A Samsung apresentou o tão esperado smartphone dobrável, em um evento realizado ontem (7) para desenvolvedores. Bom, é melhor dizer que os coreanos apresentaram como o conceito do produto vai funcionar, uma vez que ele ainda está em fase de protótipo e a produção da versão final do dispositivo começa ‘nos próximos meses’.

Para o dispositivo funcionar no conceito desse formato, ele vai precisar de um suporte especial no Android que também foi anunciado pela Google na noite de ontem.

O smartphone dobrável é uma das soluções para deixar a tela de um dispositivo móvel maior, mas sem aumentar de verdade o tamanho do dispositivo.

 

 

O gadget em questão recebe uma tela que a Samsung chama de “Infinity Flex Display”, que é onde se concentra todo o segredo do formato do produto. Quando ele fica fechado, o telefone exibe uma tela convencional de 4.58 polegadas (21:9, 840 x 1960 pixels). Já no formato estendido, temos uma tela com 7.3 polegadas na diagonal (4.2:3, 1536 x 2152 pixels).

A tela flexível/dobrável permite uma liberdade de alteração de formato sem perder as suas propriedades. Como um livro aberto ou fechado, a Samsung explica que as telas dobráveis serão ‘a base do smartphone inteligente do amanhã’ (de acordo com a visão da Samsung).

 

 

Vamos ter que esperar um pouco para conhecer o seu design completo, especificações e funcionamento em 100%. O smartphone dobrável da Samsung está em fase de protótipo, e a produção em massa começará nos próximos meses. Com certeza veremos um preview na MWC de Barcelona no final de fevereiro, mas calculamos que a versão final do produto não vem até depois do verão norte-americano de 2019.

 

 

Suporte para smartphones dobráveis

 

 

Quando abrimos o dispositivo, os apps abertos passam da tela frontal para a interior, algo que só é possível graças a algumas atualizações do Android.

E foi justamente isso o que a Google anunciou: o suporte nativo no Android para smartphones dobráveis. A boa notícia é que a maioria dos aplicativos Android já estão otimizados para diferentes tamanhos de tela, resolução e relações de aspecto.

 

 

O suporte nativo é importante e destinado a prevenir a fragmentação. Se isso não acontece, os fabricantes de dispositivos originais terão que criar as suas próprias implementações, o que pode resultar em experiências muito diferentes com este tipo de formato.

O smartphone dobrável da Samsung chega ao mundo em 2019, mas com certeza teremos até lá com dezenas de modelos similares de outros fabricantes desembarcando no mercado.