demais empresas, tanto nas características como para avaliar a recepção desse tipo de design.

A Samsung garante ter solucionado os problemas detectados nas unidades de revisão do produto, reforçando as áreas problemáticas, dobradiça e tela, com as modificações a seguir:

– A capa protetora superior da tela Infnity Flex foi estendida além das bordas, deixando claro que ela não deve ser eliminada.
– As partes superior e inferior da área da dobradiça receberam tampas de proteção.
– Foram introduzidos reforços adicionais para proteger melhor o dispositivo das partículas externas, mas mantendo a experiência dobrável.
– Foram incluídas capas de metal adicionais abaixo da tela Infinity Flex, para reforço de sua proteção.
– Foi reduzido o espaço entre a dobradiça e o chassi do dispositivo.

 

 

Frágil, delicado e caro

Porém, o vídeo que fala sobre os cuidados no uso do Galaxy Fold mostra que este é um dispositivo frágil, e que exige uma especial atenção no seu manejo. Não é comum ver uma empresa fabricando um vídeo desse tipo, confirmando que este não é um dispositivo para todos os públicos, como se o preço sugerido de US$ 2.000 já não tivesse deixado isso bem claro.

Os conselhos são diversos, e o primeiro informa que o smartphone possui uma proteção incorporada que não deve ser removida. Também não é preciso colocar uma película adicional, e a tela só deve receber “um toque leve”. Não dá para saber o que é leve nesse caso, ou se a menção é apenas um desencargo de consciência por conta da Samsung.

Outros conselhos deixam claro que o dispositivo deve ficar longe da água e poeira, e os imãs integrados usados para manter o Galaxy Fold fechado também recebe destaque. Um aviso lógico para os usuários com dispositivos médicos implantados pode afetar a todos, além de não ser recomendado deixar o dispositivo no mesmo bolso com cartões de crédito, chaves ou moedas.

Resumindo: tenha muito cuidado ao usar o Galaxy Fold. Se a Samsung (com toda a sua capacidade para entregar ao mercado um smartphone resistente) é cautelosa, imagina como os demais concorrentes serão nos seus futuros dispositivos.

 

 

 

E os especialistas confirmam a sua fragilidade

 

 

Enquanto isso, os primeiros especialistas que colocaram as mãos no novo Galaxy Fold confirmaram as preocupações da Samsung, mostrando que o smartphone dobrável conta com vários problemas de durabilidade.

Um desses especialistas foi o JerryRigEverything, que não perdeu tempo em testar a resistência do smartphone. Para isso, ele adotou as escala de durabilidade de MOh, cujo elemento mais brando é o talco (1), e o mais resistente é o diamante (10).

O celular começou a arranhar a partir da durabilidade 6. Algo normal para qualquer equipamento, mas faz muita diferença em comparação com a tela interna (dobrável). Ela começou a arranhar já no nível 2, onde a unha do youtuber começou a fazer danos.

Mas isso não é tudo. O youtuber sabia da advertência da Samsung em ter cuidado com a poeira e a areia. Mas ele queria saber o tamanho do estrago que poderia fazer.

Então, ele colocou um punhado de terra sobre a superfície da tela. Depois, fechou o smartphone e comprovou que a poeira deslizou para baixo. Quando ele voltou a abrir o Galaxy Fold, ele se deu conta que parte da poeira ficou dentro da dobradiça. Como resultado, o dispositivo ficou com um som permanente a cada vez que era aberto.

Mas o pior veio depois. Enquanto ele utilizava uma lâmina para arranhar as bordas do smartphone, acidentalmente este tocou a borda da tela AMOLED. Isso foi o suficiente para gerar uma linha inteira de pixels mortos. Como se isso fosse pouco, ele acabou danificando a função touch de toda a parte superior da tela.

Tudo bem, este foi um teste de tortura que pode ser considerado extremo. Mas alguns itens desse teste mostra como o Galaxy Fold é realmente mais frágil do que o esperado para um dispositivo que custa US$ 2.000.

 


Compartilhe