Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Smartphones | Samsung Galaxy A54 | Primeira Opinião

Samsung Galaxy A54 | Primeira Opinião

Compartilhe

O Exynos voltou, minha gente!

A linha média de smartphones da Samsung foi uma das mais bem sucedidas da empresa em 2022, e muitos usuários estavam esperando pelos novos modelos dentro desse segmento para considerar a compra em 2023.

Pois bem, a Samsung apresentou o novo Galaxy A54 5G, dentro da categoria intermediária de smartphones da empresa. O modelo tem a responsabilidade de seguir a boa tradição da oferta de uma excelente relação custo-benefício, mas precisamos verificar se a renovação justifica um hipotético aumento de preço para o novo modelo.

Fato é que esse dispositivo está cada vez mais próximo dos telefones top de linha da Samsung, e essa decisão por si é uma faca de dois gumes.

 

Uma linha média cada vez mais alta

Não temos mudanças muito gritantes no novo modelo em relação aos seu equivalente apresentado no ano passado, de modo que é possível afirmar que o mesmo conservadorismo adotado pela Samsung na série Galaxy S23 se fez presente na linha de smartphones intermediários.

Um dos grandes pontos de observação para o Galaxy A54 está no processador. Esse dispositivo recebe o chip Exynos 1380, com processo de fabricação em 5 nanômetros, que é uma atualização do Exynos 1280 presente no seu equivalente do ano passado. E eu não sei se alguns usuários ficarão contentes com isso.

Entendo que muitos clientes da Samsung preferem os processadores da Qualcomm e com boa dose de razão. Quem teve um telefone dos coreanos com o processador Exynos sabe o quanto sofreu com um chip que esquenta demais, drena bateria de forma enlouquecida e entrega um desempenho aquém do esperado.

Por outro lado, precisamos colocar um pouco de crédito na Samsung e esperar pelas primeiras opiniões de reviews e feedbacks dos clientes “early adopters”. Vai que o novo Exynos 1380 surpreende no desempenho geral e consegue corrigir os erros do passado.

Outro ponto de destaque está na tela do Galaxy A54, que é uma Super AMOLED de 6.4 polegadas com taxa de atualização de 120 Hz. Isso é algo muito importante para uma melhor qualidade de imagem, maior fluidez no sistema operacional e execução de jogos e aplicativos, e na melhor experiência de uso como um todo.

Neste aspecto, a Samsung sempre entregou boas telas em seus telefones. E é muito bom ver a empresa dedicando recursos para turbinar a linha intermediária com um display que fica bem próximo daquele encontrado nos telefones top de linha da marca.

Ao mesmo tempo, o Galaxy A54 não nega ser um telefone intermediário quando olhamos para o seu design. Mesmo com a parte traseira se aproximando muito da filosofia estética da série Galaxy S23, a parte frontal ainda entrega bordas relativamente acentuadas na tela, apesar de contar com um furo para alojar a câmera frontal.

Nas câmeras, o modelo perdeu o sensor de profundidade presente no telefone da geração anterior para integrar uma câmera macro de 5 megapixels, mas mantendo a filosofia de sensores principais generosos que foi adotada por todas as marcas para os telefones de linha média. O Galaxy A54 recebe uma câmera principal de 50 megapixels, trabalhando em conjunto com uma lente grande angular de 12 megapixels.

Na câmera frontal, o Galaxy A54 tem ampla vantagem, com o sensor de 32 megapixels, contra 13 megapixels do Galaxy A34.

Na bateria, o modelo recebe 5.000 mAh, que devem ser mais que suficientes para oferecer um dia de uso longe da tomada com o Android 13 revestido pela última capa de personalização da Samsung, a One UI 5.1.

Do mais, o Galaxy A54 recebe até 8 GB de RAM e até 256 GB de armazenamento (expansíveis via microSD de até 1 TB), 5G, WiFi, Bluetooth 5.3, GPS, NFC, alto-falantes estéreo e proteção IP67 contra água e poeira.

 

Samsung Galaxy A54: primeira opinião

O continuísmo da Samsung pode incomodar aos usuários que preferem melhorias mais acentuadas e uma maior inovação nos smartphones. Porém, em time que está ganhando não se mexe, e os coreanos estão vencendo neste segmento.

Logo, não vejo o Galaxy A54 como um grande erro da Samsung, pelo menos neste primeiro momento. É óbvio que vou comparar esse dispositivo com o Galaxy A53, mas posso dizer desde já que as diferenças são pontuais o suficiente para afirmar que talvez a troca de um modelo por outro não deve ser uma prioridade ou senso de urgência para algumas pessoas.

Há quem diga que o novo telefone perdeu capacidade fotográfica e tamanho de tela. Porém, é preciso esperar para ver o quão superior é o novo Exynos 1380 em relação ao Exynos 1280, e se três sensores fotográficos podem trabalhar melhor do que as quatro câmeras da geração anterior.

E é óbvio que o preço será um fator determinante. Será que o Galaxy A53 vai ter o seu preço reduzido? Será que o Galaxy A54 vai chegar por um valor similar ao do modelo do ano passado? Ou será que é melhor ficar com o telefone do ano passado e esperar por um hipotético Galaxy A55 (que pode nem existir, segundo rumores recentes)?

Muitas perguntas que serão respondidas com o passar do tempo.


Compartilhe