Compartilhe

O Samsung Galaxy Fold é o primeiro smartphone dobrável dos coreanos e, se nada mudar, também será o primeiro que vai chegar nas lojas (e você não poderá comprar).

Durante a apresentação, a Samsung explicou como foi complexo criar um mecanismo de dobradiça que resiste às dobras ao longo do tempo. O produto é um prodígio de engenharia. Na teoria.

Na prática, não é bem assim.

O Galaxy Fold não pode ser degustado no evento de San Francisco, e as únicas imagens disponíveis do produto estão no site da web do fabricante, e aquelas que foram exibidas no evento. Porém, o pessoal do Engadget examinou com atenção as imagens, e se deram conta que o dispositivo parece fechar por completo quando fechado, mas deixando um espaço entre as duas partes do telefone na parte da dobradiça.

O espaço não parece ser muito grande, mas o perfil do dispositivo quando está dobrado não é retangular. Isso significa que, quando o telefone está apoiado sobre uma mesa, a tela de fundo não fica paralela à mesa, mas sim inclinada.

 

 

O motivo disso pode estar relacionado à tecnologia de tela dobrável, já que essas telas se comportam de forma muito similar ao papel. Se você dobra uma folha de papel, ela fica com um espaço onde você precisa empurrar para baixo para que a folha fique plana.

A Samsung não pode dobrar por completo a tela, pois ela cria uma dobra visível no centro da mesma quando aberta. Além disso, uma dobra completamente plana pode simplesmente destruir a tela, pois nesse momento as telas são flexíveis, mas não dobráveis.

Também podemos pensar que a Samsung fez isso para que as telas não se toquem, mas nas imagens apresentadas fica claro que as bordas da tela são sobressalentes em relação à tela, provavelmente para evitar qualquer contato entre as telas quando ela está fechada.

De qualquer forma, vamos ter que esperar algumas semanas para ver o Samsung Galaxy Fold no teste pratico, e comprovar como ele se sai na realidade.

 

Via Engadget


Compartilhe